Você está na página 1de 20

Livros e materiais

didáticos de História
(Circe Bittencourt)

Profº Sérgio Luiz


 Qual tem sido o papel dos materiais
didáticos no ensino e na aprendizagem de
História?

 Qual a relação entre o tipo de material


didático e a formação do professor?

 Como os materiais didáticos interferem na


formação dos alunos?
Materiais didáticos e Indústria
Cultural
 É preciso distinguir suporte informativo de
documento.
 Os materiais didáticos são mediadores do
processo de aquisição de conhecimento,
bem como facilitadores da apreensão de
conceitos, do domínio de informações e de
uma linguagem específica da área de cada
disciplina. Ele é, portanto, um suporte
informativo.
 Os suportes informativos correspondem a
todo discurso produzido com a intenção
de comunicar elementos do saber das
disciplinas escolares.
 Exemplos de suportes informativos: livros
didáticos, paradidáticos, atlas, dicionários,
apostilas, cadernos, produções de vídeos,
CDs, DVDs e materiais de computador
(CD-ROMs, jogos etc.). Eles fazem parte
da INDÚSTRIA CULTURAL.
 Outro grupo de materiais didáticos é
constituído pelos denominados
documentos.
 Documento é todo o conjunto de signos,
visuais ou textuais, que são produzidos
em uma perspectiva diferente dos saberes
das disciplinas escolares e posteriormente
passam a ser utilizados com finalidade
didática (contos, lendas, filmes de ficção,
pinturas, poemas, músicas, artigos de
revistas ou jornais, cartas etc.).
 Um aspecto fundamental a ser
considerado em análises sobre materiais
didáticos é seu papel de instrumento de
controle do ensino por parte dos diversos
agentes do poder.
 A escolha de material didático é uma
questão política e torna-se um ponto
estratégico que envolve o
comprometimento do professor e da
comunidade escolar perante a formação
do aluno.
 Existem livros didáticos que são
confeccionados para privilegiar trabalhos
individuais e outros valorizam o trabalho
em equipe e para a necessidade constante
da interação entre grupos.

 Que alunos pretendemos formar:


individualistas ou que saibam trabalhar em
equipe? A escolha do livro depende das
nossas concepções sobre o conhecimento.
Livro didático: um objeto cultural
complexo
 Diversas pesquisas têm revelado que são
um instrumento a serviço da ideologia e
da perpetuação de um “ensino
tradicional”.

 Corpos disciplinados, comportados ou


sujeitos criativos, reflexivos,
questionadores?
Livro didático: objeto de difícil
definição
 Possui ou pode assumir funções
diferentes, dependendo das condições, do
lugar e do momento em que é produzido e
utilizado nas diferentes situações
escolares.
 O livro didático caracteriza-se por ser uma
mercadoria ligada ao mundo editorial e à
lógica da indústria cultural do sistema
capitalista.
 O livro didático é um suporte de métodos
pedagógicos, ao conter exercícios,
atividades, sugestões de trabalhos
individuais ou em grupo e de formas de
avaliação do conteúdo escolar.
 É também um veículo de um sistema de
valores, de ideologias, de uma cultura de
determinada época e de determinada
sociedade. Ele é produtor de memória
histórica (política, família, valores etc.)
 Mas o livro didático não é responsável de
forma isolada por essa sedimentação de
uma memória histórica; na maior parte
das vezes, serve como veículo de
reprodução de uma historiografia
responsável pela produção dessa mesma
memória.
 Devemos estar atentos ao que é
produzido nas academias, o livro é uma
síntese desses saberes.
Funções do livro didático:
 Avaliar a aquisição dos saberes e
competências;
 Oferecer uma documentação completa
proveniente de suportes diferentes;
 Facilitar aos alunos a apropriação de
certos métodos que possam ser usados
em outras situações e em outros
contextos.
 Os livros didáticos serviam de importante
e cômodo referencial para as famílias
acompanharem e avaliarem o professor.
Para os pais de alunos, um bom professor
era o que, ao fim do ano, tinha concluído
a tarefa de “dar todas as lições” do livro!

 Hoje, para você, qual é o perfil de um


bom professor?
Propostas para análise de livros
didáticos
 É preciso estar atento à sua forma, ao seu
conteúdo histórico e ao seu conteúdo
pedagógico.

 O livro, como mercadoria, obedece a


critérios de vendagem, e por essa razão as
editoras criam mecanismos de sedução
junto aos professores.
 Quanto a FORMA devemos observar: a
capa, diagramação, qualidade do papel e
das reproduções, a quantidade e
disposição das ilustrações nas páginas, o
tamanho das letras, enfim, todos os
aspectos gráficos e materiais do livro.
 Quanto aos CONTEÚDOS HISTÓRICOS
ESCOLARES devemos estar atentos à
bibliografia, assim como da seleção de
documentos ou excertos de determinadas
obras historiográficas, pois contribui para
percebermos qual é a tendência histórica
predominante (Marxista, Positivista, Nova
História).
 A bibliografia indica o nível de atualização
do autor do livro.

 Os textos veiculados no livro produzem


um saber impositivo que impede uma
reflexão de caráter contestatório? Produz
verdades absolutas? Certezas históricas? A
análise dos conteúdos históricos
proporcionará esta reflexão.
 Quanto aos CONTEÚDOS PEDAGÓGICOS
podemos analisar como o livro didático
proporciona ao aluno a apreensão dos
conteúdos históricos. Dessa forma, nosso
olhar deve estar direcionado às atividades
e exercícios do livro didático.

 Devemos nos perguntar: os exercícios são


mecânicos? Produzem reflexão? Possuem
linguagem de fácil apreensão?
 Por fim, é importante fazer uma
apresentação do livro para os alunos em
sua integralidade, pedindo-lhes que
elaborem uma ficha bibliográfica da obra,
com o nome do autor, título, editor, local
de edição etc. O mais importante é
ensiná-los a utilizar o índice, para
identificarem, pelo tema de estudo, o
capítulo a ser lido ou estudado.
 Lembrem-se, não somos escravos do livro
didático! Ele é apenas mais uma
ferramenta de ensino, um subsídio,
suporte ou instrumento de apoio às
nossas ações pedagógicas. O professor
pode se utilizar de outros materiais para
elaborar suas aulas.

Você também pode gostar