LABORATÓRIO DE QUIMICA

‡ ‡ ‡ ‡ ‡ Planejando laboratorio de quimica para EM Os materiais, reagentes, equipamentos O armazenamento adequado dos materiais Propostas de Kits e aulas expérimentais Identificando situação de risco no trabalho de Laboratório ‡ Trabalhando com rótulos e preparando soluçoes ‡ O uso de materiais alternativos ‡ Autolabor
Aula dia 30.03.2009

Planejando um Laboratório de Química.
Não há um modelo definido de laboratório, podendo apresentar-se das mais diversas formas. Cada professor poderá planejar e realizar seu projeto de acordo com as atividades experimentais e dos recursos disponíveis. No entanto, ao projetar um laboratório, devem ser levados em consideração dois aspectos iniciais: I - a sala será construída especialmente - Neste caso faça um esboço do laboratório (planta baixa) - lista de equipamentos e sua distribuição neste laboratório -lista de reagentes e onde serão armazenados (considere as propriedades físicas e químicas dos reagentes químicos) - lista de vidrarias e outros reagentes e onde serão armazenados - numero de alunos - sua utilização será exclusiva da disciplina de química ou será compartilhado para atender alunos da área de ciências. - instalação de gás, água e eletricidade

Planejando um Laboratório de Química.
II - já existe uma sala para ser adaptada para laboratório - Neste caso faça um esboço do laboratório ou deste espaço (planta baixa) - lista de equipamentos e sua distribuição neste laboratório -lista de reagentes e onde serão armazenados (considere as propriedades físicas e químicas dos reagentes químicos) - lista de vidrarias e outros reagentes e onde serão armazenados - número de alunos - sua utilização será exclusiva da disciplina de química ou será compartilhado para atender alunos da área de ciências - instalação de gás, água e eletricidade

Planejando um Laboratório de Química.
Os materiais mais usados nos laboratórios escolares de ensino fundamental e médio compreendem, principalmente, vidrarias, materiais de porcelana e metálicos (pinças, bico de gás, etc) e equipamentos elétricos (fornos, estufas, mantas, etc.). Sua utilização segura requer alguns cuidados e condições adequadas de manuseio. ‡ Moraes, R. Borges, R. M. R. Materiais para o ensino de Ciências do 1º grau. Porto Alegre. 1996)

QUAIS OS MATERIAS MAIS USADOS
‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ material Acetona Acido acético Ácido ascórbico Ácido cloridrico ácido nítrico Ácido sulfúrico Água destilada Água de cal Água oxigenada Etanol Amido Areia Argila Azeite ou óleo Formol Glicerol Glicose Hidroxido de amônio ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ materiais lugol mel Nitrato de prata Reagente de Benedict sacarose Solução A Fehling Solução B. Fehling Sulfato de cobre benzeno Bicarbonato de sódio Carbonato de cálcio Carvão ou hulha Chumbo em lâmina Cloreto de sódio Cobre em lâmina Comprimidos efervecentes Éter comum/etilico

‡Hidroxido de cálcio ‡Hidróxido de sódio ‡iodo ‡microscopio ‡Lipa ‡Lupa de mão ‡Balança de 1 prato ‡Balança de dois pratos ‡Fogão a gás ‡Geladeira ‡cronometro ‡Estufa elétrica ‡martelo ‡Mata borrão ‡Mangueira de platico ‡Madeira ‡Isopor ‡Lâminas de vidro ‡Lâminas de barbear ‡Laminulas ‡Lâmpadas ‡Lamparina a álcool ‡lanterna ‡Giz ‡Fosforos ‡Vicro relógio ‡Vela de cera ou parafina ‡Tubos de essaio ‡Tripé de ferro ‡Tesoura ‡Termometro quimico ‡Termometro clinico ‡Borracha ‡Agulhas ‡Agarrador para tubo de ensaio ‡Bacia de plastico ‡Balão ‡Etiquetas ‡Faca

‡Tela de malha ‡Tela de amiato ‡Tampinhas de garrafa ‡Suporte para lampada ‡Suporte de ferro ‡Pincel ‡Pinça de madeira ‡Pinça para cirurgia ‡Pilhas ‡Percevejo ‡Pegador metálico ‡Papel toalha ‡Papel oficio ‡Papel milimetrado ‡Papel jornal ‡Papel filtro ‡Papel celofane ‡Papel aluminio ‡Papelão ‡Pano ‡Panela de pressão ‡Panela

‡Ferro em barra ‡Fios cobre encapados ‡Fio de niquel-cromo 20 ‡interruptor ‡Lápis ‡Lápis de cor ‡Lapis vitrográfico ‡Latas ‡Lentelimalha de ferros ‡Linha de costura ‡Régua ‡Relógio ‡Répteis ‡Rochas ‡Rolha de borracha ‡Rolha de cortiça ‡Sabão ou sabonete ‡Sacos plasticos ‡Espelho ‡esponja ‡semente ‡Folhas verdes

