Você está na página 1de 32

ÁREAS CLASSIFICADAS – NR 33

NR 33 – SEGURANÇA E SAÚDE NOS TRABALHOS


EM ESPAÇOS CONFINADOS

Importância Riscos “Invisíveis” existentes

da NR Gravidade dos Acidentes

Mortes em “Série”

Diversidade dos Espaços Confinados

Reduzido número de profissionais com conhecimento do assunto


Área Classificada:

Área na qual uma atmosfera explosiva de


gás está presente ou na qual é provável sua
ocorrência a ponto de exigir precauções
especiais para construção, instalação e
utilização de equipamento elétrico.
NBR 5410 - Instalações elétricas
de baixa tensão

Objetivo

 Esta Norma estabelece as condições que as instalações elétricas de baixa


tensão devem satisfazer a fim de garantir a segurança de pessoas e
animais, o funcionamento adequado da instalação e a conservação dos
bens.

 Esta Norma aplica-se principalmente às instalações elétricas de edificação,


residencial, comercial, público, industrial, de serviços, agropecuário,
hortigranjeiro, etc.
NBR 5410 - Instalações elétricas
de baixa tensão
NBR 14787 – Prevenção de Acidentes,
Procedimentos e Medidas de Proteção

4.5 – ANTES DO TRABALHADOR ENTRAR EM UM ESPAÇO


CONFINADO, A ATMOSFERA DEVE SER TESTADA POR
TRABALHADOR TREINADO E AUTORIZADO, COM
INSTRUMENTO DE LEITURA DIRETA, CALIBRADO E
TESTADO ANTES DO USO.

A) CONCENTRAÇÃO OXIGÊNIO;

B) GASES E VAPORES INFLAMÁVEIS;

C) CONTAMINANTES DO AR POTENCIALMENTE TÓXICOS.


Áreas Classificadas - Zonas

São áreas perigosas cujas classificações são feitas


de acordo com a probabilidade do perigo.
Zonas - Classificações

Classificação Definição de Zonas

Zona 0 (gases) Área onde uma mistura explosiva ar/gás está


continuamente ou presente por longos períodos
Ex.: Interior de Vaso separador, superfície de líquido
inflamável em tanques
Zona 1 (gases) Área onde é provável ocorrer uma mistura
explosiva em operação normal.
Ex.: sala de peneira de lamas,sala de tanques de
lama, respiro de tanques de processo.
Zona 2 (gases) Área onde é pouco provável ocorrer uma mistura
explosiva condições normais de operação e se
ocorrer será por um curto período.
Ex.: Válvulas, flanges e acessórios de tubulação para
líquidos ou gases inflamáveis
ATMOSFERA EXPLOSIVA

Atmosfera resultante da mistura ar com gases,


vapores ou poeiras em condições de pressão e
temperatura apropriadas para, na presença de calor,
sofrer rápida combustão cujos gases resultantes, por
falta de outra condição, se dissiparem em ondas de
choque.
O2 = 21% (oxigênio);
Composição
N2 = 79 % (nitrogênio);
do ar
gases nobres, outros gases = 1%

ocorrência de explosão: gases, vapores, poeiras ou fibras


ATMOSFERA EXPLOSIVA

RISCO DE INCÊNDIO E EXPLOSÃO

Explosão:
Combustão quase instantânea, em

co
m
r
lo
local fechado, de determinada massa

bu
ca

st
de gases, vapores ou poeiras

íve
l
gerando onda de pressão
acompanhada de forte ruído.
comburente
ÁREA CLASSIFICADA:
área com probabilidade de formação ou existência de atmosfera explosiva.
Propriedades dos Gases

É importante conhecer as seguintes propriedades


dos Gases e Vapores

 Densidade
 Ponto de Fulgor
 Temperatura de Ignição
 Limites de Inflamabilidade
Ponto de Fulgor
(Flash Point)

Quando a temperatura ambiente é suficientemente


alta, o líquido desenvolve uma grande quantidade de
vapor por evaporação, que é capaz de formar uma
mistura inflamável acima da superfície do líquido.

Ponto de Fulgor é a menor temperatura na qual um


líquido libera vapor/gás em quantidade suficiente para
formar uma mistura inflamável.

Nesta temperatura a quantidade de vapor não é


suficiente para assegurar uma combustão contínua.
Forma-se uma chama rápida(Flash).
Temperatura de Auto-Ignição

Auto Ignição é a temperatura na qual uma


concentração de gás inflamável explode sem a
presença de uma fonte de ignição.

