Você está na página 1de 121

CONSTRUÇÃO DE PONTES

COM ADUELAS
PRÉ-FABRICADAS
INTRODUÇÃO

Um dos aspectos que mais condiciona o processo de


concepção de uma ponte consiste na tomada de decisão sobre
qual método construtivo adotar.

Utilização de aduelas:
- Elevado grau de rendimento, mecanização e menor
quantidade de mão-de-obra necessária;

- Adaptabilidade para construir em ambientes densamente


urbanizados.
CONSTRUÇÃO DE PONTES COM ADUELAS

POR AVANÇOS SUCESSIVOS

A construção do tabuleiro se proceder a partir dos seus apoios,


através do assentamento de aduelas de modo equidistante de
cada lado dos pilares, constituindo-se um par de consolos.
• Vãos compreendidos entre os 70 e os 90 metros;

• Vantajoso para a construção de superestruturas com


alinhamento curvo, com raios curtos;

• Um par de aduelas em cada período de 5 a 10 dias.

• Possibilidade de se dispensar escoramentos;

• Efetuar um rigoroso controle geométrico;

• Complexidade da operação de avanço da forma


• Elevação por grua

Consiste numa solução bastante


simples em que é apenas
necessária uma grua para elevar
individualmente cada aduela
• Elevação por guincho de elevação

Dispositivos de elevação são


colocados na parte superior da
extremidade dos consolos em
construção e vão avançando à
medida que a superestrutura
vai sendo construída
• Lançadeira
CONSTRUÇÃO DE PONTES COM ADUELAS

POR DESLOCAMENTOS SUCESSIVOS

Consiste na construção da superestrutura por segmentos atrás


de um dos encontros e na sua sucessiva translação longitudinal
de uma distância igual ao comprimento de um segmento.
• Lançadeira superior e inferior
Provavelmente o sistema mais comum de construção tramo a
tramo
• Cimbre

Esta solução apresenta grande conveniência para projetos


onde, devido ao número insuficiente de vãos, não se justifica o
elevado investimento de capital numa lançadeira.
CONSTRUÇÃO DE PONTES COM ADUELAS

POR TIRANTES

• Tirantes provisórios
CONSTRUÇÃO DE PONTES COM ADUELAS

POR TIRANTES

• Tirantes definitivos
METODOLOGIA DE PRÉ-
FABRICAÇÃO DE ADUELAS

Pré-fabricada no local da obra

Pré-fabricada em fabrica de
aduelas próxima
Tecnologia de Fabricação

Linha Produção Linha de


Curta Produção Longa
Linha de Produção Curta
• Fabricação de cada segmento em células
• Concretagem com moldes exteriores ajustáveis
• Molde inferior móvel e ajustável
Linha de Produção Curta
Remoção da aduela
Registro das para a zona de
características das Armazenamento
aduelas Deslocamento da
Remoção do sistema Aduela produzida para
de formas a realização dos ajustes
geométricos
Linha de Produção Curta
Reposicionamento do Instalação do sistema de
tabuleiro de formas exterior
concretagem com os Execução da
devidos ajustes concretagem da aduela.
Instalação da
armadura da aduela
Linha de Produção Curta
• Toda operação é feita em um curto espaço de tempo, dependendo do tempo
de cura do concreto de cada nova aduela
• O concreto normalmente é do tipo auto-adensável
• Esta tecnologia consegue se adaptar a vários tipos de tabuleiros em planta e
perfil
Linha de Produção Curta
Vantagens

• Requer menor espaço para a instalação do dispositivo de pré-


fabricação
• Possibilidade de executar superestruturas com alinhamentos
variáveis em planta e perfil
• sem grandes modificações na configuração dos moldes
• Possibilidade de identificar possíveis erros geométricos
imediatamente após à pré-fabricação de uma aduela

Desvantagens

• Requer um controle geométrico complexo


• Custos operacionais relativamente elevados
Linha de Produção Longa
• Consiste numa longa plataforma de concretagem
• Geometria apropriada para cada tabuleiro
• Maquina de concretagem se Movimenta longitudinalmente
Linha de Produção Longa
Linha de Produção Longa
Vantagens

• Processo exige um controle geométrico menos complexo


• É a solução mais indicada para situações de elevada complexidade
geométrica da superestrutura.
• Após a desmolde de uma aduela não é necessário deslocá-la de imediato
para a zona de armazenamento
• Indicado para superestruturas retas ou com curvatura constante

