Você está na página 1de 14

Mecânica dos

Solos
Professor: José Antonio de Lima Vieira
Email: professor.joseantonio.fama@gmail.com
Mecânica dos Solos I
Prof. José Antonio de Lima Vieira
Aula – Tensões no solo 2

Tensões no solo
• Considera-se para os solos que as forças são transmitidas de partículas para
partículas e algumas suportadas pela água dos vazios.

• Essa transmissão depende do tipo de mineral


→ partículas maiores :
A transmissão das forças são através do contato direto de mineral a mineral

→partículas de mineral argila: (número grande)


As forças em cada contato são pequenas e a transmissão pode ocorrer através da água
quimicamente adsorvida.
Mecânica dos Solos I
Prof. José Antonio de Lima Vieira
Aula – Tensões no solo 3

Tensões no solo
Água adsorvida

• Água mantida na superfície dos grãos de um solo por


esforço de atração molecular.
Tensão total em um meio contínuo:
• Forças transmitidas à placa; que podem ser normais e
tangenciais. Por uma simplicidade sua ação é
substituída pelo conceito de tensões.
Mecânica dos Solos I
Prof. José Antonio de Lima Vieira
Aula – Tensões no solo 4

Tensões Geostáticas
Tensões na massa de solo

→ Tensões devido ao peso próprio;

→ Tensões devido a propagação de cargas externas aplicadas ao terreno.

• Tensões devido ao peso próprio do solo

Quando a superfície do terreno é horizontal, aceita-se, que a tensão atuante num


plano horizontal a uma certa profundidade seja normal ao plano. Não há tensão
cisalhante nesse plano.  v   n .h
Mecânica dos Solos I
Prof. José Antonio de Lima Vieira
Aula – Tensões no solo 5

Tensões Geostáticas
Tensões na massa de solo

→ Tensões devido ao peso próprio;

→ Tensões devido a propagação de cargas externas aplicadas ao terreno.


Nível d’água

zw q

z sz z sz z sz
sh sh

sz = gz sz = gz + gwzw sz = gz + q
Mecânica dos Solos I
Prof. José Antonio de Lima Vieira
Aula – Tensões no solo 6

Tensões Geostáticas
Exercício 1 – Calcule a tensão total a 15m de profundidade.

   .h
Mecânica dos Solos I
Prof. José Antonio de Lima Vieira
Aula – Tensões no solo 7

Tensões Geostáticas
• Pressão neutra ( ou poropressão) – u ou uw
• Corresponde a carga piezométrica da Lei de Bernoullli.
• Independe dos vazios do solo
• f(profundidade em relação ao N.A.) w wu   .z
• zw=altura da coluna d’água.
Tensão Normal Total (soma de duas parcelas)
(1) A tensão transmitida pelos contatos entre as partículas, denominada tensão efetiva
(σ’)
(2) A pressão da água, denominada de pressão neutra ou poropressão.
 '   u
Poropressão
Tensão total
Mecânica dos Solos I
Prof. José Antonio de Lima Vieira
Aula – Tensões no solo 8

Tensões Geostáticas
Exercício 2 – Calcule a Tensão total e a
poropressão a 15m. q = 50 kPa
Mecânica dos Solos I
Prof. José Antonio de Lima Vieira
Aula – Tensões no solo 9

Tensões Geostáticas
Terzaghi estabeleceu o Princípio da Tensões Efetivas:

 A tensão efetiva, para os solos saturados, pode ser expressa por:

 '   u
Poropressão
Tensão total

 Todos os efeitos mensuráveis resultantes de variações de tensões nos solos, como


compressão e resistência ao cisalhamento são devidos a variações de tensões efetivas.
Mecânica dos Solos I
Prof. José Antonio de Lima Vieira
Aula – Tensões no solo 10

Tensões Geostáticas
Terzaghi estabeleceu o Princípio das Tensões Efetivas:

“Se a tensão total num plano aumentar, sem que a pressão da água aumente, as forças
transmitidas pelas partículas nos seus contatos se alteram, as posições relativas dos
grãos mudam”
O aumento de tensão foi efetivo! Nos solos as
deformações
correspondem a
variações de forma
ou de volume do
conjunto, resultantes
do deslocamento
relativo de
partículas.
Mecânica dos Solos I
Prof. José Antonio de Lima Vieira
Aula – Tensões no solo 11

Tensões Geostáticas
Princípio da Tensões Efetivas e Neutras

Tensões = 1 kPa Tensões = 1 kPa


Repouso Deformação Sem Deformação
(saída de água dos (Pressão atua também
vazios) nos vazios)
Acréscimo de Tensões Pressão Neutra
Efetivo
Mecânica dos Solos I
Prof. José Antonio de Lima Vieira
Aula – Tensões no solo 12

Tensões Geostáticas
 Exercício 3 : Considere o perfil abaixo. Trace o gráfico da variação de σ, u e σ’, a
0m ; 4m ; 7m e 15m. Considere os pesos específicos informados, sendo sat.
NA
Diagrama de tensões
0m
argila orgânica mole preta
g = 15 kN/m3
-4 m Tensão Efetiva
areia fina argilosa medianamente compacta
g = 19 kN/m3
-7 m
Tensão Total

argila siltosa mole cinza escuro


g = 17 kN/m3 Poropressão

-15 m
solo de alteração de rocha 0 50 100 150 200 250 300

kPa
Mecânica dos Solos I
Prof. José Antonio de Lima Vieira
Aula – Tensões no solo 13

Tensões Geostáticas
 Exercício 4 : Traçar os diagramas de tensão para os pontos de interesse;
Mecânica dos Solos I
Prof. José Antonio de Lima Vieira
Aula – Tensões no solo 14

Tensões Geostáticas
 Exercício 5 : Nas condições do exercício anterior, Após rebaixar-se o NA para a cota-6m, remoção da
argila orgânica e lançamento de um aterro de extensão infinita até a cota +4m. Para o aterro, g = 18
kN/m3 .;

Você também pode gostar