Ex.: Metano = + 595 °C


Querosene = + 210 °C
Gasolina (56 a 60 Octanas)= + 280 °C
Acetileno = + 305 °C
Hidrogênio = + 560 °C
Propano = + 470 °C
Monóxido de Carbono = + 605 °C
Equipamento Intrinsecamente
Seguro (Ex-i):
R L

Um equipamento é intrinsecamente seguro quando não é


capaz de liberar energia elétrica (faísca) ou térmica
suficiente para, em condições normais (isto é, abrindo ou
fechando o circuito) ou anormais (por exemplo, curto-
circuito ou falta à terra), causar a ignição de uma dada
atmosfera explosiva, conforme expresso no certificado de
conformidade do equipamento.
Equipamento à Prova de
Explosão (Ex d):

É todo equipamento que está


encerrado em um invólucro
capaz de suportar a
pressão de explosão interna
e não permitir que essa explosão se
propague para o meio externo.
Atmosfera de risco

Condição em que a atmosfera, em


um espaço confinado, possa
oferecer riscos ao local e expor os
trabalhadores ao perigo de morte,
incapacitação, restrição da
habilidade para auto–resgate, lesão
ou doença aguda causada por uma
ou mais das seguintes causas:
Atmosfera de risco:
(Gás/Vapor ou Névoa)

Gás/Vapor ou névoa inflamável em


concentrações superiores a 10% do seu Limite
Inferior de Inflamabilidade LII ou Lower
Explosive Limit LEL;
L.I.I.

10%
Atmosfera de risco:
(Poeiras Combustíveis)

Poeira combustível viável em uma concentração que


se encontre ou exceda o Limite Inferior de
Inflamabilidade LII ou Lower Explosive Limit LEL);
Gases e Líquidos Inflamáveis
Curva de Explosividade
L.I.I. é o ponto L.S.I. é o ponto
onde existe a máximo onde ainda
mínima existe uma
concentração para concentração de
que uma mistura de mistura de ar +
ar + gás/vapor se gás/vapor capaz de
Combustível
inflame. se inflamar.
0% 100% Combust.
L.I.I. L.S.I.
POBRE EXPLOSIVA EXPLOSIVA
RICA
Pouco Gás Muito Gás e pouco Ar 0% Ar
100%Ar

Flare
AMOSTRAGEM EM ZONA 0:

Em zona 0 somente poderemos utilizar instrumentos que na sua


totalidade sejam classificados e certificados por OCC do Inmetro,
como sendo intrinsecamente seguro Ex ia.

Importante: Caso o instrumento não seja apropriado para zona


especificada, deveremos fazer uso de sistema de amostragem, tipo
bomba (elétrica ou manual) succionando a amostra para o
equipamento que deverá estar localizado no lado externo do espaço
onde exista a atmosfera potencialmente explosiva.
Atmosfera de risco:
(Atmosferas Tóxica e IPVS)

A concentração atmosférica de qualquer substância cujo Limite


de Tolerância seja publicado na NR-15 do MTE ou
em recomendação mais restritiva (ACGIH) e que possa resultar
na exposição do trabalhador acima desse Limite de Tolerância;

Comparar LT’s da NR-15 e ACGIH e adotar o mais


restritivo.

ACGIH: American Conference of Governmental Industrial Hygienists


Atmosfera de risco:
(Atmosferas Deficientes de Oxigênio)
Concentração de oxigênio atmosférico abaixo de

O2
19,5 % ou acima de 23 % em volume;
IPVS = < 12,5% Volume ao nível do mar.

Teores abaixo de 19,5% podem causar:

>23% Aumento da inflamabilidade dos materiais


20.9% Nivel normal de Oxigênio no ar
19.5% Nivel mínimo de Oxigênio para uma entrada segura.
10-11% A respiração se acelera e falta de coordenação,
incremento da pulsação, euforia e dor de cabeça.
6-10% Nauseas e vômitos, dificuldade de movimentos, perda
de conhecimento, falhas mentais, rosto palido e labios azuis.
<6% A respiração cessa, seguindo de parada respiratória e a
Morte em minutos.
Atmosfera de risco:
(Atmosferas Deficientes de Oxigênio)

Causas da deficiência de oxigênio (1):

