Você está na página 1de 156

SUMÁRIO

1. Acupuntura Estética

2. Anatomia e fisiologia

14. Ação da acupuntura

17. Pontos básicos de massagem

27. Acupuntura Escalpeana Chinesa

37. Acupuntura Craniana

59. Eletroacupuntura

74. Fitoterapia Chinesa

101. Quiropuntura

142. Etiologia e Etiopatogenia

151. Anotações
INTRODUÇÃO

 
Em busca da longevidade, muitos recursos têm surgido visando minimizar e retardar
o tão temido envelhecimento orgânico. A acupuntura vem se destacando na
atualidade como um método de tratamento alternativo à estética.
 
A inserção das agulhas desencadeia a liberação de substâncias químicas específicas
que provocam a vasodilatação e melhora da oxigenação tecidual, fazendo assim o
aumento das circulações sanguíneas e linfática promovendo a liberação das
toxinas orgânicas.
Acupuntura

Acupuntura Estética
Em busca da longevidade, muitos recursos têm surgido visando minimizar e retardar o tão
temido envelhecimento orgânico. A acupuntura vem se destacando na atualidade como um
método de tratamento alternativo à estética.
A inserção das agulhas desencadeia a liberação de substâncias químicas específicas que
provocam a vasodilatação e melhora da oxigenação tecidual, fazendo assim o aumento das
circulações sanguíneas e linfática promovendo a liberação das toxinas orgânicas.

01
Acupuntura

Anatomia
e fisiologia da pele
A pele é o maior órgão do corpo humano, chegando a medir 2 m2 e pesar 4 Kg em um
adulto.
É constituída por camadas distintas, firmemente unidas entre si:
Epiderme: mais externa, formada por tecido epitelial
Derme: mais interna, formada por tecido conjuntivo;
Hipoderme: a mais profunda, composta de tecido celular subcutâneo e células de gordura.
É o maior órgão sensorial constituído de receptores térmicos, mecânicos e dolorosos.
Cada receptor tem um axônio e, com exceção das terminações nervosas livres, todos eles
estão associados a tecidos não-neurais.

02
Acupuntura

Nas regiões com pêlo existem terminações específicas que captam as forças mecânicas
aplicadas contra o pêlo e térmicos de calor (Ruffini).
Nas outras regiões existem tipos de receptores comuns:
Corpúsculo de Paccini: captam especialmente estímulos de vibração e tátil.
Corpúsculos de Meissner: estão nas saliências da pele sem pêlos (como nas partes mais
altas das impressões digitais).
Discos de Merkel: de sensibilidade tátil e de pressão. Assim, os movimentos de pressão e
tração sobre epiderme desencadeam o estímulo.
Terminações nervosas livres: sensíveis aos estímulos mecânicos, térmicos e
especialmente aos dolorosos.
Na pele sem pêlo encontram-se, ainda, outros receptores específicos:
Bulbos terminais de Krause: receptores térmicos de frio. Situam- se nas regiões limítrofes
da pele com as membranas mucosas (por exemplo: ao redor dos lábios e dos
genitais).
Resumindo
Mecanorreceptores: são acionados por uma picada, pela massagem, pressão, vibração, ultra-
som (aplicação percutânea);
Termorreceptor do calor: moxa,
cauterizações e a foto estimulação;
Termorreceptor do frio: gelo, éter ou gás carbônico por micro jatos;
Sensibilidade dolorosa: acupuntura, eletroterapia.
Funções
Biológicas
Energéticas
A mudança do meio eletrolítico na superfície pode trazer como conseqüências ao organismo:
Aumento de condução elétrica;
Tornar-se receptiva às informações eletromagnéticas do meio elétrico externo devido
aumento de atividade psíquica e metabólica em momentos de estresse, atividade muscular,
estados patológicos e outros.

03
Acupuntura

Mecanismos humorais de controle das trocas energéticas ao nível da pele


Ação dos mediadores
Hormônio Antidiurético
Hormônios Tiroidianos
Hormônios Sexuais
Fisiologia da pele em MTC
Primeira linha de defesa do corpo: Rege os Jin Ye pela filtragem e drenagem:
“Doenças começam pela pele e pelo cabelo. Se eles forem atacados por fatores patogênicos
externos, os interstícios podem afrouxar os fatores patogênicos, penetrar o interior e obstruir
os vasos sanguíneos, canas e a cadeia de vasos. Eles podem ser então transmitidos até os
Zang-Fu”. Su Wen
Ge Cou Li:
Ji:
Xuan Fu:
Mao Fa:
Zhan jia:
Principais alterações na coloração da pele
Palidez
Vermelhidão (Eritrose) Cianose:
Cianose Central:
Cianose Periférica:
Icterícia
Umidade e Textura
Umidade: Observar pela inspeção e palpação.
Umidade normal Pele seca:
Umidade aumentada
Espessura e Temperatura
Fazer pinçamento de uma dobra cutânea.
Normal
Atrófica
Hipertrófica
Usar o dorso dos dedos com comparação bilateral.

04
Acupuntura

Variações:
Tipos de Pele
Oleosa: espessa, poros dilatados, aparência oleosa, aumento de glândulas sebáceas e
sudoríparas.
Patologias associadas Tratamento:
Óleos essenciais:
Seca: frágil e fina, glândulas sebáceas e sudoríparas descamativas com aparecimento de
rugas precoces.
Patologias Adquiridas Constitucional Tratamento:
Óleos essenciais:
Normal: sedosa, com poros fechados e sem cravos. Textura firme, elástica, brilhoaveludado.
Equilíbrio perfeito entre os processos de queratinização, descamação, secreção de sebo.
Tratamento:
Óleos essenciais:
Pele Envelhecida: fina atrófica, sulcos e expressões acentuadas, rugas finas, flacidez
cutânea e muscular, epiderme retificada, melanócitos. Apresenta desorganização dos
feixes de colágeno, rarefação de fibras elásticas, perda da hidratação das substâncias
fundamentais, distúrbios vasculares.
Óleos essenciais:
Zang-Fu x Pele
Xin
Bombea o xue nos vasos, mantendo a nutrição da pele com boa coloração, lustro e umidade.
A face é a manifestação do Shen (espírito). Ansiedade, preocupação, medo e tristeza podem
se acumular e ocorrer o desenvolvimento de doenças cutâneas como a psoríase, urticárias,
eczemas.
Fei
Regem a difusão e sua abertura é pelo nariz e são conectados com a pele e o cabelo.
Na patologia: rosácea, pele e cabelos secos, opacos e quebradiços.
Transporta Wei Qí Circulam os Jin Ye.
Pi
Transportar e transformar e circular yong qi. Na debilidade ocorre flacidez, falta de
força nos membros, atrofia muscular. Umidade Lábios e boca.
 
 

05
Acupuntura

Linfa
É o líquido que está contido nos vasos que compõem o sistema linfático. Semelhante ao
plasma sanguíneo;
Incolor e viscosa;
Composta por água, substâncias orgânicas e inorgânicas, resíduos e toxinas resultantes do
trabalho do metabolismo.
Conduz o líquido excedente e as toxinas aos órgãos excretores, provocando uma limpeza
interna.
Shen (rins)
Raiz do Qí, armazena essência, rege o crescimento, controla a reprodução e rege a água.
Cabelo, orelhas, dentes.
Edemas, olheiras, manchas escuras e acinzentadas
Gan
Estoca o Xue e promove o livre fluxo do Qí Controla a emoção da raiva Unhas
Eiologia dos distúrbios da pele Invasão dos Fatores Patogênicos
Vento
Move-se constantemente e transforma-se rapidamente; Danifica o Yin, sangue e fluídos
corporais.
- Afeta a parte superior do corpo, cabeça e face.
Frio
Resfria o sangue e estagna o Qi.
Na pele as lesões são de coloração branca, vermelho-escuro e roxo- azulada.
Podem ocorrer as frieiras com púrpura, doença de Raynaud.
Calor
-De natureza Yang, com some o Yin e danifica os líquidos orgânicos.
-Suas manifestações incluem suor em profusão, sede, falta de ar e lassidão.
-As pápulas e as bolhas são as lesões mais comuns da invasão do calor.
Umidade
-É de natureza Yin, pesada, turva e grudenta.
-Nas lesões da pele pode ocorrer:
 Secura
-É de natureza Yang . Pode consumir o sangue e o Yin.
-Pele seca, áspera e subnutrida. Os cabelos também são secos, debilitados e sem brilho.
-Rachaduras, fissuras, caspas.
-Ictiose vulgar, eczemas, constipação e retenção de urina.
06
Acupuntura

Fogo
-Excesso de calor.
-Retenção de toxinas
Na pele são distribuídas sobre a cabeça, membros superiores,parte superior do tronco.
Irregularidade de Dieta
-Comida apimentada, gordurosa, frita e crua podem levar a acúmulo de calor-umidade no
baço e no estômago e toxinas de fogo no interior.
Fatores Emocionais
Podem levar a um desequilibrio entre o Yin o Yang, desarmonia entre o Qi e o sangue e
desarmonia de Zang Fu.
Alergias:
Parasitas:
Envelhecimento
A filosofia chinesa considera que a ação de fatores como má alimentação, sedentarismo, má
respiração, hormônios, insônia, imunidade e estresse, são responsáveis pelo envelhecimento
da pele.
Esses fatores em desequilíbrio promovem uma alteração energética nos meridianos do corpo
repercutindo no envelhecimento precoce do organismo que no rosto é evidenciado através
das rugas. (VANRELLI,1986).
De acordo com a Medicina Tradicional Chinesa, o envelhecimento é proveniente do
declínio do yang, redução da atividade externa e retorno ao yin.
Assim o fator causal do processo do envelhecimento nada mais é do que o desequilíbrio da
energia interna, induzida pelo meio ambiente (origem externa) ou pela alimentação
desregrada, emoções retidas, fadiga, (SILVA, A, MMR, 2004).

07
Acupuntura

Envelhecimento Natural
A cada dez anos, a pele perde 7% de sua espessura.
Diminuem a proliferação celular e a atividade dos fibroblastos, células que formam as fibras de colágeno
e elastina.
Fatores Causais
Genético
Hormonal
Ambiental
Nutricional
Mecânico
Pele Normal
Fibras elásticas numerosas, perpendiculares à junção dermo-epidérmica, finas e absorventes;
Colágeno denso;
Fibroblastos ativos e secretantes.
A partir dos 30 anos – 35 anos
Pés de galinha
Perda da gordura da maçã do rosto “bigode Chinês”
Linhas do buço
Queda da pálpebra superior
40 – 45 anos
Flacidez das bochechas
Perda da definição do contorno do rosto
Vinco no canto dos lábios
Perda de elastina e rugas de expressão;
Desunião das fibras elásticas. Fragmentação e início do desaparecimento das fibras elásticas. Colágeno
praticamente intocado.
Acima de 45 anos
Desaparecimento praticamente total das fibras elásticas onde as que restam se orientam em paralelo à
junção dermo-epidérmica; Desorganização do colágeno que se torna “emaranhado”,deslocado;
Ausência de produção de fibroblastos;
Presença de manchas (melanoses) na face e nas mãos.

08
Acupuntura

Manifestações clínicas do envelhecimento


Rugas, pés-de-galinha e flacidez do rosto e do pescoço;
Atrofia;
Telangectasia nos idosos; Púrpura senil;
Pele espessa e áspera; Regressões das funções da pele
Fumo
Envelhecimento cutâneo prematuro (5x +) Diminui a umidade da pele Atrofia cutânea
Pele pálida e acinzentada Pigmentação amarela nas unhas e ponta dos dedos Melanose
Estomatite (mucosas)
Constituição e Mapeamento Facial em MTC
Segundo alguns historiadores, a fisiognomonia teve sua origem na Índia, quando antigos
habitantes daquele país estudavam rugas no corpo, as causas e as origens das mesmas. Mais
tarde foi levada para a China, onde foi estudada e desenvolvida como diagnóstico e hoje é
tida como uma subdivisão da Medicina Chinesa
O rosto humano é dividido em 3 porções iguais:
Raiz do cabelo até a sobrancelha (Ta S);
Sobrancelha até o nariz (Ta M);
Nariz até o mento (Ta I).

09
Acupuntura

Tipo Terra - Quadrado


Larguras iguais da testa, da mandíbula e das faces. Combinadas, elas igualam o
comprimento do rosto. Rápido, cheio de energia, teimoso, firme, crítico, prático,
trabalhador, perseverante, intolerante, justo, materialista, julgador inquisitivo.

Tipo Metal - Triangular


Testa e faces largas proporcionalmente ao queixo pequeno e pontudo.
Impetuoso, rebelde, espontâneo, instintivo, não confiável, espirituoso, cruel, criativo,
indisciplinado, ousado, sarcástico, talentoso, sinuoso.

Tipo Fogo – Cônico

As larguras diminuem gradualmente em direção ao topo da cabeça.


Prático, com os pés no chão, realista, jovial, indolente, gosta do conforto,
conservador, sem imaginação, autocrítico, cauculista, bom vivant.

10
Acupuntura

Tipo Madeira - Oval


As larguras da testa e da mandíbuila são iguais. Comparadas com elas, as faces são mais
largas e o rosto é mais longo. Instável, impressionável, impulsivo, volúvel, versátil,
inconstante, crédulo, vidente, intuitivo.

Tipo Água - Redondo


As larguras da testa e da mandíbuila e das faces são iguais, combinandas, elas
correspondem ao comprimento do rosto.
Ativo, impetuoso, compreensivo, apressado, dominador, generoso, realista, pragmático,
sensual, valoriza- se, apaixonado, preguiçoso.

11
Acupuntura

Músculos da Face

12
Acupuntura

13
Acupuntura

Ação da
acupuntura
Rugas
Transformação do colágeno que torna-se mais rígido e da elastina devido à redução do
número de fibras elásticas. Ocorre também a degeneração de outros componentes do tecido
conjuntivo.
O declínio das funções do conjuntivo faz com que as camadas de gordura sob a pele não
consigam manter-se uniforme e a degeneração das fibras elásticas, aliada a menor
velocidade de troca e oxigenação provoque a desidratação da pele dando origem às rugas.
(SILVA, A. MMR, 2004).
As rugas e linhas de expressão também podem ser bloqueios causados por sofrimento,
tristeza, preocupações, de acordo com a medicina tradicional chinesa estas são consideradas
sobrecargas de energia vital para determinado ponto.
Ação da acupuntura
O corpo entende a puntura da agulha como uma agressão, assim promove no local o
aumento da circulação sanguínea, oxigenação e nutrição celular, aumento da energia vital Qi
que tonifica a musculatura revitalizando a pele, suavizando as rugas. (VANRELLI,1986)
Essa “agressão” estimula a produção de colágeno através da proliferação de células
fibroblásticas tornando a pele lisa, sedosa e com diminuição das rugas de expressão.
A agulha inserida na pele faz com que haja uma nova produção de colágeno e elastina no
tecido, fechando os sulcos que ali existiam.
Classificação
As rugas podem ser divididas em: dobras e rugas ravitacionais (ptose); rugas finas; rugas de
expressão: com a fadiga das estruturas da pele, provenientes dos movimentos faciais
repetitivos, surgem então as rugas estáticas, que aparecem mesmo na ausência de
movimento.
Dos 20 aos 25 anos:
Ocorrem as linhas orbiculares visualizadas em expressão facial.
De 45 aos 55 anos:
Surgem rugas periorbiculares, frontais e glabelares, uma acentuação do sulco nasogeniano,
pregas transversais na região do pescoço e
formação de bolsas gordurosas nas pálpebras inferiores.
Acima de 55 anos:
Verificada uma acentuação de rugas e pregas, atenuação da eminência malar, depressão do
sulco nasolabial e ptose facial.
14
(GUIRRO e GUIRRO, 2002)
Acupuntura

Fases do Tratamento Facial


Diagnóstico correto
Prescrição do tratamento
Conduta:
Eletroestimulação
Tonificação
Pólo Ativo Pólo Passivo Freqüência T
Pulso Tempo
Sedação
Pólo Ativo Pólo Passivo F1 T1 F2 T2
Pulso Tempo
Eletrodos Transcutâneos x Cutâneos
Transcutâneos (gel, borracha): apresenta menor seletividade no posicionamento do estímulo,
maior resistência eletrodo/ superfície com maior nível de corrente para estimulação.
Pode queimar.
Cutâneos: menor resistência eletrodo/superfície, menor nível de corrente para estimulação,
posicionamento preciso,pode-se regular a profundidade, invasivo.
Pode gerar hematomas.
Rugas de Reflexão
Tensão do M. Frontal.
Relaxar o M. Piramidal e parte do orbicular do olho.
Rugas de Preocupação
Tensão do M. Piramidal Relaxar o M. Frontal
Rugas pés-de-galinha
Tensão do Mm. orbicular do olho e zigomáticos.
Relaxar o M. Frontal
Rugas de “antipatia”
Tensão do M. elevador da asa do nariz e da parte superior do lábio.
Relaxar o M. Orbicular da boca.
Rugas peribucais
Tensão do M. Orbicular da Boca. Relaxar os Mm. Bucinador, elevador superior da boca e
elevador da asa do nariz. 

15
Acupuntura

Rugas peribucais
Tensão do M. Orbicular da Boca. Relaxar os Mm. Bucinador, elevador superior da boca e elevador da asa
do nariz. 
Rugas sociais
Tensão do M. Depressor do ângulo da boca.
Relaxar os Mm. Elevador do lábio superior e elevador do ângulo da boca.
Rugas parabucais intermediárias Tensão dos M.m Zigomáticos,Elevador do lábio superior e
Elevador do ângulo da boca
Relaxar os Mm. Orbicular e Depressor do ângulo da boca.
Ruga Parabucal distal
Tensão dos Mm. Bucinador e Zigomáticos
Relaxar os Mm. Orbicular e Depressor do ângulo da boca.
Ruga Parabucal remota
Tensão do M. Bucinador Relaxar o M. Orbicular da boca.

16
Acupuntura

Pontos básicos
de massagem
– Queixo: Apóie as duas mãos no queixo e faça movimentos suaves até atingir as orelhas e
sua parte posterior (pré auricular).
– Boca e Nariz: Com as pontas dos dedos esfregue as laterais do nariz e toda a volta da boca,
alternando em pequenos movimentos circulares ora para baixo e para cima.
– Maçã do Rosto:Belisque suavemente as maças do rosto e a parte central da face,
intercalando movimentos rotatórios com as pontas dos dedos até sentir a pele ligeiramente
avermelhada com o aumento da circulação sanguínea.
– Olhos: Com apenas três dedos unidos faça massagens muito suaves, muito brandas ao
redor dos olhos, procurando "puxá-los" para fora, em direção às têmporas.
– Testa: unir dois ou três dedos e fazer movimentos circulares no sentido horizontal e depois
no sentido vertical.
– Pescoço: Posicione uma das mãos atrás do pescoço, puxando a pele com os dedos, e com a
outra mão - quatro dedos unidos - massageie em movimentos circulares suaves, ligeiramente
mais intensos para cima e mais fracos para baixo.
– Têmporas: com o dedo indicador e o médio formando um V procure "esticar" a pele das
têmporas, massageando com a ponta de dois dedos em movimentos suaves circulares.
– Pálpebras: Apenas com os dedos médios passe o creme sobre as pálpebras, deixando os
olhos fechados e fazendo movimentos muito brandos em sentido horizontal.
Laser
Hand Laser de meio ativo AI GaInP (Alumínio Gálio Ìndio Fósforo) com potência útil de 40
mW: 2 minutos por área
Tempo máximo: 10min
Caneta de 780nm infravermelho de meio ativo Ga AIAS (Gálio Alumínio Arseniato) com
potência útil de 70mW:1 minuto por área com 135,0 j/cm2
Moxabustão
O tempo médio de aplicação é de 3 minutos por região. Rugas pés-de- galinha
Massagear após para acalmar a região trabalhada.
Talassoterapia
Utilização de algas terapêuticas para o tratamento de rejuvenescimento tecidual,
recuperação da vitalidade capilar, acne, dermatite seborréica, queimaduras solares,
micoses, limpeza e nutrição da pele, prevenção de estrias e rugas.

17
Acupuntura

Acne
Definição: erupção folicular, papilar ou pustulosa resultante de inflamação com acúmulo de
secreção, que afeta as glândulas sebáceas.
Localizações: face, ombros, tórax anterior e região dorsal.
Etiologia: hormonais (testosterona e cortisol), digestivos, distúrbios psicossomáticos.
Classificação
Grau 1
Acne inflamatória
Grau 2
Evolução de um processo inflamatório com presença de pápulas e pústulas (espinhas).

Grau 3
Além das lesões anteriores a presença de nódulos e cistos.
Grau 4
Acne conglobata (rara), acompanhada de febre, poliartralgia, leucocitose, eritema, necrose e
hemorragia. Deixa cicatrizes.
Correlação com áreas corporais:
Testa
Malar
Nariz
Mento
Ombro
Peito
Parte superior dorsal
Ao redor da boca
Prevenção
Limpeza da pele
Equilíbrio entre sono e alimentação
Funcionamento intestinal
Evitar o uso de cosméticos
Sol diariamente
Não espremer
Vitaminas

18
Acupuntura

Tratamentos

Dietéticos: Fibras, alimentos crus, amêndoas, derivados de soja, semente de girassol, iogurte
desnatado, majericão, erva-doce, alho, gengibre, hortelã, semente de linhaça, lecitina de soja.

Evitar: espinafre, lacticínios, açúcar, chocolate, amendoim, ovos, frituras, gorduras,


condimentos e embutidos.

Acupuntura
Pontos faciais: Lateral: Queixo: Pontos Gerais: Rosácea: Moxa:
Pontos
Óleos essenciais
Limpar Toxinas
Esfoliação
Promover o crescimento de novas células: Balancear e reduzir a oleosidade
Anti-séptico e adstringente: Suavizar inflamações.

Melasma
Mancha facial também conhecida como cloasma gravídica que aparece associada a fatores
como uso de contraceptivos, gestações, alterações hepáticas e/ou tireoideanas. São
exacerbadas pela exposição solar.
Esta hiperpigmentação afeta as mulheres e se instala principalmente no malar, na glabela,
pescoço, mandíbula e supralabial.

