Você está na página 1de 25

Patologias do Sistema

Nervoso

Gonçalo Marques Nº 4714; Matilde Portugal Nº4720; Érica Fernandes


Nº 4712
Disciplina : Saúde Professora: Susete Pires
Curso Profissional Técnico Auxiliar de Saúde - TAS19
Introdução
Trabalho realizado o âmbito da disciplina de Saúde, ministrada pela professora Susete
Pires. Neste trabalho vamos abordar o tema Patologias do Sistema Nervoso. O
trabalho é constituído pela definição de demência, Parkinson e Alzheimar e os seus os
sintomas, causas e diagnóstico.
Demência
Demência é um termo genérico, utilizado para designar um conjunto de doenças
nas quais existe deterioração do desempenho cognitivo e comportamental,
condicionando a autonomia.

Demência sem perda da autonomia.

Que funções se podem perder com a demência?


Os principais domínios cognitivos que podem ser afetados são:
● Funções executivas;
● Memória;
● Linguagem;
● Gnose;
● Praxis;
Como se classificam as demências?
São várias as classificações utilizadas, sendo que uma das que se mostrou clinicamente
mais útil as divide em:
● Primárias;
● Secundárias;

Quais são as demências mais comuns?


As principais são:
● Doença de Alzheimer;
● Demência frontotemporal;
● Demência com corpos de Lewy;
● Demência vascular (destas, a única secundária).
Qual a taxa de prevalência da demência?
No que toca à frequência, os dados epidemiológicos mais abundantes referem-se à doença
de Alzheimer. A sua taxa de prevalência, que aumenta exponencialmente com a idade, varia
de até 1% entre os 60 e os 65 anos a quase 50% acima dos 90 anos, estimando-se um total
superior a 150 mil pacientes em Portugal e 35 milhões em todo o mundo.
Sintomas
● Perda de memória a curto prazo;
● Dificuldade em perceber o tempo e o espaço comuns;
● Dificuldade na comunicação;
● Perde de objetos comuns e dificuldade em tarefas diárias;
● Perda de iniciativa e de interesses;
● Alterações do humor e de personalidade, irritabilidade inexplicável;
Causas
● Idade;
● AVC,
● traumatismos;
● tumor cerebral;
● doença cerebrovascular;
● depressão;
● alcoolismo;
Diagnóstico
● Recolha da história do doente;
● Exame fisico;
○ alterações da atenção;
○ orientação,
○ memória,
○ julgamento,
○ linguagem,
○ habilidades motoras e espaciais;
Diagnóstico(Continuação)
● Exames complementares
○ testes de memória e psicotécnicos,
○ exames de sangue e urina,
○ exames de imagem (RMN, TAC)
○ eletroencefalograma
O que é Parkinson?
● A doença de Parkinson resulta da redução dos níveis de uma substância (Dopamina)
que funciona como um mensageiro químico cerebral nos centros que comandam os
movimentos.

➔ Quando os seus níveis se reduzem, dá-se a morte das células cerebrais que a
produzem.
Quais são os sintomas de Parkinson?
● Uma vez que a dopamina controla a atividade muscular, os sintomas relacionam-se
essencialmente com os movimentos.
● Para além dos tremores, rigidez e lentidão, existem outras manifestações que se
traduzem no sono, no pensamento, na fala e no estado de espírito dos pacientes.
➔ O 1º sinal, um tremor ligeiro numa mão, braço ou perna que ocorre quando a extremidade
afetada está em repouso mas que pode aumentar em momentos de maior tensão.
➔ Como regra, melhora quando o paciente move voluntariamente a extremidade afetada e
pode desaparecer durante o sono.
➔ À medida que a doença progride, o tremor torna-se mais difuso e pode afetar as
extremidades de ambos os lados do corpo.
➔ Quando os músculos da face são atingidos, a expressão pode ficar apagada e, no caso de
outros músculos, o doente pode ser incapaz de cuidar de si próprio.
Quais são as causas desta doença?
● Para que os sintomas de Parkinson se manifestem, é necessária a morte de 70% a 80%
das células cerebrais. Contudo, não se sabe a razão por que morrem e por que umas
pessoas desenvolvem esta doença e outras não. Alguns fatores que podem estar na sua
origem são:

➢ História familiar
➢ Exposição
➢ Pesticidas
➢ Toxinas industriais
➢ Envelhecimento
Qual o tratamento de Parkinson?
● Os sintomas podem ser controlados através de diversos tipos de medicamentos, que
estimulam a libertação de dopamina, desde que ainda existam células cerebrais
produtoras de dopamina.
● Quando tal não é possível, recorre-se a outro tipo de fármacos, como a levodopa que
depois é convertida em dopamina a nível cerebral.
● Existem ainda outras classes de medicamentos que imitam a sua ação e outros que
impedem a sua degradação.
Doença de Alzheimer - O que é?
● Perda progressiva da função mental
● Caracterizada pela degeneração do tecido do cérebro, incluindo a perda de
células nervosas, a acumulação de uma proteína anormal chamada beta-amiloide
e o desenvolvimento de tranças neurofibrilares.
Alzheimer - Como
funciona ?
A doença de Alzheimer é um tipo de
demência, que é uma diminuição,
lenta e progressiva da função
mental, que afeta a memória, o
pensamento, o juízo e a capacidade
para aprender
Alzheimer - sintomas
Primeiro sintoma - défice de memória.

O doente pode:

• Esquecer factos do dia a dia

• Cometer erros importantes

Sintomas precoces

• A apatia

• A diminuição da iniciativa
Fatores de risco
Idade (principal)

Outros:
● Hipertensão arterial
● Dislipidemia
● Tabagismo
● Obesidade
● Diabetes
Tratamento

Não existe cura para a doença.


Existem vários tratamentos que
melhoram parte dos sintomas e
modificam efetivamente a expressão da
doença, retardando o processo de
deterioração e perda de autonomia.
Tratamento

Os estudos disponíveis têm


demonstrado que o exercício físico e
mental ajuda a aumentar a reserva
cognitiva.
Assim, indivíduos ativos têm menos
probabilidade de ter demência, do
que outros menos ativos da mesma
idade.
Considerações Finais
A demência é o termo utilizado para descrever os sintomas de um grupo alargado de doenças em que as
pessoas vão perdendo as funções. Pessoas com demência apresentam perda de memória, da capacidade
intelectual, do raciocínio, das competências sociais e alterações nas reações emocionais normais. A doença de
Parkinson e Alzheimer são formas comuns de demência. Sendo que a doença de Alzheimer é a mais comum.

Atualmente não existe prevenção ou cura para a maioria das formas de Demência. No entanto, existem
medicações disponíveis que podem reduzir alguns sintomas.

O suporte é importantíssimo para as pessoas com Demência. A ajuda da família, amigos e cuidadores pode
fazer uma diferença positiva na forma de lidar com a doença.

O uso de terapias têm-se mostrado também muito eficaz na melhoria da qualidade de vida, manutenção da
atenção e recuperação da memória e retardamento dos sintomas. Terapias como a terapia da fala,
psicomotricidade e musicoterapia têm tido resultados satisfatórios.
Bibliografia
https://www.tuasaude.com/demencia/
https://www.cuf.pt/saude-a-z/demencia
https://www.cuf.pt/saude-a-z/doenca-de-parkinson