Você está na página 1de 15

CONTABILIDADE PÚBLICA

1ª AULA
Dra. Fauzia Ragu Ramos
2020
CONCEITOS
• Contabilidade Pública é o ramo da contabilidade que
regista, controla e demonstra a execução dos orçamentos,
dos actos e factos da entidade pública e o património
público e suas variações; ou,

• Contabilidade Publica é a ciência que estuda, regista e


controla o património das entidades com fins lucrativos ou
não;
• Portanto, seu escopo relaciona-se ao controlo e gestão
dos recursos públicos.
• Na contabilidade pública, o mais relevante é o balanço de
resultados, que trata da despesa e da receita, ou seja,
de que forma foi arrecadado o dinheiro e como foi
aplicado.
CONCEITOS
 Instrumento de informações para tomada de decisões
dentro e fora das instituições. Citado por Luís Carlos
Correia

 O governo utiliza-se dela para arrecadar impostos e torna-


la obrigatória.

• A Contabilidade Pública, em Moçambique, basea-se no


Diploma Ministerial n.º 181/2013, de 14 de Outubro, que
institui normas gerais de direito financeiro para elaboração
e controlo dos orçamentos e balanços dos entes públicos.
CONT.
• A Lei supra citada está para a Contabilidade Aplicada à
Administração Pública.

• A Contabilidade Pública regista a previsão da receita e a


fixação da despesa, estabelecidas no Orçamento Público
aprovado para o exercício, escritura a execução
orçamentária da receita e da despesa, faz a comparação
entre a previsão e a realização das receitas e despesas,
controla as operações de crédito, a dívida ativa, os
valores, os créditos e obrigações, revela as variações
patrimoniais e mostra o valor do património.
OBJECTO
• A contabilidade pública está interessada também em todos
os actos praticados pelo administrador, sejam de natureza
orçamentária (previsão da receita, fixação da despesa,
empenho, descentralização de créditos etc.) ou sejam
meramente administrativos (contratos, convênios, acordos,
ajustes, avais, fianças, valores sob responsabilidade,
comodatos de bens, etc.) representativos de valores
potenciais que poderão acfetar o património no futuro.

• O objecto de qualquer contabilidade é o patrimonio. A


contabilidade pública não está interessada somente no
patrimonio e suas variações, mas, também, no orçamento
e sua execução (previsão e arrecadação da receita e a
fixação e a execução da despesa).
FINALIDADE/IMPORTANCIA
• Finalidade – produção e manutenção de registos, bem
como evidenciar as transacções realizadas pelos órgãos
e instituições do Estado, seus efeitos sobre o seu
património, mantendo registos analíticos e sintéticos dos
seus bens, direitos e obrigações, compreendidas as
instituições com autonomia administrativa e financeira,
bem como as autarquias e empresas do Estado.
• A Contabilidade Publica contribui para a governação no
sector publico e o controle social, com geração de
informações úteis para tomada de decisões pelos gestores
públicos e para que os órgãos de controle possam avaliar
o seu desempenho.
• Representam as principais saídas de informações
promovendo transparência dos resultados orçamentários,
financeiros, económicos e patrimonial do sector publico.
OBJECTIVO
• A contabilidade pública, além de registar todos os factos
contabilisticos (modificativos, permutativos e mistos),
regista os actos potenciais praticados pelo administrador,
que poderão alterar qualitativa e quantitativamente o
patrimonio.

