Você está na página 1de 19

Nova Lei de

Licitações e
Contratos
Lei Federal nº 14.133 de 1º de abril de 2021
DO JULGAMENTO

Arts. 59 a 61 da Lei N° 14.133/2021

Nova Lei de Licitações e Contratos


Desclassificação
Art. 59 Serão desclassificadas as propostas que:

I – contiverem vícios insanáveis;

- O sobrepreço ocorre quando o valor de uma proposta de um bem ou


serviço é superior ao praticado no mercado, seja por preço, quantidade ou
baixa qualidade. TCU se manifestou no sentido de que o critério de
sobrepreço em contratos administrativos é o preço de mercado, não sendo
cabível à Administração fazer ingerências na gestão de custos
administrativos de cada empresa. (Fechamento do contrato)

- Superfaturamento acompanhado de direcionamento.

- Quando todas propostas apresentadas pelos concorrentes têm preços


superfaturados.

- Empresas oferecem propostas mais vantajosas, no entanto, estão impedidas


de contratar com a Administração.

 
Desclassificação

Art. 59 Serão desclassificadas as propostas que:

[...]

II – não obedecerem às especificações técnicas pormenorizadas no edital;

III – apresentarem preços inexequíveis ou permanecerem acima do


orçamento estimado para a contratação;

IV – não tiverem sua exequibilidade demonstrada, quando exigido pela


Administração;

V – apresentarem desconformidade com quaisquer outras exigências do


edital, desde que insanável.
Propostas inexequíveis
Serão desclassificadas as propostas que: (i) apresentarem preços inexequíveis ou
permanecerem acima do orçamento estimado para a contratação; (ii) não tiverem
sua exequibilidade demonstrada quando exigido pela Administração, (art. 59,
incisos III e IV – Lei n.º 14.133/2021).

STJ e TCU assegura ao licitante a possibilidade de comprovar


a exequibilidade de sua proposta

Destarte, a presunção de inexequibilidade deve ser considerada relativa,


podendo ser afastada, por meio da demonstração, pelo licitante que apresenta a
proposta, de que está é de valor reduzido, mas exequível. (STJ – Resp: 965839
SP 2007/0152265-0).

SÚMULA TCU 262: O critério definido no art. 48, inciso II, § 1º, alíneas “a” e “b”,
da Lei n.º 8.666/1993 conduz a uma presunção relativa de inexequibilidade de
preços, devendo a Administração dar à licitante a oportunidade de demonstrar a
exequibilidade da sua proposta.
Verificação da conformidade das propostas e avaliação da
exequibilidade

§ 1º A verificação da conformidade das propostas poderá ser feita exclusivamente


em relação à proposta mais bem classificada. (celeridade do procedimento
licitatório)

§ 2º A Administração poderá realizar diligências para aferir a exequibilidade das


propostas ou exigir dos licitantes que ela seja demonstrada, conforme disposto no
inciso IV do caput deste artigo.

§ 3º No caso de obras e serviços de engenharia e arquitetura, para efeito de


avaliação da exequibilidade e de sobrepreço, serão considerados o preço global,
os quantitativos e os preços unitários tidos como relevantes, observado o
critério de aceitabilidade de preços unitário e global a ser fixado no edital,
conforme as especificidades do mercado correspondente.
Como era o cálculo da inexequibilidade

Para obras e serviços de engenharia, considera-se as propostas cujos valores


sejam inferiores a 70% do menor dos seguintes valores: a) média aritmética dos
valores das propostas superiores a 50% do valor orçado pela administração,
ou b) valor orçado pela administração, (art. 48, §1º - Lei n.º 8.666/1993).

Proposta inferior a 80% será exigida garantia adicional


Dos licitantes classificados na forma do parágrafo anterior cujo valor global da
proposta for inferior a 80% (oitenta por cento) do menor valor a que se referem
as alíneas "a" e "b", será exigida, para a assinatura do contrato, prestação de
garantia adicional, dentre as modalidades previstas no § 1º do art. 56, igual a
diferença entre o valor resultante do parágrafo anterior e o valor da
correspondente proposta. (art. 48, §2º, Lei n.º 8.666/1993)

Caso a proposta apresente valores iguais ou superiores a 80% do menor dos


valores previstos nas alíneas “a” e “b”, a proposta é exequível e a prestação de
garantia é regida pelo art. 56, com valores entre 5% a 10% do contrato.
Como era o cálculo da inexequibilidade

Valor orçado 50% do Valor orçado


100.000 50.000
 
Construtora - A 83.000 Proposta exequível > 50%
Construtora - B 60.000 Proposta exequível > 50%
Construtora - C (48.000) Proposta inexequível < 50%
Construtora - D (48.900) Proposta inexequível < 50%
Construtora - E 85.000 Proposta exequível > 50%
Construtora - F 82.000 Proposta exequível > 50%
Construtora - G 90.000 Proposta exequível > 50%
400.000 Licitantes :
Soma das propostas > 50% = ( A +  B + E + F + G )
5
Média das propostas exequíveis = 80.000*  
Proposta inexequível (0,70% x 80.000) = 56.000 Construtoras C e D < 50%
Proposta vencedora = 60.000 Construtora B
Como ficou o novo cálculo da inexequibilidade
No caso de obras e serviços de engenharia, serão consideradas inexequíveis
as propostas cujos valores forem inferiores a 75% (setenta e cinco por cento)
do valor orçado pela Administração. (art. 59, §4º, Lei n.º 14.133/2021)

