Você está na página 1de 13

Análise da Viabilidade de Projetos

Tema: Aplicação em Projetos e Atividade Individual (Fluxo de Caixa com


impostos e depreciação)
Quando realizar o Estudo de Viabilidade?
De acordo com o PMBOK 6a Edição a Viabilidade Econômica é demonstrada e validada no
Business Case do projeto.

Fonte: PMBOK 6ª Ed

Porém, ainda não temos todas as informações suficientes...


O que pode interferir na Análise de Viabilidade?

Para tentar identificar todos os impactos financeiros para uma melhor Análise de Viabilidade possível,
seria necessário o Planejamento completo do Projeto. Mas o timing é o ideal?
Olhando a Área de Riscos com mais detalhes…
É sempre bom quando não erramos na estimativa de custos do projeto, mas sempre
temos um intervalo de variação do resultado...
E com Metodologia Ágil?

Como realizar a Análise de


Viabilidade Financeira se o escopo
não é totalmente conhecido?

É necessário verificar outras formas de precificação! Como o custo de Homem/Hora, onde


caso o escopo se estenda, a receita do projeto também irá acompanhar o tempo.
Depreciação e IR

A Depreciação é um custo alocado a um ativo da empresa e lançado no


balanço. É um valor contábil, ou seja, é um valor que aparece no Fluxo de
Caixa, pois abate no IR, porém não há saída de dinheiro do caixa.

O Imposto de Renda (IR) é incidido sobre o LAIR (Lucro Antes do


Imposto de Renda). Logo, diminuindo o IR, obtém-se o Lucro
Operacional ou Lucro Líquido.

Vamos para um exemplo prático...


DEMONSTRATIVO DE RESULTADO DO EXERCÍCIO (DRE)

A depreciação não sai dinheiro do caixa (é apenas lançamento contábil que reduz o imposto de
renda), depois de calculado e subtraído o imposto, ela deve ser somada ao lucro líquido para cálculo
do valor do fluxo no período.
Atividade Individual – Case Picture
TAREFA
A Picture Computação Gráfica Ltda., renomada empresa do ramo da informática, vive hoje um dilema muito frequente no
contexto organizacional: precisa escolher um entre dois projetos.

como mostrado no caso, a Picture deve decidir se continua operando com o equipamento que já possui ou se o
substitui por um mais moderno.

Considerando o contexto apresentado, imagine que você foi o especialista contratado pela Presidente Rosa Martins
para emitir, formalmente, a sua opinião sobre a aquisição ou não do novo equipamento.

Sendo assim, nesta atividade, você irá elaborar um relatório em que deve avaliar o investimento proposto e definir a
melhor escolha para a empresa.

Para alinhamento, suponha que estejamos nos últimos dias de um ano hipotético, que corresponde ao instante zero
da situação. A decisão da Diretoria da empresa passa a valer a partir desse período.
Objetivos
Atividade Individual – Case Picture
O sistema em uso hoje na Picture tem valor contábil de R$ 600.000,00 (já descontada a depreciação acumulada desde a sua aquisição),
possui vida útil restante de cinco anos e vem sendo depreciado linearmente. Entendendo que, daqui a cinco anos, o valor de revenda desse
equipamento será zero, em função da sua rápida obsolescência, Rosa sugere vendê-lo pelo valor de R$ 265.000,00. Já existe um
comprador interessado, e ele se dispõe a fechar a venda agora e só retirar o equipamento após a instalação e testagem do novo sistema.
Isso garantiria à Picture a não interrupção da sua produção bem como uma transição tranquila, sem percalços, do antigo sistema para o
novo. Para a Presidente, a Picture não conseguiria negócio melhor.

O novo sistema custaria R$ 1.175.000,00 e teria vida útil contábil de cinco anos. Estima-se que, ao final desse período, ele possa ser
vendido por R$ 145.000,00, embora o seu valor contábil seja zero.

Os ganhos com o novo sistema em relação ao atual (receitas menos todas as despesas, exceto a depreciação) foram orçados em R$
340.000,00 anuais. A alíquota do imposto de renda da empresa é de 35% e o seu custo de capital é de 12% a.a.

Sabendo da intenção de Rosa, o Diretor de Desenvolvimento da Picture envia-lhe um memorando, alertando-a quanto à aquisição do novo
equipamento. Ele argumenta que o investimento de R$ 160.000,00 nos programas desenvolvidos pelo seu departamento e no treinamento
dos funcionários para o atual sistema se tornaria inútil e seria perdido, já que o modelo operacional do novo sistema é incompatível com o
atual. Para ele, esse custo deve ser considerado na análise de viabilidade do novo sistema.

Rosa, contudo, tem dúvidas acerca do tratamento que deve conferir aos custos de desenvolvimento e treinamento. Ela sabe que, no custo
do novo sistema, está incluído o valor de R$ 125.000,00, relativo aos honorários da empresa de consultoria responsável por implementar
o novo sistema, treinar o pessoal e desenvolver os aplicativos indispensáveis à empresa.
Aplicando na planilha...
Dúvidas?
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

Você também pode gostar