Você está na página 1de 28

Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI)

Centro: Ciências Sociais e Jurídicas

Curso: Direito

Disciplina: Ciência Política

Prof. Dr. Walter Barbieri Junior


Ciência Política
1- 05.08 - Apresentação da Disciplina + Ciência Política

BONAVIDES, Paulo. Ciência Política

FORTES, Luiz R. Salinas. O Iluminismo e os reis filósofos

2- 13.08 – Nicolau Maquiavel

WEFFORT, Francisco C. Os Clássicos da Política. Vol. 1

3- 20.08 – Thomas Hobbes

WEFFORT, Francisco C. Os Clássicos da Política. Vol. 1


Ciência Política
4- 27.08 – John Locke
WEFFORT, Francisco C. Os Clássicos da Política. Vol. 1

5- 03.09 – Prova
M1 - Entrega Prova Escrita (Individual) peso 3 + Paper (Grupo) peso
1

6- 10.09 – Montesquieu (Charles-Louis de Secondat)


WEFFORT, Francisco C. Os Clássicos da Política. Vol. 1
Ciência Política
7- 17.09 – Jean Jacques Rousseau
WEFFORT, Francisco C. Os Clássicos da Política. Vol. 1

8- 24.09 – Alexis de Tocqueville


WEFFORT, Francisco C. Os Clássicos da Política. Vol. 2
9- 01.10 – John Stuart Mill
WEFFORT, Francisco C. Os Clássicos da Política. Vol. 2
Ciência Política
10- 08.10 – Max Weber
WEBER, Max. A Política como Vocação
11- 22.10 – Prova
M2 - Entrega Prova Escrita (Individual) peso 3 + Paper (Grupo) peso
1

12- 29.10 – Hannah Arendt


ARENDT, Hannah. Origens do Totalitarismo
Ciência Política
13- 05.11 – Hannah Arendt
ARENDT, Hannah. Origens do Totalitarismo
14- 12.11 – Milton Friedman
FRIEMAN, Milton. Capitalismo e Liberdade

15- 19.11 – Brasil


Dias, Reinaldo. Estado Constitucional
Ciência Política
16- 26.11 – Brasil
Dias, Reinaldo. Estado Constitucional

17- 03.12 – Prova


M3 - Entrega Prova Escrita (Individual) peso 3 + Paper (Grupo) peso 1

18- 10.12 – Democracia


Entrega das Avaliações e comentários

LEVITSKY, Steven & ZIBLATT, Levitsky. Como as democracias


morrem. Ed. Zahar, 2017.
Ciência Política
 BONAVIDES, Paulo. Ciência política. 13. ed.
São Paulo, SP: Malheiros, 2006.
 FORTES, Luiz R. Salinas. O Iluminismo e os

reis filósofos. Editora brasiliense, 2004.


Ciência Política
 Paulo BONAVIDES: a Ciência Política tem por
objeto o estudo dos acontecimentos, das
instituições e das idéias políticas, tanto em
sentido teórico (doutrina) como em sentido
prático, referido ao passado, ao presente e às
possibilidades futuras
Conceito de Ciência
 Pós Séc. XV - transição do Teocêntrico para
Antropocêntrico Racional (movimento mundo
ocidental)
 Transição: mundo Medieval (feudal) para o

Moderno (capitalismo)
 Fonte do conhecimento: processo de

Racionalização da ideia de Ciência


 Secularização do pensamento filosófico:

desvalorização do Sagrado
Modernidade: do teocentrismo para o
antropocentrismo
 A origem do poder não está em Deus, mas
sim na razão de cálculo com o homem
(ruptura filosofia medieval)
 Walter: mudança de mentalidade - “Penso

logo, Deus existe” ou “Penso logo existo”


 Implicação de um homem racional, explosão

das perspectiva na forma de olhar para o céu


(Vital para notar efeito na própria política)
 Logo, o exercício da política se encontra no

plano do real
Homem Vitruviano
A Criação de Adão
O que caracteriza as Luzes para
Immanuel Kant (século XVIII)
 “A razão é a saída do homem de sua
menoridade pela qual ele próprio é
responsável... menoridade é a incapacidade
de se servir de seu entendimento sem a
direção de outrem, menoridade pela qual é
responsável, uma vez que a causa reside não
em um defeito de entendimento, mas numa
falta de decisão é coragem em se servir dele
sem a direção de outrem.”
Conceito de Ciência (Immanuel Kant)
 A ciência é o objeto de certeza apodítica =
parte da lógica que tem objeto a
demonstração (evidente/ não se pode
contestar)
 Métodos: série de conhecimentos

sistematizados ou coordenados mediante


princípios (empirismo)
Contratualismo
 Interesse racional do indivíduo em renunciar
a liberdade do estado de natureza para obter
os benefícios da ordem política
 Origem do Estado (reconhecimento de

autoridade)
 Ideia de Sociedade Civil (estabelecimento de

um acordo entre os membros)


