Você está na página 1de 40

COMPORTAMENTO E PROPRIEDADES

DOS MATERIAIS

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 CAPITULO 4


PROPRIEDADES FÍSICAS

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 CAPITULO 4


DENSIDADE APARENTE E DENSIDADE REAL

A DENSIDADE APARENTE é a relação entre a massa do material e o


volume total (incluindo o volume dos poros)

A DENSIDADE REAL é a relação entre a massa do material e o volume do


material (não inclui o volume de poros)

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 CAPITULO 4


POROSIDADE

Pode ser definida como a relação entre o volume de poros no material


(vazios) e o volume total do material (incluindo o volume de poros).

A porosidade pode ser relacionada com as densidades aparente e


real pela seguinte expressão:

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 CAPITULO 4


PERMEABILIDADE

A permeabilidade está relacionada com a passagem


de gases ou líquidos através dos poros do material e
resulta da interconexão entre os poros.

A permeabilidade depende do estado físico (gás ou


líquido) e de suas propriedades moleculares. Grandes
moléculas, por exemplo, têm acesso mais limitado aos
vazios menores.
A permeabilidade do material tem influência na sua
durabilidade, porém outros fatores estão envolvidos.

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 CAPITULO 4


PERMEABILIDADE

A permeabilidade do material poroso a líquidos pode ser definida pela


expressão:

O termo gradiente hidráulico define a taxa de redução da pressão com


a espessura do material. O gradiente de pressão que direciona o fluido.

Se a pressão é medida como a altura de coluna d’água, e o gradiente


hidráulico não tem unidade, portanto a unidade da permeabilidade é :
m3/m2s=m/s.

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 CAPITULO 4


PERMEABILIDADE x POROSIDADE

• Porosidade:
– Totalidade de vazios em um concreto endurecido.

• Permeabilidade:
– Interconexão dos vazios através de canais;
– Continuidade dos canais entre duas superfícies
opostas;
– É importante para:
• Concretos em ambientes agressivos:
– Água, ar, solos;

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 CAPITULO 4


PROPRIEDADES MECÂNICAS

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 CAPITULO 4


PROPRIEDADES MECÂNICAS

 Propriedades de um material associadas com a


capacidade que ele tem de resistir a esforços mecânicos.

São exemplos de propriedades mecânicas:

 RESISTÊNCIA,
 ELASTICIDADE, Para melhor entender
 DUCTILIDADE, estas propriedades, é
 FLUÊNCIA, necessário conhecer a
 DUREZA, definição de TENSÃO e
 TENACIDADE. DEFORMAÇÃO.

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 CAPITULO 4


TENSÃO
Tensão é a relação entre a carga aplicada e a área resistente.

 A tensão é expressa em kgf/cm² ou N/m² (Pascal).


 Na indústria do concreto, as tensões geralmente são
expressas em Mpa.

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 CAPITULO 4


TENSÃO

Muitos materiais, tais como cerâmicas, vidros, concreto e


alguns metais têm comportamento frágil.
 Isto geralmente significa que o ponto de ruptura está
próximo do limite de elasticidade (a ruptura é drástica, e
não dúctil!)

As estruturas devem ser dimensionadas de forma


que atue sobre os componentes uma tensão
aceitável de trabalho.

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 CAPITULO 4


DEFORMAÇÃO

Deformação é definida como a relação entre a variação de comprimento


(após a aplicação de determinada carga) e o comprimento inicial de um
material, conforme a seguinte equação:

Onde L0 é o comprimento inicial e


Lf é o comprimento final, após aplicada
determinada solicitação no material.

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 CAPITULO 4


DEFORMAÇÃO

Alguns materiais, a partir de determinada carga, deformam-se excessivamente


(sem romper) e não retornam para a sua forma e posição originais depois de
retirada a carga. São exemplos disso os metais e alguns polímeros.

OBVIAMENTE, É INACEITÁVEL QUE OCORRAM DEFORMAÇÕES


EXCESSIVAS NAS CONSTRUÇÕES.

Por isso, a tensão de trabalho para estes tipos de materiais é determinada a


partir da tensão em que a deformação passa a ser excessiva (tensão de
escoamento), e não a partir da tensão de ruptura.

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 CAPITULO 4


DEFORMAÇÃO

Geralmente, a resistência dos metais aumenta pelo trabalho em


conjunto com o concreto.

Materiais que deformam plasticamente são classificados de


DÚCTEIS.

A ductilidade é normalmente medida por uma quantidade


de alongamento antes da ruptura.

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 CAPITULO 4


RESISTÊNCIA

Resistência pode ser definida como a capacidade de um material ou


componente suportar cargas sem se romper ou apresentar excessiva
deformação plástica.

