Você está na página 1de 13

MITOS DE

ORIGEM: ONDE A
VIDA COMEÇA?
EMAAB
5º ano
O que são os Mitos? Para que eles servem?
Mito é o mesmo que lenda?

Os mitos de origem são histórias


simbólicas que narram
acontecimentos de um passado
distante. Eles dão sentido à vida
no presente, pois explicam como
o mundo e todos os seres
passaram a existir.
Os mitos se relacionam com a
vida social, a religiosidade, o
modo de pensar de cada povo.
Eles expressam maneiras
diferentes de compreender o
surgimento do universo, da vida,
da humanidade e do planeta onde
vivemos.
O que são os Mitos? Para que eles servem?
Mito é o mesmo que lenda?

Os mitos fazem parte da cultura


e da religião de todos os povos.
Desde os tempos mais remotos,
eles são, certamente, o primeiro
recurso de linguagem simbólica
utilizada pelos seres humanos
com o propósito de explicar a
realidade. Trata-se de uma
linguagem poética e intuitiva que
vai além da lógica racional. Os
mitos de origem são uma
tentativa de explicar, por meio de
narrativa, o surgimento de todas
as coisas.
Qual será a diferença entre mito, lenda, conto e fábula?
Os mitos são narrativas sobre a origem do mundo, dos homens e das coisas
por meio das relações entre Deuses e forças sobrenaturais, cuja ação
aconteceu quando o mundo foi formado, o princípio.
O mito também é uma narração que explica os fatos da realidade, os fenômenos
da natureza. Eles são bastante simbólicos, suas histórias são carregadas de
metáforas. Neles aparecem Deuses, seres sobrenaturais, heroínas, heróis, etc. O
mito nos fornece mensagens profundas sobre nossa própria experiência
humana. As histórias contadas pelas religiões, tenham elas sido escritas ou não,
são consideradas mitos religiosos para os pesquisadores de religiões. O mito
religioso explica a realidade por meio de histórias sagradas.
As lendas são narrativas que misturam fatos, lugares reais e históricos com
acontecimentos que são frutos da fantasia. Elas procuram dar explicações para
acontecimentos misteriosos e sobrenaturais. Exemplo: Boitatá e Curupira. As
lendas se vinculam ao folclore. Na medida em que são contadas, elas vão se
modificando ao modo de quem conta a história.
O conto, por sua vez, é uma narrativa que acontece em qualquer lugar e tempo
(presente, passado ou futuro). O conto não se aprofunda nas características
físicas e nas ações dos personagens. A função do conto é procurar levar o
narrador a se envolver na trama. Exemplo: Bela Adormecida e Rapunzel.
A fábula é uma narrativa com objetivo de trazer algum ensinamento moral,
cujos personagens são animais dotados de qualidades humanas. Exemplos:
Chapeuzinho Vermelho e a Lebre e a Raposa.
MITOS PARA OS POVOS INDÍGENAS
Os povos indígenas, assim como outras sociedades, também transmitem
seus conhecimentos e experiências por meio de mitos. Por serem
populações que, até pouco tempo, não registravam seus saberes na forma
de textos escritos, o principal jeito de transmitir conhecimentos era — e
ainda é — por meio da fala.
É importante dizer que, além dos mitos, existem outras formas de
expressão oral, como os cantos, diálogos cerimoniais e outros tipos de
discurso..
Todos os povos indígenas têm os mesmos
mitos?
Não, muito pelo contrário! Assim como existem muitos
grupos indígenas, há também muitas diferenças entre os
seus mitos.
Você já aprendeu que um mito pode ter muitas versões.
No Brasil, há mais de 240 povos indígenas, imagine só
quantos mitos diferentes existem! Se pensarmos, então,
que dentro de uma mesma aldeia existem variações...
Os mitos são criações originais e por isso são muito
variados!
MITOS SOBRE O SOL E A LUA
COMO CONTA AS DIFERENTES
TRIBOS
Os Inuit, que vivem na região do
Estreito de Bering (norte do continente
americano), também conhecidos como
Esquimó, contam que, antigamente,
numa aldeia da costa viviam um
homem e sua mulher. Tinham dois
filhos, uma menina e um menino.
Quando as crianças cresceram, o rapaz
se apaixonou pela irmã. Como ele não
parava de incomodá-la, ela fugiu para
o céu e se transformou na lua. Desde
então, o rapaz não parou de persegui-
la, na forma de sol. Às vezes, ele
consegue se aproximar dela e abraçá-
la. É nesse momento que acontece um
eclipse da lua.
Como contam os Kanamari?

