Você está na página 1de 32

Análise Bromatológica do Sorgo Forrageiro

Alunos: Brenda Guedes


Ana Carolina Carvalho
Crisálida Correia
Thaís Fonseca

Sete Lagoas, 16 de Setembro de 2015


A cultura do sorgo é uma das que
mais cresce no país

Fonte:   http://www.cearasementes.com.br
Porte
• As cultivares forrageiras têm porte acima de
2,70 metros de altura, o que confere alto
potencial de produção de matéria verde.

• As plantas de menor porte tendem a


aumentar a participação de panículas na
matéria seca.
Época de Plantio
• O sorgo para a produção de silagem deve ser
semeado em outubro / novembro, coincidindo
com as primeiras chuvas.

Fonte: www.embrapa.br 
• O uso do sorgo para silagem se justifica por suas
características agronômicas e suas características
bromatológicas.

Fonte:  FONTANELI, Renato Serena


O que é análise bromatológica ?

Bromatos = Alimento; Logos = Estudo

• Entende-se por Bromatologia, a ciência que


estuda os alimentos, que deverão ser
analisados, a fim de se determinar seu valor
nutritivo, ou seja, sua composição química e
digestibilidade direcionados ao maior
consumo de massa seca.
Análise Bromatológica
• A bromatólogia, torna possível obter valores
mais precisos do que os encontrados em
tabelas nutricionais.

http://www.univasf.edu.br/~czoo/index.php?pagina=laboratorio
Análise Bromatológica
• A composição bromatológica estabelece o valor
nutritivo das plantas forrageiras, em natura ou
ensiladas.

• Há relatos e estudos que comprovam que


forrageiras, esses parâmetros podem
influenciar direta ou indiretamente o consumo
de matéria seca pelo animal (VAN SOEST, 1994).
Influenciando no seu ganho de peso.
Análise Bromatológica
• Os itens comumente explorados durante a análise de forrageiras
são:

I. Matéria seca (MS) e Cinzas,


II. Proteína Bruta (PB) pelo método de DUMAS em
auto-analisador de nitrogênio,
III. Fibra em Detergente Neutro (FDN)
IV. Fibra em Detergente Ácido (FDA) pelo método sequencial no
equipamento ANKOM, 
V. Nutrientes digestivos totais
VI. Umidade
VII.Energia disponível para lactação.
Análise Bromatológica
• Matéria seca (MS) e Cinzas.

Embrapa milho e sorgo

Thaís Melo
Análise Bromatológica
• Método sequencial no equipamento ANKOM: Fibra em
Detergente Ácido (FDA)
i. O princípio de funcionamento baseia-se na digestão e filtragem das
amostras de alimentos contidas em saquinhos, em ambiente fechado 

/
https://www.ankom.com
Análise Bromatológica
• Proteína Bruta (PB) pelo método de DUMAS em
auto-analisador de nitrogênio.

I. Consiste na determina o Nitrogênio total após a combustão


da amostra a 700 – 800° C, por medida volumétrica do N
gasoso.

http://www.lecobrasil.com.br/
Amostragem
• Coleta da forragem:

Caso não seja efetuada corretamente, os resultados das análises


não corresponderão a composição do material.

- Tamanho e homogeneidade da área (5 a 50


pontos/ha);

- Na avaliação de silagens, normalmente 10 a 15


amostras
Determinação da Matéria Seca
• Porção onde está todos os nutrientes;

• Massa total descontada a umidade;

• Deve ser usada para expressar a concentração


de nutrientes e, a partir daí, determinar a
produtividade desse nutriente.
Determinação da Matéria Seca
• Secagem em estufa com circulação forçada:

Fonte:www.tradelabor.com.br
 55 °C por 16 a 24 horas;
 135 °C por 2 horas;
 100 °C por 24 horas;
 105 °C por 16 horas

 A MS é composta por matéria orgânica e inorgânica.


Proteína Bruta
• As proteínas são formadas por polímeros de
aminoácidos, que são compostos pos C, H, N e O.

Fonte: http://www.labnutrianimal.uff.br/ (2015)


Proteína Bruta

• O termo Proteína Bruta envolve grande grupo de substâncias


com estruturas semelhantes, porém com funções fisiológicas
muito diferentes.

• É determinada medindo-se o total de nitrogênio (N) e


multiplicando-se por 6,25 (Método de Kjeldahl);

• Teor de PB varia de 9 a 13%.

• Atendimento aos requerimentos dos microrganismos ruminais.