Prevenção:
Correlação em MTC: ChongMai Shen
Mente e rins Gan: Hormônios Xin e Fei Pontos

Objetivos:
O tratamento através da Acupuntura tem como principal meta promover a perda de peso de
uma forma equilibrada: reduzindo a ansiedade e a compulsão alimentar, proporcionando a
melhora da digestão e atuando no funcionamento intestinal.
Na medicina chinesa, a celulite é considerada uma síndrome de estagnação dos líquidos
internos do corpo.
O tratamento promove uma melhora da circulação sangüínea e linfática, ocasionando,
conseqüentemente, a redução da celulite e da flacidez locais, dando um aspecto mais saudável
à pele.

19
Acupuntura

Obesidade

Doença caracterizada pelo acumulo excessiva de gordura que afeta ambos os


sexos, todas as faixas etárias e todas as etnias. Este acumulo resulta de um
desequilíbrio energético, em que a quantidade de energia ingerida é superior à
despendida.
Uma dieta hiper calórica, com excesso de gorduras, hidratos de carbono e álcool, aliada a uma vida
sedentária, constituem os alicerces desta epidemia. Como principais conseqüências podemos
apontar a redução da qualidade e da esperança média de vida.

Disposição Genética

1. Quando o problema ocorre entre parentes próximos é muito mais provável que a
pessoa tenha herdado genes de predisposição para o ganho de peso.
2. Maus resultados em tratamentos anteriores. O obeso genético já tentou emagrecer diversas
vezes e encontrou muita dificuldade. A perda de peso era obtida com muito sacrifício e, por
qualquer descuido, rapidamente o peso era recuperado.
3. Em geral o obeso genético começa a lutar contra o peso ainda muito jovem, freqüentemente na
infância.

Disposição Ambiental
1. Nenhum ou poucos casos de obesidade na família, em geral com excesso de
peso moderado.
2. Bons resultados em tratamentos anteriores, mas depois de uma boa perda de
peso a pessoa se descuida, volta a comer errado, pára com a atividade física e
engorda.
3. O obeso ambiental geralmente começa a engordar em conseqüência de algum
fator desencadeante, como gestação, puberdade, casamento, menopausa,
interrupção de atividade física, uso de medicamentos ou interrupção de tabagismo.

Fonte: Walmir Coutinho (www.emagrecimento.com.br)

20
Acupuntura

Todo mundo acima do peso está doente, não precisa ser obeso, basta estar com IMC
igual ou superior a 25. Se formos minuciosos e procurarmos, veremos que essa pessoa
está menos saudável do que a que tem 23 ou 22 de IMC.
IMC = kg/altura 2

<18,50 - Classificação abaixo do peso

Risco de doenças associadas: baixo, mas risco aumentado de outros problemas clínicos.

18,50 a 24,99 - Classificação normal Risco de doenças associadas: médio


ou = a 25,00 - Classificação sobrepeso Risco de doenças associadas: aumentado
Tratamento recomendado: reeducação alimentar, atividade física e medicamento,
caso haja alguma doença associada.
25,00 a 29,00 - Classificação pré- obeso Risco de doenças associadas: médio
Tratamento recomendado: reeducação alimentar, atividade física e medicamento,
caso haja alguma doença associada.

30,00 a 34,99 Classificação obeso classe 1: Risco de doenças associadas: moderado


Tratamento recomendado: reeducação alimentar, atividade física e medicamento.
35,00 a 39,00 Classificação obeso classe 2: Risco de doenças associadas: grave
Tratamento recomendado: reeducação alimentar, atividade física e medicamento, caso haja alguma
doença associada.
> ou = a 40,00 Classificação obeso classe 3: Risco de doenças associadas: muito grave
Tratamento recomendado: cirurgia, se o tratamento clínico falhar.
Circunferência abdominal: Medidas que representam riscos de complicações metabólicas
(resistência à insulina, diabetes, pressão alta, problemas de coração):
Homens: entre 94 e 102 centímetros
Mulheres: entre 80 e 88 centímetros
Os valores do IMC independem da idade e valem para ambos os sexos.
Fonte: OMS

21
Acupuntura

Adistribuição de gordura não é igual entre os sexos.

No homem:
Tende a concentrar-se no tórax e abdome, semelhante à forma de uma maçã (Obesidade Andróide)
Estabeleceu-se uma relação positiva entre a obesidade andróide e a incidência de infartos do miocárdio
e acidentes vasculares cerebrais.
Na mulher:
Predominantemente abdominal baixa, com forma parecida com uma pera (Obesidade Ginecóide).
A estratégia tem que contemplar não só o emagrecimento mas a manutenção, o que só
se consegue com um plano alimentar mais equilibrado, que difere de acordo com o perfil
da pessoa.
A obesidade pode ter vários motivos, incluindo os de ordem psicológica, a pessoa pode ter maior
propensão a comer por impulso ou ser deprimida, o que também pode levar à obesidade
Quando uma pessoa engorda, suas células adiposas aumentam em até 6 vezes o seu tamanho e começam
a se multiplicar, passando de cerca de 40 bilhões para cerca de 100 bilhões. Quando isso acontece, as
células de gordura liberam na corrente sanguínea substâncias inflamatórias e hormônios, que causam
diversos prejuízos ao organismo.

1. Ácidos graxos
As células de gordura armazenam triglicérides e os liberam na corrente sanguínea como ácidos graxos,
que têm função energética. Mas quando são secretados em grande quantidade, são armazenados
diretamente no fígado, coração e músculos.

2. IL-6 e TNF-Alfa
Proteínas produzidas pelo tecido adiposo e pelo sistema imunológico. Essas substâncias estão envolvidas
no entupimento de artérias. Elas levam à formação de radicais livres e à lesão do endotélio, favorecendo
o acúmulo de placas de colesterol, que faz com que o indivíduo tenha mais doenças do coração e
circulatórias.

3. Adiponectina
Proteína produzida pelo tecido adiposo. Tem um papel antiinflamatório e protege as artérias do
entupimento pelo acúmulo de gordura. Ela é secretada pelo tecido adiposo em condições normais,
mas quando a pessoa engorda, sua produção diminui. Está mais presente nos magros do que nos obesos.

22
Acupuntura

4. Angiotensinogênio e PAI-1
O angiotensinogênio é convertido em uma substância que causa constrição dos vasos sanguíneos,
causando hipertensão. A diminuição do PAI-1, um anticoagulante natural, está relacionada à formação de
trombos e coágulos.

5. Resistina
Proteína produzida pelo tecido adiposo. Quando secretada em grandes quantidades está relacionada à
resistência à insulina (condição que leva ao desenvolvimento do diabetes tipo 2).

6. Leptina

Hormônio produzido exclusivamente pelas células de gordura. É ele o responsável pela sensação de
saciedade no cérebro. Quanto mais gordura a pessoa tem no corpo, mais leptina é produzida. O
problema é que pessoas obesas, apesar de produzirem grande quantidade do hormônio, acabam criando
resistência à sua ação.
Fonte: Márcio Mancini

Gordo Yin x Gordo Yang


Gordo Yin:
Frio, engorda pelo resfriamento energético dos processos metabólicos; Pouco gasto calórico; Pés e mãos
frios;
Rosto pálido ou amarelado; Cabelos fracos e quebradiços; Unhas frágeis; Fadiga e cansaço, sonolência.
Sua dieta deve:
Tonificar e aquecer;
Alimentos mornos, quentes e temperados com ervas de sabor forte.

Alimentos:

Hortaliças: brócolis, abobrinha, pimentão, couve-flor, cenoura, chuchu, espinafre, cebolinha, aipo, broto
de feijão e cogumelos. Temperar com: cheiro-verde, gengibre e pimenta-do-reino.
Proteína animal: carne bovina, peixe, peru, frango, camarão. Assadas, grelhadas ou cozidas.
Frutas: maçã, mamão, pêssego, damasco, ameixa, figo, morango e pêra. Após as refeições sem
proteínas.
Amidos: arroz, batata, polenta cozida, feijão, milho, grão-de-bico, soja, lentilha, ervilha e inhame.

23
Acupuntura

Gordo Yang:

Yuan Qí apresenta dinamismo; Líder nato, fala alto, forte;


Engorda porque come em demasia e seu organismo possue ampla absorção; Mãos, pés e
região genital quentes;
Face pode ser avermelhada. Sua dieta deve:
Acalmar, sedar o dinamismo acelerado;
Absorver os excessos, melhorar dores e tensões.

Alimentos:

Hortaliças: agrião, alface, rúcula, palmito, tomate, beterraba, aspargos, espinafre,


maxixe, repolho e chuchu. Temperos: limão, azeite, shoyu ou vinagre.

Proteínas animais: peixe, pato, frango, ovos cozidos moles, marisco, siri e coelho.

Frutas: abacaxi, melancia, melão, tangerina, manga, morango, nectarina, kiwi e ameixa fresca. Comer
no café da manhã e entre as refeições.

Amidos: aipim, batata-doce, soja, aveia, trigo.

Instável Yang

Deficiente na energia do fígado o que gera manifestações de calor; Dinamismo que não se mantém
constante devido a base ser fraca; Atlético e dinâmico no início do dia com perda ao anoitecer.
Sua dieta deve: Deve corrigir as instabilidades com alimentos neutros e frescos.

Instável Yin

Corpo normal; Fora de forma, barrigudo; Falta de musculatura e má postura; Ansioso, fechado,
pessimista; Pouca energia, cansaço; Falta calor na pele e nos músculos.
Sua Dieta deve: Estimular a revitalização e circulação de energia com alimentos quentes.

Flacidez, Gordura localizada, Celulite e Varizes

Celulite = Fibro-edema Gelóide Processo não inflamatório das capas subepidérmicas, que se
manifesta em forma nodular ou em placas.
Acomete 85% das mulheres;
Manifesta-se nas seguintes regiões: Coxas, culotes e nádegas.

24
Acupuntura

Fisiopatologia

Aumento das células de gordura em tamanho e quantidade; Rompimento das fibras


elásticas e enrijecimento do colágeno; Retenção de água entre as células; Diminuição do sistema de
drenagem, facilitando o edema;
Compressão dos vasos sanguíneos pelos nódulos de gordura e edema.

Na MTC
Estagnação do Qí do Gan Forma mais infiltrada e dolorosa; Piora na TPM; Edema de mamas, baixo-ventre,
mãos e tornozelos.

Deficiência de Yang do Baço e do Rim Flácida na forma, não há queixa de dor, mas
sim de flacidez; Relaciona-se com o frio;
Menstruação abundante, fezes soltas e acomete pessoas idosas;

Fatores etiológicos

Má alimentação: Debilidade dos órgãos que eliminam as toxinas.


Vida sedentária: Diminuição da circulação.
Obesidade: Dificuldade de oxigenação celular e eliminação de toxinas.
Estresse: Descontrole geral do organismo.
Cigarro: Diminuição do aporte de O2
Roupas Justas: Diminuição da circulação e edema.
Medicamentos: Corticóides e c.o.

Pré-Disposição
Hereditariedade;
Problemas Circulatórios;
Alterações Hormonais;

Tratamento

A eletroacupuntura possui as seguintes ações: Antiinflamatória que corrige as retenções hídricas; Vaso
dilatadora que ativa a circulação local, promovendo eliminação de toxinas; Degradação das gorduras
pela ação hidrolipolítica;
Ação mecânica na contração das fibras do tecido conjuntivo; Combate a flacidez muscular pela
regeneração tecidual.

25
Acupuntura

Óleos essenciais
Retenção Hídrica: cipreste, erva-doce, junípero, limão, sândalo.
Estimular a circulação e desintoxicar o sistema linfático: benjoin, cedro, cipreste, laranja, gengibre.
Equilibrar os hormônios: camomila, gerânio, lavanda, sálvia.

VENTOSAS
Cuidar

Com rachaduras nos copos de vidro; Com a chama para que não “lamba” as bordas da ventosa;
Sugar em excesso;
Não usar em varizes, lesões da pele, gestantes, pacientes em jejum e/ou debilitados

Estrias

Rompimento das fibras elásticas e colágenas da pele; Seios, barriga, glúteos, interior das coxas.
Adolescência, gestação, alterações hormonais, aumento de peso.
 
Objetivos:

Aumentar o aporte de sangue e líquidos;


Aumento de fibroblastos jovens; Favorecimento da neurovascularização.

MAMAS

Enjirecimento .
Fitoterapia
Desentoxicam o corpo; Estimulam o organismo; Favorecem o emagrecimento;

 
REFERÊNCIAS

Tratado de Acupuntura Estética: Fornazieri;


O corpo Inteligente: Roizen e Oz;
Acupuntura científica moderna:Dumitrescu;
Acupuntura em Dermatologia e Medicina estética: Ysao yamamura e Maria Nakano

26
Acupuntura

Acupuntura
Escalpeana Chinesa
Inserção de agulhas na cabeça a fim de se conseguir efeitos terapêuticos;
Tornou-se reconhecida no mundo inteiro como um dos métodos mais eficazes para o
tratamento de diversas patologias.
Possui ampla aplicação na medicina. Entretanto, sua maior eficácia é observada no tratamento
de circunstâncias agudas de dor e das desordens do sistema nervoso.

27
Acupuntura

Patologias tratadas pela craniopuntura


Síndromes agudas e crônicas da dor; Ciatalgias; Lesões da medula espinal; Disfunções motoras
e sensoriais; Neuropatias; Paralisias faciais; Afasia; Paralisia Cerebral; Epilepsia; Desordem de
déficit de atenção; Hiperatividade; Depressão e/ou ansiedade;
Insônia; Neurastenia, esquizofrenia e outras desordens psicológicas e psicossomáticas;
Demência senil, Doença de Parkinson, Esclerose múltipla.

A Acupuntura Craniana é bem semelhante a acupuntura auricular, a reflexologia e a quiropuntura,


visto que todas são baseadas em Somatopias ou Microssistemas.
O principal fundamento da acupuntura escalpeana é estimular a área doente do
cérebro a fim de facilitar um retorno da função fisiológica nessa região.
Este método é baseado na neuro- anatomia funcional elementar, e não tem
nada comparativo com a MTC. Todos os pontos do escalpe são representações
das áreas funcionais subjacentes do cérebro.
Quando se aplica um método de terapia estimulativa de pontos cutâneos, seja na auriculoterapia,
na reflexologia podal ou na escalpoterapia, há principalmente 2 parâmetros práticos que são
aplicados para decidir se um ponto está ou não afetado, indicando problema em alguma parte do
organismo.
1.O aumento da sensibilidade à pressão, chegando mesmo à dor;
2.O aumento da atividade elétrica, traduzido pela redução da resistência elétrica
no ponto afetado. Teoria de ECIWO (Embryo Containing Information of the Whole
Organism) - Yingqing Zhang,1973

Zhang - “cada ECIWO contém a informação de todo organismo e tem potencial embriológico para
regenerar ou até gerar um novo organismo, dependendo das condições que lhe forem dadas”.
Cella - os pontos patológicos seriam constituídos por uma microentidade com conjunção de
arteríola, vênula, linfático e terminal nervoso; e que são localizados apenas em pontos de menor
resistência cutânea.

Em cortes histológicos do couro cabeludo foram encontrados complexos penetrantes


neurovasculares passando diretamente através dos ossos do crânio, demonstrando a existência
de nervos perfurantes que ultrapassam a calota.
Os pontos próximos as regiões da têmpora estão nas proximidades do N. Trigêmio, o qual têm
funções somatotópicas, orgânicas, motoras, sensitivas e secretórias, bem como a função de se
interconectar com nervos vizinhos.

28
Acupuntura

Anatomia e Fisiologia Craniana

- Pele

- Epiderme

- Gálea Aponeurótica

- M.m. Occipitofrontal

- Pericrânio

Com exceção do território inervado pelos primeiros pares de nervos espinhais cervicais, a sensibilidade
somática geral da cabeça penetra no tronco encefálico pelos nervos cranianos:

V: Nervo Facial

VII: Nervo Trigêmio

IX: Nervo Glossofaríngeo

X: Nervo Vago

O mais importante é o N. Trigêmio pelo fato de suas fibras inervarem região de maior significância.

Origem e Histórico

Durante os anos 70 a acupuntura craniana foi desenvolvida como um sistema completo


de acupuntura.
Dr Jiao Shunfa, Norte da China (Shanxi), num pequeno Hospital comunitário, na
época da revolução cultural começaram a associar as técnicas da acupuntura com os
conhecimentos da neurofisiologia para tratar as paralisias causadas por doenças
cerebrais.
Começou a considerar que a proximidade entre couro cabeludo e cérebro poderia
permitir uma estimulação deste último a partir das áreas externas, desde que
obedecidas as localizações corticais dos diferentes segmentos do corpo.
1971: cura de uma paciente portadora de paralisia do MI direito causada por
endarterite de vaso intracraniano.

29
Acupuntura

Os principais contribuintes:

Jiao Shunfa Divisão das áreas motoras e sensoriais.


Fang Yunpeng Divisão das áreas da leitura (memória) e da escrita (área da fala ou do discurso).
Tang Songyan Divisão das áreas dos 3 aquecedores.
Zhu Mingquing - Divisão das áreas Epang, Dingnie e Dinzheng.

Centro de Formação e Treinamento da Acupuntura Escalpeana – USA

Técnicas Adotadas

Jiao: propôs a técnica de agulhamento penetrante e transversal com a manipulação


rápida.
Fang: agulhamento oblíquo e manipulação ligeira.
SongYan: retenção da agulha de longa-duração com estimulação superficial das
agulhas, usando o método levantar- empurrar.
Zhu Mingquing: estimulação penetrante associado a exercícios respiratórios e
cinesioterapia.

A acupuntura escalpeana é um sistema múltiplo ainda em desenvolvimento e com


uma história de aproximadamente 30 anos de experiências práticas.
O padrão de nomenclatura para os pontos da acupuntura craniana foi desenvolvido,
adotada e reconfirmada entre os anos de 1984 e 1989 (Conferência Internacional sobre
Nomenclaturas em Acupuntura Gênova) indicando assim 14 linhas ou zonas
terapêuticas.

Áreas de Mapeamento e Técnicas da Acupuntura Craniana

Para delimitar as áreas a serem tratadas basicamente deve-se:


Traçar uma linha que vá da região das sobrançelhas (yintang) até a altura de VG17 ou
Fronto- Occipital;
Traçar outra linha mediana antero- posterior; Apartir de Bahui selecionar a área
motora.

As 14 Zonas Terapêuticas Pela Nomenclatura Padrão MS1 - Linha média da


testa
Na linha de VG 24 (Shenting), 1 cun para baixo.

30
Acupuntura

Indicações: Distúrbios: do nariz, olhos, língua e garganta, ouvidos e a orelha, e mental-emocional

Bilateralmente de B 3 (Meichong), 1 cun para baixo.


Indicações: Distúrbios: do coração e dos pulmões (Aquecedor- Superior)
MS3 - Linha lateral II da testa Bilateralmente de VB 15 (Toulingqi), 1 cun para
baixo.
Indicações: Distúrbios Gastro- intestinais: do Estômago, Fígado, V. Biliar, B. Pâncreas
(Aquecedor - Médio)
MS4 - Linha lateral III da testa Bilateralmente de E 8 (Touwei), 1 cm para baixo
Indicações: Distúrbios Gênito- urinários: Rins, bexiga (Aquecedor- Inferior)

31
Acupuntura

MS5 - Linha média do Vértex

Traçar uma linha de VG 20 (Baihui) a VG 21(Qianding)


Indicações: Hemorróidas, enurese; Tornozelo e pé.

MS6 – Linha Oblíqua-Anterior do Vértex à têmpora


Traçar de VG21 para VB6 (Xuanli)
Indicações:Disgenesias, paralisias.

MS7 Linha Obliqua-Posterior do Vértex à Têmpora


Traçar de VG 20 para VB 7 (Qubin)
Indicações: Distúrbios Sensoriais
De B 6 (Chengguang) 1,5 cun para trás referências de VG21 até Vg20 Indicações:Distúrbios dos
Membros Inferiores (joelhos, tornozelos e dos pés).

MS9 - Linha lateral II do Vértex

De VB 17 (Zhengying)1,5 cun para trás ou 2.25 cun do topo


Indicações: Distúrbios dos Membros Superiores (ombros, cotovelos, punhos e das
mãos).

32
Acupuntura

MS10 - Linha temporal anterior

Traçar de VB 4 (Hanyan) para VB 6 (Xuanli)

Indicações: Cefaléias, paralisia facial periférica e afasia.

MS11 Linha Temporal Posterior


Traçar uma linha de VB 8 (Shuaigu) para VB 7 (Qubin)
Indicações: Cefaléias, vertigem, zumbidos.

MS12 Linha Média Superior ao occipital


Traçar uma linha de VG 18 (Qiangjian) para VG 17 (Naohu)
Indicações: Distúrbios visuais, dores ao longo da coluna vertebral.

MS13 Linha Superior-lateral do occipital


0.5 cun laterais e paralelos à linha superior-média do occipital
Indicações:Distúrbios visuais, dores na região dorsal e sacral

33
Acupuntura

MS14 Linha Abaixo- Lateral do occipital

Traçar uma linha de B 9 (Yuzhen), 2 cun para baixo até B10.


Indicações: Desequilíbrio causado por doenças cerebelares.

Princípios Básicos para Seleção das Áreas a serem tratadas

Nas patologias que afetem somente um membro a puntura será no lado contra-lateral
da cabeça. As que afetem ambos os membros devem ser punturados bilateralmente.
Nas doenças internas ou sistêmicas como por ex: arteriosclerose, hipertensão,
diabetes, etc..ou naquelas onde fica difícil distinguir qual é o lado afetado como por
ex: vertigens, imaturidade cerebral, deve- se também punturar bilateralmente a
cabeça.
Geralmente, um local principal é selecionado que corresponda diretamente à área representativa no
córtex cerebral para uma determinada doença, e um local suplementar pode ser adicionado que seja
relacionado mais ou menos diretamente.
Por exemplo: ao tratar a paralisa do membro inferior, o local principal é o um quinto superior na linha
da área motora e um local suplementar seria a motora do pé e a área Sensorial.

Técnicas

A área a ser estimulada deve com cuidado ser delineada, a cabeça exposta e a área limpa com o álcool
70;

O chinês introduz geralmente uma agulha de 3 ou 2 polegadas (cun),fazendo com que a mesma passe
pelo couro cabeludo abaixo da camada subcutânea e chegue até a gálea aponeurótica.