Materiais são normalmente testados de maneira a simular sua operação


na construção, embora as tensões in-situ sejam freqüentemente
complexas.

As principais formas de teste são:

 COMPRESSÃO,
 TRAÇÃO,
 FLEXÃO E
 CISALHAMENTO.

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 CAPITULO 4


RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO
As forças de compressão em materiais agem da mesma maneira que a
ligação atômica, forçando os átomos a se aproximarem, e esta ação, em
geral, não causa a ruptura.
 Entretanto, a compressão induz a esforços de cisalhamento

Cisalhamento

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 CAPITULO 4


RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO

Dependendo do tipo de material, da forma e tamanho do corpo-de-


prova e da forma de carregamento, a compressão pode causar
ruptura por cisalhamento ou por tração, ou mesmo pela combinação
dos dois.

O teste de compressão é muito realizado por ser de fácil execução


e porque os componentes da construção estão freqüentemente
submetidos a esforços de compressão
(Concreto, blocos cerâmicos, etc.).

IMPORTANTE:
São necessários procedimentos padrões para realização dos testes.
.

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 CAPITULO 4


RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO

Cubo de gesso sendo


ensaiado à compressão. O
tamanho do corpo-de- prova
influencia no resultado
obtido, já que o atrito entre o
dispositivo de aplicação da
carga e o material atuam
como “reforço”.

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 CAPITULO 4


RESISTÊNCIA À TRAÇÃO DIRETA

Testes de tração são utilizados em componentes metálicos ou fibrosos


projetados para trabalhar sob tensões de tração.

São também, ocasionalmente, utilizados em materiais não


trabalham principalmente comprimidos, como o concreto, quando
alguma performance à tração é requerida.

O principal problema é a obtenção de


um sistema de garras eficiente.

As garras não devem ser lisas e


devem segurar mais firmemente o
CP à medida que aumenta a carga.

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 CAPITULO 4


RESISTÊNCIA À TRAÇÃO POR COMPRESSÃO DIAMETRAL

“Ensaio brasileiro de compressão diametral”

Desenvolvido pelo Professor Lobo Carneiro em 1943.

A aplicação de duas forças concentradas e diametralmente


opostas de compressão em um cilindro gera, ao longo do
diâmetro solicitado, tensões de tração uniformes
perpendiculares a este diâmetro.

A popularidade deste ensaio reside não somente na facilidade


e rapidez de execução, mas como também no fato de utilizar o
mesmo corpo-de-prova cilíndrico e equipamento usados para
a obtenção da resistência à compressão do concreto-cimento.

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 CAPITULO 4


RESISTÊNCIA À TRAÇÃO POR COMPRESSÃO DIAMETRAL

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 CAPITULO 4


RIGIDEZ
A rigidez pode ser definida como a capacidade de um material ou
componente resistir a deformação quando submetido a tensão.

A rigidez é medida pelo módulo de elasticidade, que é a relação entre a


tensão aplicada no componente e a deformação resultante desta tensão.

O módulo de elasticidade é obtido do gráfico tensão x deformação do


material, sendo E igual a inclinação da curva no trecho elástico.
Geralmente, trata-se de uma tensão baixa comparada a tensão de
ruptura.

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 CAPITULO 4


RIGIDEZ
Exemplos de materiais com respectivos módulos de elasticidade:

Elementos da construção podem estar sujeitos a variações dimensionais


que geram conflitos em termos de rigidez. Materiais cerâmicos, concretos
ou aço de construção se enquadram nesta categoria. Se não estiverem
livres para se movimentar, originam tensões.

Devem-se projetar juntas de dilatação para


materiais de alta rigidez sujeitos a deformações.

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 CAPITULO 4


RIGIDEZ
Exemplos de materiais com respectivos módulos de elasticidade:

Para uma dada


deformação,
materiais com alta
rigidez estão
sujeitos a maiores
tensões.

Elementos da construção podem estar sujeitos a variações dimensionais


que geram conflitos em termos de rigidez. Materiais cerâmicos, concretos
ou aço de construção se enquadram nesta categoria. Se não estiverem
livres para se movimentar, originam tensões.

Devem-se projetar juntas de dilatação para


materiais de alta rigidez sujeitos a deformações.

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 CAPITULO 4


TENACIDADE
A tenacidade de um material reflete sua capacidade de absorver
energias na forma de impactos. (carregamentos de duração
instantânea).

A tenacidade pode ser facilmente medida por uma máquina tipo pêndulo,
como o pêndulo Charpy.

A amostra padrão contém um entalhe para


iniciar a ruptura, é cuidadosamente colocada
em uma máquina e submetida ao impacto por
um pêndulo pesado.

A energia absorvida é igual a perda de


energia do pêndulo, indicado pela diferença
na altura das posições do pêndulo antes e
depois do impacto.