Desvantagens

• Requer grande espaço para a instalação da cama de concretagem


• Não é o método indicado para superestruturas de alinhamento variável
• Exige-se que a cama de concretagem esteja corretamente fundada com
propósito de evitar assentamentos diferencias que interfeririam na
geometria final da superestrutura.
Fatores relevantes para
escolha do sistema
Controle Geométrico das
aduelas
• Nos primeiros tempos de aplicação desta tecnologia
construtiva, verificou-se que os efeitos de segunda ordem nos
cálculos geométricos não tinham sido entendidos
propriamente.
• Problemas no alinhamento final da superestrutura
• Aduelas pré-fabricadas exigem controle geométrico na
fabricação e na montagem.
Controle Geométrico
durante a pré-fabricação
Antes de iniciar a pré-fabricação o engenheiro deve fazer um
plano de controle contendo:
• Todos os equipamentos de medida, procedimentos e a
localização dos pontos de controle a serem estabelecidos em
cada segmento
• A localização e valores de todos os pontos de referência no
local de pré-fabricação
• Um processo de controlo geométrico relativamente ao
alinhamento vertical e horizontal dos segmentos
• A curva de concretagem
Controle Geométrico
durante a pré-fabricação
• Considerar a estrutura final e a as deformações dependentes do
tempo (fluência e retração)
• Plano de Contra-flecha
• Utilizar programas de controle geométrico
Controle Geométrico
durante a pré-fabricação
Controle geométrico durante a pré-
fabricação na Linha de Produção Curta
Controle geométrico durante a pré-
fabricação na Linha de Produção Curta
Controle geométrico durante a pré-
fabricação na Linha de Produção Curta
Controle geométrico durante a pré-
fabricação na Linha de Produção Curta
• Calcular as coordenadas teóricas de concretagem do segmento [n-1];
• Medição das atuais coordenadas de concretagem;
• Calcular o erro do processo de concretagem do segmento [n-1];
• Calcular a correção a ser efetuada na concretagem do segmento [n] que tem como
contramolde o segmento [n-1];
• Ajustar o segmento [n-1] por forma a proceder a essa compensação de erro, no
processo de concretagem do segmento [n].
Controle geométrico durante a instalação
das aduelas
Método dos avanços sucessivos :
• controle feito já com algumas aduelas unidas(na fase de
concretagem da junta de fecho) e após a estrutura estar
completa.
• Cálculo da diferença que se verifica num determinado ponto
entre a sua cota (içada) e coordenadas (em planta) reais
obtidas por métodos topográficos
Controle geométrico durante a
instalação das aduelas
Método “tramo a tramo “
• o controlo geométrico apresenta relativa complexidade.
• As aduelas são todas posicionadas sobre o vão em construção,
alinhadas geometricamente, sendo todo o vão corretamente
posicionado, com o auxílio de um sistema de macacos
hidráulicos, nos apoios.
Controle geométrico durante a
instalação das aduelas
• Correções em planta e em perfil dos consolos em construção, através de
ajustes efetuados ao nível do dispositivo de apoio sobre o pilar
• Processo de shimming, que possibilita ajustes através da aplicação ou da
redução da resina epóxi aplicada nas juntas entre aduelas.
• Ajustes verticais e/ou horizontais através de alterações nas juntas de
concretagem in-situ
Manuseamento, armazenamento e
transporte de aduelas
• Só devem ser manuseadas após o concreto atingir a resistência
necessária (20 MPa);
• Elementos frágeis: faces com chaves de encaixe constituídas
apenas por concreto;
• Tempo de instalação é inferior ao de pré-fabricação;
• Transporte por mecanismos de elevação;
• Espaços reduzidos:
 Armazenamento em camadas;
 Consolidação do solo;
 Colocadas sobre 3 apoios.
Manuseamento, armazenamento e
transporte de aduelas
• Quando o local de pré-fabricação se encontra a grandes
distâncias da obra, as aduelas podem ser transportadas por
diversos meios de transporte, por exemplo de comboio,
camião e de barco.
Juntas entre aduelas pré-fabricadas
• Locais de descontinuidade;

• Tipos:
 Juntas de primeira geração;
 Juntas de segunda geração;
 Juntas com resina epóxi;
 Juntas secas.
Juntas de primeira geração
• Sistema de chaves singulares de relativamente grandes
dimensões no topo e alma das aduelas;
• Não ofereciam um acréscimo de resistência ao corte;
• Incorreto fabrico e aplicação de resinas.
Juntas de segunda geração
• Adopção de um sistema de chaves múltiplas;

• Dimensões: 3 cm de profundidade, 10 cm de altura;

• Distribuição dos esforços ao longo das almas o mais


uniformemente possível;

• Não necessitam de armadura de reforço;


Juntas de segunda geração
Juntas de segunda geração
Vantagens:

• Retirar a função estrutural da resina epóxi;


• Melhoria da segurança estrutural;
• Simplicidade de execução.

