Você está na página 1de 26

Infracções tributárias:

Regime Geral das Infracções


Tributárias – RGIT (breve alusão)

Ano lectivo 2014/2015


Sistematização do RGIT
Lei 15/2001, 15 de Junho

• Princípios Comuns

• Parte Geral
• Os crimes tributários
• 1 Aspectos substantivos
• 2 Aspectos processuais

• As contra-ordenações Tributárias
• 1 Aspectos substantivos
• 2 Aspectos processuais

• Parte Especial
• Os crimes tributários
• As contra-ordenações Tributárias

2
Princípios Gerais

• Âmbito de aplicação do RGIT – art.º 1.º :

• O Regime Geral das Infracções Tributárias aplica-se às infracções das normas reguladoras:
a) Das prestações tributárias;
b) Dos regimes tributários, aduaneiros e fiscais, independentemente de regulamentarem ou
não prestações tributárias;
c) Dos benefícios fiscais e franquias aduaneiras;
d) Das contribuições e prestações relativas ao sistema de solidariedade e segurança social,
sem prejuízo do regime das contra-ordenações que consta de legislação especial.

• Conceito de Infracção tributária – art.º 2.º:


• Facto típico
• Ilícito
• Culposo
• Declarado punível por lei anterior

3
Princípios Gerais

• Infracções Tributárias:
• Crime – Pena
• Contra-ordenação – Coima

• Aplicação no Tempo – art.º 5.º


• Acções: -Momento em que o agente actuou;
• Omissões: -Momento em que o agente devia ter actuado;
• Em caso de obrigações com prazo de cumprimento voluntário, considera-se o fim
do prazo dado para o cumprimento.

4
Princípios Gerais

• Aplicação no Espaço – art.º 4.º


• Factos praticados em território português
• Factos praticados a bordo de aeronaves ou navios portugueses

• Responsabilidade directa:

• Pessoas singulares

• Pessoas colectivas – todas, incluindo sociedades irregularmente constituídas;


entidades equiparadas – art.º 7.º

5
Princípios Gerais

• Responsabilidade subsidiária:

• Multas e coimas aplicadas por infracção praticada culposamente no período de


exercício do cargo;

• Multas e coimas por infracção praticada antes do exercício do cargo quando lhes
seja imputável a falta de pagamento, por exemplo;

• Multas e coimas por infracção praticada ainda antes do exercício do cargo quando
lhes seja imputável a falta de pagamento.

6
Aspectos substantivos dos crimes tributários
• Crimes Tributários – Determinação da medida da pena:
• Prejuízo causado pelo crime
• Grau de ilicitude / Culpa
• Situação económico-financeira do infractor

• Suspensão da execução da pena de prisão – art. 14º:


• Condicionada a:
• •Pagamento em prazo a fixar até ao limite de cinco anos subsequentes à
condenação tributária e acréscimos legais (ou benefícios indevidamente obtidos);
• •Adicionalmente: ao pagamento da quantia até ao limite máximo estabelecido
para a pena de multa.

• Casos de não pagamento. O juiz pode:


• •Prorrogar o prazo, até ao limite máximo (garantias);
• •Revogar a suspensão
7
Aspectos substantivos dos crimes tributários
• Dispensa de Pena – art. 22º, n.º1:
• Crime punível com prisão até 2 anos;
• Reposição da verdade sobre a situação tributária;
• Ilicitude do facto e culpa pouco graves;
• Pagamento da prestação tributária ou restituição de benefícios
indevidamente obtidos;
• À dispensa de pena não se opuserem razões de prevenção.

• Atenuação Especial (até à decisão final) – art.º22º, n.º 2:


• Reposição da verdade sobre a situação tributária;
• Pagamento da prestação / restituição de benefícios.

8
Aspectos substantivos dos crimes tributários

• Prescrição – art.º 21º:


• Regra: Cinco anos
• Crimes dependentes de liquidação: Caducidade

• Interrupção e suspensão:
• Remissão para o Domínio Penal

9
Penas Acessórias – art.ºs 16º e 17º

• Interdição Temporária de exercício de certas actividades ou profissões;


• Privação do direito de receber subsídios ou subvenções concedidos por
entidades ou serviços públicos;
• Perda ou inibição de obter benefícios fiscais concedidos, franquias
aduaneiras e benefícios concedidos pela administração da segurança
social;
• Privação temporária do direito de participar em feiras, leilões (…)
organizados por entes públicos;
• Encerramento de estabelecimento; Dissolução de p. colectiva;
• Cassação de licenças ou concessões / suspensão de autorizações;
• Publicação de sentença condenatória;
• Perda de mercadorias, meios de transporte e outros instrumentos do
crime.

10
Crimes tributários – aspectos processuais

1 – Aquisição da notícia do crime

2 – Levantamento do auto de notícia

3 – Inquérito

4 – Decisão final de inquérito

5 – Instrução (fase eventual)

6 – Julgamento

11
Contra-ordenações tributárias
• Artigo 23.º - Classificação das contra-ordenações

• São contra-ordenações simples as puníveis com coima cujo limite máximo não
exceda € 15.000.

• São contra-ordenações graves as puníveis com coima cujo limite máximo seja
superior a € 15.000,00 e aquelas que, independentemente da coima aplicável, a
lei expressamente qualifique como tais.

