Você está na página 1de 54

Primeiros socorros

Professor: Márcio Fabiano


99182 18 65
@marcio_fabiano_1
1- A importancia das noções de
primeiros socorros

1.1- Introdução:

É importante termos noções de primeiros


socorros, pois junto com o espírito de
solidariedade, ajuda na diminuição de lesões
e no salvamento de vidas
Conceito: PRIMEIROS SOCORROS são as providencias
tomadas no local do acidente, iniciando o atendimento até a
chegada de um socorro profissional. Independente de cada
acidente, as seqüência das ações serão sempre as mesmas

 Manter a calma
 Garantir a segurança (sinalizando o local)
 Controlar a situação
 Verificar a situação das vitimas, através da

abordagem primaria
Omissão de socorro é crime!
O artigo 135 do código penal brasileiro: diz que deixar de prestar
socorro a vitima de acidente de trânsito ou pessoa em perigo
iminente, podendo fazê-lo é crime.

Ao condutor de veículo, em acidentes de


trânsito com vitima, não se imporá a prisão em
flagrante, nem se exigirá fiança, se prestar
pronto e integral socorro àquela (art. 301 CTB)
2- sinalização no local do acidente

# A SINALIZAÇÃO DEVE COMEÇAR BEM LONGE DO LOCAL


DO ACIDENTE, E SER VISIVEL #
2.1-Materiais utilizáveis na sinalização
 Triângulos;
 Mato verde;
 Acionar o pisca alerta

e ligar os faróis;
 Os materiais devem

ser colocados de
forma correta na via e
retirados no fim do
socorro (art. 225 e
226 – CTB.
2.2 – cuidados na sinalização
 Acionar o órgão de trânsito responsável pela via
 Por segurança, a sinalização deve começar antes do
local do acidente ser visível, trazendo tempo para a
reação dos outros condutores;
 Manter o trafego fluindo, evitando
congestionamento (novos acidentes) e facilitando o
socorro;
 Fazer a sinalização na via para garantir a segurança
do local
 Utilizar utensílios visíveis e que não ofereçam risco
ao trânsito
2.3- A distancia para sinalizar
 Fazer o calculo de acordo com a velocidade da
via, condições de tempo e de trânsito
Pista normal O mesmo que
condições adversas
 Em curvas, aclives e
declives, mesmo que já
tenha começado a
contagem dos passos,
ao passar pela curva,
aclive ou declive, deve
iniciar a contagem
novamente

Não procedendo dessa


forma diminui a
possibilidade da
sinalização ser notada
3- acionamento de recursos (socorro)
Solicitar o socorro especializado o mais rápido possível

•O resgate do corpo de
bombeiros, do SAMU ou até
mesmo o serviço policial mais
próximo;

•As ligações são gratuitas e os


números padronizados em todo
o Brasil

•Devemos sempre portar


números de emergência
Policia
militar
rodoviária
3.1- Devemos estar preparado para
dar estas e mais informações:
 TIPO DE ACIDENTE: colisão, atropelamento,
incêndio, queda de moto, capotamento...
 VEÍCULO ENVOLVIDO:carro, moto, ônibus,

caminhões...
 Localização e como chegar no local
 A gravidade aparente do acidente e numero

aproximado de vitimas
 VITIMAS: crianças, adultos, idosos e sexo
 Se a pessoas presas em ferragens...
3.2- controlando a situação
 Identificar os riscos e definir as ações;
 Mostrar decisão e firmeza em sua ação;
 Pedir ajuda e distribuir as tarefas;
 Não perder tempo discutido;
 Afastar as pessoas desequilibradas e curiosos;
 Não ficar apenas dando ordens;
 Motivar todos;
 Não pronunciar palavras ou atitudes
desanimadoras..
3.3- regras do que não fazer
 Não movimentar a vitima;

 Não retirar o capacete;

 Não dar água;

 O torniquete só deve ser


feito por profissional.
4- verificação das condições gerais
da vítima

4.1- ABORDAGEM DA VÍTIMA: avaliação


primaria, ABCDE – ao abordar a vítima
procure sempre verificar primeiro se ela
apresenta alguma resposta verbal. Converse
com ela, pergunte seu nome, diga que está
disposto a ajudá-la,
ABCDE
 É o protocolo de atendimento no qual existe
uma serie de seqüência lógica de ações,
priorizando lesões que podem levar a morte.