Tipos de juntas relativas a aduelas de 2ª geração:

• Juntas coladas através de uma fina camada de resina epoxi;


• Juntas secas;
Juntas com resina epóxi
• Melhora o seu comportamento em serviço e a sua
impermeabilização;
• Funções parciais de transmissão de esforços de compressão e
corte na fase de serviço da estrutura;
• Tabuleiros dimensionados com pré-esforço interior irão exigir
a aplicação de resina epóxi;
• Facilita a assemblagem das aduelas lubrificando as superfícies
de contato das juntas, aumentando também a precisão
geométrica no encaixe.
Juntas com resina epóxi
Desvantagens:

• Pode causar transferências não uniformes de vários esforços;

• Dependência das condições climáticas ambientais;

• Necessidade de aplicação de pré-esforço temporário.


Juntas secas
• Utilizado principalmente a construção tramo a tramo com pré-
esforço exterior;

• Processo mais simplificado de instalação do tabuleiro;

• Deve-se ter alguns cuidados no que concerne à prevenção da


penetração da água pela laje superior;
 Inserir um tubo pré-formado na ranhura em toda a largura da
laje superior;
 Aplicação de resina epoxi numa ranhura localizada na laje
superior.
Juntas secas
Sistema de pré-esforço longitudinal

Tipos:
• Pré-esforço interior aderente;

• Pré-esforço exterior não aderente.


Cabos de pré-esforço

• Os cabos de pré-esforço aderente são aplicados dentro de


bainhas localizadas dentro da seção de betão;

• Os cabos exteriores não aderentes são tipicamente exteriores à


secção de betão. São ligados à superestrutura através de
ancoragens e por desviadores.

• Desempenham papel essencial a nível estrutural. Dependendo


de fatores como o método construtivo e a extensão do vão,
serão utilizados diferentes traçados.
Cabos de pré-esforço: construção
por avanços sucessivos

• Localizados na parte superior das aduelas constituintes da


consola;

• Momentos negativos que se opõem ao peso próprio da


estrutura e as ações resultantes do seu processo construtivo.
Cabos de pré-esforço: sistema de
cabos de continuidade

• Geralmente percorrem toda a estrutura;

• Suportam as ações variáveis e conferem continuidade


estrutural entre os vãos.
Cabos de pré-esforço: construção
tramo a tramo
• Aplica-se pré-esforço exterior não aderente.

• No caso de ocorrência de ações sísmicas poderá ser necessário


aplicar pré-esforço com baixa tensão.
Sistema de pré-esforço interior
Disposição construtiva:
• Requer a aplicação de juntas coladas.

Vantagens:
• Geram momento resistente maior;
• Dimensionamento mais simples e preciso.

Desvantagens:
• Desvantagem na fase de pré-fabricação das aduelas;
• Exige a aplicação de resina epóxi nas juntas.
Sistema de pré-esforço interior
Disposição construtiva:
• Requer o dimensionamento de blocos de ancoragem e desviadores ao
longo da superestrutura.

Vantagens:
• Bainha dos cabos não se encontrar dentro da seção;
• Menor perda de pré-esforço por atrito;

Desvantagens:
• Demasiadamente pesadas quando necessário construir grandes
maciços de ancoragem;
• Custo adicional com bainhas, ancoragem e desviadores.
• Os cabos são mais acessíveis tornando-os mais vulneráveis às ações
externas.
Qual solução optar?
• Comprimento do vão a vencer;

• Método construtivo.