Fibra Bruta
• Frações de celulose, hemicelulose e lignina
insolúvel (Fração fibrosa);

• Método não muito acurado relativo às


características nutricionais associadas a fibra;

• Limitação: Solubilização da lignina em proporções


variáveis;

• O recomendável é utilizar o FDN e FDA (Precisos).


Fibras
• Celulose:
-Bem aproveitada por ruminantes;

-Bom funcionamento dos intestinos, estimulando seus


movimentos peristálticos

• Lignina:
- Fração não digestível;

- Diminui digestibilidade (toxicidade, incrustação e ligações


covalentes);

A lignina-hemicelulose pode estar envolvida na inibição da digestão


Fibra em Detergente Neutro
• Indica a quantidade total de fibras;

• Celulose, hemicelulose e lignina;

• Consumo voluntário;

• Quanto menor o nível de FDN, maior o


consumo de MS.
Fibra em Detergente Ácido
• Indica a digestibilidade, já que contém maior
proporção de lignina;

• Quanto menor o FDA, maior o valor energético.

• Como a FDA está diretamente relacionada com a


digestibilidade...

%NDT = 87,84 – (0,70 x % FDA) 


Ex: se o FDA é de 25% temos um NDT de 70,34%.
Composição Bromatológica do Sorgo
Forrageiro

Fonte: Vilela, 2009.


Fonte: Pariz et al, 2011.

Sorghum bicolor não diminuem o teor de nutrientes digestíveis totais em função das datas
de semeadura e produzem maior quantidade de matéria seca em todas as datas,
nas duas estações de cultivo.
Bromatologia do Sorgo Forrageiro
Matéria Mineral

A Matéria Mineral (MM) ou cinzas consiste no produto


resultante após aquecimento da amostra em temperatura de
500°C a 600°C, durante aproximadamente 4 horas ou até que
ocorra a combustão total da matéria orgânica. A determinação
da MM fornece apenas uma indicação da riqueza de elementos
minerais na amostra.
Bromatologia do Sorgo Forrageiro
Extrato Etéreo

O Extrato Etéreo (EE) ou gordura bruta


compreende na fração do alimento que
é insolúvel em água, mas solúvel em
solventes orgânicos (éter, clorofórmio,
benzeno). A determinação do EE consiste
em submeter o material (na forma de
amostra seca) à extração com éter de
petróleo (método à quente) ou éter
sulfúrico (método à frio).
• O EE faz parte dos compostos não-
nitrogenados presentes na matéria
orgânica da MS dos alimentos,
Bromatologia do Sorgo Forrageiro
NDT
Nutrientes Digestíveis Totais expressa o valor energético dos alimentos. Seus
valores são obtidos através de fórmulas que baseiam-se na análise bromatológica
dos alimentos. Os valores de FB e MM afetam de forma negativa os valores de
NDT e os valores de PB, EE e ENN contribuem para aumentar os valores de NDT.
Bromatologia do Sorgo Forrageiro
Digestibilidade
É o coeficiente de absorção de um nutriente, sendo em geral expresso
como porcentagem do que foi retido em relação ao que foi ingerido.
A digestibilidade das partes da planta (colmos, folhas e panículas) tem
marcada influência sobre a digestibilidade da planta total.
A digestibilidade das panículas é sempre maior que das folhas e,
geralmente, os colmos são as partes da planta de menor digestibilidade.
Bromatologia do Sorgo Forrageiro
Bromatologia do Sorgo Forrageiro
Conclusão
Referências
• http://www.labnutrianimal.uff.br/, acesso em 15 de Set 2015
• Pariz et al. Pesq. agropec. bras., Brasília, v.46, n.x, p.1392-1400,
out. 2011
• MACEDO, M.C.M.M. Integração lavoura e pecuária: o estado da
arte e inovações tecnológicas. Revista Brasileira de Zootecnia, v.38,
p.133-146, 2009.
• MÜLLER, M. dos S.; FANCELLI, A.L.; DOURADO-NETO, D.; GARCÍA,
A.G.; OVEJERO, R.F.L. Produtividade do Panicum maximum cv.
Mombaça irrigado, sob pastejo rotacionado. Scientia Agricola, v.59,
p.427-433, 2002.
• http://www.pioneersementes.com.br/milho/silagem/analise-
bromatologica
• http://www.univasf.edu.br/~czoo/index.php?pagina=laboratorio
Obrigada!

Você também pode gostar