 É necessário o uso de equipamentos de


proteção como: “luvas, mascara e óculos”.
Devido o risco de transmissão de doenças
contagiosas
4.2- O “ABCDE” DO SOCORRISTA
 “A” a imobilização da coluna cervical
“evitando lesão da medula” e desobstrução
das vias aéreas, “facilitando a entrada de
ar”
A.1- PROCEDIMENTOS
 Segure a cabeça da vitima na posição em que ela
está, imobilizando a coluna cervical, chame –a;
 Se responder é porque as vias aéreas estão

desobstruídas;
Caso não responda, examine as vias aéreas.
Procure na boca objetos que possam causar
obstrução se houver, retire-os;
Caso tenha suspeita de comprometimento das
vias aéreas. Elas devem ser liberadas ao mesmo
tempo em que se protege a coluna.
A.2- principais cusas da obstrução: queda de base da
língua, corpos estranhos, vômitos, secreções e sangue.
a) Elevação do queixo: é a mais eficaz em queda de
língua, quando não a suspeita de lesão na cervical;

b) Tração da mandíbula: suspeita de lesão na coluna


cervical. Em caso de obstrução por corpo estranho,
antes de qualquer intervenção, verificar a capacidade
da vitima de emitir sons (tossir ou falar). Caso saia
sons a obstrução não é completa, estimular a vitima a
tossir tentando expelir o objeto. Sendo obstrução
completa, a vitima não emite sons, devendo ser
realizadas as manobras de desobstrução .
c) Tapotagem
 Caso a vitima não se
encontre em pé, peça
para se curvar para
frente abaixando a
cabeça, e efetue de 4
a 6 tapotagens nas
costas “região da
escapula”
d) Manobra de Heimlich
 Abrace a vitima por
trás apoiando
lateralmente em seu
corpo realizar a
compressão entre o
esterno e o umbigo,
o socorrista deve
apoiar a mão fechada
com polegar para
dentro e fazer de 6 a
10 compressões.
e) Obstrução nas vias aéreas – crianças
 Não conseguindo remover o corpo estranho com o dedo realize:

De 4 a 10 De 4 a 10
“B” RESPIRAÇÃO - com as vias aéreas
desobstruídas, vamos olhar a respiração.

 Respiração – é uma função do organismo, na


qual os tecidos recebem oxigênio e eliminam
gás carbônico.
Para saber se o paciente está respirando precisamos avaliar
através da técnica “VOS” ( VER, OUVIR E SENTIR)
B.1 Procedimentos
 Podemos ver a respiração no movimento do
tórax e também por ouvir e sentir o
deslocamento de ar;

 Respiração ausente: iniciar a respiração


artificial (boca a boca) em adultos e crianças e
em bebês...
Como fazer:
 Abrir a via aérea com a manobra de desobstrução se necessário
 Remover próteses dentarias incompletas que estão deslocadas
 Comprimir as narinas da vitima
 Colocando a boca sobre a boca da vitima fazer 2 ventilações completas
com duração de 1 segundo em media

O ideal seria usar mascara


para evitar contaminação
B.2 Verifique pulso carotídeo
(pescoço) se houver pulsação, faça:
 Apresentando pulsação a vitima está somente
com parada respiratória