 Contrato Social (entre os indivíduos)
 Debate sobre o estado de natureza humana
Iluminismo (Razão): Montequieu
 O Espírito das Leis (1748): as leis escritas ou não que
governam os povos não são fruto do capricho de quem
legisla, mas sim decorre da realidade social e histórica
concreta própria do ao povo considerado

 O Espírito é o sentido da lei. Leis que são boas para um povo


podem ser danosas para outro

 O que é uma lei? São as relações necessárias que derivam a


natureza das coisas. Todos os seres do universo são regidos
por leis. O universo é racional, é possível encontrar
regularidades
Séc. XVIII – Nascimento do moderno Estado
nacional

 Contexto de ruptura do Antigo Regime:


transição do Estado Absolutista para o Estado
Nacional
 Benedict Anderson: “Nação representa uma

comunidade política imaginada como


inerentemente limitada e soberana“
 O ideal do racionalismo é soberano nas

Revoluções Burguesas (Revolução Industrial/


Revolução Francesa)
Nacionalismo como uma Ideologia do
Estado nacional
 O nacionalismo foi um produto da história
política da Europa, na qual o resto do mundo
teve que escolher suas comunidades
imaginadas entre certas estruturas modulares

 Walter: o que nasceu primeiro o Estado


nacional ou a ideologia nacional?
Crença na Razão humana
 Enciclopédia (Diderot) - Definição de
Filosofia: “ato de dar razão as coisas ou pelo
menos procurá-la, porque, enquanto nos
limitarmos a ver e a contar o que vemos, não
saímos da história” – séc. XVIII (Iluminismo)
Crença na Razão humana
 Novo mito (ideal) ou forma reguladora: o
progresso
 Visão evolucionista: a natureza humana

caminha para o triunfo das Luzes, da


superação das superstições e da conquista da
civilização
O que caracteriza as Luzes?
 Profunda crença na Razão humana
 O Homem torna-se sujeito e dono do seu

próprio destino
 Em princípio, cada homem pensa por conta

própria
 Espírito do Individualismo
 Concepção liberal
Crença na Razão humana
 Se o Universo é inteiramente racional não é
absolutamente legítimo esperar que o
acúmulo de conhecimentos permitirá ao
homem cada vez mais dominar a Natureza,
racionalizando e melhorando indefinidamente
suas condições de vida?
 Walter: o processo de racionalização é

necessariamente linear na história?


Sec. XIX: avanços e contradições do
Estado liberal
 Século XIX: determinismo científico/
positivismo/ evolucionismo
 Hegel: dialética / crítica a ideia de Contrato

Social
 Tocqueville/Stuart Mill (Liberalismo): conceito

de Tirania da Maioria
 Marx: Socialismo
 Proudhon: Anarquismo
Crença na Razão humana
 1919 - Max Weber – obra “Política como
vocação” - acredita na inevitabilidade da
racionalização - Secularização ou
Desencantamento do mundo
 Weber - Capitalismo: jaula de ferro -

crescente Burocratização
Séc. XX: crise da tradição racional
ocidental
 Hannah Arendt: conceito de Totalitarismo
 Nazismo e Stalinismo: organização

burocrática de Estado baseado no terror e na


ideologia
 “a política se volta contra si mesmo e não

mais diz respeito ao bem comum, mas


empenha-se em objetivos ideológicos de
longo prazo, resultando na morte de parcela
significativa de pessoas”
Visão de mundo: Ocidente e Oriente
Séc. XXI: perspectivas
 Crise da tradição racional ocidental?
 Ascensão Populismo (Ocidente) coloca a

Democracia em xeque como valor político?

 ReOrientalização do mundo?
 https://www.youtube.com/watch?v=4-2nqd6
-ZXg

Você também pode gostar