Você está na página 1de 13

Aula V - Platão I (15/04)

Situar Platão no contexto histórico anterior. ANTES DE CONTINUARMOS

Tínhamos Sócrates não deixou escritos.


O diálogos socráticos foram escritos por Platão, e as
Problemática do conhecimento (Epistemologia) temáticas foram elaboradas à sua maneira e através de
sua experiência com seu mestre. Podemos dizer que a
Atitude crítica
filosofia de Platão contém uma crítica e um
Mesmas questões em outros termos desenvolvimento da concepção socrática.

Questão da possibilidade do conhecimento: é possível conhecer


a realidade, o mundo, tal como ele é?

Questão do método: como é possível adquirir esse


conhecimento? Ou seja, como se justifica
uma determinada pretensão ao conhecimento como legítima ou
verdadeira?

Questão dos instrumentos do conhecimento: sentidos e razão

Questão do objeto do conhecimento: mundo material perecível


ou realidade superior eterna e imutável?

Detalhe de Platão em A Escola da Atenas.


Raphael (1509)
O que muda no contexto da filosofia?

Filosofia se torna crítica, árbitro e legisladora da pretensão ao


conhecimento, analisando seus fundamentos, o discurso e a
cultura.

FUNÇÃO CRÍTICA

Busca pela representação correta do real

Como? Pelo exame dos fundamentos e sobre como se forma este Alcibíades sendo ensinado por Sócrates. Óleo sobre tela.
conhecimento. François Andre Vincent (1777)
Epistemologia deve ser o ponto de partida da reflexão filosófica.

Filosofia se torna um projeto.

Logo: obra de Platão como “uma longa reflexão sobre a


decadência da democracia ateniense, de seus valores, seu
modelo, e do contexto que condenou o Sócrates.”

Reflexão que se realiza pelo diálogo (lembremos do diálogo


socrático)

O Banquete de Platão. Anselm Feuerbach (1873)


Logo, em Platão aparecem temas como:

O que significa a democracia?


Qual o estatuto civil da religião?
O que significa ensinar?
Qual o valor da arte?
Como se definem as virtudes?
CARACTERÍSTICAS DA OBRA DE PLATÃO

1. ciência (o conhecimento função pedagógica e glossário


verdadeiro e legítimo); função política da SÍNTESE: Reunião de
SÍNTESE diversos elementos
2. moral; questão do
num todo coerente
3. política. conhecimento

UNIVERSALIDADE
A filosofia é um método para
superar o senso comum e
estabelecer o ideal, buscando o
caráter universal das questões.
CARACTERÍSTICAS DA OBRA DE PLATÃO

A filosofia… O discurso comum…


- preocupa-se com sua própria legitimação, - é sempre expressão de um sujeito, de um
sua justificação, daí ser considerado crítico e interesse, de um conjunto de crenças e
reflexivo. valores, isto é, de convenções.
- preocupa-se em chegar à verdade por meio - mesmo o discurso manipulador deve
da razão. necessariamente se submeter às regras da
- se funda na legitimidade, portanto deve ser inteligibilidade, se não, não realiza sua
aceito por todos (caráter universal), e se função comunicativa.
impõe pela argumentação racional, que - É existência de regras e princípios
produz um consenso legítimo, que se opõe discursivos que permite resgatar o discurso
à violência do poder. verdadeiro e desmascarar a opinião.
CARACTERÍSTICAS DA OBRA DE PLATÃO

O MÉTODO DIALÉTICO

- processo de abstração que permite que se chegue à definição de conceitos.


- não substitui de início a certeza da opinião por outra certeza, mas é um
método negativo, exigindo uma atitude crítica, mostrando a necessidade de
um questionamento dessa própria opinião e de seus fundamentos.
- o diálogo é a relação verdadeira, opondo-se à violência, mas também à
retórica manipuladora dos sofistas.
- trata-se agora da busca da universalidade, e o discurso que tem a pretensão
de ser universal, capaz de superar as divergências de opinião e ter um caráter
legitimador, é a filosofia.
“Não passe destes portões quem não tiver estudado geometria”

● Influência e Inspiração
○ Crátilo - seguidor de Heráclito
○ Sócrates
○ Arquitas de Tarento - pitagórico (escola
italiana-eleática)
○ Fundação da Academia - escola filosófica
○ Tutor em Siracusa - pedagogia e política
TEORIA DAS IDEIAS (ou FORMAS)

● Elaborada gradativamente nas obras de Platão


○ Diálogos socráticos
○ Diálogos intermediários - Teoria das ideias
○ Diálogos da maturidade - Crítica à teoria das ideias
○ Diálogos da fase final

Parte de P.Oxy. LII 3679, com


trecho da República, de Platão.
A crítica de Platão à Sócrates

● Método (maiêutica socrática) + TEORIA


○ apenas o método não é suficiente, é necessário um fundamento (TEORIA) que estabeleça os
critérios para o método ser aplicado de forma correta e eficaz

● A Ideia é essa teoria


○ a ideia é a natureza essencial das coisas
○ se estabelece um limite de abstração em que sabemos que uma resposta foi obtida
■ quando esta satisfaz os critérios da teoria para a aplicação do método então chegamos
a natureza essencial (eterna e imutável - a verdade)
METAFÍSICA

● É a doutrina sobre a natureza última e essencial da realidade


○ o conhecimento teórico necessário e indispensável para o método de análise

posteriormente esta nomenclatura dá lugar ao termo ontologia


CONSEQUÊNCIAS

● Reflexão filosófica se afasta do mundo da experiência imediata e concreta,


se dirigindo para uma realidade abstrata e ideal - “Amor platônico”
● Radicalização da preocupação e interesse prático da filosofia - “virtudes”,
valores que orientam as ações humanas (ética e política)
● A boa ação é fruto da articulação TEORIA + PRÁTICA = processo de decisão
TEORIA INATISTA - REMINISCÊNCIA

● Ménon a Sócrates (80d): “Como procurar por algo, Sócrates, quando não se
sabe pelo que se procura? Como propor investigações acerca de coisas as
quais nem mesmo conhecemos? Ora, mesmo que viéssemos a deparar-nos
com elas, como saberíamos que são o que não conhecíamos?”

Você também pode gostar