34
Acupuntura

O ângulo de inserção normalmente é horizontalmente (que não toca no osso) e girada lentamente até
que o corpo da agulha esteja introduzida até a altura do cabo.
Uma vez no lugar a agulha não deve mais ser levantada ou empurrada.
Logo após deve-se manipular rapidamente (200 vezes por minuto são ideais) com uma amplitude
larga (2-3 rotações para a frente e 2-3 rotações para trás) até que a sensação característica do Deqi
seja obtido.
A manipulação pode então ser continuada por 3 a 4 minutos depois do qual a agulha é deixada
no lugar por 5-10 minutos;
Depois deste intervalo volta a ser manipulada outra vez.
Após ter repetido este procedimento 2-3 vezes a agulha é retirada.
Uma esfera de algodão pode ser pressionada de encontro a puntura para impedir o sangramento. Este
tipo de procedimento requer bastante prática o que trás a possibilidade de se utilizar a
eletroestimulação.
Na utilização da eletroacupuntura escalpeana normalmente é utilizada freqüências baixas que podem
variar de 2-3hz até no máximo 10hz, e o tempo de permanência das agulhas variam de 20 a 30
minutos.
O paciente pode referir sensações de formigamento, calor ou aquecimento da área referida que foi
estimulada no escalpe. Menos freqüentemente podem relatar até aquecimento em todo o corpo.
Outras sensações incluem: dor, aperto ou constrição e até o efeito contrário do que normalmente se
encontra, ou seja, a sensação de frio.
Na China os pacientes são tratados diariamente por 10-15 dias, descansando por 5-7 dias e o curso é
repetido então se necessário.
Outras considerações que são necessárias para que as áreas estimuladas tenham bons resultados:
A estimulação da agulha deve geralmente ser forte e a resposta um tanto intensa para obter um
resultado satisfatório.
É melhor manter o paciente em decúbito dorsal, para evitar quedas por desmaios caso ocorra
quadros de lipotímias.

Contra Indicações

Apressão sanguínea muito elevada (220/120);


Algumas doenças cardíacas; Infecção do crânio;
Alguns casos da gravidez (principalmente perdas sanguíneas habituais);
Nas pessoas que são muito nervosas ou ansiosas ao extremo;
Nas crianças não aplicar nas regiões onde as fontanelas estejam abertas. Além, a retenção das
agulhas é proibida para os infantes que são incapazes de cooperar com o doutor.

35
Acupuntura

Não é aconselhável aplicar em um escalpe que apresente uma ferida aberta, traumas,
cicatrizes mal fechadas ou tumorações.
Precauções: embora a acupuntura não traga efeitos colaterais alguns acidentes
podem ocorrer por manipulação incorreta e o que pode acarretar a presença de dor o
que é um empecilho para o relaxamento do paciente.
Deve-se evitar o bulbo da raiz do cabelo e promover um bom ângulo de puntura da
agulha.
Aferir sempre a PA antes do atendimento principalmente nos pacientes com patologias
antecedentes importantes.
Tentar manter o paciente o mais calmo e relaxado possível.

Acidentes vasculares e cerebrais


Após o diagnóstico exato, o tratamento deve ser dado o mais cedo possível enquanto a condição da
doença se torna estável. Mais curta a duração, melhor a eficácia será. Alguma melhoria pode ser
encontrada em alguns casos de uma duração mais longa da doença.
A área acometida pelo trombo tem alguma relação com a eficácia do tratamento.
Os melhores resultados terapêuticos podem ser obtidos para os trombos dos ramos superficiais das
artérias cerebral média e anterior, com resultados pobres para os ramos profundos e dos troncos
principais da artéria.
A eficácia também tem alguma relação às funções do córtex e da circulação colateral compensatória.
Alguns casos podem ter uma duração mais longa de sintomas.
O diagnóstico adiantado e o tratamento podem impedir a progressão da doença. Normalmente as áreas
selecionadas para serem estimuladas são: MS5, MS6, MS7, MS8 e Ms9.

36
Acupuntura

Acupuntura Craniana
YNSA - Yamamoto’s New Scalp Acupuncture

Dr. Toshikatsu Yamamoto, natural de Nichinan, Miyazaki, Japão:


- Nippon Medical College: Tóquio - Medicina
- Universidade de Colúmbia: EUA- Cirurgião
- Saint Lukes Hospital: Nova York – Anestesia
- Alemanha- Ginecologia e Obstetrícia.

Atualmente dirige uma clínica especializada no tratamento de patologias do Sistema Nervoso e


síndromes dolorosas.
Inicio da acupuntura: Uso de terapias antiálgicas com bloqueio de nervos e aplicação de
lidocaína a 0,5% com trabalhadores rurais.
Exame de uma paciente: testa = reflexo no braço.
37
Acupuntura

Descobrir relações entre as áreas cranianas e partes reflexas do corpo.

Evolução:

- Inicialmente: Algias do aparelho locomotor.


- Depois: Paralisias e em distúrbios funcionais de órgãos torácicos e
abdominais.
Em 1973 apresentou pela primeira vez ao mundo cientifico um esquema

sistemático de pontos de comprovada eficiência .


Anos 80: Divulgação e aceitação da técnica entre acupunturistas do mundo
inteiro através de livros e cartas murais.

1. Somatotopias ou microssistemas: pontos reativos em áreas


correspondentes à patologia;
Os impulsos nervosos chegam ao microssistema direta ou indiretamente pelos
nervos periféricos, medula, tronco e córtex cerebral.
2. Abordagem energética: concepções da MTC;
3. Diagnóstico: rápido e eficaz dos desequilíbrios orgânicos;
4. Áreas com limites dinâmicos: variando conforme os estados fisiológico e
patológico.

-No início, ocorrem no ponto apenas alterações energéticas ou elétricas;


-Depois surgem alterações leves de sensibilidade como formigamento, peso;
-Dor provocada e espontânea por pressão local que denota a gravidade da perturbação.

38
Acupuntura

5. Somatotopias Yin e Yang: estrutural-anatômica e funcional.

1- Estrutural-anatômica:

- Linha capilar: fronte e têmporas;

- Pontos básicos: 5 pontos principais para o aparelho locomotor e 4 para os


órgãos dos sentidos;
- Facilmente detectados pela pressão;
- Resultados imediatos;

- Agulhas empregadas unilaterais;

YNSA PONTOS-­‐YPSILON

10
10

Y1 = intestino delgado Y4 = estômago Y5 = Y7 = vesícula biliar Y10 = pulmã o Y2


= triplo aquecedor Y3 = fígado Y8 = rim Y9 Y11 = pericá rdio
intestino grosso Y6 = baço/pâ ncreas = bexiga Y12 = coraçã o

39
Acupuntura

Funcional ou Básica:

- Localizam-se sobre o músculo temporal;

- Pontos Y: zang-fu na MTC

- Distúrbios energéticos de meridianos, psicossomáticos e vegetativos.

HEMI-SOMATOTOPIA YANG

Tanto as áreas estrutural quanto a funcional, localizam-se na parte posterior do crânio sendo
imagens justapostas as áreas Yin.

Linha Média

Ganglio Basal
Cerebelo
Cérebro

Olho
Nariz

C1-­‐9

D1-­‐5

Olhos, Nariz, Boca, Ouvido, respectivos


Cerebelo, Cé rebro, Ganglio Basal, respectivos

40
Acupuntura

TÉCNICAS

Instrumentos de estimulação:

-Agulhas tradicionais, agulhas intradérmicas, pressão digital, laser, magneto,


eletricidade. O mais simples e prático é a agulha.

A preferência é pela inserção oblíqua com agulha espetada a uma distância adequada
do ponto, entrando num ângulo de 30 a 45°, atingindo então o ponto abaixo da fáscia,
próximo ao periósteo.

Os pontos doloridos da YNSA servem como indicadores diagnósticos e também como pontos de
tratamento. Quando os pontos forem estimulados, deverá ocorrer resultado imediato: alívio da dor ou
de outras afecções do corpo.
Nas alg ias, caso não houver melhora mínima de 80%, significa que a agulha não acertou o ponto; ou
então não localizou corretamente tal ponto.
Em geral se escolhe o lado homolateral em relação às queixas do paciente. No entanto, os seguintes
critérios são muito utilizados:
1. Para problemas acometendo a parte superior do corpo deve-se palpar 1G4 bilateralmente e
escolher o lado mais sensível;
2. Para problemas acometendo a parte inferior do corpo, apertar ponto D simetricamente e usar o
lado mais sensível;
3. Para problemas de órgãos e meridianos, usar o lado onde os pontos Y ou os pontos de
Diagnóstico Cervical estiverem mais sensíveis;
4. Para seqüelas neurológicas como AVO, usar contralateral;

41
Acupuntura

A monitorização é feita controlando:


1. Melhora imediata dos sintomas ou movimentos do paciente;
2. Para problemas supra diafragmáticos, o 1G4 dolorido deverá retornar à normalidade.
3. Os pontos diagnósticos, cervicais ou abdominais, deverão ficar livres da sensibilidade dolorosa e de
outros sinais acompanhantes como endurecimento, contratura, inchaço.

PONTOS BÁSICOS

PONTO A

Perpendicular sobre a implantação frontal dos cabelos 1 cm lateral à linha mediana, com cerca de 2 cm
de extensão.
Divide-se em 8 pontos, iniciando com A1 (cabeça) terminando com A8 (Cervical 7).

CABEÇA E COLUNA CERVICAL:


Cefaléias, enxaqueca, nevralgia do trigêmeo, herpes facial, tonturas, labirintite, problemas cervicais,
laringite, pós-operatório de cirurgias.

42
Acupuntura

PONTO B

Ponto único cerca de 0,5 cm acima da implantação frontal dos cabelos, 2 cm lateral à
linha mediana.

CERVICAL E ESCÁPULA: bursite, tendinite, artrose.

PONTO C

No ângulo entre a implantação frontal e a temporal dos cabelos, num segmento de reta
de 2 cm, formando ângulo de 30 a 45º com a horizontal, partindo de um ponto entre as
sobrancelhas
Divide-se em 9 pontos, iniciando com o ombro no alto, depois vêm braço, cúbito,
antebraço, punho e 5 dedos (estando o polegar em posição medial).

OMBRO E MEMBRO SUPERIOR: Epicondilites, túnel do carpo, Raynaud, paralisias .

43
Acupuntura

PONTO D

Cruzamento entre o limite anterior dos cabelos na região temporal, e uma linha que vai do canto do olho
até o ápice da orelha. Sobre o limite anterior dos cabelos na região temporal (2cm adiante da orelha) e
1cm acima do arco zigomático. Um único ponto que pode resolver muitos problemas da metade inferior
do corpo.
Em relação aos Pontos Y, o Ponto D se localiza entre IG e TA. Este ponto pode ser interpretado como um
segmento onde 0,5cm acima do D está o ponto do joelho; 0,5cm abaixo, pododáctilos.

LINHA D
Relacionada à coluna lombar, segmento vertical de 1cm, situada 0,5cm adiante da inserção da hélice da
orelha na face. São 6 pontinhos numerados de cima para baixo, correspondendo a L1 a L5, mais o Sacro e
Bacia.
LOMBAR, BACIA E MEMBROS INFERIORES:
lombalgia, ciática, artrose da coxa, do joelho, luxação da patela, tendinite de Aquiles, dor no calcanhar,
parestesia ou paralisia dos membros inferiores, problemas urogenitais, impotência sexual.

44
Acupuntura

PONTO E

Acima da sobrancelha, entre 1cm lateral à linha mediana, subindo lateralmente a 15º, estendendo por
2cm, terminando acima da pupila.
São 12 pontos, começando com a vértebra T1 acima da pupila;

PT. CÉREBRO

NARIZ

45
Acupuntura

PONTO F

Situado sobre a região lateral mais saliente da apófise mastóide, mais ou menos 1cm
acima da ponta da apófise.
CIÁTICA: trata a ciática e a lombalgia terminando próximo à linha mediana como T12.
COLUNA DORSAL E TÓRAX: dor nas costas, nevragia intercostal, herpes zoster, bronquite, alergias
alimentares.

PONTO G
São 3 pontos referentes ao joelho. Estão localizados em torno da ponta da apófise mastóide. G1
corresponde à parte medial do joelho, está localizado anterior à ponta da apófise mastóide. G2
corresponde à parte anterior do joelho, está localizado logo abaixo da apófise mastóide. G3 corresponde à
parte lateral do joelho, está localizado atrás da ponta da apófise.
JOELHO: artrose, artrite, contusão

46
Acupuntura

PONTOS SENSORIAIS

-OLHO: 1cm da linha mediana, 1cm abaixo do Ponto A: conjuntivite, estrabismo, catarata, hordéolo,
lacrimejamento.

-NARIZ: 1cm abaixo do Ponto do Olho: rinite, sinusite, epistaxe.

-BOCA: 1cm abaixo do Ponto do Nariz: estomatite, aftas, gengivite, problemas dentários, periodontites,
pós- operatório de cirurgias bucais ou dentárias, queimação na língua, distúrbios de paladar ou da fala,
problemas de maxila ou de mandíbula.

-OUVIDO: 1,5cm abaixo e sobre o prolongamento caudal da Ponto C: otite, labirintite, surdez, pós-
operatório.

PONTOS NEUROLÓGICOS

Indicados para seqüelas neurológicas afetando tronco, cerebelo ou cérebro, Parkinson, Alzheimer,
Esclerose Múltipla, Epilepsia, Nevralgia do Trigêmeo; enxaqueca, insônia, depressão e outros
distúrbios psicológicos.

47
Acupuntura

- CÉREBRO: Em torno de 1cm acima do Ponto A, pode ser subdividido em Frontal, Temporal, Parietal,
Occipital.
- CEREBELO: 1 cm acima do Ponto Cérebro.
- GÂNGLIOS DA BASE: Uma faixa estreita sobre a linha mediana, entre os Pontos Cérebro e Cerebelo.

Foram os últimos pontos descobertos (pelo menos durante alguns anos) e homenageiam Yamamoto. Cada
ponto Y representa um órgão e seu meridiano correspondente.

48
Acupuntura

Todos os 12 Pontos Y da região Yin estão limitados na frente pelo limite anterior da implantação temporal
dos cabelos, atrás pela linha vertical passando pelo ápice da orelha; abaixo pelo arco zigomático e acima
por uma linha horizontal 1cm acima da orelha.

Na linha vertical sobre o limite anterior da implantação temporal dos cabelos, estão
localizados os 3 meridianos Yang do membro superior:
- Logo acima do arco zigomático:ponto do Intestino grosso
- Acima deste:ponto do Triplo Aquecedor
- Depois: ponto do Intestino Delgado.

49
Acupuntura

Na mesma linha horizontal 1cm acima da orelha, estão os 3 meridianos Yin do membro superior:

-Acima do Intestino Delgado e um pouco para trás: ponto do Pulmão

-Um pouco atrás da vertical do Estômago: ponto do Pericárdio

-Mais atrás: ponto do Coração.

50
Acupuntura

- Na linha vertical situado entre a orelha e o limite anterior dos cabelos, logo acima do arco zigomático:

- O ponto da Bexiga;

- Em seguida o ponto do Rim;

- Acima deste, na mesma horizontal do Triplo Aquecedor, existe o ponto do Baço.

- Para cima e um pouco para trás, está o ponto do Estômago.

Logo à frente da implantação ântero- superior da orelha:

-Existe o ponto da Vesícula Biliar

-1cm acima e atrás fica o ponto do Fígado.

-Entre o Estômago e o Baço, foi descoberto o ponto da Afasia de Broca.

51
Acupuntura

SEQUÊNCIA PRECONIZADA POR YAMAMOTO

1. Afecções do aparelho locomotor, do SN, dos órgãos dos sentidos, ou das afecções
provocadas por subluxações vertebrais ou compressões nervosas:

Problemas Supra diafragmáticos: pesquisar 1G4 para escolher o lado da cabeça para detecção e
tratamento dos pontos.
1.1.1. Pesquisar e tratar até os pontos 1G4 ficarem normais.
1.2. Problemas Infra diafragmáticos: apertar os pontos D simetricamente, escolher o lado mais dolorido.
1.2.1. Caso houver problemas de coluna lombar, lembrar-se da linha D e dos pontos H e 1.
1.2.2. Caso houver ciática, usar o ponto E.
1.2.3. Caso houver problemas de joelho, lembrar-se dos pontos G.

2. Afecções dos sistemas respiratório, cardiovascular, digestivo e urinário:

2.1. Pesquisar os pontos cervicais/abdominais, iniciando o tratamento pelo Rim.

2.2. Pesquisar os pontos Y e colocar as agulhas.

2.3. Avaliar o alívio sintomático.

2.4. Pesquisar novamente os pontos cervicais/abdominais.


2.5. Pesquisar e tratar até desaparecer todos os pontos cervicais/abdominais doloridos.

Em pacientes com ritidectomia (plástica facial), a pesquisa é possível e o método ainda funciona;
entretanto, a fibrose cicatricial torna a picada mais difícil e dolorosa.
Procurar e escolher os pontos conforme as indicações de Zang Fu. Selecionar pontos
conforme os trajetos dos meridianos.
O lado direito e esquerdo do corpo são conectados pelas ramificações dos meridianos.
Em problemas de coluna, verificar todos os segmentos vertebrais.
A pesquisa dos pontos da YNSA, o uso do diagnóstico abdominal ou cervical ajudam na
avaliação energética.

52
Acupuntura

SOMATOTOPIA YANG

Representação das Areas YNSA PONTOS-­‐CÉREBRO


Cerebelo, Cérebro, Ganglio Basal, respectivos
53
Acupuntura

HARA DIAGNÓSTICO

HARA = somatotopia abdominal = sede da vida

5 áreas na linha mediana (caudo- craneal):

Bexiga: acima da sínfise púbica;

TA: abaixo do umbigo;

Estômago: acima do umbigo;


Pericárdio e Coração: abaixo do processo xifóide;
Na horizontal do pericárdio temos a VB (do lado direito) e o B/Pâncreas (do lado
esquerdo);

54
Acupuntura

Os Rins situam-se nas laterais da Bexiga;


Abaixo da horizontal do estômago encontra-se os Pulmões (no lado direito) e o Fígado (no lado
esquerdo); Acima da horizontal do TAo ID posiciona-se no lado direito e o IG no lado esquerdo.
Na linha media na bilateral encontra-se a representação da coluna vertebral.

DIAGNÓSTICO CERVICAL

Nos casos com alterações em órgãos ou meridianos, Yamamoto considera importante diagnosticar os
pontos sensíveis cervicais ou abdominais. Entretanto, como os pontos cervicais estão mais próximos da
cabeça, facilmente acessíveis; e para localizá- los não precisa deitar o paciente nem tirar-lhe as roupas, o
diagnóstico cervical vem ganhando preferência.

RELAÇÃO DE PONTOS

-Pulmão: M. Esternocleidomastóideo (cartilagem tireóidea);


-Coração: pouco abaixo que o ponto anterior;
-Pericárdio: Abaixo do anterior e a frente do músculo;
-Bexiga: Na linha posterior do esternocleido, logo acima da clavícula;

-Rim: Cranial ao anterior (um pouco acima);


-VB: Cranial ao anterior e do outro lado do músculo;
-Fígado: Um pouco cranial e lateral ao anterior, no centro da massa muscular.
-I. Delgado: Na linha do sulco anterior do trapézio, na altura da parte superior do pomo-de- adão;
-Estômago: Na mesma linha à altura do pulmão;

-I. Grosso: Na mesma linha, logo abaixo do anterior (altura do coração);


-B/Pâncreas: No triangulo lateral do pescoço, a um terço da distância entre o Fígado e o estômago;
-T . A: abaixo do anterior.

55
Acupuntura

O procedimento consiste em examinar todos os pontos cervicais no lado que apresentar maior
sensibilidade. Caso encontrar ponto do Rim dolorido, deverá proceder primeiro a procurar o ponto Y
correspondente e tratá-lo. Em muitas vezes, o estímulo do ponto Y do Rim é suficiente para eliminar os
pontos sensíveis correspondentes a outros órgãos ou meridianos.
Se apesar do estímulo de Y sobrarem ainda alguns pontos cervicais doloridos, aí sim poderá passar a
tratar seus pontos Y correspondentes.
Caso a pesquisa e o tratamento dos pontos Y for eficiente, todos os pontos doloridos do pescoço ou do
abdome desaparecerão.
Na palpação cervical do Fígado, deverá apertar suavemente o local.
Palpando ponto cervical do Rim dolorido e duro, sintoma Yang, deverá pesquisar o ponto Y no setor Yin.
Ao contrário, achando no pescoço Rim sensível, amolecido e inchado, sintoma Yin, deverá pesquisar o
ponto Y no setor Yang.

56
Acupuntura

TERAPÊUTICA

Pelo couro cabeludo ser muito vascularizado, pode ocorrer algum sangramento após retirar a agulha, basta
apertar o local com algodão.
À frente da orelha, na região dos pontos Y psilon, passam os vasos temporais superficiais, caso houver
algum sangramento, é só estancá-lo.
O número de agulhas deve ser o mínimo possível, Yamamoto preconiza colocar poucas agulhas e testar os
efeitos a cada inserção. Entretanto, caso desejar, pode localizar todos os pontos sensíveis e colocar todas
as agulhas, pode chegar a 10-12 agulhas.
Tal como na Acupuntura Geral, após as inserções, se ocorrer sensações tipo De Qi, a eficácia deve
aumentar.
As agulhas podem ser inseridas em qualquer direção ou sentido, entretanto, para reduzir o risco de não
acertar o ponto sensível, ou para obter efeito terapêutico mais amplo, é melhor puncionar tal ponto e
aprofundar de forma a atingir vários pontos correspondentes à zona problemática do corpo.
Depois de inserir as agulhas e o resultado não for satisfatório, há duas possibilidades:
1) Reposicionar as agulhas (aprofundar mais, ou superficializar um pouco e mudar a direção);
2) Procurar outros pontos.

Após usar os pontos correspondentes ao corpo (Básicos, Sensoriais, Neurológicos) e obter resultado não
satisfatório, procure possíveis relações com meridianos ou de órgãos, e tratá- las com pontos Ypsilon.
Casos os resultados não forem satisfatórios usando pontos da zona Yin, pesquise a zona Yang. 
Ao tratar distúrbios, além de usar os pontos correspondentes ao corpo, lembre-se dos trajetos dos
meridianos, lembre-se das relações de Zang Fu.

SISTEMÁTICA DE TRATAMENTO

- Após anamnese palpa-se a área correspondente na somatotopia estrutural Yin (pontos básicos) buscando
alterações;
- Normalmente utiliza-se o lado ipsilateral (80%).
- Nas afecções de órgãos internos ou nos que não apresentam localização definida deve-se fazer um
diagnóstico de Zang Fu.
- Após detecção pela palpação do pescoço ou Hara, ocorre a localização no crânio inicialmente na
somatotopia Y Yin, o qual recebe tratamento adequado.
- Atenção para os quadros de lipotimias.
- Precauções: puncionar o paciente deitado, utilizar poucas agulhas e evitar fortes manipulações nos
pacientes mais sensíveis e nervosos.