‡Palitos ‡Palha de aço ‡Prato ‡Pratos de plasticos ‡Pregos ‡Provetas ‡Placa de petry ‡Insetos ‡Pipeta graduada ‡Balão de fundo chato ‡balde ‡bequer ‡Bico de Bunsen ‡Botijão de gás/liquinho ‡Conta-gotas ‡Copo de plastico ‡Copo de vidro ‡Erle4nmeyer ‡Esfera de metal

‡Flores ‡Fio de nylon ‡Fita adesiva gomada ‡Frutas ‡Galhos de árvores ‡Gramineas ‡Graos diversos ‡serrote ‡Seringa plática ‡Solos diferentes ‡Frascos conta-gotas ‡Frascos de boca larga ‡Frascos de vidro ‡Frascos de vidro médio ‡Frascos de vidro pequenos ‡Garrafas de litro ‡Garrafa plástica ‡Garrafa de refrigerante ‡canudinhos ‡cartolina ‡clipes ‡Colher de plástico ‡cola ‡Cuba de plastico ‡Cuba de vidro

KIT BÁSICO
MATERIAL DE CONSUMO ‡ Reagentes, vidrarias ‡ ÁCIDO CLORÍDRICO ‡ FRASCO VIDRO (500 ml ) tampa rosca ‡ BICARBONATO DE SÓDIO (250 g) ‡ POTE PLÁSTICO, boca larga, tampa (250 g) ‡ HIDRÓXIDO DE CÁLCIO (250 g) ‡ POTE PLÁSTICO boca larga, tampa (250 g) ‡ HIDRÓXIDO DE SÓDIO (250 g) ‡ POTE PLÁSTICO, boca larga, tampa (250 g) ‡ AGARRADOR TUBO DE ENSAIO (Madeira) ‡ BALANÇA (I prato/escala triplice) ‡ ESTANTE TUBO ENSAIO (peq.) LlQUINHO ‡ QUEIMADOR (Fogareiro) para liquinho ‡ TELA DE AMIANTO ‡ BÉQUER (Med. 250 mL) ‡ PIPETA GRADUADA (lOmL) ‡ PROVETA (lOOmL) ‡ TUBO DE ENSAIO (peq.) ‡ TERMOMETRO QUÍMICO (-10 A 110O C)

KIT INTERMEDIÁRIO
MATERIAL PERMANENTE ‡ AQUECEDOR ELÉTRICO (110 c 220 V) ‡ BÚSSOLA PEQUENA ‡ ESTANTE DE TUBO DE ENSAIO MÉD. IMà PEQUENO, BARRA ‡ LUPA DE MÃO (cl cabo) ‡ MARTELO MÉDIO ‡ TESOURA SIMPLES MATERIAL DE CONSUMO ‡ VIDRARIAS, REAGENTES ‡ BASTÃO DE VIDRO ‡ BÉQUER (pcq. - 100 ml) ‡ ERLEMEYER (250 mL) FUNIL VIDRO (80 diametro) ‡ PLACA DE PETRl PROVETA (50 mL) ‡ PROVETA (250 ml) ‡ TUBO DE ENSAIO (médio) ‡ TUBO DE VIDRO - vara, 6m ‡ VIDRO RELÓGIO ‡ ACETONA (5()() mL) ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ FRASCO PLÁSTICO, 500 mL, tampa de rosca ÁCIDO SULFÚRICO FRASCO VIDRO, 500 mL, tampa de rosca FENOLFTALEÍNA (solução) FRASCO PLÁSTICO, 250 mL, tampa rosca FORMOL GLlCOSE (pó) POTE PLÁSTICO, boca larga, 200 g LUGOL FRASCO CONTA-GOTAS, VIDRO ÁMBAR(30ml) SULFATO DE COBRE (pó) POTE PLÁSTICO, boca larga, 250 g OUTROS PAPEL INDICADOR ROLHA DE BORRACHA (peq.) ROLHA DE BORRACHA (méd.) SERINGA PLÁSTICA DES. CARTÁ VEL TERMÔMETRO CLlNICO TUBODELÁTEX

AULAS PRÁTICAS DE QUÍMICA Edson Albuquerque de Oliveira ± editora Moderna ± 3ª edição ± 1995
Experimentos propostos em seu livro ‡ Uso do bico de bunsen. Operações com varetas de vidro ‡ Medições de volume. Recipientes volumétricos ‡ Processos gerais de separação de misturas ‡ fenômenos físicos e fenômenos químicos ‡ determina,ao da densidade desólidos, líquidos e gases ‡ determinação do teor de álcool na gasolina. Determina,ao do teor de umidade no sal de cozinha. ‡ determina,ao do ponto de fusão de uma substância ‡ tipos de reações químicas ‡ propriedades funcionais de ácidos e de bases ‡ reatividade dos metais. Uso da tabela de potenciais de oxireduçao. Deslocamento de metais ‡ reatividade dos ametais. Deslocamento entre ametais. Propriedades dos halogênios ‡ oxigênio (obtenção e propriedades). Volume molar. ‡ hidrogênio (obtenção e propriedades) ‡ gás carbônico (obtenção e propriedades)

