Você está na página 1de 13

1.2.

4 Transições
eletrónicas
1.2.4 Transições eletrónicas
Energia da transição

A energia da transição corresponde à diferença de energia entre


dois níveis energéticos:
Níveis de energia
 n =
n=4
n=3 Nível inicial

ΔE
ΔE =
=EEff -- E
Eii n=2

n=1 Nível final

2
1.2.4 Transições eletrónicas
Energia da transição

Por exemplo, se um átomo de hidrogénio transitar do nível n = 3


para o nível n = 1, a energia de transição é dada por:

 
ΔE = E1 E3

ΔE = (2,1810-18) (0,2410-18) = 1,9410-18 J

Como o átomo perdeu (libertou) energia, o valor obtido é negativo,


então diz-se que ocorreu uma desexcitação.

3
1.2.4 Transições eletrónicas
Energia de ionização

Se um átomo de hidrogénio absorver um fotão com energia


suficiente, o eletrão poderá atingir o nível n = ∞, cuja energia é zero.

Nesta situação, dizemos que o átomo se ioniza, ou seja, se


transforma num ião H+:

H H + + e-

4
1.2.4 Transições eletrónicas
Energia de ionização

É possivel calcular a energia de ionização para o átomo de hidrogénio


no estado fundamental:

ΔE = E E1

5
1.2.4 Transições eletrónicas
Transições eletrónicas

Se a energia fornecida ao átomo for menor do que a energia de


ionização e se essa energia:

corresponder a qualquer transição, o eletrão passará para o nível


superior;

não corresponder a qualquer transição, não haverá absorção de


energia e o eletrão permanecerá no estado inicial.

6
1.2.4 Transições eletrónicas
Transições eletrónicas

Se a energia fornecida ao átomo for igual ou superior à energia de


ionização:

O eletrão abandonará o átomo (ocorre ionização). Nesse caso a


energia em excesso será convertida em energia cinética do
eletrão.

7
1.2.4 Transições eletrónicas
Espetros atómicos
Elemento A
n=3
Cada elemento químico possui um
n=2
conjunto de níveis de energia que
o caracteriza, as transições
eletrónicas que ocorrem são
diferentes de elemento para
n=1
elemento.
Elemento B
n=3
Assim, a energia da luz envolvida
n=2
nas transições eletrónicas será
característica de cada elemento.
n=1

8
1.2.4 Transições eletrónicas
Espetros atómicos

A luz emitida ou absorvida por uma amostra de matéria pode ser


utilizada para identificar elementos químicos nela presentes sendo
que os espetros atómicos são característicos de cada elemento.

Espetros atómicos de emissão do mercúrio e cálcio, respetivamente.

9
1.2.4 Transições eletrónicas
Espetros de emissão e absorção

No espetro de absorção de um elemento químico, as riscas escuras,


correspondentes à radiação absorvida, estão na mesma posição das
riscas coloridas do espetro de emissão do mesmo elemento.

Por exemplo:

Sódio

Espetro de emissão Espetro de absorção

10
1.2.4 Transições eletrónicas
Comparação de espetros

A comparação dos espetros de emissão dos vários elementos


químicos com os espetros de absorção, como por exemplo, das
estrelas, permite-nos conhecer os elementos neles presentes.

Com base no estudo de espetro de absorção da luz solar descobriu-se


um novo elemento no Sol, o hélio, antes de este ter sido identificado
na Terra.

12
1.2.4 Transições eletrónicas
Espetroscopia atómica

A espetroscopia atómica analisa


matéria por utilização de espetros.

É aplicada em análises químicas


para detetar elementos numa
amostra e também para quantificar
essa presença, pois a intensidade da
luz emitida e absorvida depende do
número de átomos de determinado
elemento presente na amostra.
Equipamento de espetroscopia
atómica. 

14
1.2.4 Transições eletrónicas
Espetroscopia atómica

Esta técnica permite detetar quantidades vestigiais de certos


elementos químicos, como: Na, K, Mg, Ca, Fe, Cu, Pb, etc.

A espetroscopia atómica é utilizada em:


 investigação criminal (análise de provas);

 qualidade alimentar (análise de águas e alimentos);

 metalurgia (caracterização de ligas metálicas).

15