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 CAPITULO 4


TENACIDADE
A tenacidade de um material reflete sua capacidade de absorver
energias na forma de impactos. (carregamentos de duração
instantânea).

A tenacidade pode ser facilmente medida por uma máquina tipo pêndulo,
como o pêndulo Charpy.

A amostra padrão contém um entalhe para


iniciar a ruptura, é cuidadosamente colocada
em uma máquina e submetida ao impacto por Vale ressaltar que
alta tenacidade
um pêndulo pesado.
não implica
necessariamente
A energia absorvida é igual a perda de
em alta
energia do pêndulo, indicado pela diferença resistência!
na altura das posições do pêndulo antes e
depois do impacto.

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 CAPITULO 4


FLUÊNCIA
A fluência é definida como a deformação com o tempo, resultado de
aplicações prolongadas de tensão. É considerada de produção muito
lenta. A fluência ocorre principalmente em três tipos de material:

· Metais submetidos a tensões sob temperaturas próximas ao ponto


de fusão. (Quando estão submetidos a tensões em temperaturas bem
abaixo do ponto de fusão, como o aço a temperatura ambiente,
geralmente, a fluência não é um grande problema).

· Materiais susceptíveis a umidade que, por exemplo, expandem com


a presença de água, são passíveis de exibir fluência relacionada com o
escoamento da umidade no material. (Materiais porosos, como o
concreto, estão sujeitos a fluência pela perda de umidade).

· Materiais fibrosos. A fluência nestes materiais podem resultar do


escorregamento da fibra na matriz. (O maior exemplo disso é a
madeira).

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 CAPITULO 4


A resistência à fadiga pode ser
medida. Em materiais como madeira FADIG
e concreto, os testes são A
normalmente feitos com
carregamento repetido em vigas.

Rupturas por fadiga são raras em


elementos estruturais, mas em alguns
componentes, este tipo de ruptura é
comum – Por exemplo, em
componentes metálicos como
dobradiças.

Desenvolvimento de estruturas
sujeitas ao tráfego veicular, como
estradas e pontes devem levar em
conta o efeito da fadiga.

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 CAPITULO 4


DUREZA

Dureza pode ser definida como a resistência ao entalhe (risco).

Testes para determinar a dureza normalmente envolvem a medida do


diâmetro da depressão permanente causada pela penetração de
uma esfera dura na superfície do material com uma carga padrão,
como por exemplo, o teste de dureza Brinell, usada em testes de
metais.

O teste de dureza está bem relacionado


com a resistência dos metais. Assim, este
teste é utilizado para avaliar o efeito dos
tratamentos térmicos em metais.
MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 CAPITULO 4
DUREZA
Alguns ensaios de avaliação da dureza são usados para estimar a resistência
à compressão de materiais, como o concreto.

Esclerômetro Martelo de
Schmidt

Testes de dureza são muito relevantes na avaliação da performance de


materiais para paredes e pisos.

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 CAPITULO 4


RESISTÊNCIA À ABRASÃO

É definida como a capacidade de uma superfície resistir ao desgaste


devido ao atrito com objetos ou materiais em movimento.

Superfícies duras geralmente são resistentes à abrasão, mas a resistência


à abrasão de superfícies moles pode também ser aumentada com
tratamentos superficiais que dependem do tipo de tráfego.

Cavitação: Fenômeno relacionado com o desgaste causado pela formação


e colapso de vazios em materiais que têm contato com líquidos com
escoamento rápido. Tensões locais muito altas podem produzir
descascamento. A utilização de superfícies duras e resistentes a abrasão é
a melhor maneira de aumentar a vida útil de materiais em contato com
líquidos escoando em alta velocidade.

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 CAPITULO 4


1) Com base no gráfico de tensão e deformação dado abaixo,
responda:
A) Quem apresenta maior módulo de elasticidade?
B)O módulo de resistência a tração?
Considere as curvas
tensão de engenharia
versus deformação de
engenharia para os três
materiais (A, B e C) e
responda as afirmativas
com falso (F) ou
verdadeiro (V).
Adicione Verdadeiro Ou Falso

a)( )Os três materiais têm módulos de elasticidade idênticos.


b) ( ) Os três materiais apresentam módulos de resiliência idênticos.
c) ( ) O material A apresenta maior limite de escoamento do que B
ou C.
d)( ) O material C apresenta maior limite de resistência do que A ou
B.
e)( )O material C apresenta maior alongamento uniforme do que A
ou B.
f) ( ) O material A apresenta menor alongamento total (ductilidade)
do que o material B.
g) ( )Os materiais B e C tem maior tenacidade do que o material A.
h)( )O material A é provavelmente mais duro do que C.
i) ( ) Os três materiais (A, B e C) são provavelmente materiais
cerâmicos.

Você também pode gostar