Você está na página 1de 21

Mesc - Identidade e Missão

Aspectos históricos, teológicos e pastorais

Formador: Mesc Wellington Silva


O que é identidade?

 No dicionário: conjunto de características que distinguem uma


pessoa ou uma coisa e por meio das quais é possível individualizá-
la.
 Documentalmente: Registro Geral (civil) ou Carteira de Identidade
– conjunto de informações que possibilitam distinguir uma pessoal
de outra.
 Religiosa: trata-se da experiência de pertença a uma religião, grupo,
tradição ou movimento religioso, expressa por determinadas
representações, marcada por contrastes e mesclas em relação a
outros grupos e tradições.
Identidade X Perfil

Identidade Perfil
 Intrínseca  Mutável
 Única  Padronizado
 Baseia-se nas características individuais  Baseia-se em requisitos
inserida num contexto social
 Base: Diretório Pastoral Litúrgico-
 Base: história da Igreja, teologia e Sacramental
documentos pastorais
Identidade e
missão
 É preciso estar bem ciente de sua
identidade para viver sua missão.
 O encontro com Jesus nos devolve,
restaura nossa identidade como filho,
filha de Deus (vide João 4).
 Somente vivendo nossa identidade como
cristãos católicos é que poderemos
realizar bem a missão recebida no
sacramento do batismo.
 A vivência autêntica de uma identidade
A identidade do Mesc é essencialmente
religiosa, gera espiritualidade que se
eucarística. Sua missão é que todos expressa na missão.
conheçam a Eucaristia e a amem.
Aspectos históricos da Identidade e Missão
do Mesc
 Todo o contexto da criação do
Igreja Primitiva Igreja Medieval
Mesc está inserido no Concílio
Ecumênico Vaticano II
 Porém, a identidade
eucarística e a missão do leigo Igreja
Contemporânea
Igreja na
Renascença
que culminaram nesse
ministério extraordinário vêm
desde os primórdios da
história da Igreja Católica Concílio Vaticano II
Aspectos históricos da Identidade e Missão
do Mesc

Igreja Primitiva
Os diáconos eram responsáveis por levar a quem não podia ir à missa. Admitia-se
No início, anual, durante a Páscoa, depois se tornou mais frequente
leigos levarem a comunhão em casos extremos

Igreja Medieval
Missas semanais e aparecimento da adoração ao Santíssimo Sacramento, missa em
Incentivava-se a adoração em detrimento da comunhão
latim

Igreja na Idade Moderna


Grandes celebrações que se tornavam um evento, de forma semanal Sacerdotes e religiosos, principalmente, levavam a comunhão aos enfermos
Aspectos históricos da Identidade e Missão
do Mesc

Igreja na Idade Moderna


Após a reforma protestante, o Concílio de Trento
reafirmou a missa em latim

Igreja Contemporânea
Sacerdotes e religiosos, principalmente, levavam a
Missa com baixa participação efetiva do povo
comunhão aos enfermos

CONCÍLIO VATICANO II (1962-1965)