57
Acupuntura

PONTOS DE TRATAMENTO

•ANSIEDADE, DEPRESSÃO, INSÔNIA - Pontos A, Cérebro, B, Rim, Fígado.


•AVC - Pontos contralaterais: A, B, Cérebro, C, D, Fígado, Rim.
•BRONQUITE - Pontos E, A, Pulmão, Fígado, Rim, Baço.
•CEFALÉIA - Pontos A, Rim, Fígado.
•CERVICAL, TORCICOLO - Pontos A, B, C, ID, TA, Rim, Rim Yang.
•DOR ESCAPU LAR - Pontos A, B, C, ID, TA.
•GARGANTA - Pontos A, Boca, IG, Estômago
•GASTRITE – Pontos Estômago, Baço, D, Fígado
•LOMBALGIA, CIÁTICA - Pontos D, linha D, Rim, Bexiga, A, E, H, 1, F
•JOELHO - Pontos D, G, linha D, Rim; analisar sobreposição com Ciática
•MEMBROS INFERIORES - Pontos D, Rim, A
•PEITO, MAL-ESTAR - Pontos E, A, Cérebro, Fígado, VB, Coração, Pulmão
•RINITE, SINUSITE - Pontos A, Nariz, Pulmão, Baço
•TENDINITE DO MEMBRO SUPERIOR, LER - Pontos A, B, C, Pulmão, IG, ID, TA,
Fígado, Baço
•ZUMBIDO - Pontos A, 4 pontos do Zumbido (Ouvido, Rim Yang e mais 2 pontos intermediários),
Rim, Fígado. Há melhora em 65% dos casos.

BIBLIOGRAFIA
Acupuntura Craniana de Yamamoto — Jorge Boucinhas — Editora WP — Natal - 2005

58
Acupuntura

Eletroacupuntura
Pele

Órgão dos sentidos

Percebe informações do meio, que são codificadas e transformadas em mensagens ao córtex


cerebral, onde são decodificadas em sinais discriminados e analisados informações do meio
externo se transformam em sensações no meio interno.

Pele
Barreira entre o organismo e o meio ambiente proteção contra a entrada de materiais tóxicos,
organismos estranhos, contra os efeitos da radiação e de traumas mecânicos e elétricos.

59
Acupuntura

Trocas energéticas e informáticas entre o meio biológico e o meio ambiente. Fonte imunológica:
diferenciação de células protetoras.

Pele
Reservatório de água e alimento. Importante na respiração.
Regulação da temperatura.
Metabolismo e armazenamento de gordura. Síntese de vitamina D.
Regulação da pressão sanguínea e do fluxo linfático.

Pele – Divisão
Dividida em 3 camadas:

-Epiderme;

-Derme;

-Hipoderme

Epiderme

Camada superficial e protetora da pele. Formada por tecido estratificado pavimentoso.


Formada por grande quantidade de células mortas.

Possui 4 ou 5 camadas: germinativa (basal), espinhosa, granulosa, lúcida e córnea.

Derme

Camada mais profunda e mais espessa que a epiderme. Grande quantidade de


glândulas.
Fibras elásticas e colágenas.

Suprida por vasos sanguíneos, vasos linfáticos e nervos. Órgão do sentido receptores sensoriais
especializados.

Derme

Dividida em 2 camadas: papilar e a reticular. Determinante da elasticidade.


Suprimento sanguíneo rico que se projeta para a epiderme nutrição e regulação
térmica.

60
Acupuntura

Hipoderme

Tecido sobre o qual as outras camadas repousam. Fibras elásticas e colágenas.


Armazenamento de lipídios. Isolante. Amortecedor do corpo. Regulador de temperatura. Pele -
Vacularização Vasos sanguíneos no interior da derme fornecem nutrientes à camada basal mitoticamente
ativa da epiderme e às estruturas celulares da derme, tais como glândulas e folículos.
Regulação da pressão arterial. Vasodilatação e vasoconstrição.

Pele - Receptores

TNL (terminações nervosas livres): dor (agulha, eletroterapia e moxa). Corpúsculos de Pacini: pressão
(picada, massoterapia).
Corpúsculos de Meissner: tato (massoterapia). Plexos da raiz dos pêlos: movimento pêlos.
Corpúsculos de Ruffini: calor (moxa e fotoestimulação). Corpúsculos de Krause: frio (gelo)

Pele - Mecanorrecepção
Reconhecer e diferenciar os corpos físicos que nos envolvem.
Excitação simultânia ou sucessiva das regiões cutâneas realiza um modelo têmporo-espacial da excitação
ao nível do sistema nervoso central.
Sucessão temporal das excitações num ritmo definido sensibilidade vibratória (receptores de tato e
pressão).

Pele – Mecanorrecepção
Informação mecânica liberação de um mediador químico estímulo elétrico.
Fibras amielínicas do grupo C possuem alta especificidade a estímulos mecânicos nos receptores de tato
e de pressão (estímulos mais prolongados que as fibras mielínicas mais finas).
Acupuntura fibras C estímulos mais prolongados sobre as fibras nervosas.

Sistema Nervoso
Anatomicamente dividido em 2 grupos: sistema nervoso central e sistema nervoso periférico.

Sistema Nervoso Central


Dividido em 2:
- Medula espinhal (nível da medula espinhal)
- Cérebro (nível cerebral inferior e superior)

61
Acupuntura

SNC Medula Espinhal


Movimentos de marcha. Reflexos de retirada.
Movimentos gastrointestinais.
Reflexos que enrijecem os membros inferires para sustentar o corpo contra a gravidade.

SCN Nível Cerebral Inferior


Formado por: bulbo, ponte, mesencéfalo, hipotálamo, tálamo, cerebelo e gânglios de base. Controle das
atividades subconscientes.

SNC Nível Cerebral Superior


Formado pelo córtex cerebral.
Funciona associado aos centros inferiores. Grande depósito de informações (memória).
Processos de pensamento com o auxílio dos centros inferiores.

Sistema Nervoso Periférico


As agulhas de acupuntura estimulam diretamente para obter os resultados terapêutico
desejados.
Composto pelos nervos cranianos originados no cérebro (12 pares) e dos nervos espinhais originados na
medula espinhal (33 pares).

Sistema Nervoso
Funcionalmente dividido em 2 grandes grupos: Sistema Nervoso Somático e Sistema
Nervoso Autônomo.

Sistema Nervoso Somático


Inerva as estruturas da parede do corpo: músculos, pele e mucosas.

Sistema Nervoso Autônomo


Controla os órgãos viscerais atividades fisiológicas dos músculos cardíacos, glândulas e músculos lisos nas
vísceras (vasos sanguíneos).
Ativado por centros localizados na medula espinhal, no tronco cerebral e no hipotálamo.
Também opera por meio de reflexos viscerais.
Sinais para o corpo por meio de 2 divisões: simpático e parassimpático.

62
Acupuntura

Córtex cerebral
Impulsos nervosos para centros inferiores influencia controle autonômico.

SNA Simpático
Localizado entre T1 e L2 (tóraco- lombar) e se estende pela cadeia simpática até tecidos e órgãos. 2
gânglios pré-vertebrais (celíaco e hipogástrico).
Algumas fibras retornam para os nervos espinhais na medula e atingem vasos sanguíneos, glds.
sudoríparas e m. Piloeretores.
Atua sobre a medula das supra-renais controlando a secreção de adrenalina e noradrenalina para a
corrente sanguínea.

SNA Parassimpático
Deixam o SNC pelos pares cranianos no tronco cerebral e pelos nervos sacrais (craniossacral). 75% das
fibras estão no n. vago (X par) e se direcionam para abdômen e tórax.
X par (n. vago) coração, pulmões, esôfago, estômago, intestino delgado,fígado, vesícula biliar, pâncreas e
porções superiores dos ureteres.

SNA Parassimpático
As fibras parassimpáticas sacrais se congregam com os n. pélvicos e vão do plexo
sacral para o cólon descendente, reto e porções inferiores dos ureteres e para a genitália
externa para causar a ereção.

Sistema Nervoso Autônomo


Os sistemas nervosos simpático e parassimpático são opostos entre si (yin e yang) com o
objetivo funcional de equilibrar as partes viscerais.

Nervos e Fibras Nervosas


Todos os nervos periféricos são classificados como eferentes ou aferentes.
Nervo eferente (fibra motora) corno anterior da medula e transmite sinais do SNC para o
órgão- alvo periférico.
Nervo aferente (fibra sensorial) corno dorsal medula e transmite sinais ao SNC. Existem
nervos mistos (aferentes e eferentes).

63
Acupuntura

Resposta à agulha

Sensação de Qi
As sensações não dolorosas produzidas pela inserção das agulhas são denominadas de de qi pela Medicina
Tradicional Chinesa.
Sensação semelhante ao choque elétrico subindo ou descendo ao longo de todo o
membro.

Resposta à Agulha
Ativa reações em cadeia tanto nos tecidos locais quanto no SNC (medula espinhal e cérebro). Efeitos
divididos em periféricos e centrais, mas fisiologicamente inseparáveis.

Resposta à agulha
A Agulha inserida provoca traumatismos mínimos nos tecidos estimulando mecanismos de sobrevivência
do corpo. Estes incluem a restauração da homeostase, facilitação dos mecanismo de reparo (reação anti-
inflamatória e regeneração tecidual) e modulação da dor.
Após a remoção da agulha as lesões continuam a estimular o corpo até cicatrizarem.
Ativação de 4 sistemas: nervoso, cardiovascular, endócrino e imune.

Resposta à Agulha
Inserção da agulha estimula epiderme, derme, tecidos conectivos, subjacentes (fibras
elásticas, colágeno, lâmina basal, fáscia profunda), tecidos musculares (músculos
esqueléticos e lisos dos vasos sanguíneos) e tecidos nervosos (fibras nervosas dos
neurônios sensoriais e neurônios pós- ganglionares).

Resposta à Agulha - Reações


Reação cutânea local e mecanismo de microcorrente cutânea. Interação local entre a
haste da agulha e os tecidos conectivos.
Relaxamento da musculatura local, melhorando a circulação sanguínea local por meio da
reação muscular e do reflexo autonômico.
Mecanismo neural: ativações nociceptiva e motoneural, atividade neuro-endócrina
mediada pelo SNC. Coagulação de sangue e circulação linfática.
Respostas imunes locais.
Síntese de DNA para substituir tecidos lesados e reparar lesões pro acupuntura.

64
Acupuntura

Reação Local e Mecanismo de Microcorrente

A inserção da agulha estimula os seguintes tecidos cutâneos:


- fibras aferentes somáticas de neurônios (fibras cutâneas A-delta e fibras C) e simpáticas de
neurônios (glândulas sudoríparas e vasos sanguíneos);
- vasos sanguíneos arteriais e venosos finos (suprimento de nutrição e regulação da temperatura;
tecido linfático, mastócitos (função imune);
- tecidos conectivos (apoios estrutural e funcional);

Quando um acuponto passa da fase latente (tecido normal) à passiva, ele se torna
sensível e ao seu redor a condutância elétrica da pele aumenta e a resistência diminui.
O corpo é banhado pelo campo eletromagnético da Terra e, por isso, sua superfície possui
uma camada de cargas elétricas.
Em condições crônicas a área sensível do acuponto é maior alta condutância elétrica e baixa
resistência.

Sistemas de Complemento Imune


A pituitária aumenta o volume sanguíneo de ACTH, o que desencadeia síntese de hormônios
fisiológicos protegendo o corpo do estresse e reduzindo o processo inflamatório.
Sistemas neurais descendentes do cérebro(circuitos neurais hipotalâmicos) inibem e
dessensibilizam os neurônios nociceptivos na medula espinhal e nas terminações nervosas
periféricas, além de equilibrarem o SNA, normalizando o fluxo de sangue e o metabolismo
de energia homeostase, aceleração da cicatrização do tecido local e alívio da dor.

Eletroacupuntura
Corrente elétrica aplicada sobre a agulha para potencializar o efeito da acupuntura.

Eletroacupuntura - Histórico
Desde 1816 Salandrier propôs o método de estimulação elétrica sobre as agulhas de
acupuntura.
Os progressos da fisioterapia desde o início do século inspiraram as aplicações das correntes
elétricas sobre os pontos.
Na década de 50 em Paris vários pesquisadores divulgaram vários trabalhos e métodos de
medida da resistência elétrica cutânea.
Roger de la Füyé apresentou vários aparelhos para a estimulação dos pontos de acupuntura
pela utilização de diversos parâmetros de corrente obtendo efeitos de dispersão e
tonificação.

65
Acupuntura

Em 1963 J. H. Niboyet apresentou estudo crítico sobre as propriedades elétricas passivas


dos acupontos e propôs várias montagens de performance.
A partir daí passaram a se basear cada vez mais numa exploração corretada localização e
reconhecimento dos acupontos.
Na década de 60 pesquisadores russos fornecem importantes observações e dados de
eletrofisiologia sobre os pontos de acupuntura, o que permitiu a elaboração de aparelhos de
detecção.
Em 1968 o casal Kirlian divulga a eletrografia de alta frequência aparecimento de certos
pontos e canais sobre a superfície da pele.
Kirlian, Adamenko e Inyushin evidenciaram a presença de certos pontos luminosos ou
sombrios pelo método Kirlian (acupontos).
Em 1975 surgiu a primeira imagem reproduzida dos pontos de acupuntura.
Os primeiros aparelhos de eletroanalgesia foram feitos na China divulgados em 1979 no
Simpósio Nacional sobre acupuntura e moxabustão em Beijing.
Novos métodos são continuamente acrescentados e diariamente encontram-se aparelhos
cada vez mais elaborados e adaptados às novas tecnologias.

Eletroacupuntura - Ações
Age ajustando as funções dos Zang- Fu, aumentando os efeitos analgésicos e sedativos,
promovendo aumento da circulação de sangue e melhorando da tensão da musculatura.
Estimulando os nervos periféricos (principalmente as fibras A-delta e C), que enviam
impulsos fortes para a medula espinhal e para o cérebro.
Determinadas frequências e tempos de estimulação induzem a produção ou a inibição de
diversas substâncias em diversos níveis do SNC.

Eletroacupuntura - Correntes

- Polarizadas;

- Regime de impulsos (frequência);


- Presença de cátodo e ânodo.
- Corrente contínua (sedativa);
- Corrente mista;
- Corrente intermitente (tonificante);
- Corrente irregular (alternância de ondas).

66
Acupuntura

Eletroacupuntura - Frequências

- Alta frequência;

- Baixa frequência;

- Altíssimas frequência.

Eletroacupuntura Alta Frequência

- Ações de dispersão (sedação).

- Entre 50-100Hz.

- Diminuição da irritabilidade neural.

- Ação analgésica e sedativa, anti- espasmódica.


- Tempo: 30 minutos.

Eletroacupuntura Baixa Frequência


- Ações de tonificação.
- - < 10Hz.
- Promove a contração muscular e o aumento da tensão ligamentar.
- Indicada para atrofias e hipotrofias.
- Tempo: 10 a 15 minutos.

Eletroacupuntura Altíssima Frequência


- Alto poder analgésico.

- Entre 1KHz-3KHz.

- Indicada para inflamações (hiperexcitação nervosa).


- Tempo: 3 a 5 minutos.

Eletroacupuntura - Precauções
Verificar conectividade do aparelho; Não cruzar eixo cardíaco;
Cuidar com áreas cervicais, gestantes e estimulação em pontos próximos a artérias; Cuidar
Paciente deve ter sua sensibilidade preservada;
Intensidade da corrente deve ser confortável ao paciente.

67
Acupuntura

Eletroacupuntura - Aparelhos
Aparelhos e métodos de detecção e diagnóstico / aparelhos e métodos de vigilância e de controle de
tratamento;
Aparelhos e métodos de tratamento.
Aparelhos e métodos de diagnóstico e controle de tratamento.
Detecção dos pontos ativos pela exploração da resistência elétrica de superfície.

Ryodoraku e Vega Test. Ryodoraku


Acupontos apresentam baixa resistência elétrica cutânea em relação à superfície corpórea normal.
Em 1950 o Dr. Nakatani observou pontos com boa condutividade elétrica Ryodoten.
Linha de conexão entre Ryodoten Ryodoraku (“linha de boa eletrocondutividade”). Meridianos
(Ryodoraku) das mãos representados pela letra “H”.
Meridianos (Ryodoraku) dos pés representados pela letra “F”.
Numerados progressivamente Mesurando Ryodoraku pela pele percebe-se a excitação (cheio) e a
inibição (vazio) clássico do meridiano.
De acordo com a resistência da pele à estimulação elétrica observa-se a função do corpo através do SNA.
Os impulsos provenientes dos órgãos e das vísceras chegam à medula espinhal e são transmitidos à
pele via SNA por um sistema de conexão (meridiano).
Os impulsos provenientes dos órgãos e das vísceras chegam à medula espinhal e são transmitidos à
pele via SNA por um sistema de conexão (meridiano).
Ryodoraku mensura o reflexo nervoso simpático existente entre as vísceras e a pele.
De acordo com a Teoria Ryodoraku um estado ideal de saúde é obtido quando todos os canais
Ryodoraku estão num estado energético equilibrado. No caso de desequilíbrio em algum dos canais, o
problema pode ser detectado com medições elétricas de certos pontos da pele. Por meio de estímulos
elétricos em pontos terapêuticos, as anormalidades são reguladas.

Vega Test

Dr. Reinhard Voll , físico alemão desenvolveu o protótipo desse sistema. Permite o
diagnóstico e o tratamento de inúmeras doenças.
Tem por base os conhecimentos advindos da Medicina Chinesa e da Homeopatia. Realiza
diagnóstico, tratamento e prevenção de inúmeras enfermidades.

68
Acupuntura

Vega Test Detecção

Pequenas infestações parasitológicas; Alergias ambientais (ácaros, mofo, tintas);


Alimentos, corantes e aditivos químicos que causam alergias e também são
responsáveis por boa parte dos distúrbios gastrointestinais, causados pelo efeito
cumulativo;
Condições funcionais e energéticas dos órgãos internos;
Metais pesados (intoxicação) deficiência de elementos químicos, gerando desequilíbrio
e propiciando um excelente habitat para fungos, vírus e bactérias causadores de
doenças;
Deficiência de vitaminas e sais minerais; Infecções clínicas e sub- clínicas; Distúrbios
emocionais; Condições do sistema imunológico. Exemplo do leite.
O paciente segura um tubo conectado à máquina enquanto o terapeuta aplica um
estimulador de metal nos pontos de acupuntura.
Um circuito elétrico circula por todo o corpo.
A resistência elétrica do ponto reflete o estado de energia do órgão relacionado ao
respectivo meridiano.

Vega Test

Resistência elétrica maior que o normal inflamação. Resistência elétrica menor que o
normal degeneração.
Através de uma corrente elétrica o aparelho estimula o organismo para o equilíbrio
(biorressonância).
Utilização de homeopatia e florais de Bach.
Monitoramento do progresso terapêutico com revisões periódicas.
- Sikuro e Hai-hua.

- Sikuro

Aparelho de eletroacupuntura.

2. canais independentes, permitindo o uso de 2 tipos de sinal simultaneamente. Possui 4


saídas por canal.
3. tipos de sinal: trens de pulso contínuo, intermitente e misto.

Cátodo fio branco. Ânodo fio colorido.


- Sikuro - Eletrodos

69
Acupuntura

Várias correntes:

No trajeto do meridiano; Em dispersão;


Cátodo sobre vazio e ânodo sobre cheio.

Hai-hua

Corrente eletromagnética.

Formado por 2 cabeçotes que necessitam de um meio de condução (água). Necessita do atrito com
a pele. A intensidade varia de acordo com a sensibilidade do paciente e da região a ser tratada.
Utilizado sobre os pontos de acupuntura e/ou sobre as áreas circundantes.
Estimular cada ponto de 1-2 minutos ou determinadas áreas em deslizamento.
Pode ser usado de maneira preventiva dependendo dos pontos selecionados.
Protocolos
Dor
Distúrbios Mentais / Emocionais
Alterações Gastrointestinais
Alterações Ginecológicas

TRATAMENTOS

Dor

Os receptores de dor (TNL) são estimulados por 3 tipos de estímulos: mecânicos, térmicos e químicos.
Substâncias químicas indutoras da dor: bradicinina, serotonina (local), histamina, íons
K, acetilcolina, ácidos e enzimas proteolíticas.
Substância P e prostaglandinas acentuam a sensibilidade das terminações da dor, mas
não as excitam diretamente.

Dor Transmissão para o SNC

-Dor rápida (aguda) estímulos mecânicos ou térmicos ativam as fibras A-delta.


-Dor lenta (crônica) estímulos químicos, mecânicos e térmicos persistentes ativam as
fibras C.

Ambas as fibras entram pelo corno posterior da medula espinhal.


A dor rápida ascende pelo feixe neo- espinotalâmico (rota sensitiva da dor) para o
tálamo, áreas basais do cérebro e córtex sensorial somático.
A dor lenta ascende pelo feixe paleoespinotalâmico (rota afetiva da dor) para o tálamo
e o hipotálamo (via límbica).
70
Acupuntura

A dor aguda (cheio) é bem localizada.


A dor crônica (vazio) é reconhecida numa área mais difusa.
As fibras da dor entram na medula e secretam glutamato ( neurotransmissor da dor
rápida) e substância P (neurotransmissor da dor lenta).

Sistema Opióide Cerebral


Encefalinas: tronco cerebral e medula espinhal. Beta-endorfina: hipotálamo e na glândula hipófise.
Dinorfina: tronco cerebral e medula espinhal (quantidade muito menor que as encefalinas).
As endorfinas exercem muitas funções fisiológicas : modulam os mecanismos de dor
para aliviá-la, relaxam o sistema cardiovascular e melhoram a atividade imune,
reduzindo o estresse fisiológico.
A estimulação da eletroacupuntura resulta em aceleração da auto-cura.
A manipulação quiroprática, a massagem e os exercícios físicos também produzem a secreção de
endorfinas.