• Exemplos:
 Pontes com longos vãos caracterizados por alinhamentos curvos
apertados são construídas por avanços sucessivos e o pré-esforço
geralmente adotado será o interior.
 Para pontes constituídas principalmente por pequenos vãos são
comumente construídas tramo a tramo utilizando pré-esforço
exterior.
Aduelas Pré- Fabricadas
Comportamento sísmico

• Pré- Fabricadas x Concretadas no local


•Aspectos do dimensionamento
•Ductilidade
Aduelas Pré- Fabricadas
Comportamento sísmico

Aspectos do dimensionamento
•Rótulas plásticas
Pré carregamento longitudinal
Aduelas Pré- Fabricadas
Comportamento sísmico

Exigências AASHTO:
•Juntas epoxi
•Juntas concretada in-situ
•Mínimo de 50% pré- esforço interno
Aduelas Pré- Fabricadas
Construção tramo a tramo

•Lançadeira superior de aduelas


Aduelas Pré- Fabricadas
Construção tramo a tramo

•Lançadeira superior de aduelas


•Processo construtivo


Aduelas Pré- Fabricadas
Construção tramo a tramo

•Lançadeira superior de aduelas


•Processo construtivo


Aduelas Pré- Fabricadas
Construção tramo a tramo

•Lançadeira superior de aduelas


•Processo construtivo


Aduelas Pré- Fabricadas
Construção tramo a tramo

•Lançadeira superior de aduelas


•Diagrama de construção
Aduelas Pré- Fabricadas
Construção tramo a tramo

Lançadeira superior de aduelas


Vantagens

1. Método construtivo automatizado


2. Reduzida mão de obra
3. Possibilita bons acessos à frente de trabalho
Aduelas Pré- Fabricadas
Construção tramo a tramo

Lançadeira superior de aduelas


Desvantagens

1. Curvatura do vão limitada pelo equipamento


2. Limitação relacionada com a largura da aduela e o
comprimento do vão
Aduelas Pré- Fabricadas
Construção tramo a tramo

Lançadeira inferior de aduelas


Aduelas Pré- Fabricadas
Construção tramo a tramo

Lançadeira inferior de aduelas


Processo construtivo
Apoio das lançadeiras nos pilares
Aduelas Pré- Fabricadas
Construção tramo a tramo

Lançadeira inferior de aduelas


Processo construtivo
Aduelas Pré- Fabricadas
Construção tramo a tramo

Lançadeira inferior de aduelas


Processo construtivo
Aduelas Pré- Fabricadas
Construção tramo a tramo

Lançadeira inferior de aduelas


Vantagens
1. Simplicidade do procedimento construtivo
2. Velocidade execução
3. Reduzida mão de obra
4. Não são geradas ações adicionais sobre o
tabuleiro durante o processo
Aduelas Pré- Fabricadas
Construção tramo a tramo

Lançadeira inferior de aduelas


Desvantagens
1. Curvatura limitada pela lançadeira reta
2. Necessidade de uma grua
Aduelas Pré- Fabricadas
Construção tramo a tramo

Lançadeira inferior de aduelas


• Lançadeira inferior com rótulas
Aduelas Pré- Fabricadas
Cimbre

Procedimento construtivo
Aduelas Pré- Fabricadas
Cimbre

Vantagens
1. Simplicidade e baixo investimento
2. Facilidade de acesso às frentes de trabalho
Aduelas Pré- Fabricadas
Cimbre

Desvantagens
1. Obstrução da área inferior da superestrutura
2. Limitação da cota da superestrutura
3. Necessidade de boas condições do solo, para ação
construtiva
4. Ciclos relativamente lentos
5. Limitação do peso da superestrutura de acordo com a
capacidade do cimbre
PROCEDIMENTOS
CONSTRUTIVOS
ESPECÍFICOS DE
CONSTRUÇÃO O POR
AVANÇOS SUCESSIVOS
LANÇADEIRA DE
ADUELAS

As lançadeiras são geralmente elementos metálicos treliçados
e apresentam um comprimento total superior ao maior vão a
construir

O sistema de lançamento permite um desobstruído acesso a
todas as frentes de trabalho.