Busca de uma missa mais participativa, retorno à fórmula Abertura para maior participação dos leigos, abrindo a
primitiva possibilidade do Mesc
Aspectos históricos da Identidade e Missão
do Mesc
 A ideia do papel destes ministros surgiu de um  Indulto Apostólico “Fidei custos” (Guarda da Fé)
vigário da cidade de Bambuí, José da Paixão de 30/04/1969, da Sagrada Congregação para os
Nunes Coelho, em Minas Gerais na década de 60 Sacramentos, regulamentou experimentalmente a
que pediu ao Bispo de Luz, Dom Belchior, que administração da Eucaristia com a ajuda de
levasse uma carta na qual falava da necessidade de Ministros Extraordinários;
leigos ajudarem na comunhão já que se  Instrução “Immensae Caritatis”, de 29/01/1973,
encontravam sobrecarregados constantemente por da mesma Congregação, onde o Papa Paulo VI
tal tarefa. aprovou e confirmou a experiência,
 Em 1966, Paulo VI concedeu permissão especial regulamentando este ministério.
para o Brasil iniciar a experiência  Em 1979, surge o primeiro manual do Mesc, com
 No dia 1°de janeiro de 1968, Dom Belchior, na D. José M. Maimone.
Catedral Diocesana de Luz, apresentou e deu  Em 1980, a Arquidiocese de Fortaleza iniciou a
poderes para os 10 leigos exercerem o honroso primeira turma de Mesc, sob a responsabilidade da
cargo de  Ministros Extraordinários da Eucaristia Irmã Elizabeth e, no ano seguinte, são investidos
pela primeira vez no mundo. os pioneiros.
Aspectos teológicos da Identidade e Missão
do Mesc
 O depósito da fé que o Mesc
recebe, enquanto integrante da
Igreja Católica Apostólica
Romana, é fruto de mais de
dois mil anos de sua história
 A base teológica da Igreja
Católica está na Bíblia (Palavra
escrita), Tradição (Palavra
falada) e o Magistério
(autoridade de ensino da Igreja)
Aspectos teológicos da Identidade e Missão
do Mesc
 Fundamentação:
1.Sagrada Escritura;
2. Catecismo da Igreja Católica
3. Documentos do Concílio Vaticano II;
4. Instruções, emanadas da Sagrada
Congregação para a disciplina dos
Sacramentos;
5. Código do Direito Canônico
 Para fins pedagógicos, nos aspectos
pastorais, estudaremos o Magistério
através de seus documentos e
instruções.
Aspectos teológicos da Identidade e Missão
do Mesc - Bíblia
 “O cálice de benção, que bebemos, não é a  Evangelho segundo João, capítulo 6.
comunhão do Sangue de Cristo? E o pão que
partimos, não é a comunhão do Corpo de  Outras passagens sobre a Eucaristia:
Cristo?” (1Cor 10,16). Sabedoria 18,2; Êxodo 12,11; Números
 “O Senhor Jesus, na noite em que foi 28, 16-25; Mateus 26, 17-29; Marcos 14,
entregue, tomou o pão e, dando graças, partiu- 12-25; Lucas 22, 7-23; Lucas 24, 30-35;
o e disse: Tomai e comei; isto é o meu corpo, Atos 2, 42; Atos 20, 7; Romanos 14, 6;
que será entregue por vós; fazei isto em Romanos 16, 4; I Coríntios 5, 7
memória de mim. Igualmente também, depois
de ter ceado, tomou o cálice e disse: Este
cálice é o novo testamento no meu sangue;
fazei isto em memória de mim todas as vezes
que o beberdes”(1Cor 11,23-29).
Aspectos teológicos da Identidade e Missão
do Mesc - Bíblia
 A Sagrada Escritura não fala de Ministros  “Cada um viva de acordo com a graça
Extraordinários. Ela fala das primeiras recebida e coloque-se a serviço dos
comunidades e nos dá a entender que a outros, como bons administradores das
Igreja é ministério de comunhão. Os muitas formas de graça que Deus
textos Sagrados também nos fazem concedeu a vocês. Quem fala seja porta-
entender que todos participavam dos voz de Deus; quem se dedica ao serviço,
benefícios e dos serviços (At 2,42.44-46). faça com as forças que Deus lhe dá, a
