Você está na página 1de 90

Aspecto Intersiciplinar de SI

Ciências Económicas / Ciência Administrativa

• Economia Geral
• Contabilidade
• Finanças
• Legislação Mercantil
• Marketing
• Gestão organizacional

Sistemas de Informação • Impacto nos negócios das TI


• Uso estratégico de TI
• Avaliação de TI emergentes • Processos de Negócio
• Aplicação eficaz de TI • Auditoria Informática
• Gestão de TI
• Gestão de Sistemas de Informação

• Desenho de Sw
• Especificação • Programação • Desenho de BD
• Gestão de Projectos • Bases de Dados • Sistemas de Apoio à
• Documentação • Redes Decisão
• Interacção PC/Util. • Conceitos de Hw • Inteligência Artificial

• Interfaces hw/Sw • Ferram. de progr.


• Metodologias de Sw • Desenho de SO • Desenho e Estudo baseado
• Fiabilidade de Sw em algoritmos
• Desenho de ling. de progr.
Engenharia de Software • Novas metodologias de Sw

Ciências da Computação
Evolução dos SI
• Olhar Sistêmico
• Tratar a complexidade
• Validar o Presente
• Criar o futuro desejado
Onipotência do Mercado
(Exigência de Mudanças nos Processos)

Mercado Inovação

Regra de
Produto Normatização
Negócio

Tecnologia
Processos atuais envolvidos com SI nas Organizações
Conhecimento
Produto ou Serviço Fim e Inovação Organizacional
(Produto/Serviço) (Produto/Serviço)
Processos de Avaliação,
Processos de Negócios Auditoria e Mudança
Dependente da Área de Negócios da Organização
(Ex: CobiT/SPICE/SCAMPI)
Gestão de Conhecimento e Inovação,
Redesenho de Processos de Negócios, etc

Suporte ao Usuário Entrega de Serviço


(Serviço) (Serviço) Processos de
Negócios Otimizados
(Produto/Serviço)

Processos de Gestão de Serviços


de TI (ex:ITIL/CobiT/ISO-17799)

Sistemas e Tecnologia da Informação


(Produto/Serviço)
Processos de Operação de
Infraestrutura de TI (ex:MOF) Processos de Produção de Software
Backup, Monitoramento, etc
(CMMI/ISO-12207/ISO-9000/90003)
Requirements Development, Management, etc
Produto de SW
(Produto)
Motivação para o estudo de SI
• Ao longo do tempo, observa-se a
necessidade de

– Ver além do que a vista alcança


– Compreender além do que se percebe
– Decidir com uma visão sistêmica
– Agir de forma pró-ativa e no momento certo !
Definição de Sistema
• Uma coleção de objetos unidos por alguma
forma de interação ou interdependência
• Sistemas: classificação quanto a origem
– Sistemas emergentes
• Brotam naturalmente, surgem como os ecossistemas da
natureza (um lago, um rio, uma bacia ...)
– Sistemas teleológicos
• São planejados, dirigidos por objetivos criados pela
habitações humanas (SI, Sistema de Educação, Transporte)
• Dirigidos por um objetivo finalístico
Nem tudo o que se vê em um
sistema ... É realidade
• Uma pessoa apaixonada idealiza a pessoa
amada !
• Mentalmente
– Conserta-se defeitos
– Acrescenta-se qualidades
– Tolera-se erros
• Qual mãe não acha o filho lindão?
• Cria-se imagem perfeita do desejo (faz bem
para alma!)
Quem ama educa!!!
Evolução em meio orgânico

• A evolução natural na terra tem


organizado corpos e processos formados
de matéria e energia do nível atômico até
aos ecossistemas
• O processo de evolução natural utiliza a
lógica de seleção natural baseada na
química do carbono
Evolução de outros meios
(o digital)

• A vida da terra é o produto da seleção


natural operando no meio de carbono
• A teoria da evolução não é limitada à
esfera da terra nem ao meio do
carbono
• A evolução SI ou TI não acompanha a
lógica da evolução natural e opera em
outro meio, o da lógica digital
Meios diferentes
• O meio computação digital não é
material, é lógico
• O meio da computação digital não
exibe as leis da termo-dinâmica
• O espaço cibernético não possui
distância Euclidiana 3D
Princípio comum para o
processo de evolução
• A evolução ver o meio que ela é
constituída.
• No meio orgânico, a evolução ver as
leis da química e da física
• No meio digital, a evolução só ver a
lógica de programação, o hardware é
invisível
Evolução dos SI
CRM
OPERACIONAL TÁTICO OPERACIONAL ESTRATÉGICO OPERACIONAL
TÁTICO TÁTICO
ESTRATÉGICO ESTRATÉGICO

BI
SIT SIG SAE SAD ES EIS ERP

50 60 70 80 90 00

Explorar Informação
Transações Informação dados Visão da por cliente
por área organização e
funcional Simulação seu contexto

Substituir o Integração
Processamento
julgamento da informação
de textos
humano
Promove a evolução
(Estudos e planejamentos)
Evolução dos Sistemas de
Informação
Anos 60, 70 e 80

Sistemas de informação centralizados;


Processo de negócio centralizado;
Sistemas proprietários;
Preocupação maior com a tecnologia do que com a
necessidade do cliente.
Evolução dos Sistemas de
Informação
Anos 90 em diante

Mudanças das estratégias de negócio das


Empresas
Concorrência de mercado entre as empresas;
Globalização de mercado;
Preocupação com os clientes;
Descentralização do processo de negócio;
Necessidade de integração com outras empresas;
Necessidade de obter a informação de qualquer lugar.
Evolução dos Sistemas de
Informação
Anos 90 em diante
Mudanças Tecnológicas
Descentralização dos sistemas de informação;
Descentralização de processamento;
Integração de hardware e software com outras
empresas;
Integração de diversos sistemas de informação com
tecnologias distintas;
Surgimento de sistemas e padrões abertos;
Web.
+ Convergência de TIC
5
4
3
2
1

1970 1980 1990 2000 2010 2030

1. Década de 70, início da convergência entre a computação e as telecomunicações.


2. Década de 80 concretização da convergência entre a computação e
telecomunicações
3. Consolidação da convergência entre a computação e telecomunicações. Exemplo:
telefones celulares que suportam protocolo WAP para conexão na Internet, a
integração entre o telefone e a computação – CTI, utilizado nas Centrais de
Atendimento, entre outros;
4. Convergência tecnológica com utilização da computação, telecomunicações,
captura e difusão de informações e Internet
5. Computação Pervasiva (ublíqua)
Situação Atual: Ambiente de TI nas
Organizações
Os ambientes de TI estão crescendo de forma heterogênea e complexa, onde o papel do
especialista é simplificar o acesso e acelerar as operações garantindo a segurança e a
disponibilidade da informação.
Banco de Dados e
Diversas
Extranets Data Warehouse
Aplicações

Intranets
Internet

Redes

Transações
Clientes/Usuários
Definição SI
• Conjunto de componentes inter-relacionados,
trabalhando juntos para coletar, recuperar,
processar, armazenar e distribuir informação
com a finalidade de facilitar o planejamento, o
controle, a coordenação, a análise e o processo
decisório em empresas e outras organizações.

Laudon, K. C. & Laudon, J. P.


Sistemas de Informação, LTC, 1999.
Gestor de SI

É papel do gestor de SI:

• Avaliar o cenário atual e onde se quer chegar


antes de se efetuar investimentos

• Alinhar os investimentos em TI com as


estratégias da Empresa, pois nem todo
investimento, se não for adequado e bem
dimensionado, pode render os frutos desejados
Aspectos de SI
Problemas Envolvendo SI
Obtendo Valor com TI
O termo Tecnologia da Informação serve para
designar o conjunto de recursos tecnológicos e
computacionais para geração e uso da informação.
Processo de Medição de TI:
6 Dimensões
 Infra-estrutura: são os ativos constituídos pelos equipamentos
de informática, redes de comunicações e a estrutura de apoio
da área de TI;
 Sistemas Aplicativos: são os ativos constituídos pelos
sistemas de informações existentes;
 Pessoas: gestores, usuários, colaboradores, parceiros e
clientes;
 Cultura e Uso Organizacional: é a extensão e intensidade de
uso dos aplicativos nas atividades da instituição;
 Governança: contempla o planejamento do uso da informática
e o envolvimento de usuários e executivos no processo de
informatização;
 Impactos Organizacionais: é o grau de influência da TI no
desempenho dos processos.
Desafio
Processos

Desenvolvimento
de
Software Operação
de
TI

Negócio
Evolução do Retorno
Complexidade de Gestão
Ambiente
Modularização
Foco de Aplicação
Foco de Aplicação
Administrativo
Foco

Funções Organizacionais Clássicas


Foco de TI

Ambiente de TI
Foco de Aplicação
• Foco Administrativo
– Compra e venda, marketing, produção, finanças e
contabilidade, recursos humanos
• Foco de TI
– Produção e Implantação de Software
– Gestão e Governança de TI
• Níveis de Serviço
• Custo
• Segurança, etc
Área de Aplicação
Áreas Funcionais de Aplicação
Nível de Aplicação
Nível de Aplicação
Problema Organizacional Nível Organizacional

Estratégico Gestão de topo

Gestão Gestão de nível médio


Supervisores

Conhecimento Trabalhadores
de
conhecimento
Pessoal da
Operacional produção, serviços
e administrativo
Financeiro/ Vendas/ Recursos
Produç
Contabilíst Marketin Humanos
ão
ico g
Nível de Aplicação
Nível de Aplicação - Operacional
Sistema de Processamento de Transações (TPS): Recolhe e mantém
informação sobre transações e controla pequenas decisões que fazem
parte das transações.

Notificaçã
o Dados
do evento Programa Dados
Evento TPS TPS
Resposta Resposta

Relatórios
Nível de Aplicação - Operacional
Sistema de Processamento de Transações (TPS):

•Os TPS apoiam as actividades rotineiras e operacionais das organizações e


mantêm a maioria dos dados.
•Têm algumas características da primeira era dos SI i.e., servem apenas uma
área funcional da organização (não de forma integrada com as outras.
•Tarefas:
– Obtenção de informação
– Produção de informação
– Armazenamento de informação
– Difusão da informação (secundário) -» sumários das transacções
(controlo)
•Características:
– Processos simples, mas altamente repetitivos
– Grande volume de transacções
– Necessidade de grande precisão e segurança
– Problemas estruturados
Nível de Aplicação - Operacional
Sistema de Processamento de Transações (TPS):

•Tipos de TPS:
- On-line (Tempo Real): Ligação directa entre o usuário e o
programa, cada transação é processada individualmente. Exemplo: sistema de
cartões de crédito. Vantagem: Resposta imediata.
- Batch: As transações são agrupadas e processadas como uma só
unidade. Exemplo: Programa de imobilizado. Vantagens: em alguns casos
mais eficientes e mais baratos; Facilidade de controlo.

•Exemplos de TPS:
– Uma aplicação isolada de salários processa os registos dos empregados,
mantém esses dados actualizados e produz alguns documentos, previamente
definidos e programados
– Encomendas, facturação, reservas de hotel, ...
Nível de Aplicação - Gerencial
• Sistemas de Informação Gerenciais (SIGs)

Facilitam a gerência de atividades operacionais, produzindo periodicamente relatórios


estruturados e resumidos. O objetivo essencial dos SIGs é o controle das atividades,
podendo também ser utilizados para o
planejamento e organização.
Nível de Aplicação - Gerencial
• Sistemas de Apoio à Decisão (SADs)

Os Modelos de decisão ajudam a tomar decisões


em ambientes complexos e dinâmicos.
Nível de Aplicação – Estratégico
• Sistemas de Informação para Executivos - EIS

São utilizados pelos executivos seniores para obter informações globais


da organização. Apresentam os dados de maneira muito agregada;
=> Visão estratégica - Gráficos, Interface intuitiva, Integram várias fontes de
dados, Com contextos (séries históricas, comparações, etc).
Nível de Aplicação - Apoio
• Sistema de Automação de Escritório (SAEs)
– Ajudam as atividades de escritório, tais como preparação
e comunicação da correspondência.

Exemplos:
– Editores de texto
– Sistema de correio eletrônico
– Grupos de Notícias
– Máquinas de Fax
– Correio de voz
– Sistemas multimídia
– Sistemas de Informação Distribuídos
– Video-conferência
Processos de Negócios e
Integração de Sistemas
Processos de Negócios e
Integração de Sistemas
Processos de Negócio e Integração dos
Sistemas - Visão Tradicional

Fonte: Kenneth C. Laudon & Jane P. Laudon. Sistemas de Informação Gerenciais: Administrando a Empresa Digital. 5a Edição. 2004. Pearson - Prentice-Hall.
Processos de Negócio e Integração
dos Sistemas – Visão Atual

Fonte: Kenneth C. Laudon & Jane P. Laudon. Sistemas de Informação Gerenciais: Administrando a Empresa Digital. 5a Edição. 2004. Pearson - Prentice-Hall .
Processos, Qualidade e
Certificações
Processo
Transformação
Processo de Implementação de
Projetos
Ondas de Evolução dos Processos
Empresariais - últimos 20 anos

Grau de
Possibilidade
de IT Knowledge
management
Web-enabled
e-business 2000 e além
Time-based
competition Final 1990
First-wave BPR 95-98
1990s
Total quality Segunda onda de BPR
management Início 1990s

Início 1980s Transformação da


riqueza empresarial

©Omar A El Sawy, “Redesigning Enterprise Processes for e-Business, McGraw Hill,2001 (Cap1).
RUP-Rational Unified Process
Qualidade no Processo de Software (CMMI)

• Desenvolvimento de software de forma sistemática, eficiente e consistente.


• No aprimoramento dos processos de desenvolvimento de software:
– Capability Maturity Model (CMM) proposto pela Software Engineering
Institute (SEI) da Universidade Carnegie Mellon.

Níveis de Maturidade

Aperfeiçoamento
contínuo Otimizado

Processo Gerenciado
previsível

Processo Definido
padronizado

Processo
Repetível
disciplinado

Inicial
Projeto BPR
• Todo projeto BPR inclui: desenho, implementação e
manutenção
• Com foco na reengenharia de processos temos 5
etapas:
Problemas de performance, concorrência e-business,...
Demanda executiva

BPR mobilização do projeto Seleção de um grupo e lider,


infra-estrutura, verba alocada,..
Foco do livro: “Redesigning
Redesenho de Processo
Enterprise Processes for
e-Business”,
Omar A. El Sawy, Implementação e transformação organizacional
Mc Graw-Hill, 2001.
Fase mais difícil,redesenho do SI,
Monitorização e Manutenção infraestrutura IT, pessoal e tarefas,..

Alterações de adaptação quando necessárias

©Omar A El Sawy, “Redesigning Enterprise Processes for e-Business, McGraw Hill, 2001 (Cap1).
Visão esquemática de BPR usando um
Software

Modelagem,
análise e redesenho

Escopo Modelo “as-is” Integração


base do processo

Análise Seleção do modelo


“to-be”

Redesenho de
outros modelos
“to-be”

Compartilhamento do conhecimento do Processo


©Omar A El Sawy, “Redesigning Enterprise Processes for e-Business, McGraw Hill, 2001 (Cap1).
ITIL®
Information Technology
Infrastructure Library

Uma coleção das melhores


práticas em Tecnologia da
Informação, preparada pela OCG-
Office of Government Commerce
do Governo do Reino Unido
Áreas Funcionais do ITIL
Suporte a Serviços Entrega de Serviços
• Relacionadas com o • Relacionadas com os
usuário final clientes pagantes
– Gerência de Capacidade
– Gerência de Mudança
– Gerência de
– Gerência de Configuração Disponibilidade
– Gerência de Entrega – Gerência de Nível de
– Gerência de Birô de Serviço
Serviço – Gerência de Continuidade
– Gerência de Incidentes de Serviço de TI
– Gerência de Problemas – Gerência Financeira
Quebra-Cabeça de Perspectivas do
Modelo ITIL© ITSO OCG
COBIT®
Control Objectives for
Information Technology

Um Framework de Governança
de TI concebido pela Information
Systems Audit and Control
Foundation [17]
COBIT - CONTROL OBJECTIVES FOR
INFORMATION AND RELATED TECHNOLOGY
• É um guia formulado como framework voltado para
gestão de TI
• Possui uma serie de recursos que podem servir como
um modelo de referência para gestão da TI
– Controle de objetivos
– Mapas de auditoria
– Ferramentas para a sua implementação
– Um guia com técnicas de gerenciamento
• Utilizado como meio para otimizar os investimentos de
TI
• Melhora o retorno sobre o investimento ROI,
63
fornecendo métricas para avaliação dos resultados
SPICE - Software Process Improvement
and Capability dEtermination
• Maior iniciativa internacional para suportar um padrão de
avaliação para processos de software
• Metas principais do projeto
– Desenvolver um plano de trabalho para padronização de
avaliação de processo de software
– Conduzir as tentativas (trials) oriundos do processo
– Promover a transferência de tecnologia entre avaliação de
processo e a indústria mundial de software
• Junho de 1995, primeira meta atingida. Liberação do
SPICE DOCUMENTS.
• Esforços atuais concentram-se na meta 2.
64
SPICE FRAMEWORK
• Encorajamento da auto-avaliação (self-
assessment)
 Levar em consideração o contexto no qual o
processo de avaliação opera
 Produzir um perfil do processo ao invés de
meros resultados do tipo “passou/falhou”
 Através de técnicas genéricas adequar o
gerenciamento do processo avaliado
 Adequação a todos os domínios e tamanhos65
da organização
SPICE FRAMEWORK

66
SCAMPI - STANDARD CMMI APPRAISAL
METHOD FOR PROCESS IMPROVEMENT
• Método que provê referencial de níveis de
qualidade relativos a modelos CMMI
• Identifica forças e fraquezas no processo
corrente da organização
• Revela riscos de desenvolvimento e
aquisição
• Determina níveis de capacidade e maturidade
de processos
• Utilizado geralmente como parte de um 67

processo de melhoria
ISO/IEC 17799:2005
• Norma internacional criada para possibilitar a criação de
políticas de segurança eficazes para empresas, focando
nas áreas:
– Políticas de segurança;
– Organização da segurança da informação;
– Gerenciamento de validação;
– Segurança de recursos humanos;
– Segurança física e ambiental;
– Controle de acesso;
– Aquisição, desenvolvimento e manutenção de Sistemas de
Informação;
– Gerenciamento de incidentes em segurança da informação
68
Propriedade
PROGRAMA DE COMPUTADOR: O
QUE É LEGALMENTE?
De acordo com a Lei Nº. 9.609/98, Art. 1º :
Programa de computador é a expressão de
um conjunto organizado de instruções em
linguagem natural ou codificada, contida em
suporte físico de qualquer natureza, de
emprego necessário em máquinas
automáticas de tratamento da informação,
dispositivos, instrumentos ou equipamentos
periféricos, baseados em técnica digital ou
análoga, para fazê-los funcionar de modo e
para fins determinados.
TABELA DOS TIPOS DE
PROGRAMAS
PROGRAMA DE COMPUTADOR ≠
SOFTWARE
Software é formado por:
• Programa de computador – código fonte;
• Descrição de programa – apresentação
completa de um processo;
• Material de apoio – qualquer material
preparado para ajudar na compreensão
ou aplicação de um programa de
computador.
POR QUE REGISTRAR ???
Para que possa garantir a
exclusividade na produção, uso e
comercialização de um programa de
computador, o interessado deverá
comprovar a autoria do mesmo,
estando portanto, revestido de grande
importância o registro no INPI.
ÓRGÃO RESPONSÁVEL

•INPI – Instituto Nacional de


Propriedade Industrial INPI – Posto
em Recife fica na UFPE
VALIDADE E ABRANGÊNCIA
O prazo de validade dos direitos é
de 50 anos contados do dia 1º de
janeiro do ano subseqüente ao da
"Data de Criação" do programa.
A abrangência do Registro é
Internacional.
CONTRA O QUE SE
PROTEGE
• Reprodução não autorizada;
• Modificações não autorizadas;
• Tradução não autorizada;
• Utilização não autorizada, direta ou
indireta;
• Distribuição não autorizada;
• “outros”.
O QUE NÃO É OFENSA AO
TITULAR DO PROGRAMA
• A reprodução, em um só exemplar, de cópia
legitimamente adquirida;
• A citação parcial, para fins didáticos;
• A ocorrência de semelhança de programa a
outro, preexistente;
• A integração de um programa, mantendo-se
suas características essenciais, a um sistema
aplicativo ou operacional, tecnicamente
indispensável às necessidades do usuário.
INFRAÇÕES E PENALIDADES
• Violação dos Direitos do Autor:
detenção de 6 meses a 2 anos e
multa;
• Violação que consistir na reprodução
para fins de comércio: reclusão de 1
a 4 anos e multa;
• Crimes de ação penal privada, salvo
exceções: depende de queixa.
Software Livre
DIFERENÇAS ENTRE REGISTRO
E PATENTE

REGISTRO PATENTE

Validade: 50 Anos Validade: 20 Anos

Abrangência
Abrangência Nacional
Internacional
Dificuldades com Software e
Hardware Proprietários
• Custo do Software (licenças): existe sempre uma
limitação do número de cópias que se pode utilizar.
Normalmente cada licença dá direito ao uso em uma
única máquina;
• Custo de Manutenção: este problema ocorre
principalmente com o hardware, devido à
exclusividade de fornecimento por parte do
fabricante. Não se tem a opção dos componentes
que se queira trocar;
• Descontinuidade dos produtos: tanto software
quanto hardware proprietários são de difícil
substituição ou atualização quando o fabricante
deixa de produzi-los. Quando não se encontra uma
alternativa compatível, é necessário adquirir outro
produto;
Dificuldades com Software e
Hardware Proprietários
• Baixa adaptabilidade: tanto hardware quanto
software proprietários são difíceis de alterar ou
adaptar a novas necessidades. Normalmente tais
mudanças só podem ser feitas pelo fabricante, a um
custo muito elevado;
• Documentação Restrita: as informações disponíveis
restringem-se à instalação, configuração e operação
do software e/ou equipamento. Nem mesmo depois
de interrompida a fabricação do produto as
informações se tornam disponíveis;
• Criação de Dependência: o uso de formato de dados,
protocolos de comunicação e outras características
fechadas do hardware e software dificulta a
substituição por alternativas livres ou mesmo de
outros fabricantes.
Arquitetura de Software
Arquitetura de Sistemas
• Cliente Servidor
• Web
• Distribuído
• Embarcado
• Móvel
Desenvolvimento e Ciclo de Vida
Problema - Inovação de
Produtos é uma ação de Risco

• A maioria dos projetos de produtos


nunca chegam ao mercado.
• Os que chegam, tem uma taxa de
falha entre 25 até 45%.
• De cada 7 novas idéias de produtos,
4 são desenvolvidos, 1,5 lançados e
1 tem sucesso;
• 46% dos recursos de P&D das
empresas são alocadas em
projetoscancelados ou que falham.
Processo de Desenvolvimento da Inovação

The Innovation Environment

Produção
Desenv. da
PropriedadeCapacidade Caso de Desenv. do Sucesso no
Incubação &
Pesquisa Intelectual Parceria Sucesso Produto Mercado
Distribuição

Processo de Comercialização

Interesse Público
Interesse
Privado
Retorno do investimento no
desenvolvimento de
empreendimentos
Valor agregado e substituição de
tecnologias
Ciclo de Inovação Vs Ciclo de Produto