AULAS PRÁTICAS DE QUÍMICA Edson Albuquerque de Oliveira ± editora Moderna ± 3ª edição ± 1995
‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ polaridade molecular e solubilidade de substâncias constatação experimental da lei de Lavosier e da lei de Proust Determinação da fórmula de um sal hidratado construção da curva de solubilidade de um sal determinação do equivalente-grama do magnésio preparação e padronização de uma solução 0,1 N de ácido clorírico preparação e padronização de uma solução 0,1 N de hidróxido de sódio determinação da acidez do vinagre propriedades coligativas: determinação da massa molecular do enxofre pela criometria propriedades coligativas: determinação do grau de dissociação iônica pela ebuliometria termoquímica: determinação da entalpia de dissolução do hidróxido de sódio e da entalpia de neutralização de um ácido forte por uma base forte. influencia da concentração na velocidade das reações influencia da temperatura na velocidade das reações equilíbrio quí8mico. Deslocamento de equilíbrio eletroquímica: eletrólise qualitativa eletroquímica: eletrolise quantitativa pesquisa qualitativa do carbono em compostos orgânicos. Obtenção do metano. Obtenção do acetileno obtenção da acetona. Propriedades do fenol.

Montagem do laboratório
‡ Relacionamos aqui o material e os reagentes utilizados nos exercícios de laboratório deste livro. Os cálculos de quantidade atendem a necessidade de uma turma de 24 alunos trabalhando em seis grupos de quatro.

MATERIAIS METÁLICO E OUTROS MATERIAIS
QUANTDADE ARGOLA PARA FUNIL ANALITICO BICO DE BUNSEN ESPALHADOR DE CHAMA ESTANTE PARA TUBOS DE ENSAIO FIO DE PLATINA FURADOR DE ROLHAS GARRA PARA BURETA GARRA PARA CONDENSADOR LIMA TRIANGULAR MANGUEIRA DE BORRACHA PAPEL DE FILTRO PÊRA DE BORRACHA COM VÁLVULA PISSETA DE PLÁSTICO PINÇA DE MADEIRA ROLHA DE CORTIÇA DE VÁRIOS TAMANHOS SUPORTE UNIVERSAL TELA DE AMIANTO TRIPE DE FERRO TROMPA DE VÁCUO 6 6 6 6 6 2 18 6 7 20 m 2 CAIXAS 6 10 6 1 KG 18 6 6 6

VIDRARIAS
ALMOFARIZ COM PISTILO BALÃO VOLUMÉTRICO DE 250 mL BALÃO VOLUMÉTRICO DE 500 mL BAGUETA BEQUER DE 100 mL BEQUER DE 250 mL BEQUER DE 500 mL BEQUER DE 50 mL CAPSULA DE PORCELANA CONDENSADOR COMUM CUBA DE VIDRO 25 A 30 CM DE DIÂMETRO DENSÍMETRO DE 0,700 A 1,000 DENSÍMETRO DE 1,500 A 2,000 ERLENMEYER DE 100 mL ERLENMEYER DE 250 mL ERLENMEYER DE 500 mL ESPÁTULA (TAMANHO MÉDIO) FRASCO DE 250 mL para armazenar soluçoes Frasco de 500 mL para armazenar soluções 2 6 6 12 6 6 6 18 6 6 6 6 6 6 6 3 3 20 20

VIDRARIAS
Funil analítico Funil de buchner Funil de decantação de 150 mL Funil tamanho médio Kitassato de 250 mL Picnômetro de 10 ou 25 mL Pipeta graduada de 2 mL Pipeta graduada de 5 mL Pipeta graduada de 10 mL Pipeta graduada de 20 mL Pipeta volumétrica de 5 mL Proveta de 50 mL Proveta de 100 mL Proveta de 250 mL Proveta de 500 mL Termômetro de 0 a 100 oC Termômetro na faiza de 50 a 110 com 0,01 oC Tubos de ensaio de 1,5 x 15 cm Tubos de ensaio de 2,5 x 20 cm Tubo em U Vareta de vidro de 6 mm de diâmetro Vidro relógio 6 6 6 2 6 6 6 6 6 6 6 6 6 6 1 6 6 150 25 6 5 kg 6

REAGENTES
‡ Os produtos químicos vendidos com duas características básicas: ‡ reagentes chamados P.A. (Pró-análise), com alto grau de pureza, e que por isso são mais caros. ‡ os regentes chamados ³técnicos´ou ³comerciais´, com menor grau de pureza, e que, por isso, custam menos,. ‡ Sugerimos a compra dos reagentes técnicos ou comerciais, cuja pureza é suficiente para trabalhos escolares.

