Você está na página 1de 32

Estágio: diferentes concepções na

vivência das práticas pedagógicas

Leina Araújo
 “ Até um ano atrás eu tinha certeza
de que estava tendo uma boa
formação. Agora estou chocada
com a realidade daquelas crianças,
e nem sei por onde começar. Na
prática a teoria é outra.” (depoimento de Nilce.
Retirado de Estágio e Docência. Selma Garrido, 2013)
 O estágio é um ato educativo desenvolvido no
ambiente de trabalho, sob supervisão, e tem
como objetivo preparar os alunos para o
trabalho produtivo.

 Pode ser obrigatório – especificado no PPC


Objetivo do Estágio Supervisionado
 “.... Proporcionar ao estagiário uma reflexão contextualizada,
conferindo-lhe condições para que se forme como autor de sua
prática, por meio da vivência institucional sistemática, intencional,
norteada pelo Projeto Pedagógico da instituição formadora e da
unidade campo de estágio”
 Desenvolver atividades relativas à docência e a gestão
educacional, em espaços escolares e não escolares, produzindo
reflexões e avaliações tanto da experiência quanto de si mesmo.
 Tempo da aprendizagem que, através de um período de
permanência, alguém se demora em algum lugar ou oficio para
prender a prática do mesmo e depois exercer uma profissão,
supondo uma relação pedagógica.
Finalidade do Estágio
Supervisionado
 Oferecer ao acadêmico a
oportunidade de aprender com a
prática do trabalho cotidiano e
desenvolver experiências com
vistas à complementação do seu
aprendizado e ao seu
crescimento profissional e
humano.
A importância do orientador no Estágio

 Papel da supervisão: “ ampliar


percepções e fomentar o uso dos
sentidos como instrumento para
melhorar relações e a construção de
práticas diferenciadas e envolvidas
por atitudes conscientes,
responsáveis e comprometidas com
o desenvolvimento individual e
coletivo nos processos de ensinar e
aprender” (Santos: Costa, 2008,
p.23).
Relatos de experiências ( retirados do livro
Estágio e Docência: Selma Garrido e Maria Socorro Lucena,
2012)

 Relato 1. “Quando cheguei na escola, não sabia analisar


o que eu via. Era uma escola pública e eu nunca tinha
vivido uma situação daquelas. Faltou merenda escolar! No
meio daquela movimentação, eu sentia um misto de pânico
e incompetência , além de ver-me completamente perdido.
Tinha vontade de sair correndo. No outro dia, eu estava
doente na hora de ir para o estágio ( Aluno do 7 °semestre
do curso de pedagogia)
 Relato 2. Tenho muito cuidado com tudo que vou fazer lá. Poucas
possibilidades de contribuir com a escola estou conseguindo
vislumbrar. A escola já tem tantos problemas! O pessoal da
administração e os professores tentando minimamente dar conta
de suas inúmeras tarefas [...] Tenho a sensação de estar
atrapalhando (Aluna do curso de Pedagogia)
 Relato 3. “ Aprendemos na escola que ver e o escutar de forma
crítica e reflexiva o que estava a nossa volta propicia um novo
olhar. Um olhar que escuta, ouve e aprende a ver o outro, a
realidade, cria e busca a sintonia do outro, do grupo e de outras
(Aluna do Programa
pessoas” Especial de
Formação Pedagógica)
 O estagiário precisa compreender a própria
dinâmica do estágio e de sua presença na escola.
Quanto mais claros forem os fundamentos, a
natureza e os objetivos do estágio, suas
possibilidades e limites curriculares, mais fácil fica a
compreensão do processo
Levantamento realizado com alunos ao final do
estágio, considerando os desafios e as dificuldades
vividas:
 Oportunidade de ter contato com a real situação da escola
pública;
 Perceber a relação entre teoria estudada, práticas
escolares e ações de seus profissionais;
 Aprender a vida dos professores, a profissão em suas vidas
e ações em sala de aula;
 Identificar os hábitos, as atitudes e o cotidiano dos
professores, seus relacionamentos com seus pares, com
seus alunos, com seus orientadores de estágio, com a
comunidade escolar;
 Perceber a distancia entre o discurso e o “marketing
governamental” sobre a escola pública e a realidade;
perceber o movimento de relação entre distanciamento entre
escola e comunidade, suas diferentes culturas;
 A clareza de que o estágio vai dar suporte à prática
docente, principalmente para quem nunca esteve na
sala de aula;
 O convívio e a interação com a sala de aula, a
observação das diferenças no comportamento das
crianças, os estímulos que recebem e como são
tratadas pelos pais, pela escola e pelos professores;
 A oportunidade de encontrar professores realizando
excelente trabalho na escola pública e o acesso a
atividades nunca vistas no decorrer do curso;
 Perceber que é possível colocar em prática
muitos dos conhecimentos acumulados;
 Vivenciar a partilha de trabalhos, o espírito de
equipe entre colegas nas atividades de estágios
 A compreensão dos elementos que interferem
decisivamente na condução da sala de aula e na
vida dos profissionais do magistério;
 O aprofundamento na área de conhecimentos
específicos