 Adulto:1 ventilação a cada 5 segundos

 Criança: 1 ventilação a cada 4 segundos

 Recém nascidos: 1 ventilação a cada 3


segundos
“C” – Circulação e grandes hemorragias

Se a vítima não apresenta respiração e nem pulso, está


com parada cardiorrespiratória (não respira e nem tem
batimento cardíaco)
C.1- Sinais de parada cardiorrespiratória:
Ausência de pulso palpável
Ausência de respiração
Inconsciência

C.2- Procedimentos:
Acionar o socorro especializado
Deve-se iniciar a respiração com ventilação e a
massagem cardiaca
Iniciar o atendimento a vitima para evitar danos no
organismo
Como fazer: a reanimação cardiopulmonar
(RCP), consiste em ventilações e massagens cardíacas.

 A vitima deve estar sobre uma surpefície rígida e


plana
 O socorresta deve apoiar a mão no osso do esterno
na linha dos mamilos e apoiar a outra mão sobre a
primeira, não tocar os dedos no esterno
 A compressão deve ser aproximadamente de 3 a 5
cm em adultos, permitindo que ele volte a posição
original
 Devem ser realizadas 30 compressões e 2 ventilações
 Apos fazer o ciclo30x2 verificar o pulso, se não
apresentar pulso continuar até a chegada do socorro
especializado
A respiração cardiopulmonar tem por objetivo:
 Oxigenar e circular o sangue até a chegada do
socorro especializado.
 Evitar lesão cerebral

C.4- massagem cardíaca:

Na compressão cardíaca temos as diferenças entre


recém-nascidos e lactantes, crianças maiores e adultos.
Mas mantemos o procedimento em local rígido, plano e
na horizontal
Sempre devemos analisar o porte da criança para
realizar a ventilação (suficiente para expandir o tórax) e
as compressões.
“D”- Estado neurológico “AVDN”: Verifique
o nível de consciência, se está alerta e reage a voz da dor

PROCEDIMENTOS:
Tente conversar com a vitima, ver se ela
responde
Se responder de forma consciente e
orientada é um bom sinal
Caso não responda estimule a vitima
Aperte a sua mão ou até mesmo um beliscão
para tentar obter uma resposta
Caso não haja resposta essa informação
deve ser repassada ao socorro que já foi
acionado
“E”- EXPOSIÇÃO DA VÍTIMA: retire as vestes que
cobrem o membro lesionado a fim de verificar algum ferimento como
sangramento ou fratura.

 Constando alguma lesão com risco de morte,


procure através do “ABCDE”, manter os sinais
vitais ate a chegada do socorro
5- Trauma em acidentes: é muito importante usar o
cinto de segurança e o capacete para evitar maiores danos em
caso de acidentes.

 O cinto impede que a vitima sofra impactos


ou seja arremessada pra fora do veículo
 Só usar não adianta, tem que usar de forma

correta para ser mais eficaz e seguro

 O capacete tem a eficácia comprovada se


usado corretamente, o erro mais comum é o
uso incorreto ou deixar de usar a jugular
6- Hemorragia: é a perda de sangue
devido o rompimento de vasos sanguíneos
 O sistema circulatório é composto por uma
bomba (coração) que faz o sangue circule
indo a todas as partes do corpo.
 O sangue leva nutrientes e oxigênio a todo o
organismo garantindo o seu perfeito
funcionamento
6.2 volume de sanguíneo do corpo
Adulto em media 7% do peso
corporal
Crianças 8 a 9% do peso corporal.
6.3- Classificação das hemorragias:
Arterial:
 Coloração vermelho – vivo
 Derramando em pulsações (jato) a cada

batimento
 A velocidade da perda sanguínea é maior

Venosa: sangramento continuo, geralmente de


coloração escura.
Capilar: sangramento continuo com fluxo lento.