Analgesia por Eletroacupuntura


Baixa frequência (2-3Hz) encefalina e beta-endorfina eixo hipotálamo- hipofisário 30
minutos. Alta frequência (100Hz) dinorfina medula 10 minutos. Altíssima frequência
(3KHz) dinorfina medula 3-5 minutos.
Pesquisas comprovam que a corrente mista (alternada) é mais potente na produção de
opióides harmonização.
A estimulação prolongada (superior a 30 minutos) em altas frequências (100Hz)
pode aumentar a liberação de CCK-8 (colecistocinina octapeptídeo), uma substância
antiopióide endógena.
Seleção de pontos locais ação local (ex: distensão muscular).
Seleção de pontos distais ação central. Importante entender o padrão de desarmonia
do paciente para selecionar estes pontos (ex: enxaqueca).

Distúrbios Mentais / Emocionais

Distúrbios do Shen (Mente).


Desenha sua base e nutrição da Essência Pré-celestial armazenada nos Rins e da
Essência Pós- celestial produzida pelos Pulmões, Estômago e Baço/Pâncreas.
Sistema Límbico responsável pelas nossas emoções.
Principais neurotransmissores: dopamina, serotonina e noradrenalina.

71
Acupuntura

Distúrbios Mentais / Emocionais Dopamina


Sua deficiência gera a síndrome da recompensa: ansiedade constante e distúrbios compulsivos (vícios) e
impulsivos (hiperatividade).
Ação sobre área da memória (hipocampo).
GABA é um inibidor de dopamina. As encefalinas (opióides cerebrais) inibem o GABA e
assim promovem um aumento da liberação de dopamina.
Eletroacupuntura baixa frequência (2- 3Hz) por 30 minutos.

Distúrbios Mentais / Emocionais Noradrenalina


Sua deficiência gera déficit de atenção, diminuição da concentração, perda de memória,
lentificação no processamento de informações, humor deprimido, fadiga.
Ação sobre memória e áreas de recompensa. Eletroacupuntura baixa frequência (2-3Hz)
por 30 minutos.

Distúrbios Mentais / Emocionais Serotonina


Sua deficiência gera depressão (humor deprimido), insônia, pânico, alteração no apetite,
alterações no orgasmo e ejaculação, alterações na motilidade intestinal.
Ação em córtex frontal, região límbica, hipotálamo, centros do sono e medula espinhal.
Eletroacupuntura frequência entre 20 e 30Hz por 30 minutos.
Alterações Gastrointestinais
Alterações de Estômago, Fígado e Intestinos em padrão de excesso ou deficiência.
Sensações de dor na área do estômago (excesso ou deficiência), empachamento, enjôo
e náuseas, constipação intestinal, diarréia.

Alterações Gastrointestinais

Estimular o fluxo de energia Eletroacupuntura sinal 2 frequência de 10Hz por 30 minutos, t1=3s e t2=3s.
Em caso de um fígado intoxicado (lesão do yin) utilizar a eletroacupuntura em tonificação (sinal 2 do
Sikuro) com corrente intermitente, frequência de 10Hz por 30 minutos, t1= 9s e t2=5s. Lembrar dos
pontos VC10, VC12, F13, F14, E36 e F3.

Distúrbios Ginecológicos
Dismenorréia, meno e metrorragias, tensão pré-menstrual. Padrões de excesso e deficiência.
A seleção da eletroacupuntura varia de acordo com a clínica específica de cada paciente.

72
Acupuntura

Alterações Estéticas
Obesidade, gordura localizada, flacidez, lipodistrofia ginóide (celulite), rugas e linhas de
expressão.
Padrões de excesso e deficiência.
Eletroacupuntura Estética
Eletroacupuntura para lipólise sinal 3, F1= 100/300Hz, F2=300/500Hz, t1 e
t2=3s, durante 30 minutos.
Eletroacupuntura para tonificação da pele e da musculatura sinal 2, t1 e t2=3s, F=3 a
10Hz, durante 10-15 minutos.
Eletroacupuntura para relaxamento da musculatura sinal 1, F=100Hz, durante 30
minutos.

Foto e Termoestimulação
O laser foi postulado por Einstein em 1917 e descoberto por Gabor em 1950. Fonte de
luz monocromática de grande energia com coerência espacial elevada.
A luz provoca agitação da moléculas gerando aquecimento do tecido e assim
aumentando seu aporte sanguíneo.
Os lasers terapêuticos preferidos são os de baixa frequência, pois não exercem efeitos
desfavoráveis ao organismo.
São aplicados sobre os acupontos e/ou nos trajetos dos meridianos de acordo com cada
patologia.

REFERÊNCIAS
Dumitrescu, I. F. Acupuntura Científica
Moderna. Organização Andrei Ltda. São
Paulo: 1996. Guyton, A. C., Hall, J. E.
Tratado de Fisiologia Médica. Guanabara
Koogan. Rio de Janeiro: 1997. Ma, Y., Ma,
M., Cho, Z. H. Acupuntura para Controle da
Dor. Roca. São Paulo: 2006.
Maciocia, G. A Prática da Medicina Chinesa. Roca. São Paulo: 1996.
Yin, G., Liu, Z. Advanced Modern Chinese Acupuncture Therapy. New World Press. Beijing: 2000.
Jing, C. Anatomical Atlas of Chinese Acupuncture Points. Shandong Xinhua Printing House. Beijing: 1990.

73
Acupuntura

FITOTERAPIA CHINESA
Pais com 1 bilhão e 200 milhões de habitantes e um sistema de saúde estruturado de forma a
integrar a Medicina Tradicional Chinesa (MTC) à Medicina Cientifica. Existe lá uma política de
medicamentos calcada em produtos a base de plantas medicinais, onde os conhecimentos da
MTC são totalmente organizados em literaturas específicas, decodificados e cientificamente
comprovados. Há um sistema de validação de plantas medicinais organizado em institutos
multidisciplinares e cada espécie vegetal é estudada sob todos os aspectos. Na antiguidade
havia uma lenda que falava sobre Shennong (o Agricultor Divino) ele conhecia as plantas e
seus efeitos e com elas tratava as pessoas doentes.

74
Acupuntura

Shen Nong Ben Cão Jing Matéria Médica do Marido Divino 200 a.C. contém registro de 364 substâncias
de origem natural com propriedades medicinais (90% vegetal 252 espécies, 67 animais, 45 minerais),
uma para cada dia do ano. (Todas com sabor, local de ação, dose, efeitos, indicações e forma de
preparação).
Hung Di Nei Jing ou Nei Jing Cânon da Medicina Interna do Imperador Amarelo possui 18 capítulos
(teorias básicas da MTC, dissecação, fisiologia, patologia, diagnóstico, receitas, medicamentos,
acupuntura, moxabustão, terapêutica, etc), 475- 221 a.C.
Compêndio de Matérias Médicas (Dr. Li Shizhen 1518/1593) 1892 tipos de
medicamentos e 11.091 receitas, 1.110 ilustrações. Dividido em 3 categorias: vegetal,
animal e mineral. (Produção, forma, qualidades, função, coleta, método de
processamento) levou 30 anos para compor o livro.
Vários livros forma escritos de ervas medicinais então, na verdade não se sabe ao certo quantos
foram escritos no total, muitos foram perdidos, mas cerca de 60 tratados são conhecidos e usados
como referência nos estudos, além de várias pequenas publicações.
O tratamento por ervas é parte integrante da Medicina e da farmacologia tradicional
chinesa. Pois foram séculos de luta contra as doenças e os próprios povos construíram
herbários para sanar os problemas.
Fundada a nova China, o chefe Mão Tse-Tung que defendia a medicina e a farmacologia
chinesa dizendo ser um repositório de um grande tesouro.
Atualmente a China conta com métodos de cultivo e coletas em massa de plantas e
ervas e de preparação de drogas com formulas registradas. Os médicos ocidentais junto
com os médicos descalços excursionaram montanhas para colher ervas. Essa atividade
não só resolve o problema do suprimento médico como oferece oportunidades
profissionais para ambos, com conhecimentos mútuos e com a troca de idéias sobre
identificação de plantas úteis e a coleta de dados para novos estudos de recursos
vegetais.
Além de cultivar ervas e colher ervas os auxiliares da saúde recebem treinamento em
prescrição de acordo com o efeito terapêutico comprovado das plantas. Cabe-lhes
também o preparo de diversos remédios com fórmulas registratadas para uso clínico.
Os instrumentos utlizados são rudimentares e com isso não onera a população com
despesas médicas altas.
É ponto pacífico que as ervas medicinais são um tesouro que capacita o país a dispender
menos em drogas e obter melhor saúde. Sendo que cerca de 5.000 espécies de ervas
medicinais estão sendo usadas em todo o país, cujo total de 4.000 foram submetidas a
estudos preliminares e clínicos. A pesquisa apressou-se em seguir no sentido de fazer o
passado servir o futuro.

75
Acupuntura

Na China atual tanto os médico da MTC como os da ocidental compartilham a


responsabilidade pela saúde geral do povo. Segundo a OMS a China conseguiu dar
qualidade de vida a seu povo com cobertura total de uma geração.
Com efeito a MTC e a Medicina Científica Ocidental são duas ciência s médicas com
sistemas teóricos diferentes, desenvolvidas sob condições históricas diferentes. Elas são
ambas o fruto de um trabalho árduo prolongado de inteligência e sabedoria de toda a
humanidade. As duas possuem méritos e defeitos. No entanto ambas têm o ser humano
como seu objeto de estudo.

CONCEITOS

Fitoterápico: Todo medicamento manufaturado, obtido exclusivamente de matérias


primas vegetais, com a finalidade de interagir com meios biológicos, a fim de suprimir,
reduzir ou prevenirem estados e manifestações patológicas, com benefício ao usuário.
Fitocomplexo: Grupos de princípios ativos e mesmo substâncias farmacologicamente
inertes, que em conjunto, explicam as ações farmacológicas de uma planta medicinal,
geralmente das ações dos princípios ativos isolados.

Farmacotécnica Tradicional Chinesa Privilegia a decoção e incluem preparações


conhecidas como xaropes, emplastros, pós, etc. Para tanto algumas plantas são cozidas,
carbonizadas e ainda, por métodos químicos com exposição ao vinagre ou ácidos
fracos ou ainda associados a outras plantas ou substâncias como gengibre, alaçuz,
vinho, mel...
Farmacopéia da República Popular da China
Dados científicos e tradicionais que permite o uso dos medicamentos naturais com segurança, controle de
qualidade e eficácia.
Fitoterapia Chinesa
Fórmulas magistrais é o ponto mais importante da tradição da MTC. Baseadas em conceitos orientais de
harmonia e na estratégia de associações, muitas delas comprovadas há mais de 2000 anos, sem sofrer
qualquer modificação adicional. Sua eficácia ficou conhecida mundialmente, e seu mercado amplia mais e
mais.

O tratamento geral com a fitoterapia visa reforçar a energia vital do indivíduo, expulsar a energia
perversa (Qi patogênico), restabelecer a harmonia entre os órgãos Zang-Fu, equilibrar o Yang e o Yin e
desfazer bloqueios e obstruções que por ventura estejam prejudicando o funcionamento do corpo.

76
Acupuntura

A escolha de um fitoterápico baseia-se principalmente em propriedades energéticas (essência e froma)


para seu uso, e para o estabelecimento do local de ação, baseia-se no sistema de relações dos 5
movimentos e dos órgãos Zang-Fu.
A essência esta ligada aos 5 sabores:

- Ácido

- Amargo

- Doce

- Picante

- Salgado

E as 5 energias:

- Fria

- Quente

- Morna

- Refrescante

- Neutros

Quanto sua classificação:

- Produtos animais é mais Yang


- Vegetais e minerais é mais Yin uso limitado

A cor do medicamento divide-se em 5 cores:

ÀS PROPRIEDADES ENERGÉTICAS DAS PLANTAS MEDICINAIS

Yin
Plantas de natureza fria e gelada, gosto azedo, amargo e salgado, função adstringente.
Yang
Plantas de natureza quente e morna, sabor picante, doce e suave, e com função dispersante,
ascendente e flutuante.

77
Acupuntura

Segundo a MTC, as plantas medicinais podem ser classificadas de acordo com os seguintes parâmetros:
-Sabor
-Energia intríseca
-Propriedades adicionais

Os Cinco Sabores

A primeira coisa a se levar em conta no movimento de se preparar uma fórmula


fitoterápica chisea é o sabor das plantas que vão fazer parte desta. Segundo a teoria dos
5 elementos, cada sabor possui um movimento que deve ser levado em conta na hora
da escolha da planta.

São eles:

- Doce

- Picante

- Salgado

- Ácido

- Amargo

Doce

Sabor ligado ao Baço (yin) e Estômago (Yang). O movimento do doce é ascendente e


tem capacidade fixante. As plantas com sabor doce são usadas para:

- Tonificação: aumenta a energia de um órgão ou função.

- Fixação: esta relacionado ao ganho de peso corporal, retenção de energia sob a


forma de matéria.

- Suavização: evita efeitos colaterais de outras plantas presentes em fórmulas ou


ameniza efeitos de doenças.

- Harmonização: é planta auxiliar em fórmulas fitoterápicas. Ajuda as plantas a se


harmonizarem numa determinada fórmula para que esta seja bem aceita pelo
organismo.

78
Acupuntura

Picante

Sabor ligado ao Pulmão e Intestino Grosso. O movimento é do centro para periferia do


corpo de baixo para cima.

As plantas com sabor picante são usadas para:


-Sudorificação: induz suores para reduzir a temperatura corporal. Segundo a MTC, ao suar leminia
os agentes patogênicos.
-Carminativa: auxilia na peristalse e expulsa os gases do tubo digestivo.

Salgado

Sabor ligado aos Rins e Bexiga. O movimento energético do salgado é para cima, reforça a energia vital.
As plantas com sabor salgado são usadas para:

- Ascenção: eleva a energia da base do corpo para a cabeça.


- Tonificação: aumenta a energia de um órgão ou sua função.

Ácido

Sabor ligado ao Fígado e Vesícula Biliar. O movimento do ácido é o de transformação da


energia.
As plantas com sabor ácido são usadas para:
- Transformação: a energia é modificada pela ação da planta.
- Harmonização: possuem ação auxiliar numa fórmula fitoterápica, ajuda para que esteja bem aceita
pelo organismo.
- Carminativa: auxilia na peristaltese e expulsa os gases do tubo digestivo.

Amargo

O sabor amargo está relacionado ao Coração e ao Intestino Delgado. O movimento do


sabor amargo é para baixo.

As plantas com sabor amargo são usadas para:


- Concentração: concentram a energia no centro do corpo.
- Eliminação: causam a expulsão de algo energia ou matéria por via baixa. Laxante ou
diurético.
- Tonificação: causam um aumento da energia ou função de um órgão.

Geralmente as plantas possuem mais de um sabor, logo, a fórmula deverá levar em


conta esta característica das plantas para que haja equilíbrio e sua função não seja
comprometida.

79
Acupuntura

A TEMPERATURA OU ENERGIA INTRÍNSECA DA PLANTA

A temperatura da planta está relacionada com a teoria Yin e Yang, ou seja:

Yin: Frio Yang: Quente

Estão dividas em cinco tipos de energia:


- Frias

- Refrescantes

- Neutras

- Amornantes

- Quentes

Frias
São as plantas que possuem energia Yin ação refrigerante. A indicação destas plantas está nas doenças
de calor e seu uso deve ser por curto período de tempo.

Refrescantes
Possuem energia Yin moderada. A indicação destas plantas está nas doenças de calor
moderado e seu uso pode ser longo.
Neutras
Estas plantas estão com yin e Yang equilibrados. Portanto, podem ser usadas em
doenças tanto de frio, quanto de calor.
Amornantes
Possuem energias Yang moderada, com discreta ação calórica. A indicação está para as
doenças com frio moderado e podem ser usadas por períodos longos.
Quentes
Estas plantas possuem a energia Yang forte, com uma ação calorífica potente. A
indicação é para as doenças com frio intenso e seu uso deve ser por períodos breves.
Propriedades Adicionais
Estas propriedades secundárias das plantas também influenciam sua atividade
farmacológica. São elas:
- Propriedades aromáticas

- Propriedades adstringentes

- Suavidade

- Toxidade

80
Acupuntura

Propriedades Aromáticas

São as plantas em óleos essenciais que exalam odor forte e agradável. As atividades
destas plantas são:

- Ressecamento: tratam retenções de líquidos, fazem estes evaporar, diferentemente das diuréticas.
- Transformação: transformam o muco, facilitam sua eliminação
- Penetração: pela visão ocidental, os princípios aromáticos são menos materiais e conseguem penetrar
mais a fundo onde outros fitoterápicos não conseguem chegar.

Propriedades Adstringentes

São as plantas ricas em tanino que causam aperto e desconforto na mucosa bucal. As atividades destas
plantas são:
- Contenção: concentram a energia, tem ação anti-sudorífica e antidiarréica. Também ajudam em
perdas seminais.
- Proteção: as plantas adstringentes protegem a pele e as mucosas.

Suavidade
É a qualidade de moderar a ação de outras plantas, reduzindo seus efeitos colaterais. As
atividades destas plantas são:
- Harmonização: facilita a composição de fórmulas fitoterápicas uma vez que reduz os
efeitos colaterais das demais plantas componentes das fórmulas.
- Redução de toxidade: estas plantas bloqueiam as substâncias tóxicas presentes nas
fórmulas.

Toxidade
Determinadas plantas que tem ação tóxica devem ser usadas em dose mínimas, por
certo período e de forma criteriosa.

81
Acupuntura

82
Acupuntura

SIMBOLOGIA DOS NATUROTERÁPICOS EM MTC

Vegetais
Raiz: Absorve os nutrientes e água do meio, serve de base para fixação, portanto simboliza o rim, o baço
e a essência tônicos.
Caule: Serve para ascender a seiva e sustentar o vegetal, em geral a casca onde é mais
encontrada a seiva, que é mais utilizada. O caule simboliza o fígado
Folhas: Estas respiram, por isso se relacionam com o pulmão e influenciam a pele.
Flores: Se abrem na parte superior, abrir é o movimento e a expansão, por isso estão relacionadas com
o coração (final da primavera), no início da primavera são mais indicadas para ação do fígado.
Sementes: Energia ancestral e capacidade de germinar, por isso simbolizam os rins.

Animais
Dependendo do animal simboliza algo diferente, normalmente ao rim e são de propriedade fria.

Minerais
Simples mais de aplicação limitada, maioria Yin e de natureza fria. Agem também sobre
o rim.

Regras terapêuticas
Diretrizes utilizadas para a formulação terapêutica, através destas regras é possível
estabelecer prioridades de tratamentos, formular princípios de tratamento e orientar a
terapêutica. Para isso deve-se ter o conhecimento sobre o diagnóstico segundo a MTC

Identificação da Raiz e da Manifestação da Doença

Pacientes portadores de condições patológicas complexas, exigem uma análise mais profunda e
detalhada para identificar suas propriedades a serem tratadas.
Na MTC a raiz é o componente principal da doença e a manifestação é a conseqüência da raiz
(sintomas ou desequilíbrios).

83
Acupuntura

Regras para tratamento interno

Sudorificação
Vomificação
Purgação
Regularização

Calorificação

Purificação

Tonificação

Sedação

Regras para tratamento externo

Fumigação

Banhos

Embebição

Emplastros

Pulverização

Cataplasmas

Prioridades para o Tratamento

Externo
1. Fumigação - Ervas são queimadas
ou aquecidas em solução aquosa para produção de fumaça ou vapores terapêuticos.
2. Banhos - Imersão total ou parcial do corpo em solução aquosa de ervas.
3. Embebição - Após pulverizadas em veículos oleosos ou pegajosos ficam como pomadas para tratar
lesões.
4. Emplastros - Ervas são cozidas em óleo quente até formar uma pasta dura.
5. Pulverização - Transformação das ervas em pó para aplicação local.
6. Cataplasmas - Ervas são embebidas em água ou solução hidroalcoólica e aplicadas em panos úmidos.

84
Acupuntura

Interno
1. Decoção - Adição da água com a erva levadas à fervura.
2. Infusão - Adição de água previamente aquecida sobre a erva, mantendo em frasco fechado por 5 a
10 minutos.
3. Pílulas - Os componentes das ervas são pulverizadas em um pó fino, misturadas com adjuvantes
e aglutinantes próprios e transformadas em pílulas (pílulas de mel, pílulas adjuvantes e aglutinantes,
pílulas de cera, pílulas de água e mel).
4. Sucos - Trituração das ervas frescas e posteriormente coadas.
5. Vinhos Medicinais - Ervas adicionadas em bebida alcoólica (vinho de arroz).
6. Pó - Erva triturada até formação de pó, quanto mais fino melhor a qualidade.
7. Extratos - Extração por solvente ou água das substâncias ativas (tintura, aquosa, aloccólica,
percolação).
8. Xaropes – Consistência viscosa, formado por mistura com açúcar, água e ervas.

CLASSIFICAÇÃO DOS NATUROTERÁPICOS NA MTC

Classificam-se de acordo com sua ação no corpo, divida em grupos de ações que relacionam-se
com aspectos fisiológicos na medicina chinesa e de acordo as funções principais das ervas.
1. Diaforéticos (frio vento) Síndromes exteriores ( Canela, bardana, menta).
2. Anti-tussígenos Expectorantes e Anti-asmáticos (Abricó).
3. Medicamento que eliminam o calor Gesso, chifre de rinoceronte, peônia, lonicera.
4. Anti-reumáticas e que eliminam o vento umidade.
5. Purgativos (ruibarbo, mirabilita).
6. Laxantes (Cânhamo).
7. Hidragogos drásticos.
8. Medicamentos que regulam o Qi (casca de tangerina, alho).
9. Medicamento para aquecimento interno (gengibre, canela).
10. Ervas que abrem os orifício (aromáticas).
11. Tranqüilizantes (cinabre, tuia).
12. Medicamentos para melhorar o paetite e a digestão (cevada, rabanete).
13. Tônicos do Qi (Ginseng, Alcaçuz), do Sangue (Remânia, Peônia), do Yang (chifre de veado), do Yin
(dendóbrio, círio, casco de tartaruga da água doce).
14. Anti-helmíticos (semente de abobra, areca)
15. Adstringentes (trigo leve, ameixa preta, lótus, lula-cartilagem)
16. Hemostáticos (cardo do campo, tabua, artemísia)
17. Medicamentos para ativar a circulação do sangue (sálvia, erva de macaé).
18. Medicamento pata aclamar o fígado - (convulsão, vento endógeno) chifre de antílope, cálculo bovino,
conhca de ostra, hematita, escorpião.
19. Medicamentos para induzir a ressuscitação (borneol, estoraque). 85
Acupuntura

Classificação de acordo com o livro “Matéria Médica Chinesa de Hon- Yen Hsu e cols.”

