Você está na página 1de 21

Banisteriopsis argyrophylla (A.Juss.) B.

Gates
(Malpighiaceae)

Cipó-prata
Caracterização botânica

• Banisteriopsis argyrophylla – Malpighiaceae (mesma da acerola) – cipó-prata


• Outras plantas gênero mesmo nome: B. campestres e B. laevifolia
(espécies diferentes, não sinonímias)
• Sinonímia vulgar – Murici
• Flores brancas agrupadas em umbelas paniculadas
• Folhas opostas, ovadas, arredondadas na base, cor verde
escuro na região adaxial; prateadas região abaxial
• Arbusto semilenhoso, ereto e com ramos finos e
alongados; Até 3 m de altura
• Caule volúvel como modo de crescimento em ascensão

(Vargas, 2012; Grandi, 2014; Oliveira, 2016 )


Caracterização botânica

• Abundante Florestas Estacionais Semideciduais

• Orla das matas, campos e beiras de estrada

• Floresce no verão, reproduz-se em locais úmidos

e sombreados.

• Atrai muitas espécies insetos polinizadores,

principalmente abelhas (elaióforos florais)

(Vargas, 2012; Vargas, et al. 2013 Grandi, 2014 )


Caracterização botânica

• Importância da caracterização botânica e identificação

• Investigação fitoquímica com extratos adquiridos na cidade

de São Paulo – encontrou material comercializado como B.

argyrophylla, mas que na verdade é B. laevifolia, também

conhecida como B. gardneriana

(Scheffer, 2014; Oliveira et al. 2016)


Caracterização botânica

• Nativa
• Cerrado – diversas fitofisionomias (domínio
fitogeográfico)
• Goiás, Minas Gerais e São Paulo

(Vargas, et al. 2013; Fonte mapa: https://eol.org/pages/5023966)


Aspectos agronômicos

• Tolerante a solos ácidos e pobres; desenvolve-se a sol pleno

• Mulplicação: sementes

• Plantio: muros e/ou cercas

• Raras informações literatura sobre aspectos de cultivo – planta silvestre

(Vargas, et al. 2013; Grandi, 2014)


Indicações populares

• Antiinflamatório nas hemorragias ovarianas,


nefrites (decocto ou infuso) – farmacógeno
raízes

• Tratamento de problemas renais (cálculos),


dores relacionadas à bexiga, clareamento da
B. Caapi - Popularmente conhecida por
pele e manchas compor a bebida Ayahuasca (Psychotria viridis
– potentes alucinógenos) – rituais povos
• Outras espécies de Banisteriopsis: B. caapi, B. originários

variabilis e B. anisandra Seu uso se dispersou – religiões que fazem


uso da bebida em
rituais, tendo adeptos no Brasil e exterior

(Rodrigues & Carvalho, 2001; Avila, 2013; Oliveira et al. 2016)


Indicações populares

“Composição: Cipó Prata (Banisteriopsis oxyclada)


Cápsulas/pó 500mg

Benefícios:
ação diurética, anti-inflamatória
Para afecção renais (oligúria, anúria, disúria, dor lombar), afecção
vesical (inflamação, dor), ácido úrico, anti-inflamatório, bexiga,
blenorreias, hemorragias ovarianas, nefrite.

Modo sugerido de usar:


1 cápsula após o café
1 cápsula após o almoço
1 cápsula após a janta
- Ingerir com bastante água”
Uso fármaco-terapêutico com evidências cientificas
Obtenção Extrato Etanólico (EE) de B.
argyrophylla

Maceração
Folhas
etanol Filtração
secas 95%

Secagem
Estufa Pó 40º
40º seco
Liofização

Folhas Medida
teor de
Extrato
secas umidade etanólico
Extrato
etanólico Determinação da atividade antifúngica do EE de B. argyrophylla
95%
Aceptor de elétrons
Soluções de estoque iniciais: Quando presente
amostras EE diluídas em desidrogenase ativa
DMSO (solvente orgânico) (oriunda do meio de cultura estudado)
altera a cor do meio e
permite obs imediata crescimento
Diluições feitas com o
microbiano
meio de cultura RPMI
1640 padrão
tamponado a pH 7,2 Placas de diluição 96 poços
revelador resazurina

