Você está na página 1de 93

O Recém Nascido

PARTE 1
Dra.Mara S. R. Freitas
Período Neonatal
Começa ao nascimento e vai até 28
dias completos.
Neonatal precoce: 0 a 7 dias vida.
Neonatal tardio: 8 a 28 dias.
Classificação Idade Gestacional(IG) ao Nascimento
• RNT (recém-nascido à termo): IG 37semanas(sem) a 41s 6 dias(d);

• RNPT(recém-nascido pré-termo): IG < 37 sem;


• RNPT leve ou tardio: IG 34s a 36s 6d;
• RNPT moderado: IG 30s a 33 s 6d;
• RNPT extremo: IG 26s a 29s 6d;
• RNPT muito extremo: IG 23s a 25s 5d;

• RN pós-termo: IG≥ 42 sem


Semiologia ao
nascimento
Antes do Parto
• História Gestacional.

• Idade Gestacional.

• Eventuais intercorrências.
Dados Relevantes
Durante o parto
• Avaliar bem estar fetal;

• Tempo rotura de membranas;

• Aspecto líquido amniótico;

• Apresentação fetal;

• Tipo parto;

• Aspecto cordão e placenta.


Imediatamente após o Nascimento
• Avaliação rápida da vitalidade( presença respiração, FC, cor das mucosas e
extremidades);
• Verificar cordão umbilical (2 artérias e 1 veia);

• Exame físico geral e simplificado que permita: verificar grau de maturidade fetal,
adequação peso à idade gestacional, detectar malformações e deformações,
distúrbios cardíacos e respiratórios.
• Escala APGAR
Peso ao nascer
• Deve ser mensurado idealmente na 1ª
hora de vida.
• Classificação segundo OMS:

• Peso Insuficiente: 2500 a 2999


gramas;
• Baixo Peso < 2500g;

• Muito Baixo Peso < 1500g;

• Extremo Baixo Peso < 1000g.


Adequação peso
a idade
gestacional
Exame físico do
Recém-nascido
Qual momento ideal?
Exame Físico
Exame Físico Geral
• Dados Antropométricos.

• Durante a internação o peso deve ser diário.

• RNT perde cerca de 5-10% peso ,com recuperação do PN ao redor do quinto dia de vida,
porém, não é incomum ainda apresentar peso inferior ao do nascimento com 10 a 14 dias de
vida.
• RNPT perde até 15% do peso de nascimento. Período de estabilização varia de 7 a 21 dias.

• Avaliação comprimento: RNT masc= 45 a 55cm e fem= 45-51cm.

• Perímetro Cefálico (PC) = 32 a 36cm RNT.

• Perímetro torácico(PT) > PC em até 2 a 3cm.

• Temperatura normal: 36,5 a 37,5°C.


Pele e Anexos
• Fácies: típica ou atípica
Pele e Anexos
• Temperatura e Umidade

 RNPT: pele fina e gelatinosa;

 RNT: pele lisa, brilhante, úmida e fina;

 Pós-termo: pele seca e enrugada , pode ter descamação


Pele e Anexos
Cor rosácea Palidez cutânea
Pele e Anexos
Cianose periférica Cianose central
Pele e Anexos:
Cutis marmorata: cianose
reticular corpo e extremidades
Pele e Anexos
Bebê arlequim: linha
delimitando hemicorpo D e E
Pele e Anexos : lesões e achados fisiológicos
• Dermatoses aparecem em cerca 90% dos recém nascidos.
Milium sebáceo
Melanose pustulosa
Acropustulose
Miliária = Brotoejas
Crosta láctea
Mancha mongólica
Eritema tóxico
Hemangiomas
Manchas
ectásicas
Ectasia transitória capilares
dérmicos
Lanugem
Vérnix caseoso
Material gorduroso e esbranquiçado.
Fornece proteção e isolamento
térmico.
Icterícia
Cabeça e Pescoço
Crânio
• Observar forma e dimensões; palpação para avaliar partes moles, suturas e
fontanelas
Crânio
Craniotabes Craniossinostose
Couro cabeludo
Bossa serossanguinolenta Cefalohematoma
• Edema partes moles entre couro • Tumefação firme e flutuante, restrita
cabeludo e periósteo, na área de aos limites ósseos; rompimento vaso
apresentação fetal. subperiostal
Olhos
• Observar tamanho, forma e posição.