REAGENTES
Acetato de cálcio Acetato de sódio Acetona Acido acético glacial Ácido benzóico Ácido clorídrico Ácido nítrico Ácido sulfúrico Açúcar Álcool etílico Alumínio em aparas Amido Azul de bromo timol Benzeno Brometo de sódio ou de potássio Bromo Carbeto de cálcio Carbonato de cálcio Carbonato de magnésio 100 g 100 g 1L 1L 100 g 2L 1L 2L 1 kg 2L 250 g 100 g Quantidade mínima 1L 200 g 1 ampola 100 g 250 g 250 g

REAGENTES
Clorato de potássio Cloreto de amônio Cloreto de bário Cloreto de ferro III Cloreto de potássio Cloreto de sódio clorofórmio Cobre em aparas Cromato de potássio Dicromato de amônio Dicromato de potássio Dióxido de manganês Enxofre em pó Estanho em aparas fenol Fenolftaleina Ferro em aparas Glicerina Hidrogenossulfito (bissulfito) de sódio Hidróxido de amônio Hidróxido de cálcio Hidróxido de sodio 250 g 250 g 250 g 250 g 250 g 250 g 2L 250 g 250 g 250 g 500 g 200 g 500 g 250 g 100 g Quantidade minima 250 g 250 g 100g 1L 250 g 500 g

REAGENTES
Iodeto de mercúrio II Iodeto de potássio Iodo sublimado Magnésio em aparas Magnésio em fita Metil orange Naftaleno Nitrato de chumbo II Nitraro de potássio Nitrato de prata Nitroprussiato de sódio Óleo comestivel Óxido de bário Óxido de cálcio Óxido cúprico Papel azul de tornassol Papel vermelho de tornassol Papel indicador universal Parafina 50 g 250 g 100 g 1 rolo Quantidade mínima 250 g 250 g 100 g 250 g 50 g 100 g 4 latas 100 g 100 g 100 g 3 blocos 3 blocos 3 blocos 200 g

REAGENTES
permanganato de potássio Sódio metálico Sulfato de cobre II Sulfato de sódio Sulfato de magnésio Sulfato de zinco Sulfeto de carbono Tetracloreto de carbono Tiocianato de amônio Tiossulfato de sódio Vaselina sólida Vinagre Zinco em aparas 150 g 100 g 500 g 250 g 250 g 250 g 1L 1L 200 g 100 100 g 1L 250 g

APARELHOS

2 BALANÇA DE ESCALA TRÍPLICE ECOM PRECISÃO DE 0,1 G BALANÇA COM PRECISÃO DE 0,01 g Centrífuga manual ou elétrica Destilador de água 1 1 1

MATERIAL AUXILIAR

3 Caderno com ordem alfabética Etiquetas gomadas médias Etiquetas gomadas pequenas Lápis dernatográfico Tesoura de tamanho médio 100 100 2 1

AULAS PRÁTICAS DE QUÍMICA - Edson Albuquerque de Oliveira ± editora Moderna ± 3ª edição ± 1995

Estocagem, Manuseio e Descarte dos produtos químicos
‡ A estocagem, manuseio e o descarte dos produtos químicos são os itens que exigem cuidados, pois as substâncias químicas que estão no ambiente do laboratório possuem as mais diferentes propriedades químicas e físicas. Assim, deve-se conhecer a incompatibilidade entre os produtos químicos, seus comportamentos em diferentes condições (temperatura, umidade, incidência de direta luz solar) e a sua toxicidade. ‡ A lista abaixo, contém uma relação de produtos que devido a suas propriedades químicas podem reagir entre si muitas vezes violentamente. Portanto, devem ser armazenados separadamente. ‡ Fonte: Productos Químicos para Ia Producción Industrial. Manual Mercki. Repú-blica Federal da Alemanha, 1988.

SUBSTÂNCIA 1. ACETILENO 2. ÁCIDO ÁCETICO 3. ÁCIDO NÍTRIco CONCENTRADO 4. ACIDO oxalico 5. ÁCIDO PERCLÓRICO 6. ÁCIDO SULFÚRICO 7. ALUMINIO, COMPOSTOS DE 8. AMONIACO, GÁS DE LAB. 9. AMONIO, NITRATO DE 10. ANILINA 11. BROMO 12. CARBONO ATIVO 13. CIANETOS 14. CLORO