 “Saudações a Maria que trabalhou muito fim de que em tudo Deus seja glorificado
por vocês. Saúdem Andrônico e Júnia, por meio de Jesus Cristo, ao qual
meus parentes e companheiros de prisão; pertencem a glória e o poder para
eles são apóstolos importantes e se sempre Amém” (1Pd 4,10-11).
converteram a Cristo antes de mim” (Rm
16,6-7).
Aspectos teológicos da Identidade e Missão
do Mesc - CIC
 2ª. Parte: “A celebração do Mistério  “Porque Cristo, nosso Redentor, disse que o
Cristão” – 2ª. Seção, Artigo 3º - parágrafos que Ele oferecia sob a espécie do pão era
1322 ao 1405 verdadeiramente o seu Corpo, sempre na
 “A Eucaristia é ‘fonte e centro de toda a vida Igreja se teve esta convicção que o sagrado
cristã’ (LG,11). Os restantes sacramentos, Concílio de novo declara: pela consagração
porém, assim como todos os ministérios do pão e do vinho opera-se a conversão de
eclesiásticos e obras de apostolado, estão toda a substância do pão na substância do
vinculados com a Sagrada Eucaristia e a ela se Corpo de Cristo nosso Senhor, e de toda a
ordenam. Com efeito, na santíssima Eucaristia substância do vinho na substância do seu
está contido todo o tesouro espiritual da Sangue; e esta mudança, a Igreja católica
Igreja, isto é, o próprio Cristo, nossa Páscoa” chama-lhe com justeza e exatidão,
(PO,5 e CIC n.1324). transubstanciação” (CIC n.1376).
Aspectos teológicos da Identidade e Missão
do Mesc - CIC
 “Os milagres da multiplicação dos  Referências ao ministério (ordenado ou
pães… prefiguram a extraordinário): 827 e 1884
superabundância deste pão único da
Eucaristia” (CIC, n.1335)
 Outros parágrafos que fazem
referência à Eucaristia: 611, 671,
737,766, 790, 838, 864, 893, 950,
1000, 1074, 1094, 1097, 1106, 1113,
1118, 1162, 1210, 1436, 1517, 1524,
2120, 2177 e 2643
Aspectos teológicos da Identidade e Missão
do Mesc – Documentos CVII
 Os dois documentos aqui citados: “Lumen “Alguns suprem, na falta de Ministros
Gentium” (A Igreja Luz dos Povos) e “Apostolican Sacros, na medida do possível, os ofícios
Actuositatem” (A Atividade dos Leigos), falam dos
leigos como membros da Igreja e como tal sacros” (LG 90).
chamados a exercer uma atividade apostólica e
ministerial; mas não falam de Ministros dos
Sacramentos:
 “Os leigos são congregados no povo de Deus e
constituídos num só corpo de Cristo sob uma só
cabeça. Quem quer que seja, todos são chamados a
empregar as forças recebidas por bondade do
Criador e graça do Redentor, como membros vivos,
para o incremento e perene santificação da Igreja...
A este apostolado, todos são destinados pelo
próprio Senhor por meio do Batismo e da
Confirmação” (LG 82.83).
Aspectos teológicos da Identidade e Missão
do Mesc – Documentos CVII
 Realizando no Espírito Santo todas as
 “Lumen Gentium” (A Igreja Luz dos
suas obras, orações, iniciativas
Povos): “Jesus Cristo, sacerdote supremo
apostólica, vida conjugal e familiar,
e eterno, quer continuar seu testemunho
trabalho cotidiano, descanso espiritual e
e seu serviço por meio dos leigos. Por
corporal, ou mesmo suportando os
isso os anima constantemente com seu
aborrecimentos da vida com paciência,
Espírito e os induz a tudo que é bom e
tornando-se os leigos hóstias espirituais,
perfeito (...)
agradáveis a Deus por Jesus Cristo (cf. I
Pd 2, 5), apresentadas piedosamente ao
Pai, na eucaristia, com o oferecimento
do corpo do Senhor. Agindo em toda
parte como adoradores de Deus, os leitos
consagram o mundo a Deus (LG n. 34).
Aspectos teológicos da Identidade e Missão
do Mesc – Documentos CVII