Podendo realizar, dependendo contudo da capacidade da
lançadeira, vãos entre os 50 m a 130 metros.
LANÇADEIRA DE
ADUELAS
LANÇADEIRA DE
ADUELAS
LANÇADEIRA DE
ADUELAS

Geralmente uma lançadeira tem dois apoios principais, um na
extremidade anterior da viga e outro mais central e dois
apoios auxiliares, nas extremidades desta, que auxiliam nas
operações de avanço.
PROCEDIMENTO
CONSTRUTIVO

Fase 1: Posição normal de colocação de aduelas, com o apoio
central localizado sobre o pilar e o apoio traseiro ancorado na
extremidade da última aduela construída;
PROCEDIMENTO
CONSTRUTIVO

Fase 2: Colocação da aduela 0 sobre o pilar seguinte. Nesta
fase a lançadeira fixa-se sobre 3 apoios, o apoio traseiro, o
apoio central situado na extremidade da última aduela
construída e a perna dianteira apoiada num suporte anexado
ao pilar dianteiro;
PROCEDIMENTO
CONSTRUTIVO

Fase 3:Preparação para o avanço da lançadeira;
PROCEDIMENTO
CONSTRUTIVO

Fase 4: Lançamento.
VANTAGENS DA
LANÇADEIRA

Adaptabilidade a alinhamentos com curvaturas (horizontais e
verticais) e inclinações exigentes;

Lançadeira é mais leve e de instalação mais econômica em
comparação com as utilizadas na construção tramo a tramo;

Elevada velocidade de construção, podem ser instaladas 6
pares de aduelas por dia

Na fase construtiva, as ações são diretamente transmitidas aos
pilares.
DESVANTAGENS DA
LANÇADEIRA

Investimento de capital relativamente elevado na aquisição da
lançadeira.

O equipamento é relativamente complexo e requer mão de
obra qualificada e experiente
ELEVAÇÃO POR GRUA

Consiste na elevação e lançamento das aduelas de um e de
outro lado do pilar utilizando uma grua.
VANTAGENS DA GRUA

Baixo capital de investimento (gruas são facilmente alugadas
ou têm um elevado valor de revenda);

As gruas podem ser utilizadas para executar outras atividades;

Grande flexibilidade associada a razoáveis velocidades de
construção (dois a três pares de aduelas por dia);

Possibilidade de operar em várias frentes de trabalho.
DESVANTAGENS DA
GRUA

Solução condicionada pela dimensão e peso das aduelas, pela
altura da superestrutura, acessibilidade e condições do local.
ELEVAÇÃO POR GUINCHO

Consiste na utilização de um guincho de elevação suportado
por um pequeno par de vigas de lançamento, ancorado sobre a
parte do tabuleiro já construído.
ELEVAÇÃO POR GUINCHO
VANTAGENS DO GUINCHO

Simplicidade de operação;

Econômico;

Baixo peso do equipamento;
DESVANTAGENS DO
GUINCHO

Necessidade de recolocar o dispositivo de pilar em pilar
através de uma grua;

O funcionamento do sistema resulta numa carga adicional
temporária na extremidade do balanço, precisamente onde
produz efeitos mais prejudiciais;

Requer um considerável espaço para a sua instalação na
superestrutura, o que pode causar problemas no início da
construção;

Necessita de equipamentos auxiliares para a instalação da
aduela 0;
PROCEDIMENTOS
CONSTRUTIVOS
ESPECÍFICOS DE
CONSTRUÇÃO COM
RECURSO A TIRANTES
Tirantes Definitivos
• Inicia-se com a construção da torre de suporte dos tirantes;
• As aduelas são posicionadas pela filosofia de avanços
sucessivos
• Permite o dimensionamento de grandes vãos com seções de
tabuleiro mais reduzidas
Tirantes Provisórios
• As aduelas são instaladas sucessivamente com o auxílio de
uma torre e de tirantes provisórios
• Ao finalizar um tramo, a torre e os tirantes são retirados e
colocados em um novo pilar;
• Ao finalizar um tramo, a instalação do pré-esforço final é feita
progressivamente;
Tirantes Provisórios

• Acarreta menos custos em relação a outros métodos


de pré esforço;
• Apresenta elevados padrões de segurança;
• Permite a construção de tabuleiros em zonas
sensíveis, com vários tipos de condicionalismo,
recorrendo a materiais simples;
Critérios de
dimensionamento de
lançadeiras
Fase de avanços Fase de colocação de
Ações consideradas: aduelas
• Permanentes: Peso Ações consideradas
próprio da lançadeira e • Permanentes: Peso
plataformas auxiliares e próprio da lançadeira e
ligações; plataformas auxiliares e
• Variáveis: Carga ligações;
construtiva de materiais • Variáveis: Vento e
e velocidade do vento sobrecarga
Critérios de dimensionamento
de lançadeiras
Aspectos técnicos a serem analisados
• Capacidade de suporte da lançadeira
• Capacidade de elevação
Estrutura de Custos
Agrupamento de despesas em estruturas
de aduelas pré-fabricadas