INCOMPATIBILIDADE Cloro, Bramo, Fh1or, Cobre, Prata e Mercúrio Oxido de Cromo (VI), Ácido Nítrico. Ácido Perclórico, Peróxidos e Permanganatos Ácido acético, Anilina. Oxido de Cromo (VI), Cianeto, Hidrogênio. Carbono Sulfato, Líquidos e Gases combustíveis. Prata e Sais de Mercúrio. Anidrido Acético, Bismuto e Ligas de Bismuto, Álcoois, Papel e Madeira Clorato de Potássio, Perclorato de Potássio. Água Mercúrio, Cloro, Hipoclorito de Cálcio, Iodo, Bromo, Fluoreto de Hidrogenio Ácidos, Metais em pó, Líquidos combustíveis, Enxofre, Substâncias orgânicas Ácido Nítrico, Peróxido de Hidrogênio. Vide Cloro (item 14) Hipoclorito de Cálcio e Oxidantes. Ácidos. Amoníaco, Acetileno, Butadieno, Butano, Metano, Propano,

15. CLORATOS

Sais de Amônia, Ácidos. Metais em pó, Enxofre. Substâncias orgânicas.

16. COBRE 17. CROMO (VI), OXIDO DE

Acetileno, Peróxido de Hidrogênio. Ácido Acético, Naftaleno, Glicerina, Benzina de Petróleo, Álcoois, LíQuidos combustíveis.

18.

, HIDROPEROXIDO DE

I Ácidos, orgânicos e inorgânicos. Enxofre, Compostos que contenham Oxigênio (exemplo Clorados).

19. FOSFORO

o. FLUO R 21. HIDROCARBONETOS (Butano, l'Tooano Benzeno etc.) 22. HIDROGENIO, FLUORETO DE 23. HIDROGNIO, PERÓXIDO DE

Armazenar separadamente. Flúor. Cloro, Bramo, Oxido de Cromo (VI). Peróxido de Sódio. Amoníaco, Gás de laboratório em solução. Cobre, Cromo, Ferro, Metais, Álcoois, Acetona, Substâncias orgânicas, Anilina, Nitrametano. Substâncias combustíveis

(sólidas e líQuidas). 24. HIDROGENIO, SVLFETO DE Ácido Nítrico fumegante, Gases oxidantes.

25. LlQUIDOS INFLAMAVEIS

Nitrato de amônia, Óxido de Cromo (VI), Peróxido de Hidrogênio, Ácido Nítrico, Peróxido de Sódio, Halogênios.

26. MERCÚRIO 27. MET AIS ALCALINOS

Acetileno, Amoníaco. Água, Tetracloreto de Carbono e outros Alcanos Halogenados, Dióxido de Carbono, Halogênios.

28. PRATA 29. POTÁSSIO 3O. POT ÁSSIO, CLORATO DE 31. POTÁSSIO, PERCLORATO DE 32. POTÁSSIO, PERMANGANATO DE 33. SaDIO 34. SÓDIO, PEROXIDO DE

Acetileno,Acido Oxálico, ÁcidoTartárico, Compostos de amônia. Vide Metais Alcalinos (item 27) Vide Cloratos (item 15) Vide Cloratos (item 15) Glicerina, Etilenoglicol, Benzaldeído. Ácido Sulfúrico. Vide Metais Alcalinos (item 27) Metanol. Etanol. Ácido Acético, Anidrido Acético, Benzaldeído, Glicerina, Etilenoglicol, Acetato de etila, Acetato de Metila,

Furfural. 35.IODO Acetileno, Amoníaco. Gás de laboratório em solução.

A - IDENTIFICANDO SITUAÇÃO DE RISCO NO TRABALHO DE LABORATÓRIO
‡ O objetivo desta atividade é oferecer ao estudante uma oportunidade de identificar situações perigosas no desenvolvimento do trabalho de laboratório. ‡ Liste abaixo os principais perigos, observando a figura 1

Estocagem, Manuseio e Descarte dos produtos químicos
‡ A estocagem, manuseio e o descarte dos produtos químicos são os itens que exigem cuidados, pois as substâncias químicas que estão no ambiente do laboratório possuem as mais diferentes propriedades químicas e físicas. Assim, deve-se conhecer a incompatibilidade entre os produtos químicos, seus comportamentos em diferentes condições (temperatura, umidade, incidência de direta luz solar) e a sua toxicidade. ‡ A lista abaixo, contém uma relação de produtos que devido a suas propriedades químicas podem reagir entre si muitas vezes violentamente. Portanto, devem ser armazenados separadamente.

Principais perigos na figura 1 01. Água em superfície polida. 02. Aparelhos altos perto da quina da bancada: um copo grande num tripé com uma pipeta comprida saliente. 03. Uma criança colocando suas mãos inadvertidamente num tripé de metal quente. 04. Um tubo de teste aquecido sendo apontado numa direção em que o líquido fervente pode ser ejetado nos alunos. 05. Um tubo de teste sendo aquecido com uma quantidade muito grande de líquido. 06. Garrafas de materiais inflamáveis ou corrosivos (por exemplo, éter ou ácido clorídrico corrosivo) armazenadas no chão, onde podem se chocar. 07. Conjunto suporte de retorta numa forma que, quando usado, irá virar. 08. Trilha de tubo de borracha por entre garrafas e outros aparelhos: pode derrubá-Ios ou destruir a bancada. Bancadas desorganizadas podem ser uma fonte de acidentes. Garrafas que não estejam em uso devem ser retiradas da superfície de trabalho.

