Você está na página 1de 12

Diagnóstico dos skin-points dos

fornos da unidade da reforma


Planta de Aromáticos 1

23/08/2020
capítulo

01 Introdução
A Reforma Catalítica Contínua (CCR) é um processo químico que converte naftas de
refinaria de petróleo destiladas do óleo de baixa octanagem em produtos líquidos de alta
octanagem chamados de reformados, que são estoques de mistura para gasolina de alta
octanagem.
O processo parcialmente desidrogena parafinas, isoparafinas e naftenos cíclicos e os
converte em aromáticos de alta octanagem.
A conversão requer energia térmica extra, a qual é fornecida pelos fornos BA-
401/451/452/453/454.
Estes Elevam a temperatura de 185°C a 450°C em média aproximada.
Logo após os fornos ,os efluentes vão para os reatores DC-401/451/452/453/454 ,onde
passam pelo leito de catalizador fluidizado ,sendo efetivamento reformados .
capítulo
Diagnóstico dos skin-points dos fornos da unidade da reforma
02 Planta de Aromáticos 1

M o ti va çõ e s
Durante todo o processo o controle e monitoramento das
temperaturas são fundamentais para garantir tanto e
eficiência de conversão nafta/reformados quanto da
integridade física dos equipamentos.

Figura 1: exemplo de Figura 2: fornos da


termoelemento de skin-point reforma catalítica ,áreas
soldado na tubulação. 400/450.
capítulo
Diagnóstico dos skin-points dos fornos da unidade da reforma
02 Planta de Aromáticos 1

M o ti va çõ e s / H i stó r i c o - q u a nti d a d e d e fa l h a s
 A quantidade elevada de falhas nos medidores de temperatura, particularmente os de skin
(superfície do tubo) impacta na avaliação da integridade das serpentinas (SAP).
FORNO QUANTIDADE OBSERVAÇÃO
BA-401 8 4 VIA WIRELESS
BA-451 8 Falhas medição de temperatura de skin por forno
BA-452 8
01/2013 a 01/2017
BA-453 4
BA-454 2 35
31
TOTAL 30 30
25
20
15
10
5
5 2
1 1
0
BA-452 BA-454 BA-453 BA-401 BA-451
capítulo
Diagnóstico dos skin-points dos fornos da unidade da reforma
01 Motivação
Planta de Aromáticos 1

H i stó r i co - l i m i t e s o p e ra c i o n a i s
 Paradas não planejadas devido as falhas nos sistemas de medição.
 Histórico de danos em fornos em função de operação acima do limite de projeto;
 Incerteza das medições de temperatura durante operação, levando a um escopo Média acima
de 700°C
robusto de ensaios para avaliação de integridade das serpentinas da radiação;

Temperatura
Temperatura de de pico
projeto
593°C Temperaturas dos skin point no BA-451 no período de abr/2013 a fev/2016 600°C
capítulo
Diagnóstico dos skin-points dos fornos da unidade da reforma
02 Planta de Aromáticos 1

A n a l i s e d o s m o d o s d e fa l h a m a i s a t u a n te s n o s s k i n p o i n t s
capítulo
Diagnóstico dos skin-points dos fornos da unidade da reforma
02 Planta de Aromáticos 1

A n a l i s e d o s m o d o s d e fa l h a e a ç õ e s i m p l e m e n ta d a s

FORNO ARÉA MODO FALHA IMPACTADO AÇÃO

Instalação de proteção refratária nas bainhas dos


BA-401 400 Bainha derretida
termoelementos de skin (MEIA -CANAS)
Melhora no isolamento das bainhas dos
TODOS 400/450 Bainha derretida
skinspoints

TODOS 400/450 Bainha partida Reencaminhamento da bainha dentro dos fornos.

Mau-contato nas caixas de


BA-651 650 Instalação de infraestrutura de rede wireless
ligação
Mau-contato nas caixas de Instalação de transmissores de temperatura
BA-651 650
ligação wireless
Substituição de termoelementos de
BA-401 400 Oxidação do elemento radiação/convecção com poço de cerâmica por
outros que dispensam poço.
Substituição de termoelementos rigidos nos
BA-453 450 Oxidação do elemento
passes por outros flexíveis.
Readequação do material dos termoelementos de
TODOS 400/450 Oxidação do elemento
skin point as condições do fornos
TODOS 400/450 Sensor danificado Proteção dos pads nos skin points
capítulo
Diagnóstico dos skin-points dos fornos da unidade da reforma
02 Planta de Aromáticos 1

Antes Soluções implementadas


Depois

Figura 5:Sensor com Figura 6:Bainha com


Figura 3:Bainha Figura 4:Sensor sem proteção de pad proteção de meia-cana
partida proteção de pad cerâmica

Bainha
reencaminhada e com
proteção de manta
cerâmica.
Figura 7:bainha
derretida.
capítulo
Diagnóstico dos skin-points dos fornos da unidade da reforma
03 Planta de Aromáticos 1

Re s u l ta d o s o b ti d o s
 Redução na quantidade de falhas nos termoelementos de skin-points 2017 a 2020.

Falhas medição de temperatura de skin por forno de


01/2017 a 11/2017
4.5
4
4
3.5
3
2.5
2
1.5
1
0.5
0 0 0 0
0
BA-454 BA-401 BA-453 BA-452 BA-451
capítulo
Diagnóstico dos skin-points dos fornos da unidade da reforma
03 Planta de Aromáticos 1

Re s u l ta d o s o b ti d o s
 As temperaturas medidas pelos termoelementos de skin-point ficaram abaixo da
máxima admitida pelos fornos.

Limite
máximo Temperatura Média
600°C de projeto abaixo de
593°C 550°C

Temperaturas dos skin point no BA-451 no período de nov/2017


capítulo
Diagnóstico dos skin-points dos fornos da unidade da reforma
05 Planta de Aromáticos 1

Conclusões
Engenharia de manutenção de instrumentação recomenda a liberação e abertura
dos fornos para inspeção e manutenção corretivas nos skinpoints que não tem
MTBF no momento que permita resistir a uma campanha de cinco anos. Faz-se,
necessário:

• Inspeção geral em todos os termo elementos 30(trinta) no total;


• Substituição de todos os termo elementos, pois apresentarem deformações e
sinais de stress térmico;
• Recuperação das proteções de louça tipo meia cana sobre os termo elementos;
• Recuperação das proteções refratárias.
Obrigado!
Salvador, 24 de Novembro de 2017