Você está na página 1de 18

MAMOGRAFIA 

DISCENTES: ANA MARIA,


LAURA, LETICIA E
MARIA LUIZA
Prof: Igor
MAMOGRAFIA 
• É uma radiografia das mamas que, por meio da
compressão mamária, espalha as estruturas, deixando
uma espessura uniforme para detecção de estruturas de
até 2mm.

• Mamografia é um método considerado padrão ouro no


diagnóstico do câncer de mama
HISTÓRIA DA MAMOGRAFIA 

• Em 1913 na cidade de Berlim o médico Albert Salomão, realizou a


primeira publicação a respeito do uso de raios x em tecidos
mamários.

• 1930 Primeira radiografia realiza em uma paciente.

• Em 1949 Raul Leborgne observou a importância de bons


parâmetros técnicos para  melhorar a qualidade da imagem,
observou também a  necessidade da compressão. 
HISTÓRIA DA MAMOGRAFIA 
• Em 1956 – Robert Egan desenvolveu um filme especifico
para a mamografia.

• 1966 – Desenvolvimento do mamógrafo.

• 1976 – A mamografia é considerada padrão ouro em


detecção de câncer de mama. 

• 1990 – Primeira Imagem Digital 

• 1999  –  Primeiro Digital 

• 2015 –  Primeira Mamografia contrastada 


MAMOGRAFIA DIAGNÓSTICA
• A mamografia diagnóstica é um exame que visa investigar
lesões e alterações suspeitas na mama.

• É tão importante que pode ser solicitado em qualquer idade


da mulher, ao critério do médico.

• Entretanto, a mamografia diagnóstica, geralmente não é


solicitada quando se trata de mulheres jovens, pois nessa fase
as mamas são mais densas, e por isso, o exame pode
apresentar resultados imprecisos.
MAMOGRAFIA DE RASTREAMENTO

• A mamografia de rastreamento é um exame de rotina em


mulheres sem sinais e sintomas de câncer de mama 

• É recomendada na faixa etária de 50 a 69 anos, a cada dois


anos. 

• O rastreamento com mamografia, mesmo na faixa etária


recomendada, implica em riscos que precisam ser
conhecidos pelas mulheres
MAMOGRAFIA DE RASTREAMENTO

• A superação das barreiras para redução da mortalidade


por câncer de mama no Brasil envolve não apenas o
acesso à mamografia de rastreamento, mas controle de
fatores de risco conhecidos e, sobretudo, a estruturação da
rede assistencial para rápida e oportuna investigação
diagnóstica e acesso ao tratamento de qualidade.
MAMOGRÁFO

Mamógrafo Analógico  Mamógrafo Digital


MAMOGRÁFO
Todo aparelho de mamografia
possui uma ampola onde fica
um cátodo e um anodo onde
ali ocorre a radiação que
quando disparado é emitido o
raio X , que por sua vez
ultrapassa a estrutura a ser
radiografada sendo assim
gerando a imagem no filme,
sendo assim sendo necessário
levá-lo até a reveladora para a
revelação da imagem.
TECIDOS MAMARIOS 

• Glandular: composta por glândulas, onde há


estruturas que produzem o leite materno.

• Fibroso ou conjuntivo

• Adiposo: tecido mamário não denso.


TECIDOS MAMARIOS 

• Glandular: composta por glândulas, onde há


estruturas que produzem o leite materno.

• Fibroso ou conjuntivo

• Adiposo: tecido mamário não denso.


TECIDOS
MAMARIOS 

Mamas muito densas


são mais difíceis de se
diagnosticar o câncer
de mama. 
INCIDÊNCIAS
MAMOGRAFICAS 
• São realizadas como rotina
duas incidências mamográficas 

•  incidências mediolateral-
oblíqua (MLO) 

•  craniocaudal (CC)
1 = Quadrantes superiores   3 = Quadrantes laterais
                        
 2 = Quadrantes inferiores         
                                                    
  4 = Quadrantes mediais
CRITÉRIOS DE BOM
POSICIONAMENTO MAMOGRÁFICO
• O mal posicionamento mamográfico é responsável pela
maior parte dos resultados falso negativos relacionados à
técnica do exame.
• O bom posicionamento visa à exposição mais completa
possível da mama.
• A incidência MLO privilegia os quadrantes laterais, onde
ocorrem a maioria dos cânceres de mama e tem como
"ponto cego"os quadrantes mediais. Dessa maneira, a
incidência craniocaudal privilegia os quadrantes mediais.
EXAMES COMPLEMENTARES DA MAMOGRAFIA

• Em alguns casos, como quando a mulher tem a mama densa ou


já fez biópsia do tecido mamário, a eficácia da mamografia é
reduzida. 
• Nessas situações, exames complementares da mamografia, como
o ultrassom da mama e a ressonância magnética, são usados
para conseguir um diagnóstico mais preciso e definir o melhor
procedimento para conter a evolução do tumor. 
ULTRASSOM DAS MAMAS
•O principal dos exames Biópsia Guiada por ultrassonografia
complementares da
mamografia é o ultrassom. 

• Ele é usado para avaliar


alterações que podem ser
sentidas, mas não puderam
ser visualizadas na
mamografia. 
Ultrassonografia
de mamas
evidenciando cistos 
simples
RESSONÂNCIA MAGNÉTICA

• A ressonância é indicada para


mulheres já diagnosticadas
com câncer de mama, a fim de
determinar, com maior
precisão, o tamanho do tumor e
a possível existência de outras
lesões mamárias. 

Você também pode gostar