 Garrido, Selma e Maria S. Lucena. Estágio e


Docência. 7 edição. São Paulo. Cortez. 2012
 Profissionalismo significa compromisso com
um projeto político democrático, participação
na construção coletiva do projeto
pedagógico, dedicação ao trabalho de
ensinar a todos, domínio da matéria e dos
métodos de ensino, respeito (e
consideração) à cultura do aluno,
assiduidade, preparação de aula. (Libâneo,
1998, p.90).
Por que realizar o Estágio
Supervisionado
Contexto Atual da Educação /Desafios
Neste mundo complexo, também se tornam mais complexas as tarefas dos educadores.
Como voltar-se criticamente para a realidade, como definir os caminhos do
conhecimento, da aprendizagem e em última instância, da construção do humano, de
sua afirmação?

(RIOS, 2008)
Como a formação
inicial, através do
estágio
supervisionado, pode
contribuir para a
atuação do futuro
profissional
Promovendo a integração entre o ensino e a
realidade do mercado de trabalho, verificando a
realização das competências exigidas na prática do
profissional da educação.
Qual o papel da teoria?

[...] oferecer aos professores perspectivas de análise para compreenderem os contextos


históricos, sociais, culturais organizacionais e de si mesmos como profissionais nos
quais se dá sua atividade docente, para neles intervir, transformando-os.
(PIMENTA, 2006)
Processos Indissociáveis

PRÁTICA REFLETIDA

AÇÃO TRANSFORMADORA
Não há ensino sem pesquisa e pesquisa sem ensino.
Esses que-fazeres se encontram um no corpo do outro.
Enquanto ensino continuo buscando, reprocurando [...]
Pesquiso para constatar, constatando, intervenho,
intervindo educo e me educo.
(FREIRE, 2002)
A vivência no campo de estágio

Pode possibilitar:

• a mobilização de pesquisas para ampliar a compreensão


das situações vivenciadas nas práticas pedagógicas
observadas nas escolas;

• a elaboração de projetos de pesquisa e intervenção


nessa realidade.
Como propor intervenção diante
dos desafios atuais da
educação/da escola/da sala de
aula?
Paradigma Tradicional Paradigma Emergente

Perspectiva Compartimentada Perspectiva Globalizante

 Enfoque fragmentado/centrado na  Enfoque globalizador centrado na


transmissão dos conteúdos resolução de problemas

 O professor intervém no processo de


aprendizagem dando condições para que os
 Professor único informante, tendo o
alunos avancem na construção do
papel de dar as respostas certas e cobrar
conhecimento
sua memorização

 Aluno ser passivo que recebe o


conteúdo transmitido
 Aluno sujeito usa seus conhecimentos e
experiências para resolver problemas
Paradigma Tradicional Paradigma Emergente
Perspectiva Compartimentada Perspectiva Globalizante

 Ênfase no conteúdo conceitual Ênfase no conteúdo conceitual,


procedimental e atitudinal

 Baseia-se, unicamente, nos Baseia-se, fundamentalmente na


conteúdos apresentados nos livros análise global da realidade
didáticos

 Propõe atividades modelos que Propõe a problematização que


reforçam a repetição e o treino estimula o aluno aprender a aprender

Metodologia expositiva postura Metodollogia dialógica / postura


disciplinar interdisciplinar / transdisciplinar
A docência é um processo complexo que supõe
uma compreensão da realidade concreta da
sociedade, da educação, da escola, do ensino-
aprendizagem, bem como um competente
repensar e recriar do fazer na área de educação.
Ildeu Coelho
Se os desafios novos se impõem como tal,
façamos esforços para intervir de outros
modos, exercendo nossas potencialidades de
autoria, nos capacitando permanentemente
para irmos além do que nos é dado como
verdade.

João Beauclair
Referências
FFREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática
educativa. São Paulo : Paz e Terra, 1996.
PIMENTA, Selma Garrido. Professor Reflexivo: construindo uma crítica. In:
PIMENTA, Selma Garrido; GHEDIN, Evandro (Orgs.). Professor Reflexivo no
Brasil: gênese e crítica de um conceito. – 2 ed.- São Paulo: Cortez, 2002.
________.Saberes Pedagógicos e atividade docente. 3ª ed. São Paulo: Cortez,
2002.
RIOS, Terezinha Azerêdo. Compreender e Ensinar: por uma docência de melhor
qualidade. 7ª.ed. São Paulo : Cortez, 2008.
ATIVIDADE

 Explique:
 A relação teoria/prática.
 O Estágio como aproximação da
realidade.
 O Estágio como pesquisa e a pesquisa no
estágio.
 A sua concepção sobre o estágio.

Você também pode gostar