Atende-se à coima cominada em abstracto no tipo legal

12
Contra-ordenações tributárias

• Artigo 24.º - Punibilidade da negligência

• As contra-ordenações tributárias são sempre puníveis a título de negligência, salvo


disposição expressa da lei em contrário.

• Punição: se a lei não distinguir o comportamento doloso do negligente, a coima


aplicável ao comportamento negligente não pode exceder metade da coima
aplicável ao comportamento doloso.

13
Contra-ordenações tributárias
• Graduação da medida da Coima:
• Gravidade do facto
• Culpa do agente
• Situação económica do agente
• Benefício económico que o agente retirou da prática da contra-
ordenação

• Concurso de contra-ordenações:
• Cúmulo material –art.º25º

14
Contra-ordenações tributárias
• Sanções acessórias – art.º28º:

• •Perda de objectos do crime


• •Privação do direito de receber subsídios ou subvenções provenientes de
entes ou serviços públicos;
• •Perda de benefícios fiscais concedidos (inclusivé os automáticos), perda de
benefícios concedidos pela segurança social ou inibição de os obter;
• •Privação temporária do direito de participar em feiras, mercados , leilões
ou arremetações e concursos de obras públicas, de fornecimento de bens
ou serviços e de concessão, promovidos por entidades ou serviços públicos.
• •Encerramento de estabelecimento ou depósitos;
• •Cassação de licenças ou concessões e suspensão de autorizações;
• •Publicação da decisão condenatória a expensas do agente da infracção.

15
Contra-ordenações tributárias

• Direito à redução das coimas – art.º 29.º do RGIT

• Requisitos do direito à redução das coimas – art.º 30.º RGIT

16
Contra-ordenações tributárias
• Prescrição do procedimento (art.º 33.º RGIT)
• •Geral: 5 anos sobre a prática do facto;
• •Quando a infracção depender da liquidação, o prazo prescricional
reduz-se ao prazo de caducidade do direito à liquidação

• Prescrição da coima (art.º 34.º RGIT)


• •5 anos após a aplicação

• Suspensão
• •Casos de dedução de oposição à execução em sede de processo de
execução fiscal

17
Contra-ordenações tributárias
• Dispensa de Coima (requisitos cumulativos):

• A infracção não ocasione prejuízo à receita tributária;


• A infracção cometida estar regularizada;
• A falta revelar um grau diminuto de culpa
• Atenuação da Coima:
• A infracção cometida deve estar regularizada;
• (diminuto grau de culpa): reconhecimento da responsabilidade

18
Contra-ordenações tributárias
• Suspensão:
• Em caso de impugnação judicial ou oposição à execução

• Extinção:
• Morte do arguido;
• Prescrição ou amnistia;
• Pagamento voluntário;
• Acusação recebida em processo criminal

• Cobrança:
• Processo de execução fiscal

19
Contra-ordenações tributárias:
aspectos processuais

• 1- Aquisição da notícia

• 2- Fase administrativa

• 3- Fase judicial

20
Parte especial –
crimes tributários

21
Crimes tributários

• 1 - Crimes Tributários Comuns (art.º87º-91º)


– Burla Tributária
– Frustração de créditos
– Associação criminosa
– Desobediência qualificada
– Violação de segredo

• 2 – Crimes Aduaneiros (art.º92º-102.º)

• 3 – Crimes Fiscais (art.º103º-105º)


– Fraude
– Fraude qualificada
– Abuso de confiança fiscal

• 4 -Crimes contra a Segurança Social (art.º106º-107º)


– Fraude contra a segurança social
– Abuso de confiança contra a segurança social
22
As contra-ordenações tributárias,
em especial

23
Contra-ordenações tributárias:

• 1 - Violação de segredo fiscal (art. 115º)

• 2 - Falta de entrega da prestação tributária (art. 114º)

• 3 - Falta ou atraso de declarações (art. 116º)

• 4 – Omissões e inexactidões nas declarações (art. 119º)

• 5 - Falta ou atraso na apresentação ou exibição de documentos (art. 117º)

• 6 - Falsificação, viciação e alteração de documentos fiscalmente relevantes (art. 118º)

• 7 - Recusa de entrega, exibição ou apresentação de escrita e de documentos


fiscalmente relevantes (art. 113º)

24
• 8 - Inexistência de contabilidade ou livros fiscalmente relevantes (art. 120º)

• 9 - Não organização da contabilidade (art. 121º)

• 10 - Falsidade informática (art. 128º)

• 11 - Falta de apresentação de livros de escrituração antes da respectiva utilização


(art. 122º)

• 12 - Impressão de documentos por tipografias não autorizadas (art. 127º)

• 13 - Violação do dever de emitir recibos ou facturas

• 14 - Violação da obrigação de possuir e movimentar contas bancárias (art. 129º)

25
• 15 - Falta da indicação de representantes (art. 124º)

• 16 - Pagamento indevido de rendimentos (art. 125º)

• 17 - Pagamento ou colocação à disposição de rendimentos ou ganhos conferidos por


ou associados a valores mobiliários (125º-A)

• 18 - Inexistência da prova da apresentação da declaração de aquisição e alienação de


acções e outros valores mobiliários ou da intervenção de entidades relevantes (art.
125º-B)

• 19 - Transferência para o estrangeiro de rendimentos sujeitos a tributação (art.126º).

26

Você também pode gostar