• Geralmente no 1º exame físico as pálpebras estão edemaciadas pelo uso colírio.

• Conjuntivite química surge nas primeiras horas de vida e dura 2 a 3 dias.

• Estrabismo não paralítico (falta paralelismo eixos visuais) é fisiológico até sexto
mês.
• Teste reflexo vermelho deve ser realizado nos primeiros dias de vida.
Olhos
• Hipertelorismo:

• Hipotelorismo:
Olhos
• Microftalmia: • Buftalmia:

• Anoftalmia: • Exoftalmia ou Proptose:


Olhos
Hemorragia retina Hemorragia subconjuntival
• Compressão cabeça durante parto • Ocorre durante o parto, comum RN;
vaginal; reabsorve em até 6 semanas. desaparece em 1-2 sems
Orelhas
• Observar forma, tamanho, posição, presença canal e deformidades.

• Recomenda-se triagem auditiva em todas as crianças até os 3 meses de idade.


Nariz
• Avaliar forma, tamanho, definição sulconasolabial e permeabilidade.
Boca
• Observar língua, superfície oral , palato e úvula.

• Observar RN em repouso e chorando.

• RN pode apresentar 1 ou 2 dentes ao nascimento.


Boca
• Pérolas Epstein: cistos retenção • Rânula: formação cística assoalho da
glândulas mucosas ao longo da linha boca.
média palato.

• Nódulos Bohn:
Boca
Lábio leporino Fenda palatina
Lábio leporino e
Fenda palatina
Pescoço
• Extensão : verificar presença de fendas ou cistos.

Linfangioma

Higroma cístico Teratoma cervical


Pescoço
Palpar m. esternocleidomastoideo :
Torcicolo congênito.
Avaliar rotação, flexão lateral, flexão
anterior e extensão.
O Recém Nascido
PARTE 2
Dra.Mara S. R. Freitas
Tórax
Tórax
• Inspeção é mais valiosa que percussão e ausculta.

• Formato normal de sino levemente achatado na base.

• Assimetria torácica: decorre de forças internas que interferem


no volume pulmonar ou da presença de massas intratorácicas
anormais.
Tórax
Hipertrofia mamária Hipertelorismo mamilar
• Exposição aos hormônios maternos; • Pode estar presente síndrome
inicia final da 1ª semana de vida até hidantoína fetal; trissomias 4,8,18 e
final primeiro mês. 20; síndrome Turner.
Semiologia respiratória
• Padrão respiratório: FR, ritmo, periodicidade, movimentos respiratórios
assimétricos.
• Trabalho respiratório: BAN, gemido respiratório,retrações torácicas, head bobbing.

• Cor: cianose, palidez.

• Lembrar que RN é respirador nasal obrigatório.


Distúrbios do Ritmo respiratório
Apnéia Respiração periódica
• Pausa respiratória ≥ 20 segundos, • Padrão particular RNPT ,
acompanhada de bradicardia, cianose caracterizado por períodos 10 a 15
e ↓ Sat.O2. segundos de movimentos
respiratórios, intercalados por pausas
de 5 a 10 segundos.
Trabalho Respiratório
Head bobbing
Trabalho respiratório(BAN,gemência,respir. em
balancim, TSD e IC)
Semiologia cardíaca
Semiologia cardíaca
• Disfunções cardiovasculares repercutem diretamente no aparelho respiratório.

• Sopros e arritmias podem estar presentes ao nascimento e ter caráter transitório,


principalmente nas primeiras 48hs.
• Cianose ou palidez: um dos principais sinais presentes em RNs com cardiopatia
congênita.
• Ausência de cianose não descarta não descarta a presença de cardiopatia grave.

• Impulso precordial: visível nas primeiras horas vida na parte inferior da borda
esternal E. Desaparece na 6ª hora vida. Persistência após 12 horas vida pode indicar
defeitos estruturais.
Semiologia cardíaca
• Tempo de enchimento capilar(TEC): pesquisar terço médio do esterno ou na região
central da fronte; TEC < 3 segs.
• Palpação pulsos periféricos: braquiais, femorais e radiais.