Consumo:
Ocorre tanto na combustão, quando o O2 do ar reage com o
material combustível (incêndios, por ex.), como na oxidação de
metais (nas superfícies internas de reservatórios, em
equipamentos de processo de aço-carbono sem pintura e
fechados, e que sofreram jateamento recente, ou tratamento
equivalente: paredes metálicas polidas podem oxidar por meio
de consumo de oxigênio presente e atingir condições IPVS)
Atmosfera de risco:

O2
(Atmosferas Deficientes de Oxigênio)

Causas da deficiência de oxigênio (2):

Diluição:
Dá-se a diluição quando gases inertes são utilizados na
inertização de tanques ou de equipamentos que vão sofrer
manutenção.

Inertização:
Procedimento de segurança num espaço confinado que visa evitar
uma atmosfera potencialmente explosiva através do
deslocamento da mesma por um fluído inerte. Este procedimento
produz uma atmosfera IPVS deficiente de oxigênio.
Atmosfera de risco:
(Enriquecimento / Excesso de Oxigênio)

O ato de respirar excesso de oxigênio se chama Hiperoxia.

Efeitos:

1- vaso dilatação cerebral (risco de edema);

2- riscos no pulmão: bronco displasia (inflamação e espessamento);

3- aumento de radicais livres de oxigênio no sangue, e como


conseqüência: lesão no Sistema Nervoso Central, o que por sua vez
pode piorar o descrito no item 1.
Efeitos da Asfixia Bioquímica pelo
Monóxido de Carbono (CO)

É absorvido pelo pulmão até 100 vezes mais

CO
rápido que o Oxigênio.
•IPVS = 1200 ppm
•Limite de Tolerância (BRA) = 39 ppm;
•TLV(EUA) = 25 ppm

CO x Tempo:
•Ligeira dor de cabeça, desconforto (200ppm x 3hs)
•Dor de cabeça, desconforto (600ppm x 1 h)
•Confusão, dor de cabeça (1000 a 2.000 ppm x 2 hs)
•Tendência a cambalear (1.000 a 2.000 ppm x 1,5 hs)
•Palpitação leve (1.000 a 2.000 ppm x 30 minutos);
•Inconsciência (2.000 a 5.000 ppm);
•Fatal (10.000 ppm).
Efeitos da Asfixia Bioquímica pelo
Gás Sulfídrico (H2S)

H2S Considerado um dos piores agentes ambientais


agressivos ao ser humano. Em concentrações
médias, inibe o olfato.

•LT = 8ppm
•TLV= 10ppm
•IPVS =100 ppm

H2S x Tempo:
•Nenhum (8 ppm x 8 hs)
• Irritação moderada nos olhos e garganta (50 a 100 ppm x 1 h)
• Forte irritação (200 a 300 ppm x 1 h)
• Inconsciência e morte por paralisia respiratória (500 a 700 ppm x 1,5 h)
• Inconsciência e morte por paralisia respiratória (>1000 ppm x minutos).
Análise Preliminar de Risco

Processo de análise onde os riscos aos quais


os trabalhadores possam estar expostos num
espaço confinado são identificados e
quantificados. A avaliação inclui a
especificação dos testes que devem ser
realizados e os critérios que devem ser
utilizados.
Riscos

 Atmosferas perigosas
 Riscos térmicos
 Riscos biológicos
 Riscos ergonômicos
 Riscos mecânicos
 Riscos elétricos
 Ruído
 Vibração
Atmosfera IPVS
Imediatamente Perigosa à Vida ou à Saúde

Qualquer condição que cause uma ameaça imediata à vida ou


que possa causar efeitos adversos irreversíveis à saúde
(instantanea ou retardada, ou exposições agudas aos olhos que
impeçam a fuga da atmosfera perigosa) ou que interfira com a
habilidade dos indivíduos para escapar de um espaço
confinado sem ajuda.
ATMOSFERA IPVS:
( Condição imediatamente Perigosa á vida ou à Saúde)

Cutânea: Agente Químico:


Os agentes tóxicos Poderá ser introduzido no
podem atuar na pele organismo através de
por reação direta ou uma ou mais vias:
penetrando-a

Gastrointestinal: Respiratória:
Ingestão, absorção Inalação
(quando o trabalhador (gases, vapores ou
fuma ou come no aerossóis) – principal via de
ambiente de trabalho) penetração de sustâncias
tóxicas no organismo
OBRIGADO

Você também pode gostar