Quanto maior a hemorragia, menos eficientes os


mecanismos de defesa do organismo
6.5- Sinais e sintomas de hemorragias

 Pele pálida
 Perfusão capilar lenta (extremidades)
 Temperatura do corpo abaixo do normal
 Suor frio tontura ou desmaio
 Sede intensa
 Pulso rápido e fraco
 Estado de choque
Formas de contenção
 Compressão direta com pano limpo ou gaze
se possível usar compressa fria
 Elevar o membro
 Se as primeiras compressas encharcarem

deve ser colocadas mais por cima

Torniquete ou garrote: só em casos que a


hemorragia não for estancada pela compressão
direta. Ultimo caso, devido o risco de ter que
amputar o membro no local do torniquete
Não usar soluções caseiras: café, açúcar, pimenta e
outros, pois podem provocar infecções
6.7- Amputaçã: são lesões onde o membro é separado do corpo,
podem ser causadas por objetos cortantes, esmagamento ou
tracionamento. As causadas nas industrias e acidentes de trânsito
são mais comuns em jovens

 O que fazer:
 Controlar a hemorragia
 Colocar o membro amputado em saco plástico
ou atadura umedecida com soro fisiológico
 Colocar em um recipiente com gelo ou agua
gelada, impedindo o contato direto com o gelo
 Providenciar o transporte para o hospital
rapidamente
6.8- Objetos transfixados ou empalados
 Independente do que esteja fixado na vitima
não retirar
 Quando o objeto penetra no organismo

produz lesões e hemorragia, mas, a


permanência do mesmo serve para estancar a
hemorragia
 O QUE FAZER: imobilizar o objeto na vitima

até a chegada do socorro especializado


7- Fraturas: é o rompimento total ou parcial do
seguimento ósseo.
Lesão onde a o rompimento
do osso mas a pele não rasga.
(permanece intacta)

Lesão em que quando o osso


quebra, perfura a pele e o osso
fica exposto ao ambiente
Sinais e sintomas:
 Dor geralmente forte
 A parte afetada geralmente fica inchada ou deformada
 Dificuldade ou impossibilidade de movimento
 Sensação de atrito no local, devido ao contato das
extremidades.
O que fazer:
Imobilizar para evitar que a fratura
se agrave
Imobilizar uma articulação acima e
uma abaixo
Se houver sangramento, estancar a
hemorragia primeiro

Lembre-se: não tentar alinhar o osso e nem mover o membro


para certificar da fratura
Imobilizar diminui a dor e o sangramento
Evitar que as fraturas fechadas se tornem expostas
8- luxação e entorse:
Luxação são lesões em que o osso é deslocado de seu lugar
Não tentar colocar de volta no lugar, pois pode ter lesão
ligamentar

Entorse: lesão onde ocorre ruptura completa do ligamento.


As formas mais graves produzem instabilidade na
articulação e as vezes incha

O que fazer:
Não massagear, não aplicar compressas quentes ou
pomadas, pois dilatam a região provocando inchaço
Usar compressas geladas e imobilizar
Encaminhar para avaliação medica
9- Queimaduras: considera queimadura toda lesão na
pele. As queimaduras podem ter origem térmica, elétrica,
química, radioativa ou ferimentos abrasivos.

A pele tem função de:


Controlar a perda de água e calor
Proteção do corpo contra infecções.

As vitimas de queimaduras extensas tendem a perder liquido


corporal, temperatura e apresentam uma maior tendência em
adquirir infecções
9.1- Classificação das queimaduras:
 Primeiro grau: Atinge a epiderme (primeira camada
da pele), dor local, e vermelhidão da área atingida

 Segundo grau: atinge a epiderme e a derme (2ª


camada da pele) dor local e formação de bolhas

 Terceiro grau: atinge toda a pele, alcançando o


tecido gorduroso ou muscular. Pouca dor devido a
destruição das ligações nervosas. Pele escurecido
ou esbranquiçada no local atingido