1.0 Sudoríficos

1.1 Sudoríficos - Picantes Mornos

1.2 Sudoríficos - Picantes Frescos

2.0 Purgativos

2.1 Purgativos - Ataque

2.2 Purgativos - Umectantes

2.3 Purgativos - Catártico-diuréticos

3.0 Febrífugos

3.1 Febrífugos - Para expulsar o fogo

3.2 Febrífugos - Que limpam o fígado e clareiam a visão


3.3 Febrífugos – Que resfriam o sangue
3.4 Febrífugos – Que secam a umidade
3.5 Febrífugos – Desintoxicantes
3.6 Febrífugos - Que transformam o calor verão
3.7 Febrífugos - Para febre astênica

4.0 Drogas Desintoxicantes


5.0 Diuréticos Desumedecedores
6.0 Anti-reumáticos
7.0 Drogas aquecedoras que expelem o frio interior
8.0 Drogas desumedecedoras aromáticas
9.0 Drogas reguladoras do Qi
10.Drogas que regulam o sangue
10.1 Drogas que removem a estagnação e estimulam o sangue
10.2 Hemostáticos

11. Tônicos

11.1 Tônicos do Qi
11.2 Hematínicos
11.3 Tônicos Yang
11.4 Tônicos Yin
12 Adstringentes

86
Acupuntura

13.Tranqüilizantes
13.1 Tranqüilizantes que estabelecem
13.2 Tranqüilizantes cardiotônicos
14. Drogas aromáticas que abrem os orifícios somáticos
15. Espasmolíticos supressores do vento
16. Antitussígenos flegmolíticos
16.1 Flegmolíticos que extinguem a febre
16.2 Flegmolíticos aquecedores
16.3 Drogas antitussígenas e antiasmáticas
17. Digestivos
18. Anti-helmínticos
19. Insetecidas, bacterecidas e fungicidas
20. Eméticos
21. Drogas para uso externo
22. Ervas anômalas
23. Drogas populares japonesas

Diz um velho provérbio: “com um jardim e um poço têm-se remédio para toda uma cidade”.

Os herbalistas chineses montam uma fórmula usando os efeitos sinergéticos e direcionam as ações das
ervas à uma tarefa específica que ocorre no momento. Isto é feito organizando a prescrição como um
arqueiro que aponte as ervas principais a uma meta. Ao elaborar por exemplo uma fórmula para um
tipo de constituição, as ervas principais são bupleurum e peônia. Estas ervas podem possuir várias
atividades, e podem ser dirigidos a causar grande impacto em resolver erupções de pele, febre, tensão
muscular, menstruação irregular, mãos e pés frios ou depressão. Para encaminhar estas ervas à uma
determinada ação são combinadas com ervas que sejam conhecidas por terem influência desejada.
O arsenal de ervas é derivado de uma antiga teoria de combinação de ervas onde se compara as ações de
várias em uma fórmula contendo também as ações das participantes num governo de verdade. As ervas
são chamadas de acordo com sua ação na fórmula pelas posições das pessoas no Governo Imperial.
-Imperador

-Ministro

-Assistente

-Servo

87
Acupuntura

Imperador

O imperador ou erva que encaminha, é escolhida para refletir as ações primárias da fórmula. Da mesma
forma que um líder popular deva entender e proporcionar as metas fundamentais do povo a que serve. A
erva de encaminhamento deve ter as propriedades básicas requeridas para a terapia.

Ministro
A erva ministerial dá apoio, regula e ajuda o imperador a dirigir. No governo, os ministros ajudam o líder
a ser mais eficiente através da reprodução de políticas úteis, recomendando alterações onde forem
inadequadas, e assegurando que o imperado faça o melhor uso de seus esforços. Na fórmula herbácea o
ministro confere mais força às ações desejadas da erva imperador, cancelando os efeitos indesejáveis e
dirigindo sua ação a determinadas partes do corpo.

Assistente
As ervas que fazem o papel de assistente tornam a fórmula herbácea mais adequada
para o indivíduo ingerir. No governo, os assistentes trabalham para assegurar que as
políticas do mesmo sejam aplicadas com sucesso a cada indivíduo na sociedade. Nas
fórmulas herbáceas as ervas assistentes levam em conta necessidades específicas da
pessoa a ser tratada pela fórmula. Estas não alteram muito as ações terapêuticas
determinadas pelo Imperador e pelos Ministros, mas melhoram o enfoque, o equilíbrio e
a eficácia da fórmula.

Servo
As ervas Servos asseguram a ação sinergética apropriada, e as vezes tornam a fórmula
mais fácil de ser ingirida ou tolerada (para uso a longo prazo). Isto pode ser comparado
às pessoas dentro do governo, que enviam as correspondências, matem os escritórios
limpos, fazem a contabilidade e que de outras formas trabalham nos bastidores, o
que num primeiro momento pode parecer um serviço insignificante, mas sem elas, o
governo iria parar subitamente. Numa fórmula, as ervas como gengibre, licorice e
jujuba são comum ente usados como servos, estas ajudam na digestão, assimilação e
utilização dos ingredientes herbáceos por parte do corpo e salientam a eficácia de
algumas ervas, enquanto atenuam as qualidades irritantes.

88
Acupuntura

 
Com o entendimento dos papéis das ervas numa fórmula,baseado em séculos de experiência com os
efeitos das ervas usadas juntas, é possível combinar ervas de efeitos terapêuticos muito diferentes
numa fórmula mais racional.
Como demonstração do método de formulação herbácea, segue abaixo um exemplo com a descrição
dos papéis de dez ervas na Fórmula denominada “Combinação de Magnólia e Hoelen”. Esta prescrição
foi descrita por inteiro em 3 textos médios da Dinastia Ming e ainda encontra-se em uso.
Estudo de caso
Congestão da umidade no sistema digestivo causando uma tendência à diarréia, inchaço abdominal e
perturbação digestiva. A fórmula é adequada para indivíduos que tenham esses sintomas e que
também sintam sede e uma diminuição na urina com certa tendência a ter dores nas juntas (acumulo
de umidade nas juntas).
Síndrome
Síndrome de retenção de umidade com edema generalizado.
Fórmula
Combinação de Magnólia e Hoelen Wei Ling Tang (Decoção para tratar o Estômago).

89
Acupuntura

90
Acupuntura

AÇÃO SINÉRGICA DAS ERVAS INCOMPATIBILIDADES FITOTERÁPICAS


Regra geral
Não associar em uma fórmula duas ou mais substâncias com reações desconhecidas.
TANINO X ALCALÓIDE TANINO X SAIS DE FERRO
MUCILAGEM X GOMA COM SAIS DE FERRO FENOL X MUCILAGEM
Plantas compatíveis entre si: Arnica, Calêndula, Camomila, Centela, Mil folhas, Rubin, Violeta.
Guaraná é incompatível com barbatimão, malva, tanchagem, hamamelis, etc (tanino x alcolóide).
As ervas devem ser combinadas entre si a fim de obter um efeito amplo, embora dirigido às
necessidades do paciente. Em geral, a ação de uma só erva é considerada insuficiente. Cada erva em
si contém inúmeros componentes ativos, esses podem afetar um ao outro, reduzindo ou
potencializando a capacidade de absorção e de utilização, ou mesmo ocorrendo um sinergismo de ação
entre as ervas. Em geral as ervas possuem uma ação mais harmoniosa, suave e benéfica como um
todo comparando com os medicamentos.
A receita de uma combinação de ervas se chama FANG. Ao tratar uma doença específica e que não
seja complicada, pode-se usar poucas ervas (2 a 4), e esse tipo de combinação se chama DANFANG
(Prescrição Simples). Quando as ervas são prescritas em número maior, alguns herbalistas chineses
preferem aviar uma formulação com número ímpar de ingredientes JIFANG ou com número par
OUFANG.
Isto é simplesmente um aspecto estilístico da prescrição de ervas. A composição de novas prescrições
geralmente se faz com base em fórmula que já forma amplamente usadas e testadas, pois não se pode
prever ações sinérgicas, mas é fácil utilizar os conhecimentos do passado a respeito de
combinação de ervas.
As fórmulas são mais amplas (DAFANG), isto é, utilizam-se geralmente doze ou mais ervas, com uma
reação relativamente forte, mas também são estruturadas para terem ação relativamente lenta
(HUANFANG), pois não são direcionadas para tratar uma enfermidade aguda, dessa maneira
pode-se ter um impacto forte sobre a saúde, apesar da segurança e também exerce um efeito benéfico
contínuo, que perdura por muito tempo.
As ervas em uma fórmula são usadas para afetar uma as outras:

91
Acupuntura

Reforço mútuo
Assistência mútua
Restrição mútua
Ação contrária
Neutralização
Direção de ação
Condução de ação
Ação de transformação
Dosagem das Ervas
A dosagem diária recomendada das fórmulas de ervas chinesas varia dependendo do método de
preparação das mesmas e da intenção de aplicação. Para a Terapia constitucional por exemplo, é usado
o sistema japonês de dosagem. Os profissionais japoneses da MTC chamados Kanpo, preferem indicar
doses relativamente pequenas de ervas que devem ser tomadas regularmente, por um período de
tempo relativamente longo (meses). O propósito é assegurar uma mudança suave e gradativa que terá
efeitos duradouros.
Quando as ervas tomadas por um período extenso, as decoções não são convenientes, pois precisam
ser tomadas frescas toada vez, num processo de cozimento lento. Ao invés disso, as ervas são
geralmente ingeridas em forma de cápsulas, comprimidos ou grânulos soltos.
O método padrão de preparação é:
Pó simples de ervas cruas: algumas das ervas podem ser processadas para ajustar suas qualidades,
antes de ser tornadas pós, e estes são colocadas em cápsulas, comprimidos ou pílulas.
Grânulos de ervas: extrato seco, dependendo da preparação, os grânulos podem ser engolidos com
água ou, dissolvidos em água quente para que seja feito um chá. Combinação de ervas em pó
misturada ao extrato isolado.
Embora o método de preparação afete a qualidade do produto final, a dosagem recomendada é
geralmente a mesma. É usado o fator de concentração de 3 a 6 vezes, atingindo na secagem dos
extratos, isto é, 3 a 6 gramas de material cru são usados para se produzir gramas de extrato. Para que
seja atingido um efeito mais forte em vez de ser diminuída a dosagem necessária.
De acordo com o sistema japonês de dosagem, a dose diária é de 3 a 6 gramas no caso de terapia
constitucional ao dia de erva em pó ou de extrato concentrado. Muitas pessoas ficam surpresas quando
encomendam fórmulas patenteadas da China, sob a forma de pequenas pílulas a serem engolidas,
pois a dose sugerida é de 24 pílulas ao dia, isto representa menos do que 450 a 650 mg de matéria
prima por isso a dosagem diária é de 8 a 12 cápsulas ou comprimidos ao dia.

92
Acupuntura

Se fosse para utilizar hás das fórmulas constitucionais a dosagem diária seria aumentada para 15 a 30
gramas e esta dosagem de matéria prima de ervas leva em conta as perdas que ocorrem quando são
cozidas. Muitas pessoas proclamam que é mais eficaz do que as ervas em pó ou extratos, o que se
contribui a dosagem maior.
Quando se trata de uma enfermidade específica ou de uma condição aguda, é usado o sistema de
dosagem chinês, e o propósito é obter uma mudança rápida na condição em curto período de tempo. É
diferente da Terapia Constitucional e geralmente são usadas fórmulas que ossuem menos ervas, as
quais são direcionadas a resolver um tipo específico de distúrbio. Neste caso, a dosagem deve ser
aumentada num fator 3 (três), isto é, se uma pessoas precisar usar pós ou extratos a dose deve ser de
9 a 18 gramas, a quantidade que pode ser inconveniente para a maioria das pessoas em caso de
pílulas e cápsulas ou comprimidos, exceto talvez se administrado em dois ou três dias. Os chás devem
ser feitos no sistema chinês de dosagem, com 45 a 90 gramas.
Quando uma pessoa vai para um hospital ou clínica chinesa para tratamento de uma doença específica,
as fórmulas geralmente irão conter não mais do que 10 a 12 ervas e a dosagem aumenta para 70 a
140 gramas ao dia. Quando se usam doses tão grandes são usados chás. O efeito da dosagem maior é
monitorado a cada 2 a 4 dias, e as alterações nas prescrições são feitas com freqüência em relação às
condições de mudança.
Os extratos alcoólicos de ervas secas podem ser preparados em farmácias de hospitais ou clínicas e a
dosagem não pode exceder a quantidade de água dos extratos, pois o álcool é mais eficaz em extrair
os elementos ativos. Entretanto, é necessário que se façam testes extensivos com os produtos naturais
extraídos do álcool, pois as proporções dos ingredientes extraídos podem alterar quando comparado ao
uso com água, e o efeito final não pode ser predito com base no que tradicionalmente se conhece
quando se usam chás e pós.
Intervalos de Tempo
Geralmente as fórmulas de ervas no caso de terapia constitucional são tomadas 2 a 3 vezes ao dia, o
que forem mais conveniente sendo a dosagem diária dividida mais ou menos por igual. De forma geral,
o momento do dia não é algo crítico, pois , por exemplo, se uma pessoa que tende a insônia
(elemento fogo) não há benefício específico em tomar as ervas na hora de ir de deitar. As ervas
ajustam gradativamente o equilíbrio corporal a fim de que seja restaurado o sono natural, em vez de
aplicar uma sedação pesada de imediato.

93
Acupuntura

Deve-se evitar tomar ervas imediatamente antes de ir a cama pois estas podem ficar no estômago
durante horas, sem serem digeridas, causando irritações.
Quando se tomam quantidades pequenas de ervas, considera-se importante que estas não sejam
tomadas junto às refeições. As substâncias dos alimentos podem se misturar aos ingredientes das ervas
ou podem mover as ervas pelo tratato gastrointestinal de forma mais rápida do que podem ser
absorvidas. Por isso é aconselhável que as ervas sejam tomadas com o estômago vazio, isto pode ser
feito tomando as ervas 20 a 309 minutos antes das refeições ou a cerca de uma hora depois.
Se a ingestão das ervas causar qualquer sensação que não seja normal, tal como náusea, agitação ou
tontura é algum sinal de que o sistema digestivo esteja enfraquecendo ou perturbado de tal maneira
que não seja fácil para ele lidar com as ervas. O problema imediato é remediado de maneira bem
simples, tomando-se o remédio de ervas cerca de meia hora depois das refeições, embora haja uma
leve perda nos ingrediente absorvidos, a comida no estômago irá assegurar que o sistema digestivo
esteja trabalhando ao máximo de energia e será mais fácil lidar com as ervas do que com o estômago
vazio. No caso de Terapia Constitucional aconselha-se que sejam administradas com a comida par um
melhor efeito, já que estas ervas tem seu impacto máximo durante o processo digestivo.
ESCOLHA A FÓRMULA
São mais de 100.000 fórmulas relacionadas nos vários livros médicos chineses, muitas direcionadas a
terapia constitucional, outras dirigidas ao tratamento de enfermidades específicas. O herbalista
seleciona a fórmula dentre as tradicionais mais conhecidas, uma prescrição que seja mais adequada ao
tipo constitucional do paciente, sendo esta fórmula tratada e modificada para torna-la mais adequada
as características únicas do indivíduo.
Os fabricantes de produtos de ervas chinesas possuem variedade adequada de formulações de ervas
fáceis de se usar, que preenchem as necessidades básicas de terapia, essas fórmulas se encaixam
geralmente em duas categorias, as chamadas prescrições clássicas, que estão anotadas nos textos
médicos como terapias representativa e as chamadas fórmulas patenteadas que são produzidas por
fabricantes separados, estas fórmulas são versões modificadas das prescrições clássicas baseadas em
resultados da pesquisa moderna.

94
Acupuntura

Guia de Referência Cruzada dos Nomes das Ervas


 
Bulbus - Bulbo
Rhizoma - Rizoma
Caulis - Caule, haste
Herba - Erva Parte superior
Concha - Idem
Os - Osso
Seu - Ou / ambos
Córtex - Casca
Radix - Raiz
Exocarp - Pele
Semem - Semente
Flos - Flor
Uncis - Filamentos
Folium - Folha
Pericarp - Pele
Ramulus - Ramo
Hoelen - Fungos
Fructus - Fruto
Córtex Radix - Casca da Raiz

Nome das Ervas e das Fórmulas


Na china uma erva é especificada por um nome, escrito em caracteres e pronunciado através de
conhecimento empírico do mesmo. Assim, desenvolveu-se um número de sistemas de transliteração, e
dois deles foram mais destacados:

95
Acupuntura

Sistema Wade Giles sistema este não muito útil, encontrado na suas maior parte em universidades e
em trabalhos científicos publicados até 1980. Esse sitema esa apóstrofe para descrever a pronúncia.
(Ch'i = chi).
Sistema Pin Yin desenvolvido pela nova direção do governo chinês, sendo que a maioria dos autores
usam este sistema atualmente, mais Taiwan e Hong Kong são resistentes a adotar este sistema.
Estes dois sistemas podem ter conotações bastante marcantes. Exemplo:
Wade Gales Pin Yin
Jou-kei - rougui (casca do cinamomo)
Tang-kuei - danggui (erva para mulheres)
“dong quai” e em cantonês que é usado pelos proprietários de lojas de ervas orientais que escrevem:
dong kwai.
FÓRMULAS
Alguns Exemplos
Doenças do sistema respiratório
Resfriado
Síndrome de calor-inverno Síndrome de calor-vento, etc
Etiologia
Quando a resistência do corpo é enfraquecida, com a exposição imprópria ao frio ou ao
calor.
Tipo e tratamento
Tipo Frio-Vento
Pó Antiflogístico de Schizonepetae e Lebedouriela (Jingfang Baidu San)
Tipo Calor-Vento
Pó de Lonicera e Forsátia (Yinqia San) Mistura composta de folha de Isatis (Fufang Daqingye Heiji)
Grânulos para tratar o resfriado (Ganmao Chongji)
Tipo Calor-Verão-Umidade Decoção de Elscholtzia e suplementos (Xiangru Yin) Pó Seis para Um (Liu
Yi San)
Tipo deficiência geral
Deficiência do Qi Decoção de Perila e Ginseng (Shen Su yin) Deficiência do Yang Pó de reabilitação
(Zaizao San) Deficiência do Yin Decoção Modificada de Selo Odorífero (Jianjian Weirei Tang).

96
Acupuntura

Bronquite
Síndrome de sipnéia, doença consuntiva dos pulmões.
Doença causada por fatores exopatógenos ou por endopatógenos.
Tipo e Tratamento
Tipo de ataque agudo
Frio Vento
Pó de Canópia (Huagai San)
Calor Vento
Decoção de Ephedra (Ma Xing Shi Gan Tang) Pílula para aliviar a tosse (Zhisou Qingguo Wan)
Mistura de Bile de Cobra e Fritilaria (Shedan Chuanbei Ye)
Calor flegma nos pulmões Decoção de Casca de Amora Silvestre (Sangbaipi) Decoção para remover
calor (Qinji Huantan Tang)
Calor Secura
Decoção de folha de amora e semente de abricó (Sang Xing tang)
Tipo Crônico e persistente
Flegma estagnado no interior Decoção de dois medicamentos (Erchen Tang)
Decoção de 3 espécies de semente (Sanzi Yangqin Tang)
Expectoração abundante devido a insuficiência do Yang
Lizhong Huatan Wan
Estágio Clínico
Decoção de 4 medicamentos nobres (Si Junzi Tang) Pó de cortina de Jade (Yupingfeng San)
Acidente Cerebrovascular (AVC)
Deficiência e incapacitação do Qi e do sangue nos órgãos Zang Fu, desequilíbrio entre Yin e o Yang do
coração, fígado, rins e baço, afecção por exopatógenos, etc.
Tipo e tratamento
AVC em excesso
Síndrome de excesso de coma acompanhado de manifestações de calor
Cápsula insetimável (Zhibao Dan) Decoção de xifre de antílope (Lingyangjiao Tang)
Síndrome de excesso de coma acompanhado de manifestações de frio
Pílula de Stórax (Shuexing Wan) Decoção removedora de fegma (Ditan Tang)

97
Acupuntura

Prostração (perda de consciência)


Decoção de ginseng e Acônito (Shen Fu Tang)
Doenças do aparelho digestivo
Gastrite
Doença relacionada com a dieta e a emoção
Tipo e tratamento
Estagnação do Qi do Fígado e do estômago
Pó para tratar os membros frios (Sini San) Pó de Amora da China (Jinlingzi San)
Calor de estômago devido à deficiência do Yin
Decoção para acalmar o fígado (Huang Jian) Decoção de Gesso (Yun ü Jian)
Fraqueza do baço e estômago Decoção de Cyperus e Amomo (Xiangsha Liujunzi Tang)
Úlcera gastroduodenal
Ansiedade prolongada, preocupação ou raiva produzem desordem no Qi do Fígado, estagnação
prolongada e dor de estômago.
Tipo e tratamento
Estagnação do Qi do fígado
Pó de bupleurum (Chaihu Shugan San)
Acúmulo de calor do Yin do estômago
Decoção eficaz para nutrir o fígado e rins (Yinguan Jian modificada)
Insuficiência do Yin do Estômago Decoção eficaz para nutrir o fígado e rins (Yinguan Jian
modificada)
Insuficiência do Yang do Baço Pílula para regularizar a função do jiao médio (Lizhong Wan) Decoção
de Astrágalo (Huangqi Jianzhong Tang)
Retenção de estase sanguínea Decoção para dissipar a estase sob o diafragma (Gexia Zhuyu Tang)
O Instituto de Pesquisa de Xangai conta com mais de 2000 cientistas dedicados somente ao
desenvolvimento de medicamentos à base de produtos naturais. Os medicamentos aprovados pelo FDA
mais famosos são Ginko Biloba e o Ginseng.
A Fitoterapia Chinesa se constitue assim como a MTC em um dos sistemas médicos com a tradição
mais antigos que se tem conhecimento e apesar da evolução, este sistema foi organizado e se
estruturado cada vez mais.
O ideal é que as duas medicinas oriental e ocidental sejam aproveitadas em seus aspectos
complementares, de modo que tanto a medicina como o ser humano se beneficie, mas para tanto, é
importante que pesquisadores flexibilizem os seus conceitos, não só reconhecendo o conhecimento da
medicina chinesa como científica, mais tornando nossos medicamentos naturais populares com
âmbito científico, garantindo assim, sua eficácia terapêutica.