 Apostolican Actuositatem: “... no  Também merece bastante destaque a
interior das comunidades da Igreja sua Constituição Sacrosanctum Concilium
ação é tão necessária que sem ela o que trata da liturgia na Igreja Católica.
próprio apostolado dos pastores não
poderia, muitas vezes, alcançar o seu
plano perfeito. Leigos de verdadeiro
espírito apostólico, à maneira daqueles
homens e mulheres que ajudavam Paulo
no Evangelho, suprem o que falta a seus
irmãos e reerguem o ânimo tanto dos
pastores quanto do restante do povo
fiel...” (AA 1367). (cf. ref. At 18, 18.26;
Rm 16,3; 1Cor 16,17-18).
Aspectos teológicos da Identidade e Missão
do Mesc – Cong. Disc. Sacram.
 “Fidei Custos” (A Igreja, Guarda da  A instrução “Immensae Caritatis” (O Testamento da
Fé): “No fim do triênio, os pastores em Imensa Caridade): “É dada aos ordinários dos
lugares a faculdade de permitirem que pessoas
questão não deixem de informar sobre o idôneas, individualmente escolhidas, possam na
andamento da experiência” qualidade de Ministros Extraordinários, onde se
(30/04/1969). apresentar a necessidade, alimentar-se por si
próprios com o pão Eucarístico, distribuí-los aos
demais fiéis, quando há um número elevado que
obrigaria a prolongar o tempo de distribuição, e
mesmo levá-lo aos doentes que se acham retidos em
suas casas, hospitais, asilos, etc., quando:
1. Faltem o sacerdote, ou o diácono, ou o acólito
para o fazer;
2. Os ministros ordinários se achem impedidos de
distribuir a Sagrada Comunhão, por motivo de
outras ocupações ou doença...” (Immensae
Caritatis 29/01/1973).
Aspectos teológicos da Identidade e Missão
do Mesc – Cong. Disc. Sacram.
 a Instrução Geral ao Missal Romano  “Cabe ao sacerdote celebrante,
(27/01/1965) – última edição em 2009 eventualmente auxiliado por outros
sacerdotes ou pelos diáconos, distribuir a
 A Sagrada Comunhão e o Culto
comunhão, e a missa só deve continuar
Eucarístico Fora da Missa quando terminar a comunhão dos fiéis” (RS
(21/06/1973)* n. 88)
 Instrução Redemptionis Sacramentum  “Entretanto, se a necessidade da Igreja o
(25/03/2004) – sobre algumas coisas que exigir, na falta dos ministros sagrados, os
devem ser observadas e evitadas a fiéis leigos podem, segundo a norma do
respeito da Santíssima Eucaristia Direito, supri-los em algumas funções
litúrgicas. Tais fiéis são chamados e
 Destacam-se os números: 88, 154, 155, delegados a exercer determinadas tarefas,
147, 152, 155, 17, 36 e 45. de maior ou menor importância, sustentados
pela graça do Senhor” (RS n. 147)
Aspectos teológicos da Identidade e Missão
do Mesc – CDC
 No Cânon 910 lemos: “Ministro  O Cânon 230 par 3 diz: “Onde a
ordinário da Sagrada Comunhão é o necessidade da Igreja o aconselhar,
bispo, o presbítero e o diácono. Ministro podem também os leigos, na falta de
Extraordinário da Sagrada Comunhão é ministros... suprir alguns de seus ofícios,
o acólito ou outro fiel designado de a saber: exercer o ministério da palavra,
acordo com o Cânon 230 par 3”. presidir orações litúrgicas, administrar
o batismo e distribuir a Sagrada
Comunhão, de acordo com as
prescrições do direito”.
Aspectos pastorais da Identidade e Missão
do Mesc
 Os pastores da Igreja (Papa e demais
bispos) exercem sua função de ensino
promulgando documentos que ajudam a
compreender melhor e viver
plenamente o que o Concílio Vaticano II
definiu. Daí surgem cartas apostólicas,
cartas encíclicas, instruções e diretórios
litúrgicos.
 Dessa forma, destacaremos aqui os
documentos papais pós-conciliares e os
documentos produzidos pela
Conferência Nacional dos Bispos do
Brasil – CNBB.

Você também pode gostar