Em uma única queimadura pode


ter queimadura de 1º, 2º e 3º grau
9.2- Procedimentos
 Acionar o socorro especializado
 Controlar a situação
 Utilizar proteção nas mãos para evitar queimaduras
 Apagar o fogo na vitima com cobertor ou rolando no chão
 Impedir que ela corra
 Colocar na água corrente ou soro fisiológico ( diminui a dor
 Retirar as roupas que não estão grudadas na pele (evitar
infecções)
 Nada de soluções caseiras ( babosa e outros)
 Não perfurar as bolhas
Considerar grave
 Atinge mais de trinta por cento do corpo
 Química
 Crianças e idosos: a pele apresenta uma menor proteção
 Eletricidade independente da área atingida
 Área genital e articulações
 Mãos e pés, perda funcional
 Face e pescoço pode afetar vias aéreas
 Associada a outros traumas: hemorragia, fraturas,

explosões capotamento...

Em incêndios o maior problema é a inalação de


fumaça pois atrapalha os pulmões a captar oxigênio
10- Desmaio: consiste na perca de memória e
incapacidade muscular, fazendo com que a vitima caia no chão

O desmaio ocorre por:


 Hipotensão (pressão baixa): falta de sangue no

cérebro
 Hipoxemia:diminuição de oxigênio no sangue,

causado por problemas respiratório ou


ambientes com fumaça
 Hipoglicemia: (pouca glicose) falta de

alimentação o organismo não produz energia


para manter as atividades
 Pode ocorrer por: estress, alteração emocional,

nervosismo e outros...
10.1- sintomas: tontura, sensação de mal-estar,
pele fria pálida e úmida e perca de consciência.

O que fazer:
 Acionar o socorro
 Efetuar abordagem primaria (ABCDE)
 Arejar o ambiente
 Afrouxar as roupas do paciente
 Deitar o paciente e se possível elevar as

pernas
 Não permitir aglomeração para não

prejudicar a vitima.
11- convulsão: atividade muscular anormal, com
alteração de comportamento ou inconsciência, causado por
anomalias das células do cérebro

Sintomas:
 Incapacidade de ficar em pé
 Perda de consciência
 Contração em toda a musculatura corporal,

em espasmos
 Aumento da produção de saliva e vomitos
 Quando acorda a pessoa não lembra de nada

que ocorreu durante a crise


 Fica muito cansado, indisposto e sonolento
11.2- Causas: epilepsia(maior causa), hipoglicemia,
uso abusivo de álcool ou drogas, lesões cerebrais AVC e
TCE (acidentes) e febre alta ( comum em crianças)

O que fazer:
 Acionar socorro especializado
 Afastar objetos e evitar aglomerações de curiosos
 Proteger a cabeça da vitima com um apoio
 Manter o paciente deitado de lado ( se possível)
 Não introduza objeto na boca ou tente colocar a língua

para fora
 Não tente conter a vitima
 Esfriar crianças febris com toalhas molhadas ou banho, o

aumento rápido da temperatura pode causar convulsões


 Aguardar a duração normal da crise que é de 1 a 5

minutos
12- cuidados especiais com vitimas
de motocicletas (o que não fazer)
1. Evite movimentar para não agravar lesões na coluna
vertebral e cervical
2. Não retire o capacete
3. Os movimentos bruscos na cervical podem transformar
em fratura neurológica (fratura de vértebra) em
compressão da medula e comprometimento da medula
( paraplegico ou tetraplégico
4. Não dar liquido, pode favorecer vomitos e é contra
indicada pois não sabemos se a vitima precisara de
cirurgia
5. Em casos de acidentes devemos sempre suspeitar de
lesão na coluna cervical
DPVAT –seguro obrigatório: é o seguro anual pago pelos
proprietário de veículos motorizados que circulam em vias
terrestres

 As indenizações são pagas por acidentes


provocados por veículos ou suas cargas

Cobertura por:
 Morte
 Invalidez permanente
 Despesas hospitalares

Informações:
www.dpvatseguro.com.br
Fone: 0800 0221204
Banco do Brasil e CEF
Fim
Boa prova

Você também pode gostar