• Pré-fabricação
• Armazenamento
• Instalação
Estrutura de Custos
• Pré-fabricação
• Preparação do terreno;
• Mão-de-obra qualificada;
• Equipamentos;
• Edificação do recinto de fabricação;
• Maquinário para montagem de armaduras;
• Controle geométrico;
Estrutura de Custos
• Armazenamento
• Preparação do terreno;
• Mão-de-obra qualificada;
• Dispositivos de apoio de aduelas;
• Equipamentos para a movimentação das aduelas;
• ;
Estrutura de Custos
• Armazenamento
Estrutura de Custos
• Instalação
• Equipamentos de instalação de aduelas;
• Elementos estabilizadores (método de avanços sucessivos
• Edificação do recinto de fabricação;
• Tirantes provisórios;
• Equipamentos para instalação de pré esforço
• Produção e aplicação de resina epóxi nas juntas;
• Mão-de-obra qualificada.
SEGURANÇA E
COMPORTAMENTO
ESTRUTURAL –
ASPECTOS DE
CÁLCULO E
DIMENSIONAMENTO
Métodos de análise
Análise Elástica Análise Plástica
• É utilizada para a análise da • Estimativa de capacidade
superestrutura em serviço; estrutural mediante a
• Toda a superestrutura consideração de rótulas
encontra-se comprimida e plásticas;
todos os esforços e reações • Não possibilita a
são calculados em função do determinação precisa da
comportamento elástico flecha na estrutura;
• Em estruturas com pré- • No entanto, pode ser
esforço, esta análise não é calculada uma flecha plástica
suficiente. da estrutura através de uma
relação aproximada.
Métodos de análise
Análise não linear com método de elementos finitos
• Permite considerar com rigor a existência dos cabos de pré
esforço e determinar a capacidade de rotação das juntas
• As juntas devem ser modeladas geometricamente para se
contabilizar a transmissão de esforços;
• Recomenda-se que o método de análise seja calibrada com
ensaios experimentais.
Fatores de decisão relevantes na
escolha do método construtivo

• Segurança
• Funcionalidade
• Estética
• Economia
• Durabilidade
Fatores de decisão relevantes na
escolha do método construtivo
Fatores ambientais

Solo Topografia Enquadramento Condições


Geologia; Extensão da Proximidade do mar;
Simicidade. ponte; Zonas protegidas; climatéricas
Comprimento Zonas densamente
do vão; urbanizadas;
Alinhamento; Estética.
Acessibilidade
ao local da
obra.
Fatores de decisão relevantes na
escolha do método construtivo
Fatores ambientais

Geologia: Fator neutro, não


Solo acarreta vantagem ou
Geologia; desvantagem.
Simicidade.
Simicidade: Implica na
superestrutura a nível
estrutural e construtivo.
Fatores de decisão relevantes na
escolha do método construtivo
Fatores ambientais

Extensão longitudinal: Grande importância


Topografia no que diz respeito à economia que se pode
Extensão da
obter através desta tecnologia.
ponte;
Comprimento do vão: Aduelas são
Comprimento
utilizáveis em um amplo intervalo de vãos.
do vão;
Contudo, a dimensão necessária para longos
Alinhamento;
vãos pode constituir um problema.
Acessibilidade
Alinhamentos: Exequível com relativa
ao local da
facilidade e de forma mais económica que no
obra.
processo de concretagem in-situ.
Acessibilidade ao local da obra: tipicamente
não será um fator condicionante.
Fatores de decisão relevantes na
escolha do método construtivo
Fatores ambientais

Proximidade do mar: em casos de


alta salinidade, recomenda-se a Enquadramento
aplicação de um concreto de Proximidade do mar;
qualidade superior, afim de Zonas protegidas;
melhorar a durabilidade da Zonas densamente
estrutura. urbanizadas;
Estética.
Zonas densamente urbanizadas:
Reduz-se as perturbações, atrasos ou
interrupções no
tráfego, diminuição de poluição
sonora e ambiental.
Fatores de decisão relevantes na
escolha do método construtivo
Fatores ambientais

Estética: Esta tecnologia construtiva


permite a aplicação de um concreto Enquadramento
mais homogéneo, mais resistente e Proximidade do mar;
com melhor aparência. Zonas protegidas;
Zonas densamente
urbanizadas;
Estética.
Fatores de decisão relevantes na
escolha do método construtivo
Fatores ambientais

