Você está na página 1de 12

Compressed Air Energy

Storage (CAES)
Marcos Vinícius A.
O que é CAES?
 Do inglês, o Armazenamento de Energia em Ar Comprimido é um sistema que
utiliza energia em períodos de baixa demanda para comprimir ar e voltar a ser
utilizado quando a demanda energética é maior.
Histórico

 Sistemas com ar comprimido vem sendo instalados em cidades como Paris,


Birmingham e Buenos Aires desde 1870. Em 1896, o sistema parisiano tinha uma
geração de 2.2MW de geração, que eram utilizados na indústria.
 Em 1978, a primeira planta de armazenamento de energia em ar comprimido foi
instalada em Huntorf, na Alemanha, empregando as cavernas naturais do subsolo
como armazém (290MW).
 Mais tarde, em 1991, foi construída a planta de McIntosh, no Alabama (EUA),
que viria a ser a segunda planta que está em operação atualmente (110MW).
Plantas CAES em funcionamento

• Utiliza uma caverna de 310.000m3;

• Profundidade de 600m;

• Tolerância de pressão entre 50 – 70 bar;

• Opera num ciclo diário de carregamento de


8 horas, fornecendo uma quantia máxima de
energia de 290MW por 2 horas.

Planta de Huntorf, na Alemanha


Plantas CAES em funcionamento
• Utiliza uma caverna de 538.000m3;

• Profundidade de 450m;

• Tolerância de pressão entre 45 – 76 bar;

• Opera inicialmente com uma capacidade de


110MW por 26 horas, mas em 1998 dois
geradores extras foram adicionados,
totalizando uma capacidade máxima de
226MW.
Planta de McIntosh, no Alabama (EUA)
Tipos de sistema CAES

 Como a compressão aquece o ar e depois ele é resfriado na expansão, se não


houver nenhuma adição de calor, o ar estará bem mais frio depois de ser
expandido. Se o calor gerado durante a compressão pudesse ser armazenado e
utilizado durante a expansão, a eficiência do armazenamento aumentaria
significativamente.
 Existem três formas que um sistema CAES pode lidar com o calor, podendo ser:
adiabático, isotérmico e diabático.
Sistema adiabático

 Este tipo de sistema é caracterizado pela reutilização do calor, produzido na


compressão, no processo de expansão para gerar energia. A eficiência teórica do
armazenamento adiabático seria de 100% (com um isolamento perfeito), mas na
prática essa eficiência é de 70%.
 O calor seria armazenado em um sólido, como concreto ou pedra, ou de maneira
mais aplicável, em fluidos como óleo quente (300ºC) ou soluções de sal derretido
(600ºC).
Sistema isotérmico

 Por meio de processos de compressão e expansão isotérmicos, esse tipo de


Sistema tenta manter a temperatura de operação por meio de uma troca de calor
constante com o ambiente. Isso só é possível para pequenas taxas de geração,
sem o uso de trocadores de calor muito eficientes. A eficiência teórica de um
Sistema de armazenamento isotérmico é quase 100% com a troca de calor com o
ambiente perfeita.
 Na prática, nenhum desses ciclos termodinâmicos perfeitos podem ser obtidos,
pois as perdas de calor são inevitáveis.
Sistema diabático
 Em princípio, essas plantas são essencialmente turbinas a gás, mas onde a
compressão e a combustão de ar são separados um do outro e independentes do
processo da turbina a gás em si.
 Isso traz um dos principais benefícios do sistema CAES, que é a redução das
emissões de CO2 por volta de 40 a 60%, por causa das turbinas não realizarem o
processo de compressão. Caso não haja a reutilização do calor residual, a
eficiência é de aprox. 42% e chega a 55% sendo reutilizado.
Tipos de armazenamento
 O sistema de armazenamento do CAES é uma das características mais importantes
dessa tecnologia e está ligado a viabilidade econômica, densidade de energia e
flexibilidade. Existem dois tipos principais: armazenamento à volume constante e
à pressão constante.
 O sistema à volume constante utiliza uma câmara com fronteiras rígidas para
armazenar grandes quantidades de ar. Do ponto de vista termodinâmico, é um
sistema de Volume Constante e Pressão Variável.
Aplicações

Tata/MDI OneCAT Locomotiva a ar comprimido, que operou de 1928 a


1961.
Vantagens e desvantagens
 Vantagens:
 Capaz de suprir a necessidade energética em momentos de alta demanda;
 Baixa poluição atmosférica;

 Desvantagens:
 Necessidade de uma posição geográfica estratégica;
 Não é um sistema independente, impossibilitando de ser utilizado em outros tipos de planta;
 Baixa eficiência no armazenamento e no consumo de combustível.