Você está na página 1de 30

POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO

INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM


• Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do
Homem
 Política traduz um longo anseio da sociedade Buscar
romper os obstáculos que impedem os homens de
buscar os serviços de saúde
 Mobilizar a população masculina brasileira pela luta e
garantia de seu direito social à saúde
 Expectativa de vida e a redução dos índices de
morbimortalidade por causas preveníveis e evitáveis
nessa população.
INDICADORES DEMOGRÁFICOS
População masculina Idade %

Infância 0-9 20%

Adolescência 10 - 24 31%

Idade adulta 25 – 59 41%

Idoso 60 ou mais 8%
PROBLEMÁTICA
• Vários estudos comparativos entre homens e
mulheres têm comprovado o fato de que os
homens são mais vulneráveis às doenças
• A resistência masculina à atenção primária
aumenta a sobrecarga financeira da sociedade
• A não-adesão às medidas de atenção integral
decorre das variáveis culturais
• Os homens têm dificuldade em reconhecer
suas necessidades
• Homens para a não procura pelos serviços de
atenção primária está ligada a sua posição de
provedor
• A Política Nacional de Atenção Integral à
Saúde do Homem, portanto, além de
evidenciar os principais fatores de morbi-
mortalidade
METODOLOGIA DE CONSTRUÇÃO DA
POLÍTICA
• Instrumento de planejamento que
princípios,diretrizes e papéis dos órgãos ou
setores responsáveis
• Estrategicamente buscou-se a identificação das
principais enfermidades e agravos à saúde do
homem
• Recorte etário de homens na faixa de 25 a 59
anos foi uma estratégia metodológica
necessária para a consideração da problemática
a ser enfrentada na atenção especializada.
• Foi constatado que aproximadamente 75% das
enfermidades e agravos está concentrada, cinco
grandes áreas especializadas
• A mudança do foco programático, saindo do
restrito campo da “adesão a programas
assistenciais de saúde
• A Política de Atenção Integral à Saúde do Homem
busca oferecer subsídios à reflexão dos
determinantes da saúde do homem
CONTEXTUALIZAÇÃO DOS AGRAVOS
• A violência fenômeno difuso, complexo, multi-causal

• O homem é mais vulnerável à violência, seja como


autor, seja como vítima

• A integralidade na atenção à saúde do homem


implica na visão sistêmica sobre o processo da
violência
• População privada de liberdade: grande maior parte
da população carcerária no Brasil é formada por
homens.
ALCOOLISMO E TABAGISMO
• O uso abusivo do álcool é responsável por 3,2% de
todas as mortes e por 4% de todos os anos
perdidos de vida útil.
• Diversos estudos mostram que os homens e as
mulheres bebem com freqüência diferentes
• Avaliar os determinantes sociais de
vulnerabilidade do homem para os problemas com
o álcool torna-se imperioso
PESSOA COM DEFICIÊNCIA
• O maior número absoluto de pessoas com
deficiência encontra-se na população de 40 a
49 anos de idade
• Os homens predominam em relação as
mulheres no caso de deficiência , mental,
auditiva e física
ADOLESCÊNCIA E VELHICE
• A adolescência e a velhice são etapas do ciclo de vida
que maximizam a vulnerabilidade masculina,
requerendo o seu expresso reconhecimento.
• Podem ser compreendidos à luz da crença na

invulnerabilidade e na necessidade social de auto-


afirmação.
• Os adolescentes homens são o principal grupo de
risco para mortalidade por homicídio
MORTALIDADE NO SEXO MASCULINO

• Causas externas

• Patologias do Aparelho circulatório

• Tumores
• Doença do aparelho digestório
• Doenças do aparelho respiratório
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do
Homem

• objetiva orientar as ações e serviços de saúde


para a população masculina
• A implementação da política deverá ocorrer
de forma integrada às demais políticas
existentes
• Essa política tem como princípios a
humanização e a qualidade
ELEMENTOS CONSIDERADOS
• Acesso da população masculina aos serviços de saúde
hierarquizados
• Informações e orientação à população-alvo, aos
familiares e a comunidade
• capacitação precoce da população masculina nas
atividades de prevenção
• Capacitação técnica dos profissionais de saúde para o
atendimento do homem
• Disponibilidade de insumos, equipamentos e
DIRETRIZES
• Entender a Saúde do Homem como um conjunto
de ações integrais
• Nortear a prática de saúde pela humanização e a
qualidade da assistência
• Promover a articulação interinstitucional

• Incluir na Educação Permanente dos


trabalhadores do SUS temas ligados a Atenção
Integral à Saúde do Homem
POLÍTICAS DE SAÚDE
POLÍTICAS DE SAÚDE PARA O HOMEM
BARREIRAS :

•Socioculturais

•Institucionais
POLÍTICAS DE SAÚDE PARA O HOMEM
• POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL
À SAÚDE DO HOMEM
• PORTARIA Nº 1.944, DE 27 DE AGOSTO DE
2009
POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM

• Promover a mudança de paradigma na


percepção do homem sobre a saúde
• captar precocemente a população masculina
• fortalecer a assistência básica no cuidado com
o homem
• capacitar e qualificar os profissionais da rede
básica
• implantar e implementar a atenção à saúde
sexual e reprodutiva dos homens
POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM

• Eixo I: Implantação da Política Nacional


de Atenção Integral à Saúde do Homem
• Eixo II: Promoção da Saúde
• Eixo III: Informação e comunicação
• Eixo IV : Participação, relações
institucionais e controle social
• Eixo V: Implantação e expansão do
sistema de atenção à saúde do homem
POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM

• Eixo VI: Qualificação de profissionais da


saúde
• Eixo VII: Insumos, equipamentos e
recursos humanos
• Eixo VIII: Sistemas de informação
• Eixo IX: Avaliação do Projeto-piloto
PONTOS FUNDAMENTAIS
PERFIL DE MORBIMORTALIDADE
DO HOMEM
PERFIL DE MORBIMORTALIDADE DO HOMEM
• Quantos nós somos?
• Os homens adoecem e morrem
Principalmente:
• Causas Externas
• Cardiopatias
• Tumores malignos
• Distúrbios gastrointestinais e
respiratórios
• O Brasil possui 208,4 milhões de habitantes,
segundo dados do Instituto Brasileiro de
Geografia e Estatística (IBGE). , o número de
mulheres no Brasil é superior ao de homens.
A população brasileira é composta por 48,3% de
homens e 51,7% de mulheres.
PERFIL DE MORBIMORTALIDADE DO HOMEM

• Brasil, segundo País com maior número de


casos de câncer de pênis no mundo
• Elevação da incidência do câncer de mama
• Vulnerabilidade ao uso abusivo de álcool,
tabaco e outras drogas
• Elevadas taxas de Homicídios
• óbitos violentos
• Maior incidência do HIV
DISTRIBUIÇÃO DOS TIPOS DE CÂNCER
MAIS INCIDENTES ESTIMADOS

PRÓSTA APARELHO Cólon e


RESPIRATÓR
TA IO Reto

60.180 ●
17.210 ●
14.180

30,8% ●
8,8% ●
7,3%
DISTRIBUIÇÃO DOS TIPOS DE CÂNCER
MAIS INCIDENTE
CAVIDADE
ESTÔMAGO ESÔFAGO
ORAL


12.670 ●
9.990 ●
7.770

6,5% ●
5,1% ●
4,0%