Você está na página 1de 72

Teoria - Dia 1

para operadores de empilhadeira e paleteira


CURSO DE OPERAÇÃO DE
EMPILHADEIRA E DE
ELEVADOR/TRANSPORTADOR
ELÉTRICO DE CARGAS
(PALETEIRA E GUINCHO PARA ROLOS DE URDUME)
NR11
NR 11 - TRANSPORTE, MOVIMENTAÇÃO, ARMAZENAGEM E MANUSEIO DE MATERIAIS

11.1 Normas de segurança para operação de elevadores, guindastes, transportadores


industriais e máquinas transportadoras.

11.1.3 Os equipamentos utilizados na movimentação de materiais, tais como ascensores,


elevadores de carga, guindastes, monta-carga, pontes-rolantes, talhas, empilhadeiras,
guinchos, esteiras-rolantes, transportadores de diferentes tipos, serão calculados e
construídos de maneira que ofereçam as necessárias garantias de resistência e
segurança e conservados em perfeitas condições de trabalho.

11.1.3.1 Especial atenção será dada aos cabos de aço, cordas, correntes, roldanas e ganchos
que deverão ser inspecionados, permanentemente, substituindo-se as suas partes
defeituosas.
NR11
11.1.3.2 Em todo o equipamento será indicado, em lugar visível, a carga máxima de trabalho
permitida.

11.1.3.3 Para os equipamentos destinados à movimentação do pessoal serão exigidas


condições especiais de segurança.

11.1.4 Os carros manuais para transporte devem possuir protetores das mãos.

11.1.5 Nos equipamentos de transporte, com força motriz própria, o operador deverá receber
treinamento específico, dado pela empresa, que o habilitará nessa função.

11.1.6 Os operadores de equipamentos de transporte motorizado deverão ser habilitados e só


poderão dirigir se durante o horário de trabalho portarem um cartão de identificação, com o
nome e fotografia, em lugar visível.
NR11
11.1.6.1 O cartão terá a validade de 1 (um) ano, salvo imprevisto, e, para a revalidação, o
empregado deverá passar por exame de saúde completo, por conta do empregador.

11.1.7 Os equipamentos de transporte motorizados deverão possuir sinal de advertência


sonora (buzina).

11.1.8 Todos os transportadores industriais serão permanentemente inspecionados e as peças


defeituosas, ou que apresentem deficiências, deverão ser imediatamente substituídas.

11.1.9 Nos locais fechados ou pouco ventilados, a emissão de gases tóxicos, por máquinas
transportadoras, deverá ser controlada para evitar concentrações, no ambiente de trabalho,
acima dos limites permissíveis.
NR11
11.1.9 Nos locais fechados ou pouco ventilados, a emissão de gases tóxicos, por máquinas
transportadoras, deverá ser controlada para evitar concentrações, no ambiente de trabalho,
acima dos limites permissíveis.

11.1.10 Em locais fechados e sem ventilação, é proibida a utilização de máquinas


transportadoras, movidas a motores de combustão interna, salvo se providas de dispositivos
neutralizadores adequados.

11.2.5 As pilhas de sacos, nos armazéns, devem ter altura máxima limitada ao nível de
resistência do piso, à forma e resistência dos materiais de embalagem e à estabilidade,
baseada na geometria, tipo de amarração e inclinação das pilhas. (Alterado pela Portaria SIT
n.º 82, de 01 de junho de 2004).

11.2.7 No processo mecanizado de empilhamento, aconselha-se o uso de esteiras-rolantes,


dalas ou empilhadeiras.
NR11
11.3.1 O peso do material armazenado não poderá exceder a capacidade de carga calculada
para o piso.

11.3.2 O material armazenado deverá ser disposto de forma a evitar a obstrução de portas,
equipamentos contra incêndio, saídas de emergências, etc.

11.3.3. Material empilhado deverá ficar afastado das estruturas laterais do prédio a uma
distância de pelo menos 0,50m (cinquenta centímetros).

11.3.4 A disposição da carga não deverá dificultar o trânsito, a iluminação, e o acesso às


saídas de emergência.

11.3.5 O armazenamento deverá obedecer aos requisitos de segurança especiais a cada tipo
de material.
DIREÇÃO DEFENSIVA
O que é direção defensiva?

Dirigir de um modo a evitar acidentes apesar:

1 – das ações incorretas dos outros e;


2 – das condições adversas.
DIREÇÃO DEFENSIVA

Condições adversas:

1 – luz;
2 – Tempo (clima);
3 – Estrada;
4 – Trânsito;
5 – Veículo;
6 – Motorista.
DIREÇÃO DEFENSIVA
Método básico de prevenção de acidentes:

1 – Preveja o perigo;
2 – Descubra o que fazer;
3 – Aja a tempo;
DIREÇÃO DEFENSIVA

Dos acidentes de trânsito mais comuns:

1 – Colisão com o veículo da frente;


