Você está na página 1de 5

Cidades industriais

Grupo:Antonio,Felipe,Ricardo,
Rodrigo
Atividades Industriais
A atividade industrial consiste no processo de produção que visa
transformar matérias- primas em mercadoria através do trabalho humano e,
cada vez mais comum, utilizando-se de máquinas. Essa atividade é
classificada conforme seu foco de atuação, sendo ramificada em três
grandes conjuntos: indústrias de bens de produção, indústrias de bens
intermediários e indústrias de bens de consumo. 

As indústrias de bens de produção, também chamadas de indústrias de base


ou pesadas, são responsáveis pela transformação de matérias-primas brutas
em matérias-primas processadas, sendo a base para outros ramos
industriais. As indústrias de bens de produção são divididas em duas
vertentes: as extrativas e as de bens de capital. 

Indústrias extrativas – são as que extraem matéria-prima da natureza


(vegetal, animal ou mineral) sem que ocorra alteração significativa nas
suas propriedades elementares. Exemplos: indústria madeireira, produção
mineral, extração de petróleo e carvão mineral. 

Indústrias de equipamentos – são responsáveis pela transformação de bens


naturais ou semimanufaturados para a estruturação das indústrias de bens
intermediários e de bens de consumo. Exemplos: siderurgia, petroquímica,
etc.
Industrias no Brasil
• Começo da industrialização 
• Foi somente no final do século XIX que começou o
desenvolvimento industrial no Brasil. Muitos
cafeicultores passaram a investir parte dos
lucros, obtidos com a exportação do café, no
estabelecimento de indústrias, principalmente
em São Paulo e Rio de Janeiro. Eram fábricas de
tecidos, calçados e outros produtos de
fabricação mais simples. A mão-de-obra usadas
nestas fábricas eram, na maioria, formada por
imigrantes italianos.
• Era Vargas e desenvolvimento industrial 
• Foi durante o primeiro governo de Getúlio
Vargas (1930-1945) que a indústria brasileira
ganhou um grande impulso. Vargas teve como
objetivo principal efetivar a industrialização do país,
privilegiando as indústrias nacionais, para não deixar
o Brasil cair na dependência externa. Com leis
voltadas para a regulamentação do mercado de
trabalho, medidas protecionistas e investimentos em
infra-estrutura, a indústria nacional cresceu
significativamente nas décadas de 1930-40. Porém,
este desenvolvimento continuou restrito aos grandes
centros urbanos da região sudeste, provocando uma
grande disparidade regional. Durante este período, a
indústria também se beneficiou com o final
da Segunda Guerra Mundial (1939-45), pois, os
países europeus, estavam com suas indústrias
arrasadas, necessitando importar produtos
industrializados de outros países, entre eles o Brasil.
Com a criação da Petrobrás (1953), ocorreu um
grande desenvolvimento das indústrias ligadas à
• Período JK
• Durante o governo de Juscelino Kubitschek (1956-
1960) o desenvolvimento industrial brasileiro
ganhou novos rumos e feições. JK abriu a economia
para o capital internacional, atraindo indústrias
multinacionais. Foi durante este período que
ocorreu a instalação de montadoras de veículos
internacionais (Ford, General Motors, Volkswagen e
Willys) em território brasileiro. 
Últimas décadas do século XX
• Nas décadas 70, 80 e 90, a industrialização do Brasil
continuou a crescer, embora, em alguns momentos
de crise econômica, ela tenha estagnado.
Atualmente o Brasil possui uma boa base industrial,
produzindo diversos produtos como, por exemplo,
automóveis, máquinas, roupas, aviões,
equipamentos, produtos alimentícios
industrializados, eletrodomésticos, etc. Apesar
disso, a indústria nacional ainda é dependente, em
alguns setores, (informática, por exemplo)
de tecnologia externa.

Você também pode gostar