09. Chave de fenda metálica sendo usada para explorar um soquete condutor. 10. Pesos de metal ou outros objetos pesados sendo suportados por cordões ou arames finos numa experiência com polias (roldanas). 11. Cabelos compridos balançando perto de bicos de Bunsen; roupas largas. 12. Produtos químicos guardados em frascos que no passado contiveram alimentos e ainda apresentam os rótulos originais. 13. Líquidos sendo despejados acima do nível dos olhos (neste caso, em uma bureta). 14. Portas de saída bloqueadas. 15. Alunos muito perto da demonstração enquanto observam. 16. Alunos sacudindo papéis. 17. Aluno carregando volumes que tampam sua visão. 18. Avisos de segurança numa unidade de força muito altos para serem lidos pelo alunos.

A - IDENTIFICANDO SITUAÇÃO DE RISCO NO TRABALHO DE LABORATÓRIO
‡ O objetivo desta atividade é oferecer ao estudante uma oportunidade de identificar situações perigosas no desenvolvimento do trabalho de laboratório. ‡ Liste abaixo os principais perigos, observando a figura 2

Principais perigos na figura 2 01. Superlotação fará com que os alunos esbarrem nos aparelhos da bancada. 02. Ácido derramado na bancada em uma posição tal que as roupas podem absorvê-lo. 03. Alunos despejando uma solução de um frasco muito grande. 04. Botijões de gás que podem cair ou levar esbarrões; deveriam estar amarrados em determinada posição. 05. Aluno em pé numa banqueta tentando colocar um objeto pesado em lugar alto. 06. Jarra na quina de um armário, com possibilidade de cair. 07. Aluno tentando acender, com pavio encerado, gás vindo de um aparelho gerador de gás que inclui um funil Thistle (se estiver sendo preparado hidrogênio dessa forma, o aparelho conterá uma mistura de gás-ar explosiva). 08. Tubo de prova na quina de uma bancada. 09. Alimento junto a venenos químicos.

Principais perigos na figura 2 10. Solvente inflamável (acetona) sendo aquecido com uma chama desprotegida. 11. Mercúrio derramado na bancada. 12. Líquido sendo pipetado pela boca de um vasilhame em que a extremidade da pipeta está pouco abaixo da superfície. 13. Quadro na parede solto por falta de tachinhas; pode ser aceso por um queimador que esteja próximo. 14. Aparelho numa tal posição que pode ser derrubado pelo abrir das portas do armário. 15. Aparelhos sem apoio. 16. Perigos combinados: por exemplo, um suporte cai e derruba outros suportes num efeito dominó. 17. Garoto com as mãos molhadas conectando um plugue numa tomada. 18. Banquetas e mochilas bloqueando o espaço de circulação. 19. Cabelos compridos e não amarrados podem ser um perigo de fogo para as garotas. 20. Roupas largas.

PICTOGRAMAS

TRABALHANDO COM RÓTULOS
‡ 1) Faça leitura de 3 rótulos de reagentes químicos
Material Fórmula química Marca Comer cial Nome IUPAC Composição química escrita no rótulo densida de Cuidados e precauções Formula Química escrita no rótulo Grau de toxidez

PREPARANDO SOLUÇÕES
2. I ) considere o grau de pureza dos reagentes e faça o cálculo para a preparação de soluções aquosas: II) faça o esquema e descreva o procedimento para o preparo destas soluções a) 1 molar de ácido clorídrico, 1 litro b) 0,1 molar de ácido acético, 1 litro c) 0,2 molar de hidróxido de sódio, 2 litros d) 0,1 molar de sulfato de magnésio, 200 mL e) 0,1 molar de cloreto de sódio, 500 mL F) Soluçao 1:2 etanol água 3) Escreva o rótulo adequado para cada uma das soluções preparadas no item 2.