Candida albicans Concentração inibitória


Candida tropicalis mínima CIM
Candida glabrata concentração mínima de
principais etiologia infecções amostra capaz de inibir o
micóticas crescimento de leveduras.
Determinação da atividade antifúngica do EE de B. argyrophylla

Extrato
etanólico
95%

Valores de CIM < 100,0 µg mL–1


considerados promissores
satisfatória atividade antifúngica

(Holetz et al. 2002; Ríos & Recio, 2005)


Fracionamento bioguiado do EE de B. argyrophylla
Obtenção de Frações do EE extração líquido-líquido

Dissolvido em
CH3OH:H2O (9:1)

Filtrado e submetido
Extrato extração líquido-líquido
etanólico
95%
Hexano (FH)

Diclorometano (FDCM)

Acetato de Etila (FAE)

N-butanol (FB) Fração H2O


Determinação dos metabólitos secundários (MS) do EE de B. argyrophylla
Determinação e avaliação da atividade antifúngica de Frações e do EE B. argyrophylla

Frações FDCM e FAE


• Inibiram todas as leveduras estudadas
• FAE resultados mais promissores atividade antifúngica (menores valores CIM - Valores de
CIM < 100,0 µg mL-1
Determinação dos metabólitos secundários (MS) da fração FAE do EE de B.
argyrophylla

Cromatografia líquida de ultra eficiência (UHPLC)


acoplada à espectrômetro de massas (EM)

FAE – melhores resultados ensaios da atividade antifúngica

• analisada através UHPLC com ionização por eletrospray (IES) – modo negativo

• submetida a cromatografia em coluna em fase reversa (C18) -> 4 frações do FAE

A1 A2, A3 e A4
Resultado Cromatograma UHPLC da FAE

9 sinais (tR) observados correlacionados aos


flavonóides 1 a 10 -> HRESIMS
Atividade antifúngica de frações A1 a A4 de FAE de B. argyrophylla

• A1 - Presença das catequinas (testadas cepas de Candida)


• A2 e A3 – CMI = 3 organismos –> composição química
semelhante – ricos em quercetina -> (estudos mostram potenciais
atividades antifúngica)
• A4 – CMI < catequina (A1) C. albicans e C. glabatra – kaempferol
(extratos ricos em derivados apresentam atividade antifúngica) e
também efeito sinérgico kaempferol e quercetina
Considerações finais

• Não encontrada em Farmacopeia


• Algumas espécies do gênero muito utilizadas na medicina popular
• Gênero dos mais complexos dentro da família Malpighiaceae: diversos problemas
nomenclaturais – estudos com sistemática
• Ampla utilização na medicina popular + planta nativa
• Estudo utilizado – mostra ação promissora dos MS de B. argyrophylla contra
fungos de importância médica
Referências bibliográficas

• Grandi, Telma Sueli Mesquita. "Tratado das plantas medicinais: mineiras, nativas e cultivadas." Belo
Horizonte: Adequatio Estúdio (2014).
• Oliveira, Daiane M., et al. "Antifungal and cytotoxicity activities of Banisteriopsis argyrophylla
leaves." Journal of Pharmacy and Pharmacology 70.11 (2018): 1541-1552.
• Rocha, Edmilson de Oliveira. "Estudo fitoquímico e atividades biológicas da espécie Banisteriopsis
campestris (A. Juss.) Little." (2018).
• Rodrigues, Valéria Evangelista Gomes, and DA de Carvalho. "Levantamento etnobotânico de plantas
medicinais no domínio do cerrado na região do Alto Rio Grande–Minas Gerais." Ciência e
Agrotecnologia 25.1 (2001): 102-123.
• Schefer, Adrieli Valdira. "AVALIAÇÃO FARMACOGNÓSTICA DA DROGA VEGETAL CIPÓ-
PRATA (Banisteriopsis gardneriana [A. Juss.] WR Anderson & B. Gates)." (2014).
• Associação Brasileira de Estudos das Abelhas – A.B.E.L.H.A. (2015). Agricultura e Polinizadores. São
Paulo: A.B.E.L.H.A. Disponível em:
http://eepurl.us10.listmanage.com/subscribe?u=7218f3c12b1ebde3fb5033cf0&id=ec3b8bf5cf
Obrigada!

Você também pode gostar