Proposta inferior a 85% será exigida garantia adicional


Nas contratações de obras e serviços de engenharia, será exigida garantia
adicional do licitante vencedor cuja proposta for inferior a 85% (oitenta e cinco
por cento) do valor orçado pela Administração, equivalente à diferença entre este
último e o valor da proposta, sem prejuízo das demais garantias exigíveis de
acordo com esta Lei. (art. 59, §5º, Lei n.º 14.133/2021)
(I) Valor orçado 100.000
(II) 75% do valor orçado 75.000
(III) Média das propostas exequíveis (Licitantes: A + B + E + F + G) 80.000
(IV) 85% sobre a média das propostas exequíveis (0,85 x 80.000) 68.000
(V) Proposta vencedora Construtora B 60.000
(VI) Garantia adicional a ser exigida da Construtora B (IV – V) 8.000

Fonte: ACÓRDÃO Nº 169/2021 – TCU – Plenário 1. Processo nº TC 039.025/2019-5.


Garantia para proposta vencedora superior a 85% do art. 59, §5º

Art. 98. Nas contratações de obras, serviços e fornecimentos, a garantia


poderá ser de até 5% (cinco por cento) do valor inicial do contrato,
autorizada a majoração desse percentual para até 10% (dez por cento),
desde que justificada mediante análise da complexidade técnica e dos riscos
envolvidos.
Novos critérios de desempates

Art. 60. Em caso de empate entre duas ou mais propostas, serão utilizados
os seguintes critérios de desempate, nesta ordem:

I - disputa final, hipótese em que os licitantes empatados poderão apresentar


nova proposta em ato contínuo à classificação;

II - avaliação do desempenho contratual prévio dos licitantes, para a qual


deverão preferencialmente ser utilizados registros cadastrais para efeito de
atesto de cumprimento de obrigações previstos nesta Lei;

Nota: Esses registros farão parte do Portal Nacional de Contratações Públicas


(PNCP), cujo sistema ainda será regulamentado.
Novos critérios de desempates

Art. 60. Em caso de empate entre duas ou mais propostas, serão utilizados
os seguintes critérios de desempate, nesta ordem:

[...]

III - desenvolvimento pelo licitante de ações de equidade entre homens e


mulheres no ambiente de trabalho, conforme regulamento;
Nota: Fomento à cultura da equidade de gênero.

IV - desenvolvimento pelo licitante de programa de integridade, conforme


orientações dos órgãos de controle.
Nota: Lei 12.846/13 (Lei Anticorrupção), exige, para efeito de atenuação de
sanções, a existência de mecanismos efetivos a ser observado pela empresa.
Se o empate permanecer
§ 1º Em igualdade de condições, se não houver desempate, será assegurada
preferência, sucessivamente, aos bens e serviços produzidos ou prestados por:

I – empresas estabelecidas no território do Estado ou do Distrito Federal do órgão


ou entidade da Administração Pública estadual ou distrital licitante ou, no caso de
licitação realizada por órgão ou entidade de Município, no território do Estado em
que este se localize; (Produzidos no País)
II – empresas brasileiras;
III – empresas que invistam em pesquisa e no desenvolvimento de tecnologia no
País;
IV – empresas que comprovem a prática de mitigação, nos termos da Lei nº
12.187/2009. (Política Nacional Mudança do Clima). Diretrizes:
a) mitigar a mudança do clima por meio da redução de emissões antrópicas por fontes e do
fortalecimento das remoções antrópicas por sumidouros de gases de efeito estufa; iniciativas e
medidas para reduzir a vulnerabilidade dos sistemas naturais e humanos frente aos efeitos atuais e
esperados da mudança do clima;

§ 2º As regras previstas no caput deste artigo não prejudicarão a aplicação do


disposto no art. 44 da LC. n.º123/ 2006. (Preferência de contratação ME/EPP)
Negociação

Art. 61. Definido o resultado do julgamento, a Administração poderá negociar condições


mais vantajosas com o primeiro colocado.

§ 1º A negociação poderá ser feita com os demais licitantes, segundo a ordem de classificação
inicialmente estabelecida, quando o primeiro colocado, mesmo após a negociação, for
desclassificado em razão de sua proposta permanecer acima do preço máximo definido pela
Administração.

§ 2º A negociação será conduzida por agente de contratação ou comissão de contratação, na


forma de regulamento, e, depois de concluída, terá seu resultado divulgado a todos os
licitantes e anexado aos autos do processo licitatório.
AGRADEÇO
A
TODOS

Você também pode gostar