Os Kanamari falam uma língua da família


Katukina e vivem em diferentes terras
indígenas no estado do Amazonas. Eles contam
que, muito tempo atrás, duas crianças nasceram
em uma aldeia: um menino e uma menina. Elas
foram criadas juntas. Quando cresceram, o
irmão foi em uma noite à rede da sua irmã e
namorou com ela. Como ele ia só à noite e não
falava nada, sua irmã não sabia que o visitante
era ele.
A moça queria descobrir quem era o rapaz e
teve uma ótima ideia: colocou tinta de jenipapo
em uma jarra e deixo-a debaixo de sua rede. À
noite o rapaz foi lhe visitar novamente e antes
que ele fosse embora ela marcou o rosto dele
com a tinta. Ao amanhecer, ela viu que o rapaz
com o rosto manchado de jenipapo era seu
próprio irmão! Os dois ficaram com muita
vergonha e se separaram. A partir daquele dia,
o menino virou lua e a menina, sol, e nunca
mais se encontraram.
Os Taurepang, que vivem na
fronteira entre o Brasil, a
Venezuela e a Guiana, contam
que antigamente, Wei e Kapei,
o sol e a lua, eram muito
amigos e nunca se separavam.
Naquele tempo, Kapei (lua)
tinha um rosto limpo e
gracioso. Ele se apaixonou por
uma das filhas do sol e
começou a visitá-la todas as
noites. Isso não agradou o sol,
que mandou sua filha sujar o
rosto do amante (lua) com
sangue menstrual. Desde então,
os dois astros se tornaram
inimigos e a lua, que ficou com
o rosto todo manchado, evita o
sol.
Mito Kamaiurá sobre a criação do dia
INTERPRETAÇÃO TEXTUAL
QUESTÕES:
A) O que o Sol e a Lua fizeram para se esconderem?
B) Meirú, a mosca grande, recebeu uma tarefa. Qual era ela?
C) Quais pássaros tentaram ajudar o Urubu a entender Meirú
(na primeira e na segunda vez)?
D) Quem descobriu que o Sol estava escondido na anta?
E) Quem era o dono do dia? O que o Sol e a Lua disseram a
ele?
F) O passarinho Jacupim precisou ir quantas vezes à casa do
dono do dia para trazer o dia? O que era o dia?
G) O que aconteceu no final da história?
RESPOSTAS:
A) Os dois irmãos, Sol e Lua, tiraram uma embira do mato e a montaram em
forma de anta. O Sol se escondeu debaixo do olho da anta e a Lua entrou
debaixo da unha dela.
B) Meirú devia ir até onde moram as aves e avisar o Urubu de duas ou três
cabeças para vir comer a anta.
C) Na primeira vez, o Urubu precisou da ajuda de Xexéu; na segunda, quem
o ajudou foi Xexéu-preto.
D) O Gavião foi quem descobriu que o Sol estava escondido na anta.
E) O dono do dia era o Urubu. O Sol e a Lua disseram a ele que não o
matariam; eles só queriam o dia.
F) Jacupim precisou ir três vezes à casa do Urubu para trazer o dia, que eram
penas de arara-amarela e de arara-vermelha.
G) O dono do dia enfeitou o Sol com as penas de arara-vermelha e explicou
que o Sol daria o dia aos seus netos todos os dias. Depois, enfeitou a Lua
com penas de arara-amarela e explicou que ela apareceria toda noite para
clarear.