• O objetivo da Contabilidade Pública é o de fornecer aos


gestores informações actualizadas e exactas para
subsidiar as tomadas de decisões, aos órgãos de controlo
interno e externo para o cumprimento da legislação e às
instituições governamentais e particulares, informações
estatísticas e outras de interesse dessas instituições.
SUBSISTEMAS/SISTEMAS
• A contabilidade pública é um dos ramos mais complexos
da ciência contábil e tem por objetivo captar, registrar,
acumular, resumir e interpretar os fenômenos que afetam
as situações orçamentárias, financeiras e patrimoniais das
entidades de direito público interno, ou seja, Estados e
respectivas autarquias, através de metodologia
especialmente concebida para tal, que utiliza-se de contas
escrituradas nos seguintes subsistemas: Subsistema do
Orçamento do Estado; Subsistema da Contabilidade
Pública; Subsistema do Tesouro Público; Subsistema do
Património do Estado; e Subsistema do Controlo Interno.
• Há literaturas que defendem ou nomenclam os
subsistemas anteriormente como a seguir se indicam:
CONT.
• SISTEMA ORÇAMENTÁRIO
• Evidencia o registro contábil da receita e da despesa,
conforme especificações constantes da Lei Orçamentária
Anual e dos Créditos Adicionais, o montante dos créditos
orçamentários vigentes, a despesa empenhada e a
realizada, as dotações disponíveis no final do exercício e o
resultado comparativo entre a previsão e a execução
orçamentária.
• SISTEMA FINANCEIRO
• Está relacionado com os ingressos (entradas) e os
dispêndios (saídas) de recursos, ou seja, com o registro
dos recebimentos e pagamentos de natureza orçamentária
e extraorçamentária. Representado basicamente pelo
grupo ” Disponível “ que envolve as contas Caixa, Bancos,
Aplicações Financeiras e outras.
CONT.
• SISTEMA PATRIMONIAL
• Registra os bens móveis, imóveis, estoques, créditos,
obrigações, valores, inscrição e baixa da dívida ativa,
operações de créditos, superveniências e insubsistências
ativas e passivas, enfim, registros analíticos de todos os
bens de natureza permanente, com indicação dos
elementos necessários para a perfeita caracterização de
cada um deles e dos servidores responsáveis pela sua
guarda e administração.
CONCEITOS
• SISTEMA DE COMPENSAÇÃO
• Registra e movimenta as contas representativas de direitos
e obrigações, decorrentes de contratos e convênios,
acordos e ajustes. É representado pelos atos praticados
pelo administrador, que não afetam o patrimônio público de
imediato, mas que poderão vir a afetá-lo e, também, pelas
contas de controle, que interessam à administração, de um
acompanhamento mais eficaz.
CONT.
• SISTEMA DE CUSTOS
• Registra, processa e evidencia os custos dos bens e
serviços, produzidos e ofertados à sociedade pela
entidade pública.
 
• Importante:
• Os sistemas são independentes e cada lançamento
contábil é fechado em cada sistema, quando se debita
uma determinada conta num sistema, obrigatoriamente se
credita uma outra conta daquele mesmo sistema.

• Obedece-se o método das partidas dobradas, ou melhor,


para cada débito, há um crédito correspondente e de
mesmo valor.
CONT.
• A escrituração de contas, nestes sistemas, é feita para
atender à legislação relativa às normas de direito
financeiro, ou seja, normas gerais de Orçamento e de
Contabilidade Pública, conforme Lei nº 9/2002, de 12 de
Fevereiro que diz: "o SISTAFE estabelece e harmoniza regras e
procedimentos de programação, gestão, execução e controle do
erário público, de modo a permitir o seu uso eficaz e eficiente, bem
como produzir a informação de forma integrada e atempada,
concernente à administração financeira dos órgãos e instituições do
Estado“.
PRINCÍPIOS DA CONT. PUBLICA
1.CONSISTENCIA;
2.MATERIALIDADE;
3.COMPARABILIDADE;
4.OPORTUNIDADE.

1. CONSISTÊNCIA – os procedimentos de um exercício


para o outro não devem ser alterados.

2. MATERIALIDADE – a informação deve apresentar todos


os elementos relevantes que permitam o
acompanhamentos da utilização dos recursos publico.
CONT.
3.COMPARABILIDADE – registo e operações efectuados em
observância as normas determinadas ao longo da vida dos
respectivos órgãos ou instituições, por forma a que os dados
possam ser comparados ao longo do tempo e do espaço.

4. OPORTUNIDADE - a informação deve ser produzida em


tempo oportuno e útil por forma a apoiar a tomada de
decisões e a analise da gestão.

Você também pode gostar