TRABALHANDO COM RÓTULOS DE PRODUTOS QUÍMICOS EM CASA
Parte I - Preencha a tabela abaixo, lendo os rótulos dos materiais utilizados comumente em nossa casa e indique o melhor locar para armazena-los
Materiais usados em nossa casa Sabão Detergentes Medicamentos Sabonetes Sal Alimentos (macarrão, farinha,açúcar, café....... Shampoo, Seu uso Cuidados Onde armazena-los

TRABALHANDO COM RÓTULOS DE PRODUTOS QUÍMICOS EM CASA
Parte II ± Responda as questões abaixo, considerando-se em sua prática diária. - você costuma ler o que está escrito na embalagem? - Guarda e acondiciona-os corretamente? - Como armazenar estes produtos - Por que ao embalar compras domésticas, devemos separar os produtos de limpeza dos alimentos? - relacione os produtos de limpeza mais utilizados em casa - reúna embalagens e rótulos para serem utilizados em sala de aula - Procure agrupar os produtos de acordo com sua utilização - faça uma tabela para reunir os dados

A química experimental com materiais alternativos
‡ Dando ênfase ao aspecto qualitativo do fenômeno realizado, propõe-se trabalhar experimentos de química utilizando reagentes e materiais de fácil aquisição, encontrados em supermercados, farmácias, lojas de materiais de construção, etc. A realização de experimentos nas aulas de química com a utilização de materiais alternativos, não é improviso, irresponsabilidade, mas adequação do método e do saber científico adquirido à realidade escolar. ‡ Logicamente, o aluno que participa de experiências com material alternativo deverá ser esclarecido sobre o porquê se optou por este sistema, que é real, e como se desenvolveria o processo a nível do que é ideal (vidraria graduada adequada, bancada apropriada, precisão, segurança, etc.

A química experimental com materiais alternativos ENSINANDO QUÍMICA EXPERIMENTAL COM METODOLOGIA ALTERNATIVA ‡ Álvaro Chrispino, Química nova 12(2) 1989) 187-191

Lista de materiais alternativos de baixo custo e de fácil aquisição

listagem de substâncias encontradas em farmácia, material fotográfico, material de construção, supermercados, sucata, serralheria, material eletrônico, marmoraria, oficinas, postos de gasolina, etc

ANEXO I - Materiais de baixo custo e fácil aquisição cloreto de potássio (xarope) KCI iodeto de potássio (xarope) Kl sulfato de magnésio MgSO4 sulfato de ferro II FeSO4 acetato de zinco (injetável) cloreto de amônia (injetável) NH4Cl sulfato de cobre II (injetável) CuSO4 aldeído acético-formol-40% água boricada-ácido bórico-sol. glicerina acetona água oxigenada-comercial azul de metileno benzina -hidrocarbonetos iodo 11-sol. éter amônia-sol. violeta genciana álcool etílico permanganato de potássio KMnO4 bicarbonato de sódio NaHCO3 fenolftaleína (purgoleite) bissulfito de sódio silício (diodos) Si mármore CaCO3 água sanitária NaCIO ácido sulfúrico (bateria) soda cáustica NaOH + impurezas gasolina - octano - principalmente vinagre-ácido acético :t 4% ácido muriático-comercial (HCl) cloreto de sódio (sal) NaCI maizena - amido naftalina - naftaleno cal viva CaO carbeto de cálcio (carbureto) açúcar - sacarose dicromato de potássio enxofre S trióxido de alumínio argila parafina alumínio AI zinco Zn ferro Fe estanho (solda) principalmente Sn chumbo Pb cobre Cu

ANEXO II - Substituição do Material de Laboratório VIDRARIA / EQUIPAMENTO erlenmeyer balão de fundo chato balão de fundo redondo balão de destilação condensador de tubo reto pipetas buretas beckeres provetas provetas funil ampola de decantação papel de filtro tripe suporte para tubos de ensaio pinça bico de bunsen SUBSTITUTO lâmpada comum queimada e sem bocal, interior de garrafa térmicaCUIDADO! e frasco de remédio transparente lâmpada fluorescente adaptada ou cano de pvc adaptado seringas de 1 a 10 ml seringas de 20 ml garrafas e frascos largos cortados mamadeiras frascos de pequeno diâmetro cortados funil frasco de soro filtro de café fios grossos trançados fios trançados e fixado em placa de madeira pregador de roupa lamparina à álcool (cuidado) em ambiente doméstico farmácia farmácia em ambiente doméstico farmácia em ambiente doméstico supermercado hospital/farmácia supermercado mat. elétrico mat. elétrico supermercado em ambiente doméstico LOCAL DE OBTENÇÃO

A química experimental com materiais alternativos ‡ Poderão ser elaborados experimentos usando materiais alternativos abrangendo as áreas de química geral, físico-química, química inorgânica e química orgânica. O numero de compostos na listagem, o número de experimentos selecionados e a qualidade da adaptação das práticas dependem do envolvimento, do interesse e entusiasmo do professor para com a idéia.