 
98
Acupuntura

Tradição e Equilíbrio
É importante salientar que existe uma diferença básica entre as medicinas oriental e ocidental. Na
medida em que as antigas tradições do mundo forma se organizando, elas formam um corpo de
conhecimento baseado no empirismo em lógica mítica, catalogando as observações baseadas na
experiência de vida e no sagrado. É por essa razão que as terapias tradicionais chinesas têm
alcance maior em sua visão do ser humano e dos processos de saúde e adoecimento algo que a
medicina ocidental, baseada numa lógica mecanista reducionista, não consegue vislumbrar.
A Medicina Tradicional Chinesa entende que as manifestações de sintomas como uma complexa
maneira do Ser se comunicar envolvendo processos orgânicos, psicológicos e energéticos. Hung Ti
dizia que o homem é uma réplica do universo, portanto, suas emoções e físico também contêm essas
cinco energias. Cada órgão do corpo humano está relacionado a um elemento da natureza, e as
energias desses elementos percorrem vários caminhos que a medicina tradicional chinesa chama de
meridianos.
Complemento Alimentar
Na MTC, os fitoterápicos não são considerados medicamentos, mas complementos alimentares,
atuando de maneira afetiva nas disfunções e desequilíbrios energéticos do corpo humano. As ervas
são classificadas de acordo com suas características (frio, calor, morno, fresco e neutro), sabores
(azedo, doce, amargo, acre, salgado e neutro) e canais de atuação (coração, baço, pulmão, rins e
fígado).
As fórmulas específicas são prescritas de acordo com o desequilíbrio energético e a desarmonia entre
os órgãos vitais, conforme as necessidades de cada indivíduo. A mesma fórmula pode ser utilizada
para tratar doenças diferentes com os mesmos sintomas. Tradicionalmente a maioria dos compostos
herbáricos têm sido prescrita na forma de chás. Como os chás tomam bastante tempo no seu
preparo, seu uso tornou-se inconveniente. Graças ao avanço tecnológico, hoje em dia as fórmula
chinesas são apresentadas na forma de extratos secos e puros, facilitando muito a sua utilização.
A FITOTERAPIA não deve ser confundida com homeopatia, como ocorre algumas vezes. Pela evolução
da química tornou-se possível sintetizar os princípios ativos das plantas e isso acabou fazendo com
que as mesmas fossem deixadas de lado. Os medicamentos homeopáticos não se originam apenas de
extratos vegetais, mas também de minerais, produtos químicos, farmacêuticos e biológicos, assim,
como o material patológico animal e vegetal. Todos os componentes na natureza, desde a pequena
bactéria até o nobre ouro, podem servir de matéria prima para o medicamento homeopático.

99
Acupuntura
 
Conquistando seu espaço
Por muito tempo no Brasil, as plantas medicinais foram ignoradas ou desprezadas pelas camadas mais
eruditas da população. Seu uso era considerado anti-científico, uma prática de curandeirismo, e
muitos chegavam a dizer que elas eram tão eficazes como água com açúcar. As camadas menos
favorecidas, por outro lado, costumavam ter nas plantas seu único, ou quase única, recurso
terapêutico, entre outras razões, pela facilidade de acesso e custo de tratamento. Mas a questão com
tanto fanatismo encontrando efeitos milagrosos que não existiam que acabavam contribuindo para
aumentar seu descrédito entres os mais esclarecidos.A volta por cima das plantas surgiu como
conseqüência lógica de um movimento global de retorno à natureza. Esse movimento eclodiu em muitos
países nas últimas décadas como reação aos abusos no emprego de produtos químicos e substâncias
sintéticas pela medicina tradicional. Tanto na alimentação como nos medicamentos, as pessoas
passaram a buscar alternativas de tratamento que levaram à descoberta da terapia natural, do poder
curativo das plantas e da agricultura biológica. Mesmo as grandes empresas da área
farmacêutica e química têm procurado mais informações sobre as plantas e realizando experiências
nesse sentido. No que diz respeito à fitoterapia ocidental, especificamente a brasileira, ela vem
conquistando uma grande credibilidade e ganhando confiança dos que procuram tratamentos à base de
ervas o que também motiva investimento crescentes nas pesquisas desse segmento. Em algumas
prefeituras brasileiras já estão sendo desenvolvidos trabalhos de base tendo a fitoterapia como
alternativa de tratamento.
A fitoterapia pode tratar desde uma simples cólica intestinal, até distúrbios ginecológicos. Ela tem
resultados muito eficientes na asma, bronquite, rinite, palpitação, vertigens, estado pré e pós-
operatórios, além de serem um ótimo instrumento na prevenção de doenças e manutenção da saúde.
No entanto, ao contrário do que algumas pessoas pensam, os fitoterápicos têm contra- indicação sim.
Seu uso indiscriminado pode levar a um intoxicação e até as lesões severas. As ervas medicinais são
vendidas em muitos locais. Os fitoterápicos brasileiros, por exemplo, podem ser adquiridos em casas
de produtos naturais além de farmácias, drogarias e farmácias de manipulação. Já os produtos
chineses só podem ser encontrados em pontos de venda específicos, uma vez que o diagnóstico é
personalizado e seu uso depende da avaliação de um fitoterapeuta. O futuro da fitoterapia parece bem
promissor. Tanto que hoje cada vez mais clínicas e escolas vêm se empenhando na difusão desse
conhecimento milenar, e universidades e hospitais têm ministrado cursos nessa área em vários pontos
do país.
OBSERVAÇÕES PERTINENTES
Após selecionar a formula observar o seguinte:
Melhora Notável
Administrar a mesma formula por mais um tempo
Sem efeito notável
Reexaminar a formula e as condições do paciente.
Efeitos colaterais
100
Verificar novamente a composição da formula.
Acupuntura

QUIROPUNTURA
Histórico 0 Koryo Hand Therapy : KHT
Surgiu na Korea em agosto de 1971, através do Tae Woo Yoo ( presidente da academia Sooji
- medicina da Korea ), que defendeu a tese em 31/12/75 na Sociedade Coreana dos
Especialistas em Acupuntura e Moxabustão.
Método utilizado para prevenir e controlar doenças através de estímulos suaves nos 345
pontos dos
14 micromeridianos que fluem pelas mãos.
Inserção de agulhas 8 e 15mm de comprimento. São denominadas “ sojji chim ” (agulhas
para mãos e dedos).
Primeiro Ponto descoberto em 1971, M5 = VB 20: cefaléia occipital aguda.

101
Acupuntura

 
Desde então, com as intensificações e aperfeiçoamento dos estudos chegou a conclusão das três
teorias.

Teoria da correspondência da mão com o corpo humano


Mão é um corpo humano reduzido.

102
Acupuntura

 Teoria dos 14 micro~meridianos da mão com 345 pontos

103
Acupuntura

Teoria dos Dedos das Mãos - 5 elementos

Limitações da Estimulação da Terapia


Epidemias
Processos cirúrgicos
Tumores malignos

Doenças terminais e degenerativas


Doenças cutâneas graves
NEI JING
“ Se as costas da mão estiverem quentes, o interior do abdome estará quente e se a
palma da mão estiver fria, o interior do abdome estará frio ” .
“ Se as veias azuis aparecerem na parte de P10 haverá energias frias no estômago ”

104
Acupuntura

 
Anatomia da Mão
1- Eminência hipotenar;
2- Eminência tenar;
3- Palma;
4- Articulação metacarpofalangiana;
5- Articulação interfalangeana proximal;
6- Articulação interfalangeana distal;
7- Articulação interfalangeana do polegar.

A mão é constituída por vinte e sete ossos divididos em três grupos: o carpo com oito ossos, dispostos
em duas fileiras; o metacarpo, com cinco metacárpicos, que são ossos longos e dispostos
verticalmente; os dedos, em numero de cinco, constituídos por três falanges, à exepção do primeiro
que possui apenas duas.
Ossos da Mão - CARPO
Constituído por oito ossos curtos, dispostos em duas fileiras: a primeira, mais próxima do antebraço,
denomina-se de Procarpo e é constituída, de fora para dentro, segundo a posição anatómica, pelos
seguintes ossos: escafóide; semilunar; piramidal; pisiforme.
A segunda fileira ou Mesocarpo é constituída, também de fora para dentro, pelos seguintes ossos:
trapézio; trapezóide; grande osso (capitato); unciforme.
Os ossos do carpo são irregularmente cubóides apresentando por isso, seis faces. Destas faces, duas
são articulares, tendo as restantes uma ou várias facetas articulares.

105
Acupuntura

 
METACARPOS: Numerados de I a V de lateral para medial, articulam – se com os carpos,
proximalmente e com as falanges distalmente, os quatro metacarpos mediais ainda se articulam
entre si por meio de sua bases.

FALANGES: Cada dedo possui três falanges, com exceção do polegar, que possui apenas duas. As
falanges são ditas proximais, médias e distais.
FLEXÃO: Flexor Radial do Carpo, Flexor Ulnar do Carpo e Palmar Longo;
EXTENSÃO: Extensores Radiais do Carpo (longo e curto) e Extensor Ulnar do Carpo;
DESVIO RADIAL: Flexor Radial do Carpo, Extensores Radiais do Carpo (longo e curto);
DESVIO ULNAR: Flexor Ulnar do Carpo, Extensor Ulnar do Carpo.

106
Acupuntura

Músculos Palmares Externos ou da Eminência Tenar - destinam-se ao polegar e compreendem os


músculos: curto abdutor; curto flexor do polegar; oponente do polegar e adutor do polegar.
Músculos Palmares Internos ou da Eminência Hipotenar - este grupo muscular destina-se ao dedo
mínimo, à excepção do músculo palmar cutâneo e compreende os músculos: abdutor do dedo mínimo;
curto flexor do dedo mínimo; oponente do dedo mínimo.
Músculos Palmares Médios da Mão - este grupo é constituído pelos músculos lombricóides.
Músculos Interósseos da Mão - são músculos que se situam nos espaços intermetacárpicos e, pela
sua situação, dividem-se em: interósseos palmares e interósseos dorsais.

Existem sete músculos interósseos, sendo quatro dorsais e três palmares.


 

107
Acupuntura

Sistema linfático e Circulatório


 

108
Acupuntura

 
Medidas utilizadas para localizar os pontos
Na mão existem 345 pontos definidos em 14 micro- meridianos. Para saber a localização exata, utiliza-
se Tsun-bun . Tsun é uma unidade de medida oriental. Bun é 1/10 do Tsun. Com exceção a mão
deformada.
Dorso da Mão
No comprimento:
Mede 6 tsun mais 7 Bun do ponto B1 ao B27 ( que localiza-se na raiz da unha do dedo médio).
Do ponto B1 a primeira falange do dedo médio B14 mede 3 tsun. A primeira articulação ( do ponto
B14 ao B19 ) é de 2 tsun.
A segunda articulação ( do ponto B19 ao B24 ) é de 1 tsun mais 4 Bun.
Do ponto B24 ao B27 ( localizado na raiz da unha do dedo médio ) mede 3 Bun.

Na largura
Do ponto de separação do dedo polegar com o dorso da mão ao extremo em direção ao dedo mínimo
mede 4 tsun.
A largura da primeira articulação do dedo médio é de 8 Bun

109
Acupuntura

Ventre da Mão
No Comprimento:
Do ponto A1 ao ponto localizado no extremo do dedo médio A33 mede 7 tsun mais 8 Bun. Do ponto A1
ao A16 mede 4 tsun mais 2 Bun.
Do ponto A16 ao A20 mede 1 tsun.
Do ponto A20 ao A24 mede 1 tsun mais 1 Bun. Do ponto A24 ao A33 mede 1 tsun mais 5 Bun.

Na Largura
Do ponto A12 ao extremo da palma da mão ( em direção ao dedo polegar ) mede 1 tsun mais 5 Bun.
Do ponto A8 ao extremo da palma da mão ( em direção ao dedo mínimo ) mede 4 tsun mais 2 Bun.
A largura da falange do dedo médio é 8 Bun.
 

110
Acupuntura

Tipos de Estímulo
Na terapia aplicam-se vários tipos de estimulações com agulhas:
Sooji chim
T-chim
Ta-chim
Chim pediátrico
Sa-chim
Gu-am chim: sangria
So-am chim
Como instrumentos de estimulação por pressão:
So-am bong
Sooji ap-bong
T-bong
Gu-am bong
Barra de massagem de íon
Imãs
(1) Sô-Am Chin,
É um material recém desenolvido Pode ser empregado sem aplicadores e foi desenvolvido para uso
mais prático e simples.
Como mostra a figura, A é a ponta da agulha e B, o cabo. Tem o cabo largo e o comprimento da
agulha é apenas 2 a 3mrn, com espessura de cerca de 3nxn.
É aplicada à pele com a mao, sem necessidade do apircador. Basta a agulha estar de pé sobre a pele e
nao desgrudar e, mesmo inserida a 0,5mm, provoca reaçoes.
Como e Fácil de aplicar, menos dolorosa e segura, podem ser amplamente utilizadas. So- am chim
vem em embalagens com 10 unidades, a vácuo e totalmente esterilizada. É mais seguro porque sua
esterilizaçao é feita por raio gama (y).

111
Acupuntura

Jiap Bong
Feita de alumínio e emite intensamente os íons metais.
Os exercícios regulares amacia a pele das mãos e os movimentos dos dedos tornam-se suaves.

Sooji Ap-Bong

So-Am Bong
Utilizado em pontos menores.
Ideal para estimulação dos micromeridianos.
Controla a anormalidade da corrente elétrica fisiológica em área mais ampla Pode ser aplicada em todo
corpo Colocar no local da doença para obter um melhor efeito, principalmente nos álgicos.
Antes de aplicar, limpe bem a pele.
O tempo de aplicação geralmente é em torno de 2 a 3 horas.
Pode ocorrer no local aplicado: dores, vermelhidão, peso, alergias.

112
Acupuntura

Ímã-bong
2 a 3 mm de diâmetro

2 pólos: S e N (em contato com a pele) Colar o ímã nos locais de dor influenciará as partículas de ferro
no sangue, permitindo a melhora da circulação de sangue.
Aplicar entre 30 e 40 minutos Reações: tonturas, desmaios, náuseas, vômitos, aumento da PA.
Moxa
Relaxa a tensão e controla o calor das energias, desfazendo energias frias e cria efeito antitérmico.
Planta nativa da Coréia, Japão e China, pertencente à família do crisântemo (fortificante, digestivo e
antitérmico).
 

113
Acupuntura

So-am especial: produzem mínima quantidade de fumaça e cheiro, liberam maior quantidade de calor.
So-am comum: produzida por máquinas. Gera mais fumaça e cheiro, queima mais rápido e emite pouco
calor.

Auxilia a melhora da saúde, protege a energia original do corpo (mantém a temperatura corporal e a
circulação sanguínea), controla a PA e auxilia no tratamento de doenças.

Sooji beam eletrônico

114
Acupuntura

MÉTODOS DE OBSERVAÇÃO
Alguns Métodos para observar o desequilíbrio do organismo.
A temperatura das mãos e dos pés Se a temperatura das mãos e dos pés estiverem normal, quer
dizer que a circulação do corpo permanece estável e existe equilíbrio vital.
A aorta abdominal deve pulsar suavemente
O pulso deste local é similar ao do marca-passo cardíaco. O grau de aceleração indica o grau de
anomalia na circulação.Ocorrendo estagnação e deficiência de Xue a pulsação será fraca.
A energia no Estômago e a energia nos Rins devem ser satisfatórias
Para o tratamento de todas as doenças considera-se o estado do estômago (pela pulsação).
As pulsações dos seis pontos ( em cada braço existem três pontos) devem pulsar suavemente
e igualmente
Se houver boa circulação nas artérias o funcionamento do cérebro estará normal Observar a pulsação
carotídea (IG18) e radial (P9).
O abdômen, não deve apresentar reação de dor ao ser apalpado
A pele do abdômen deve estar mole, assim como intestino, e também a sua temperatura deve estar
sempre morna. Se sentir tensão ou uma contração do músculo, e dores ao ser pressionado com as
mãos, conclui-se que o organismo está com alguns órgãos e vísceras em desequilíbrio.
Desvios e alterações da Coluna Vertebral
A pressão sobre as vértebras não devem provocar dor Observar saliências ou afundamentos.
Relação da Nomenclatura da Quiropuntura com a Sistêmica
A - Meridiano Vaso Concepção
B - Meridiano Vaso Governador
C - Meridiano do Pulmão
D - Meridiano do Intestino Grosso
E - Meridiano do Estômago
F - Meridiano do Baço / Pâncreas
G - Meridiano do Coração
H - Meridiano do Intestino Delgado
I - Meridiano do Bexiga
J - Meridiano do Rim
K - Meridiano do Pericárdio
L - Meridiano do Triplo Aquecedor
M - Meridiano do Vesícula Biliar
N - Meridiano do Fígado

115
Acupuntura

Meridiano do Vaso Concepção - A Nasce no ponto A1 e passa pelo centro da palma da mão, e
termina no ponto A33 situado na extremidade do dedo médio

116
Acupuntura

 
Meridiano do Vaso Governador - B Nasce no ponto B1 e passa no centro do dorso da mão, e
termina no ponto B27

117
Acupuntura

Meridiano do Pulmão - C
Nasce no A12 (Jung wan ) e passa pelo C1 até C13 ao longo das bordas do dedo indicador e anular
 

118
Acupuntura

Meridiano do Int. Grosso – D


Nasce no ponto D1 no leito ungueal do dedo indicador e anular, passando até D12,dirigindo-se para
cima e centralmente em ambos os lados do dedo médio até D22 o qual está localizado ao lado do A28.

119
Acupuntura

Meridiano do Estômago - E
Nasce no ponto de A28 vai até E2 quando passa a fluir próximo à lateral do ( A ) até a primeira
articulação, quando flui pela palma, passando a correr distalmente ao longo dos dedos polegar e
mínimo nos lados distantes do dedo médio

120
Acupuntura

Meridiano do Baço/ Pâncreas - F Nasce no ponto F1, que está localizado na ponta do polegar e do
mínimo e flui ao longo da linha central de cada dedo até ponto F22.
 

121
Acupuntura

Meridiano do Coração – G
Nasce no ponto A16 e desenvolve-se no ponto G1, e sobe até G15 ao longo dos dedos indicador e
anular, nos lados distantes do dedo médio
 

122
Acupuntura

Meridiano do Int. Delgado – H


Nasce no ponto H1 e passa ao longo das linhas centrais do dorso dos dedos indicador e anular até
H11, quando mudam de direção subindo pelos lados do dedo médio até H14 .

123
Acupuntura

Meridiano de Bexiga - I
Nasce no ponto I1 que fica ao lado do B27, dirigindo-se à linha ao lado do (B ) até I24 , espalha em duas
ramificações para fluir pela linha central do dorso do polegar e do mínimo.

124
Acupuntura

125
Acupuntura

Meridiano do Rim – J
Nasce ponto J1 na parte externa da raiz da unha do polegar e anular, Flui ao longo da linha vermelha/
branca até J16, e vai lateralmente ao ( A) até terceira articulação do dedo médio.

126
Acupuntura

127
Acupuntura

Meridiano do Pericárdio - K
Nasce no ponto A18, e flui pelo A16, e é gerado no ponto K1, localizado próximo das linhas da primeira
articulação dos dedos indicador e anular na palma da mão. E flui até um ponto final das unhas dos
dedos indicador e anular.

128
Acupuntura

Meridiano do Triplo-Aquecedor - L Nasce no ponto L1, na linha posterior interna dos dedos
indicador e anular do dedo médio, flui ao longo do indicador e do anular, vira e sobe até aos lados
do dedo médio.

129
Acupuntura

 
Meridiano do Vesícula Biliar - M Nasce no ponto M1, que está localizado na lateral do ponto A33, flui
para baixo na direção do dorso do dedo médio, e no dorso da mão gira, orientando-se para cima e nos
lados do polegar e do mínimo próximo ao dedo médio.

130
Acupuntura

Meridiano do Fígado - N
Nasce no ponto N1, que está localizado próximo à unha do polegar e do mínimo no lado do dedo
médio, flui pela palma, reverte sua direção e sobe até os lados do dedo médio.

131
Acupuntura

RECURSOS PARA APLICAR SOBRE OS MICRO-MERIDIANOS


Aplicação Simples
Aplicar no ponto sobre o Micro- Meridianos sem técnica de Tonificação ou Sedação. Não regula
voluntariamente a função do órgão somente estimula o micro-meridiano. Aplicação da Agulha é 1mm
verticalmente sobre a pele. Se cair algumas agulhas não haverá problemas, porque várias agulhas
caem em várias direções. É também não ocorrerá tonificação ou sedação.
Por isso no caso da aplicação simples deve estudar em conteúdo o seguinte:
Ex.: Para indigestão, no caso simples, é eficaz aplicar apenas no ponto A12. E no caso pior, é eficaz
aplicar no ponto A12 e mais quatro ponto da periferia na distância de 1 cm acima e abaixo e a direita
e esquerda do ponto A12. E no caso crônico , deve ser aplicado sobre o micro meridiano. A aplicação
sobre o micro meridiano, em qualquer ponto será eficaz.
Aplicação com tonificação e sedação
A excelência da Terapia é conseguir certamente o funcionamento da tonificação e sedação do micro
meridiano, para excesso ou deficiência de energia do órgão ou víscera.
Quando existe problema na função do órgão estará em estado de excitação, excesso de energia, e a
víscera correspondente estará em debilidade (5 elementos).Neste momento podemos trabalhar em
órgão correspondente para promover o equilíbrio .
Ex.: Quando existe Dor no ponto (Es25) do lado esquerdo pelo diagnóstico descobrimos que existe a
síndrome de excesso de energia do int.grosso / deficiência da energia do pulmão. Aplicar pela
tonificação do micro meridiano do Pulmão do lado esquerdo sumirá ou diminuirá [ porque a tonificação
no C (Fei) dará o efeito de sedação no D (Dachang)
Aplicar novamente pela sedação do micro meridiano do Pulmão do lado esquerdo da mão esquerda, a
Dor do ponto (Es25) do lado esquerdo reaparecerá. Neste momento aplicar pela sedação do micro
meridiano do Int.Grosso do lado esquerdo da mão esquerda, também a dor do ponto (Es25) sumirá ou
diminuirá.
Outra vez aplicaria pela tonificação do micro meridiano Int.Grosso do lado esquerdo da mão esquerda,
Também a dor do ponto (Es25) reaparecerá.
Assim, a tonificação ou sedação tem a característica para regular voluntariamente a função do órgão.
Isto aparece certamente só no micro meridiano da Terapia .
Terapia de Correspondência Baseada na teoria de reflexo somático visceral: se aparece alguma
anomalia nos órgãos internos ou demais sistemas, ocorre influencia no sistema nervoso.
Reflexo Somático-visceral sensorial: as estimulações incomuns que derivam de um órgão intern
o hipersensibilizam as células da região da pele onde se encontram a parte do cordão espinhal
operador de nervos autônomos responsáveis por aquele órgão.
Pontos correspondentes
Local em que o tecido endodérmico que abriga os nervos sensoriais é mais fino. Muito comum nas
mãos e nos dedos.
132
 
Acupuntura

O espaço entre as articulações metacaopofalangian e interfalangiana proximal do dedo médio


corresponde à parte torácica A20 da parte interna do dedo médio corresponde ao tchán-dor (VC22)
ao gó-guor (VC14), A18 ao jón-fung (VC17), e nos dois lados há yú-fúng (seios) (E12).