As aduelas poderem ser


fabricadas num cenário Condições
semelhante ou mesmo igual à climatéricas
produção industrial, num recinto
próprio, que naturalmente torna
este processo independente das
condições meteorológicas.
Fatores de decisão relevantes na
escolha do método construtivo
Fatores
Técnicos

Sistema Recursos
Estrutural Tempo;
Códigos e Mão-de-obra;
especificações; Espaço;
Aspectos Equipamentos;
técnicos; Conhecimento
Métodos tecnológico;
construtivos e Despesas de
equipamentos. capital.
Fatores de decisão relevantes na
escolha do método construtivo
Fatores
Técnicos

A construção com aduelas pré-


Sistema fabricadas requer conhecimentos
Estrutural técnicos ainda pouco difundidos na
Códigos e literatura científica e pouco
especificações; regulamentada por códigos e
Aspectos especificações.
técnicos; Existem algumas especificidades no
Métodos processo de dimensionamento
construtivos e designadamente ao nível do pré-esforço
equipamentos. longitudinal.
Fatores de decisão relevantes na
escolha do método construtivo
Fatores
Técnicos
A NBR15396 de 12/2017 - Aduelas
Sistema (galerias celulares) de concreto armado
Estrutural pré-moldadas - especifica os requisitos
Códigos e mínimos para fabricação, controle da
especificações; qualidade e recebimento das aduelas
Aspectos (galerias celulares) pré-moldadas e pré-
técnicos; fabricadas em concreto armado para
Métodos execução de obras lineares destinadas à
construtivos e canalização aberta ou fechada de
equipamentos. córregos, drenagens pluviais, esgoto
sanitário, construção de reservatórios
enterrados, poços de visita e/ou
inspeção, galerias técnicas e demais
utilizações.
Fatores de decisão relevantes na
escolha do método construtivo
Fatores
Técnicos
Tempo: é possível dissociar a fabricação
das aduelas constituintes do tabuleiro à Recursos
execução do resto da estrutura. Deste Tempo;
modo, ao mesmo tempo que se fabricam as Mão-de-obra;
aduelas, pode-se construir as fundações e Espaço;
pilares. Equipamentos;
Mão-de-obra: Esta tecnologia construtiva Conhecimento
requer uma com uma qualificação superior tecnológico;
nas várias etapas, principalmente nas fases Despesas de
de fabricação, manuseamento e transporte capital.
das aduelas, no processo de assemblagem
das aduelas, na fabricação e aplicação das
resinas epoxi e controlo geométrico.
Fatores de decisão relevantes na
escolha do método construtivo
Fatores
Técnicos
Espaço: Esta tecnologia demanda canteiros
de consideráveis dimensões. É necessária a Recursos
preparação do terreno no sentido de evitar Tempo;
assentamentos diferenciais. Mão-de-obra;
Equipamentos: É necessário dispor de Espaço;
equipamentos e dispositivos específicos, Equipamentos;
principalmente, no fabricação das aduelas, Conhecimento
no transporte e instalação. tecnológico;
Conhecimento tecnológico: Muito Despesas de
influencia na decisão final sobre o método capital.
a adotar. Neste aspecto a concretagem in-
situ das aduelas é a solução mais indicada.
Fatores de decisão relevantes na
escolha do método construtivo
Fatores
Técnicos
Despesas de capital: A economia da
tecnologia de construção de pontes com Recursos
aduelas pré-fabricadas, de forma genérica, Tempo;
para obras com dimensões consideráveis, é Mão-de-obra;
evidente. Dessa forma é possível justificar, Espaço;
numa perspectiva econômica, o alto Equipamentos;
investimento inicial na instalação do Conhecimento
estaleiro de pré-fabricação, que tecnológico;
tipicamente é dimensionado para a obra Despesas de
em causa, e nos vários equipamentos e capital.
logística.
Conclusão
• A tomada de decisão é muito complexa, pois envolve muitos
fatores ambientais e técnicos.
• Os documentos existentes estão limitados ao
dimensionamento.
• Os processos de pré-fabricação, armazenamento, transporte e
montagem de aduelas ainda não são regulamentados.
• Seria importante o apoio técnico e econômico para a
realização de um tramo de ensaio, afim de se adquirir
experiência e confiança para por em prática esta tecnologia.