A química experimental com materiais alternativos

‡ Sugestões de experimentos: adaptação das práticas existentes em livros de química EM

A química experimental com materiais alternativos
selecionar práticas que se fundamentem no estudo das características dos produtos existentes na listagem de materiais alternativos. Ex. características e reações do etanol Ex. propriedades do enxofre - escolher práticas que se fundamentem na purificação de produtos existentes no kit Ex. purificação do ácido muriático Purificação da soda caústica Purificação do dicromato de potássio - buscar práticas que produzam novos produtos a serem utilizados em outros experimentos Ex. obtenção de prata a partir de radiografias

A química experimental com materiais alternativos
- procurar práticas que envolvam fenômenos e conceitos conseqüentes das reações entre os produtos existentes nos kits Ex. reações características dos metais ‡ Reações ádico-base ‡ Reações químicas a partir do carbureto ‡ Uso de indicadores ácido-base

ANEXO III - Relação das Práticas
I. Propriedades da Matéria 2. Fenômenos Físicos e Químicos 3. Separação de Misturas (Práticas de Purificação, inclusive) 4. Características de Elementos Químicos 8 5. Ligações Químicas 6. Funções Inorgânicas (várias) 7. Funções Orgânicas (várias) 8. Fatores que alteram a velocidade da reação 9. Reações exo e endotérmicas 10. Preparação de Soluções 11. Cinética Quimica

ANEXO III - Relação das Práticas
12. Equilíbrio Químico 13. Produto de Solubilidade 14. Eletroquímica 15. Eletrólise 16. Propriedades Químicas dos Álcoois 17. Propriedades Químicas dos Ácidos Carboxílicos 18. Propriedades e Preparação de Sabões 19. Reações de Oxi-redução (várias) 20. Preparação e propriedades do acetileno 21. Obtenção de aldeído acético 22. Titulação ácido base

Parte ± B - Conhecendo o Laboratório Móvel ± AUTOLABOR ‡ nesta aula vamos conhecer um pouco sobre um laboratório móvel que você como futuro professor de química poderá encontra nas Escolas Estaduais de Santa Catarina. ‡ autolabor : vídeo que esta no site da empresa http://www.autolabor.com.br/#

Tarefa 9 ± Autolabor
Conhecendo, Analisando e trabalhando com experimentos de química propostos no Laboratório Móvel AUTOLABOR Os materiais alternativos como proposta de ampliação dos materiais do AUTOLABOR ‡ Para a realização desta tarefa vocês terão a sua disposição uma ³caixa´ contendo vários materiais de laboratório ‡ A apostila que acompanha o Autolabor
± ± ± ± A lista de reagentes (observar as quantidades ) A lista de vidrarias (observar as quantidades e os tamanhos A lista de equipamentos Os experimentos propostos para a disciplina de química

Tarefa 9 ± Autolabor
cada equipe analisará 4 ou 5 experimentos conforma distribuição em anexo:
Titulo do experimento Materiais, vidrarias reagentes convencionais e Materiais, vidrarias reagentes alternativos e Estes materiais presentes na ³caixa´ estão

Analise critica

tarefa 09: Distribuição dos experimentos para que as equipes :
Equipe 1: ‡ Análise de cátions por via seca ± teste de chama ‡ Analise do leite ‡ análise e identificação de fenômenos físicos e químicos ‡ bafômetro ‡ bomba de bolhas ± produção de gás carbônico Equipe 2: ‡ condutibilidade elétrica de solos ‡ construção de um alambique ‡ cromatografia em papel ‡ decomposição da aspirina ‡ determinação da acidez do vinagre Equipe 3: ‡ determinação de presença de proteína em amostras ‡ determinação do álcool na gasolina ‡ determinação do caráter ácido/básico de amostras ‡ determinação do pH através das cores (colorimetria) ‡ determinação e correção do pH do solo Equipe 4: ‡ experiências com o elemento ferro ‡ extração de cafeína da coca-cola ‡ fatores que influem na velocidade de uma reação química ‡ filtração simples ‡ formação de estalactites e estalagmites Equipe 6: ‡ identificação de misturas homogêneas e heterogêneas ‡ identificação do cloro na água sanitária ‡ identifica,ao do elemento ferro ‡ impressão digital ‡ influencia da temperatura na pressão de um gás

tarefa 09: Distribuição dos experimentos para que as equipes :
Equipe 7: ‡ montagem de fórmulas ‡ natureza elétrica da matéria ‡ o segredo da caixa ± modelo atômico ‡ pesquisa de carbono e hidrogênio ‡ preparação de soluções coloidais Equipe 8: ‡ preparação de uma solução supersaturada ‡ preparação e diluição de soluções ‡ processos endotérmicos e exotérmicos ‡ produção de água destilada ‡ produção de alótropos Equipe 9: ‡ produção de chuva ácida ‡ produção de plásticos ‡ produção de tintas secretas ‡ produção de vidro artificial ‡ produção e identificação de óxidos ácidos e básicos

Equipe 10: ‡ reações coradas ‡ reações de combustão ‡ reações de óxido-reduçao ‡ sangue do diabo ‡ separação de misturas por adsorção Equipe 11: ‡ solubilidade de gases ‡ sublima,ao do gelo seco ‡ tipos de reações ‡ transformação de água em vinho e vice-versa ‡ Vulcão químico

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful