Você está na página 1de 35

JMB, 62 ANOS, DÁ ENTRADA EM PS VÍTIMA DE

PERFURAÇÃO POR ARMA BRANCA EM


HCD/FLANCO D HÁ +OU- 30 MIN.
REG, VIGIL, ORIENTADO
ABD: DOLOROSO EM ABD SUPERIOR
FC 104BPM
FR 24IRPM
PA 110 X 70MMHG

E AGORA?????????
Trauma Abdominal

Felippe Rolim
Cirurgia Geral e Cirurgia do Aparelho Digestivo – HC/UFPE
Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica
Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Minimamente Invasiva e Robótica/ Sobracil
Mestre em Cirurgia Bariátrica – UFPE
Trauma Abdominal: Relevância

• Grande superfície do corpo

• Múltiplos orgãos

• Orgãos maciços

• Diagnóstico difícil

• Complicações tardias
Trauma Abdominal: Epidemiologia

15 a 20% dos traumas em geral

Brasil: 74% traumas fechados


26% penetrantes
21% PAF

Diagnóstico nem sempre fácil

Demora no diagnóstico: principal causa de morte


Trauma Abdominal: Avaliação
Trauma Abdominal: Avaliação

A B C
 Avaliar estabilidade hemodinamica

Instável: Suspeitar sempre do abdomen

Estável: Avaliação secundária


Trauma Abdominal: Avaliação

Inspeção

• Face Anterior, laterais, posterior e períneo

Ausculta: pouco confiável

Percussão: útil em alguns casos

Palpação: extremamente importante


Trauma Abdominal: Avaliação

Trauma abdominal penetrante

• Instável: Laparotomia

• Estável: exploração do
ferimento

• PAF: Laparotomia

• Videolaparoscopia tem
utilidade? Indicação limitada
no trauma perfurante
Trauma Abdominal: Avaliação

Trauma abdominal penetrante


Trauma Abdominal: Avaliação

Trauma abdominal penetrante

Retirar objeto somente durante cirurgia


Trauma Abdominal: Avaliação

Face posterior do abdomen: Não explorar digitalmente,


optar métodos complementares , se instável sala .

Avaliação perineal

Toque retal: PAF em perineo – sempre

Sonda nasogástrica* fratura de base de crânio evita

Sonda vesical* se trauma de uretra evita


Trauma Abdominal: Dignóstico

Exames laboratoriais

Radiografias : rotura de viscera oca , trauma fechado

Lavado peritoneal

USG FAST

TC
Trauma Abdominal: Dignóstico

Lavado peritoneal Diagnóstico


Trauma Abdominal
LAVADO PERITONEAL DIAGNÓSTICO (LPD)

INTERPRETAÇÃO  Sangue macroscópico


 Hemácias: > 100.000/ml
Hemácias Lesão
 Leucócitos: > 500/ml
 < 50.000 4%  Amilase: > 20 UI/dL
 50-100.000 59%  Fosfatase alcalina: > 3 UI/dL
 > 100.000 85%
 Secreção trato gastrointestinal
 Vegetais
 Líquido: dreno tórax / sonda vesical
RESULTADOS
Trauma Abdominal: Dignóstico

• USG FAST
Trauma Abdominal: Dignóstico

Tomografia

• Maior especificidade

• Capacidade de classificar as
lesões

• Alto custo

• Estabilidade hemodinamica
Trauma Abdominal: Dignóstico

Videolaparoscopia

• Estabilidade hemodinamica

• Dúvida diagnóstica

• Trauma abdominal penetrante

• Transição toraco-abdominal

• PAF: Flancos

• Terapêutica OU DIAGNOSTICA
Trauma Abdominal

Diafragma

• 3% das lesões abdominais

• Lesões resultantes de trauma fechados


geralmente maiores , MAIS COMUM
POR TRAUMA PENETRANTE

• Mais frequente do lado esquerdo,


PORQUE DO LADO DIREITO
EXISTE O FIGADO QUE ABSORVE
TODO O IMPACTO , IMPEDINDO
O DIAFRAGMA DIREITO DE
SOFRER DANOS .

• Videolaparoscopia
Trauma Abdominal

Duodeno

• Ferimentos penetrantes em 75% dos


casos

• Frequentemente associado a lesões


graves, MOTIVO ANATOMICO POR
ESTAR PROSIMO AO PANCREAS ,
VASOS MESENTERICOS , CAVA ,
PEDICULO HEPATICO E FIGADO

• Pneumoretroperitôneo*AREA
HIPODENSA AO REDOR DO RIM
DIREITO , INDICA LESÃO DE
ORGÃOS RETROPERITONEAIS

• Hematoma duodenal, INDICA


LESAOO
Trauma Abdominal
Pâncreas

• Controle do sangramento
PRIMEIRA PREOCUPAÇÃO

• lesão do ducto pancreático


principal: pior prognóstico

• Acompanhar amilase

• TC, ESSENCIAL P AVALIAR


GRAU DE LESAO SE
ESTAVEL

• Lesão de ducto distal(LADO


ESQUERDO): ressecção

• Lesão de ducto proximal:


GDP*
Trauma Abdominal

Fígado

• 2º Orgão mais frequentemente lesado

• Traumas contusos e penetrantes

• TC PACIENTE ESTAVEL

• Complicações tardias

• Damage Control
Trauma Abdominal

Fígado
Trauma Abdominal

Fígado
Trauma Abdominal

Fígado
Trauma Abdominal

Fígado: Damage Control

 Evitar tríade letal

Hipotermia Coagulopatia Acidose


Trauma Abdominal

Fígado: Damage control


Trauma Abdominal

Baço

• mais frequentemente lesado

• Traumas contusos

• TC

• Tendência a preservação esplênica


Trauma Abdominal

Baço
Trauma Abdominal

Baço

• I e II: tto expectante

• III e IV sem extravazamento de contraste: Tto expectante

• II e IV com extraazamento: embolização

• V: Cirurgia
Trauma Abdominal

Rins

• Orgão mais frequentemente lesado no


Sist. Geniturinário

• Hematúria

• 80% dos casos trauma fechado

• Maioria do traumas fechados: tto


expectante

• TC
Trauma Abdominal

Rins
Trauma Abdominal
Bexiga

• Ocorre em 10 a 15% das fraturas de pelve

• 85% das lesões de bexiga estão associadas a fraturas de pelve

• Intraperitoneal ou extraperitoneal

• Hematúria; impossibilidade de urinar É MAIS COMUM +;


Irritação peritoneal

• Cistografia; TC

• Intraperitoneal:Laparotomia/laparoscopia NÃO HÁ
TAMPONAMENTO POR OUTRA ESTRUTURA

• Extraperitoneal: svd FACE ANTERIOR DA BEXIGA ,


TAMPONA POR CAUSA DA GORDURA
Trauma Abdominal
Estômago e intestino delgado

• Mais frequentemente por ferimentos penetrantes

• Pneumoperitoneo

• Irritação peritoneal

• Tto cirúrgico

• Risco de sepse
Trauma Abdominal
Cólon

• Mais frequentemente por ferimentos


penetrantes*

• Pneumoperitôneo

• Irritação peritoneal tardia

• Tto cirúrgico: Avaliar ostomia ou


não

• Risco de sepse

• Aumenta chance de infecção de FO


Trauma Abdominal
Reto

• 80% por PAF e 10% trauma fechado

• Intraperitoneal e extraperitoneal

• Toque Retal

• Retossigmoidoscopia

• Irritação peritoneal tardia

• Tto cirúrgico

Você também pode gostar