• PA não é aferida de rotina.


Abdome
Semiologia Abdominal
• Inspeção é principal ferramenta propedêutica.

• Perímetro abdominal(PA) :
• RNPT < 30-32 sems: PA < PC
• RNPT entre 32-36 sems: PA=PC
• RN > 36 sems: PA > PC.

• Distensão abdominal sugere obstrução

• Abdome escavado sugere hérnia diafragmática.


Coto umbilical
Coto umbilical

• Gelatinoso inicialmente → mumifica entre 3º e 4º DV → solta-se entre 6º e 15º DV.

• Defeitos:
Coto umbilical
Mecônio
Eliminação mecônio ocorre nas
primeiras 24 hs.
Palpação abdominal
• Superficial e profunda.

• Fígado pode ser palpável de 1 a 2 cm


RCD.
• Rins e baço não são palpáveis.

• Geralmente massas abdominais


envolvem rins ou vias urinárias.
Ausculta abdome
• Ruídos hidroaéreos(RHA) aumentados: sugere obstrução.

• RHA ausentes: doença grave.


Região inguinal e genital
Genital masculino
• Pênis entre 2-3cm.

• Glande não está exposta.

• Orifício prepúcio é estreito.

• Meato uretral:

• Face ventral Face dorsal


Genital masculino
• Bolsa Escrotal: inspecionar quanto aspecto da pele, cor, rugas, edema e equimose.
• Palpação verificar presença de testículos, sensibilidade e tamanho testicular.

• Principais causas alteração tamanho escroto no RN:


• Aumento tamanho: hidrocele, hérnia inguinal, torção do cordão espermático ou
testicular,orquiepididimite, hematocele, infarto testículo, orquite sifilítica, TU testículo.
Hérnias região inguinal
• Mais comum prematuro e sexo masculino.

• São tumorações região ínguino escrotal no menino ou no monte de vênus na menina.

• Correção cirúrgica deve ser precoce.


Genital masculino
• Principais causas alteração tamanho escroto no RN:
• Diminuição tamanho: distopia testicular, síndrome testículo rudimentar, testículo atrófico,
infarto antenatal do testículo, torção cordão espermático.
Genital feminino
• Tamanho grandes lábios depende do depósito de gordura e da IG.

• Tamanho clitóris é acentuado e hímen proeminente.

• Pode ocorrer secreção esbranquiçada ou translúcida decorrente estrogênio materno.

• Pode ocorrer sangramento no 2º ou 3º dia de vida.

• Importante observar orifício uretra e da vagina.


Genitália ambígua
• Necessário avaliação cuidadosa antes de declarar o sexo da criança: cariótipo, US
pélvica.
• Classificação: Aparentemente masculina, Indeterminada, Aparentemente feminina.
Ânus
• Verificar permeabilidade anal.

• Nem sempre a patência pode ser determinada pela inspeção.

• Presença de mecônio não afasta anomalia anorretal.


Osteoarticular
Coluna
• Deve ser inspecionada e palpada em toda extensão.

• Especial atenção regiões lombar e sacral.


Quadril
• Luxação congênita do quadril (LCQ) ou displasia desenvolvimento do quadril →
deslocamento contínuo dos ossos do quadril → não permite perfeita articulação
cabeça do fêmur com acetábulo.
Extremidades
• Avaliar simetria , tamanho, amplitude de movimentação ativa e passiva,
deformidades.
• Focomelia
Extremidades
• Dedos:
• Sindactilia:

• Polidactilia:
Extremidades
• Pé equinovaro:
Extremidades
• Genu recurvatum: deformidade postural joelhos associada a posição pélvica.
Fraturas por tocotraumatismo
• Clavícula, úmero ou fêmur.
Sistema Nervoso
Sistema Nervoso
• Avaliar comportamento, tônus muscular, reflexos de desenvolvimento.

• Avaliar tipo choro.

• REFLEXOS PRIMITIVOS

Você também pode gostar