2 – Colisão com o veículo de trás;
3 – Colisão frente a frente;
4 – Atropelamentos;
5 – Colisão com objetos fixos;
6 – Colisão em marcha a ré.
DIREÇÃO DEFENSIVA
1 – Colisão com o veículo da frente;
DIREÇÃO DEFENSIVA
2 – Colisão com o veículo de trás;
DIREÇÃO DEFENSIVA
3 – Colisão frente a frente;
DIREÇÃO DEFENSIVA
4 – Atropelamentos;
DIREÇÃO DEFENSIVA
5 – Colisão com objetos fixos;
DIREÇÃO DEFENSIVA
6 – Colisão em marcha a ré.
Café!
TIPOS
TRANSPORTADOR ELÉTRICO
(PALETEIRA)
PALETEIRA - TIMÃO
PALETEIRA - MECANISMO
ELEVADOR ELÉTRICO
(GUINCHO PARA ROLOS DE URDUME)
1. Torre de elevação;
2. Cilindro de Elevação com corrente de carga;
3. Tubo de sustentação;
4. Timão;
5. Braços de levantamento de carga;
6. Rodas de movimentação;
7. Bases de apoio.
ELEVADOR ELÉTRICO
(GUINCHO PARA ROLOS DE URDUME)
8. Rodas de movimentação;
9. Compartimento da bateria.
ELEVADOR - TIMÃO
1. Marca luminosa (laser);
2. Botoeira de emergência;
3. Tecla de comutação de segurança (inversão);
4. Controles de marcha;
5. Punhos;
6. Tecla de pressão (para soltar freio com o timão
baixado);
7. Chaves;
8. Painel de instrumentos;
9. Tecla de paralelismo manual;
10. Tecla dos pés de apoio;
11. Tecla de subida/descida do braço de levantamento de
carga;
12. Tecla de inversão elevar/baixar;
13. Tecla de movimento lateral;
14. Tecla de subida/descida da torre;
15. Buzina;
16. Conector da bateria .
PLAQUETAS DE IDENTIFICAÇÃO E CAPACIDADE
BATERIA E CARREGADOR
BATERIA E CARREGADOR
EPI’s

Posturas inadequadas

Manutenções

Sobrecarga dos componentes


Dúvidas...
Perguntas...
Curiosidades?
Teoria - Dia 2
somente para operadores de empilhadeira
Quarta Feira
CURSO DE OPERAÇÃO DE
EMPILHADEIRA E DE
ELEVADOR/TRANSPORTADOR
ELÉTRICO DE CARGAS
(PALETEIRA E GUINCHO PARA ROLOS DE URDUME)
MECÂNICA DE AUTOMÓVEIS
Componentes do veículo:
- Motor.
MECÂNICA DE AUTOMÓVEIS
Componentes do veículo:
- Caixa de câmbio.
MECÂNICA DE AUTOMÓVEIS
Componentes do veículo:
- Sistema elétrico.
MECÂNICA DE AUTOMÓVEIS
Componentes do veículo:
- Sistema Hidráulico.
MECÂNICA DE AUTOMÓVEIS
Componentes do veículo:
- Sistema de Alimentação.
MECÂNICA DE AUTOMÓVEIS
Componentes do veículo:
- Filtro de ar.
MECÂNICA DE AUTOMÓVEIS
Componentes do veículo:
- Sistema de direção.
MECÂNICA DE AUTOMÓVEIS
Componentes do veículo:
- Sistema de tração.
MECÂNICA DE AUTOMÓVEIS
Interfaces:
- Pedais.
MECÂNICA DE AUTOMÓVEIS
Interfaces:
- Freio manual e chaves.
MECÂNICA DE AUTOMÓVEIS
Interfaces:
- Painel de instrumentos.
MECÂNICA DE AUTOMÓVEIS
Interfaces:
- Faróis e luzes de advertência.
CLASSIFICAÇÃO
1 – Tipo de combustível;
2 – Características Comuns;
3 – Ambiente de operação
COMPONENTES E SISTEMAS
Torre e Garfos
COMPONENTES E SISTEMAS
Contrapeso
COMPONENTES E SISTEMAS
Sistema de direção e alavancas de comando
COMPONENTES E SISTEMAS
Gaiola
COMPONENTES E SISTEMAS
Extintor
INSTRUMENTOS E INDICADORES
INSTRUMENTOS E INDICADORES
INSTRUMENTOS E INDICADORES
INSTRUMENTOS E INDICADORES
INSTRUMENTOS E INDICADORES
INSTRUMENTOS E INDICADORES
INSTRUMENTOS E INDICADORES
INSTRUMENTOS E INDICADORES
INSTRUMENTOS E INDICADORES
INSTRUMENTOS E INDICADORES
Café!
EQUILÍBRIO DE CARGAS
EQUILÍBRIO DE CARGAS
EQUILÍBRIO DE CARGAS
EQUILÍBRIO DE CARGAS
EQUILÍBRIO DE CARGAS
EQUILÍBRIO DE CARGAS
EQUILÍBRIO DE CARGAS
LIMITES DA MÁQUINA
EPI’s

Posturas inadequadas

Manutenções

Sobrecarga dos componentes


Dúvidas...
Perguntas...
Curiosidades?

Você também pode gostar