133
Acupuntura

134
Acupuntura

135
Acupuntura

136
Acupuntura

137
Acupuntura

TEORIA DOS 5 DEDOS - 5 ELEMENTOS (ZANG FU)


Dedo polegar - MADEIRA - Fígado / Vesícula Biliar
Dedo indicador - FOGO - Coração / Intestino Delgado
Dedo médio - TERRA - Baço Pâncreas / Estômago
Dedo anular - METAL - Pulmão / Intestino Grosso
Dedo mínimo - ÁGUA - Rim/Bexiga
Qualquer deformidade, machucado, lesões, ou sintomas fortes nos dedos com certeza influenciam o seu
respectivo órgão.
Método eficaz para problemas que irão aparecer (prevenção), doenças hereditárias e crônicas.
Observar alterações nas unhas.

138
Acupuntura

Recurso de tonificação ou sedação Tonificação ou Sedação da Terapia usa se a lei de YUNG SU BO


SA (o fluxo do micro meridiano é somente em uma direção, isto é do menor para os maiores
números).
YUNG: é a técnica de Sedação que supre o fluxo do micro meridiano pela aplicação contrária a direção
do fluxo micro meridiano .
SU: é a técnica de Tonificação que supre o fluxo do micro meridiano pela aplicação na mesma direção
do fluido do micro meridiano.
 

139
Acupuntura

BO: é uma palavra coreana que significa a Tonificação . SA : é uma palavra coreana que significa a
Sedação .
Tonificação ou sedação pela agulha A eficácia da tonificação ou da sedação pela agulha é bom para
qualquer ponto sobre o micro meridiano dos quatro dedos, à exceção do dedo médio.
A melhor maneira para tonificar ou sedar é no intervalo da segunda articulação e da terceira
articulação de cada dedo, porque no final do dedo sente-se muita dor ao aplicar.
A penetração da agulha na pele 2 a 3mm. O ângulo com a pele 30 a 45 .
Tempo de permanência da agulha: 10 à 20 min.
Acrescentar os pontos básicos ou o ponto correspondente.
CUIDADOS BÁSICOS NA UTILIZAÇÃO DA TERAPIA NA MÃO
Primeiramente as mãos devem ser limpas com água corrente ou passar álcool a 70 graus com 2% de
iodo.
Cada pessoa deve ter suas próprias agulhas ou utilizar agulhas descartáveis.
Antes da aplicação é bom massagear as mãos, podendo utilizar para isso o massageador. O cliente
deve se sentir à vontade, sentado ou deitado se for grave.
Tempo de duração: no casos leves como dor de cabeça. Aplicar agulhas e depois de passar a dor,
deixar por mais 5 min.
Nos casos graves ou crônicos: aplicação das agulhas deve ser de 20 à 30min. Número de
aplicações:
Varia de acordo com o desequilíbrio energético da pessoa. Desequilíbrio Energético leve : Uma vez ao
dia, podendo equilibrar com 5 aplicações. Desequilíbrio Energético graves: Uma vez ao dia, podendo
equilibrar em 6 à 12 meses ou por tempo indeterminado.
Para obter melhores resultados é recomendado o uso de vários instrumentos, na seguinte ordem:
massageador, Agulhas, plaquetas de Prata ou Ouro, Anel e Moxa.
Quando estiver com as agulhas é bom fazer movimentos leves, para ativar a circulação de energia nas
mãos.
Cuidados e Precauções extremas
Jejum ou fome
Perdas sanguíneas através de vômitos ou eliminação pelo reto. Desidratação ou embriaguez
Exaustão e cansaço extremo Anorexia Se o pulso do cliente não puder ser sentido quer pela carótida ou
pelas artérias radiais Se for extremamente alérgico ou reumático.
Se o micro meridiano estiver infectado por doença epidêmica ou necessitar de cirurgia. Convulsões
Febre ou calafrio extremos.
Se o cliente estiver emocionalmente hiper estimulado, nervoso, alegre, triste, bravo ou assustado .

140
Acupuntura

Em caso de cliente entrar em choque Tirar as Agulhas ou outros instrumentos Repousar com
respiração profunda.
Aplicar a Agulha nos pontos A8, 12 e 16.
Picar no ponto J1 ou aplicar a agulha nos pontos B24, I2, A33 e E2. Em casos graves: deve-se picar a
ponta dos 10 dedos.
Após recuperação deverá descansar, comer e aplicar moxa bustão nos pontos A1, 3 e 12.
DICAS EM CASOS DE EMERGÊNCIA
Em casos leves:
As mãos frias significam má circulação sangüínea, gerando o aumento da quantidade de sangue que flui
para cabeça, causando tontura ou desmaio.
Quando ocorrer um choque, intoxicação por gás, má digestão aguda (forte) e desmaio pela pressão alta
do sangue, as mãos ficarão muito frias.
Por isso deve abaixar a pressão alta da cabeça, picando a ponta do dedo médio da mão .
No caso de sintomas acima serem leves, podem picar apenas o ponto A33, e nos pontos A8,12,16,E8 e
I2 aplicar agulhas ou massageador.
Em casos graves:
Deve-se picar a ponta dos dez dedos das mãos e (em alguns casos deve picar a ponta dos dedos dos pés)
todos os dias até o restabelecimento.
E em caso de problemas respiratórios utilizar pontos A8, 12, 16, 18, 20, 22,
24, 28, 33, E8 e I2 para normalizar a respiração.

141
Acupuntura

ETIOLOGIA E
ETIOPATOGENIA

142
Acupuntura

ETIOLOGIA E ETIOPATOGENIA
A MTC enfatiza o equilíbrio como uma questão chave da saúde: o equilíbrio entre o repouso e os
exercícios, na dieta, equilíbrio das atividades sexuais e fatores climáticos.
Qualquer desarmonia contínua pode se tornar uma causa patológica.
SAÚDE = Equilíbrio entre os Zang Fu;
DOENÇA = Perturbação não resolvida no equilíbrio interior do ser humano e em sua interação com o
ambiente.
É necessário identificar a causa da desarmonia. “Examinar o padrão para buscar a causa”.
INVESTIGAR
Período Pré- natal: saúde dos pais, concepção, gestação, parto, hereditariedade.
Infância: do nascimento até a adolescência.
Fatores como: amamentação, dieta, emoções, educação, acidentes, traumas e quedas, atividade física
exagerada, atividade sexual precoce. Vida Adulta: alterações internas (emoções) e externas
(climas), constituição física, fadiga, exercícios em demasia, atividade sexual exagerada,
dietas, traumas, epidemias, parasitas, intoxicações e tratamento inadequado.
XIE QÍ - Causas Externas Modificações climáticas pelos 6 Excessos:
- Vento
- Frio
- Calor
- Umidade
- Secura
- Canícula Desregramento alimentar;
Perturbações no Habitat (temperaturas artificiais, fatores epidemiológicos).
PREVENÇÃO
Fortalecer a energia vital; Regras e Higiene de vida.
ZHENG QÍ - Causas Internas
Perturbações das 5 Emoções
-Raiva
-Medo
-Tristeza
-Preocupação
-Alegria
 

143
Acupuntura

Estados de Vazio dos Zang Fu.


TERAPÊUTICA: Combater a Energia Perversa; Sustentar a Energia Vital.
Patogenia: Luta entre o Qí Correto e o Qí Perverso. Depende do estado deVazio e ou Plenitude do
Correto e/ou do Perverso.
Zheng Qí depende: constituição física, estado mental, alimentação e resistência adquirida
CAUSAS INTERNAS
Na MTC o corpo, a mente e as emoções estão integradas como um todo, no qual os Zang Fu são a
maior esfera de influência.
As emoções são parte natural da existência humana e nenhum ser humano está livre da tristeza, da
raiva ou preocupação. Somente tornam-se patológicas quando tornam-se intensas, quando prolongadas
ou não expressadas ou reconhecidas.
7 Sentimentos: Fúria, Alegria, Tristeza, Preocupação, Abstração, Medo e Choque.
5 Emoções: Raiva, Alegria, Tristeza, Pensamento e Medo
FÚRIA: Ascende o Qí e afeta o Gan
FÚRIA
É interpretado amplamente como: ressentimento, irritabilidade, frustração, ódio, indignação,
amargura.
Afeta o Fígado:
Estagnação do Qí
Ascensão do Yang
Fogo.
O Qí aumenta e produz sintomatologia na cabeça e no pescoço tais como: cefaléia, zumbido, tontura,
manchas vermelhas no pescoço, rubor facial, sede, língua vermelha e gosto amargo na boca.
ALEGRIA: Flui o Qí lentamente e afeta o Xin
ALEGRIA
“Alegria traz tranqüilidade para a mente, beneficia o wei Qí e o Yong Qí, fazendo o Qí relaxar e fluir
livremente”.
Excitação excessiva que pode lesar o Coração. Ex: Cefaléia ocasionada por boas notícias.
TRISTEZA: dissolve o Qí e afeta o Fei
TRISTEZA
Debilita o pulmão e afeta o coração que trabalham o Zhong Qí.
O pulmão afetado pela tristeza tem seu Qí deficiente e sinais de dispnéia, cansaço, depressão e choro.
PENSAMENTO: Estagna o Qí e afeta o Pi
 

144
Acupuntura

 
PREOCUPAÇÃO
A Abstração significa pensar demais, exercer um trabalho mental ou estudo excessivos. Isso debilita o
Baço causando cansaço, anorexia e diarréia.
 
Também afeta o Qí do pulmão provocando a ansiedade, dispnéia e rigidez nos ombros e pescoço.
MEDO: Descende o Qí e afeta o Shen.
MEDO
Depaupera o Qí do Rim provocando a sua descendência. Nas crianças provoca a enurese noturna.
Nos adultos o medo e a ansiedade crônica provocam uma deficiência do Yin do Rim e aumenta o calor-
vazio do coração (rubor malar, palpitação, etc).
Choque
Medo excessivo que afeta o Rim e Coração, onde ocorre a estagnação do Shen (mente). Sintomas:
Insônia, palpitação, dispnéia, sudorese noturna, boca seca, tontura, zumbido. Um mau
funcionamento do órgão pode ser revelado por um distúrbio do sentimento correspondente. Ex:
Obsessão e idéia fixa: B/P
Autoritarismo e extravagância: R
Todas as emoções quando descontroladas pode transformar-se em Fogo, por estagnação do Qí.
Sintomas:
Coração: Palpitações, insônia, abundância de sonhos, mente confusa, riso e choro, agitação
desordenada.
Fígado: Mente deprimida, agitação, irritabilidade, garganta apertada, flancos intumescidos e
doloridos;
Baço/ Pâncreas: Neurastenia, tristeza, amnésia, anorexia
Fúria com freqüência afeta o Estômago e o Baço, assim como o Fígado. (Brigas e discussões nas horas
de refeição).
CAUSAS EXTERNAS
“Seis Excessos” ou “Seis Climas Excessivamente Vitoriosos” ou “Li Yin”.
 Vento; Frio; Calor; Umidade; Secura; Fogo.
Podem ser de origem externa (Xie Qí na pele ou nos músculos) ou interna (aprofundamento nos Zang
Fu). .
A condição climática só tornará patológica quando o equilíbrio entre o organismo e o meio ambiente
estiver afetado ou quando o organismo estiver debilitado.

145
Acupuntura

 
Cada sistema apresenta uma aversão específica a um determinado clima.
“O Coração odeia o calor, o Pulmão odeia a secura e frio, o Fígado odeia o vento, o Baço odeia a
umidade e o Rim odeia o frio”.
Cada um dos 6 fatores climáticos está associado a uma determinada estação, durante a qual é mais
prevalente, ou seja:
 Vento: primavera
Calor: Verão
Secura: Outono
Frio: Inverno
Umidade: Fim do Verão (elemento terra)
Fogo: Verão (Canícula)
Vento: primavera
VENTO - FENG
É de natureza Yang tende a danificar o Sangue e o Yin;
É normalmente a forma pelo quais outros fatores climáticos invadem o corpo (Ex: Vento- Frio ou
Vento-Calor);
As manifestações clínicas decorrentes do vento imitam a ação do próprio vento na natureza: aparecem
de modo rápido e modificam-se de repente, movimentando-se com rapidez;
Os sinais e sintomas têm características migratórias;
Podem causar tremores, convulsões, rigidez ou paralisias;
Afeta a parte superior do corpo (principalmente a cabeça);
Afeta primeiro o pulmão;
Afeta a pele e musculatura;
Causa prurido.
O vento exterior penetra na pele e interfere na circulação do Wei Qí. Como o Qí defensivo aquece o
músculos, a pessoa sente calafrios, tremores e aversão ao frio.

146
Acupuntura

 SINAIS E SINTOMAS DO VENTO EXTERIOR


Aversão ao frio e ao vento;
Espirro e tosse (Def. de difusão e função dispersora do pulmão);
Secreção nasal com expectoração profusa e branca (Def. dos JinYe pelo pulmão);
Pulso flutuante (superficial) e lento;
Febre, rigidez de nuca e prurido na garganta (ocorre na luta entre o Qí defensivo e o Xie Qí);
Sudorese ou ausência dela vai depender se há mais frio ou mais vento (o frio contrai os poros);
Dor migratória, quando há invasão pelos meridianos (Yang).
Vento-Frio
Aversão ao frio, tremores, espirro, tosse, secreção nasal com muco aquoso e branco, febre baixa, dor e
rigidez occipital, ausência de sudorese e de sede, pulso flutuante- lento, língua sem mudança de cor
com saburra fina e branca.
Vento-Calor
Aversão ao frio, tremores, espirro, tosse, secreção nasal com muco levemente amarelado, febre,
rigidez e dor occipital, sudorese leve, prurido e dor de garganta, amigdalite, sede, pulso flutuante-
rápido, língua vermelha na ponta ou laterais e saburra fina e branca.
Vento Interno
Está sempre relacionado a desarmonia do Fígado e pode ocorrer de 3 formas:
Calor extremo gerando Vento- Fígado: ocorre nos estágios tardios das patologias febris.
Sintomas: febre alta, delírio, coma e rigidez (Ex: Meningite).
Yang do Fígado gerando Vento: Ocorre nas doenças prolongadas. As manifestações são: Tontura
severa, vertigem, cefaléia e irritabilidade.
Def. do Xue do Fígado gerando Vento: Espaço vazio dentro dos vasos gerando vento interior.
Ocorre: parestesia, tontura, tremores (AVC).
Calor: Verão
CALOR: VERÃO - Re
É um fator patogênico do Yang e, tende a danificar o Yin. Está relacionado a uma estação específica, só
o verão.
Sintomas: aversão ao calor, sudorese, cefaléia, urina escassa e escura, lábios secos, sede, pulso rápido
e língua vermelha nas laterais e ponta.
Secura: Outono
SECURA
É um fator patogênico Yang (quando comparada com a umidade) e tende afetar o sangue ou o Yin;
Surge nos climas muito secos ou em climas artificiais;
Sintomas: garganta, lábios, língua, boca, pele e fezes secas, urina escassa.
SECURA INTERIOR
Origina-se da Def. do Yin principalmente do E, R e P.
Def. do Yin do P: rouquidão constante, disfonia. (P6 e R6). 147
Acupuntura

Frio: Inverno
FRIO – HAN
É um fator patogênico Yin e, tende a danificar o Yang.
Pode invadir os meridianos e causar a Síndrome Bi, com dor em uma ou mais articulações, calafrios e
contração nos tendões.
Sintomas; rigidez, calafrios, dor.
Invade qualquer parte do corpo ou articulação, mas os mais comuns são as mãos e braços, pés e
joelhos, baixo ventre e ombros.
Pode invadir o Estômago, Intestinos e Útero
“As patologias caracterizadas pelas secreções frias, aquosas, claras e pouco espessas é decorrente do
frio”.
Efeitos do Frio
A pessoa sente frio;
Ocorre estagnação da circulação do Qí levando a dor; Deficiência de substâncias e digestão
incompleta; Perda de fluídos;
Wei Qí e Yong Qí insuficientes na superfície do corpo.
FRIO INTERIOR
Pode ser Cheio ou Vazio.
Cheio: origina-se do frio climático que invade os meridianos; período curto (agudos), dor severa e
língua e pulso do tipo excesso (saburra espessa e branca e pulso cheio).
Vazio: Após a retenção prolongada, o frio interior consome o Yang do Baço
Originando um frio Vazio. O frio vazio é caracterizado pelo início gradual, dor sura e língua com saburra
fina, branca e pálida; o pulso seria Vazio ou debilitado.
O frio interno origina-se da deficiência do Yang do B/P, P ou R.
Sintomas: calafrios, dor surda, membros frios, desejo de ingerir líquidos quentes, ausência de sede,
palidez facial, saburra de cor branca e fina e pulso profundo.
Def. do Yang do coração: rigidez e dor torácicas, lábios de cor púrpura e pulso em nó.
Umidade: Fim do Verão (elemento terra)
UMIDADE SHI
É um fator Yin que tende a afetar o Yang.
Está presente no clima, nas habitações e/ou locais de trabalho, nas roupas úmidas, caminhar na água
ou sentar-se no chão molhado.
Características: pegajosa, difícil de ser eliminada, pesada, torna as coisas mais lentas, é descendente e
impura.

148
Acupuntura

Umidade Exterior: acomete mais os membros inferiores, podendo fluir em ascendência e estabelecer-se
em qualquer órgão da cavidade pélvica.
Umidade Interior: é provocada pelo B/P por não separar as substâncias puras das impuras.
Sintomas: sensação de peso na cabeça ou no corpo, anorexia, plenitude no tórax ou no epigástrio,
gosto pegajoso, dificuldade urinária, secreção vaginal branca e pegajosa.
UMIDADE INTERIOR
Origina-se da Def. do Baço e do Rim. Se a função do Baço de transformar e transportar os fluídos
corpóreos falhar, esses não serão transformados e se acumularão para transformar a umidade.
Diferenças entre Umidade e Fleuma UMIDADE: Pode acometer o B/P, VB, B, ID e IG; afeta a parte
inferior; quando afeta a cabeça causa peso; afeta os sistemas internos ou articulações; umidade
É pegajosa, impura e com fluxo descendente.
FLEUMA: De origem interna; atinge a parte média e superior do corpo; causa tontura; pode
obscurecer a mente causando a alterações mentais, pode causar edemas e protuberâncias; é
normalmente associada ao fogo; afeta o P, C, R e E.
FOGO
Fogo: É uma forma extrema de calor que pode derivar de qualquer um dos outros fatores patogênicos
exteriores;
Afeta mais a mente do que o calor causando ansiedade, agitação mental, insônia ou alterações
mentais;
A natureza fogo consiste em ascender para a cabeça, secar os fluídos, afetar o sangue e o Yin,
depauperar o Qí e afetar a mente;
O fogo pode ser do tipo excesso ou deficiência. Seus sintomas são: febre alta, rubor facial, hiperemia
da conjuntiva, boca seca, gosto amargo, constipação, urina escassa e escura, sede, agitação mental,
língua vermelha com saburra amarela e pulso cheio- rápido. Quando o fogo penetra no sangue, pode
provocar pontos de coloração púrpura escuros sob a pele (máculas) e vômito de sangue ou outros tipos
de hemorragias;
Pode afetar: C, F, E, R, P, IG e ID.
 

149
Acupuntura

OUTRAS CAUSAS DA PATOLOGIA


Compleição Debilitada: determinada pela saúde dos pais; Essência Pré-Celestial. Um estilo de vida
equilibrado e saudável, com exercícios respiratórios para desenvolver o Qí, pode melhorar a
constituição.
A Essência, que é a base de nossa força e saúde interiores pode ser debilitada por fatores como:
descanso insuficiente, excesso de trabalho ou de atividade física;
Aconstituição pode ser investigada através da sua história, pulso, face e língua.
Excesso de Exercícios Físicos: ocorre quando o equilíbrio entre trabalho x repouso é afetado;
Quando o Qí é consumido e não é devidamente recuperado começa a utilizar a essência. Na
adolescência pode desenvolver alterações menstruais.
Excesso de Atividade Mental: consiste em trabalhar durante longas horas numa ocupação
intelectual sob condições de estresse; Tende afetar o E, B/P, e o R. Dieta irregular causando Def. do Qí
e do Yin do Estômago.
Excesso de Atividade Sexual: pode exaurir a essência do Rim; A atividade sexual deve ser reduzida
se houver uma Def. de Qí ou de Sangue e, principalmente uma Def. do Rim.
Dieta: Os hábitos alimentares podem se transformar numa causa patológica se a dieta não estiver
equilibrada do ponto de vista qualitativo ou quantitativo.
Causas: Subnutrição, anorexia nervosa, alimentação excessiva, consumo de conservantes,
condimentos, alimento frios ou crus, alimentos gordurosos, doces; Acomete principalmente ao
Estômago e ao Baço.
Trauma: os traumas físicos causam uma estagnação de Qí ou do Xue; Pode ter sua causa de forma
transitória ou pode ser por seqüelas de acidentes antigos (Ex: Cefaléia que pode ter causado uma
estase sangüínea).
Parasitas: o consumo excessivo de alimentos doces e gordurosos conduz à umidade, o que propicia
um ambiente fértil para o crescimento de vermes. Mais comum em crianças.
Tratamento Inadequado: quando um diagnóstico equivocado acontece, principalmente na
distinção entre as condições interiores e exteriores.
Epidemias: possui um agente infeccioso.
Intoxicações: alimentar, medicamentosa, tóxica.

150
Acupuntura

Anotações

151
http://www.institutoeleven.com,br

instagram/institutoeleven

facebook/institutoeleven

Você também pode gostar