Você está na página 1de 13

Orações subordinadas

adverbiais
Uma oração subordinada adverbial é classificada em função do sentido
que possui e da conjunção ou locução conjuntiva que a introduz. As
orações subordinadas adverbiais podem ser:
 Condicionais;
 Causais;
 Comparativas;
 Concessivas;
 Conformativas;
 Finais;
 Consecutivas;
 Proporcionais;
 Temporais.
Tipos de orações adverbiais
São nove os tipos de orações subordinadas adverbiais:

1. Causal - enuncia a causa, o motivo que provoca a ocorrência do fato expresso na


oração principal.
2. Consecutiva - exprime a consequência de um fato que ocorreu na oração
principal.
3. Concessiva - exprime uma concessão, isto é, uma particularidade que poderia
impedir a ocorrência do fato da oração principal, mas não a impede.
4. Comparativa - estabelece uma comparação entre o fato expresso pela oração
adverbial e o expresso pela oração principal.
5. Condicional - exprime a condição necessária para a ocorrência do fato referido
na oração principal.
6. Conformativa - Indica um acordo, uma concordância, conformidade com a
ideia expressa na oração principal.
7. Final - Indica o propósito, a razão do fato apontado na oração principal.
8. Proporcional - Indica um fato simultâneo ao fato expresso na oração principal.
9. Temporal - Indica o tempo em que ocorreu o fato apresentado pela oração
principal.
Condicional
Indicam um fato necessário à ocorrência, ou não, da ação expressa
pelo verbo da oração principal. Exprimem, portanto, uma
hipótese ou uma condição.

Principais conjunções: se, caso, contanto que, salvo se, sem que (=
se não), a menos que, a não ser que, dado que, desde que, que.

Exemplos: Se eu pudesse estudar mais, / me sairia melhor no


concurso.

Iremos ao teatro,/ desde que não chova demais.


Causal
Expressam a causa, o motivo, a razão do evento registrado pelo
verbo da oração principal.

Principais conjunções: porque, pois que, visto como, visto que, já


que, uma vez que, desde que, como, porquanto etc.

Exemplos: Não acreditas em amor à primeira vista/ porque nunca


amaste.

Como era a primeira viagem de avião/ que eu fazia senti um pouco


de medo.
Comparativas
Fazem uma comparação com a ação registrada pelo verbo da
oração principal.

Principais conjunções: como, assim como, feito (= como, do


mesmo modo que), o mesmo que (=como), tal e qual, (tal) como,
(tão ou tanto) como, (mais ou menos) que, (mais ou menos) do que,
(tanto ou tão) quanto etc.

Exemplos: “Os olhos falam mais / que a boca [fala]”. (Otto Lara
Resende)

Nas orações subordinadas adverbiais comparativas


frequentemente há a omissão do verbo, que é o mesmo da oração
principal. Veja:
“O meu olhar é nítido como [é] um girassol.” (Fernando Pessoa)
Concessivas
Expressam uma concessão à ideia registrada pelo verbo da oração
principal , ou seja, concedem a possibilidade de uma oposição, de
um fato novo, mesmo que contraditório.

Principais conjunções: embora, ainda que, conquanto, mesmo que,


por mais que, se bem que, em que (=embora), dado que, nem que,
sem que (=embora não), por mais que, por menos que etc. ]

Exemplos: Coma, meu filho, / nem que seja um pouquinho.


Ainda que eles testemunhem o fato, / não posso acreditar nesses
homens sem honra.
Observação:
A locução conjuntiva sem que pode ter valor concessivo ou valor
condicional. Quando estabelece condição, pode ser substituída por
a menos que, se, a não ser que. Veja:

Exemplos: Sem que proteja a natureza, o homem não pode


considerar-se civilizado.
A não ser que proteja a natureza, o homem não pode considerar-se
civilizado.
Conformativas
Indicam um acordo, uma conformidade entre o acontecimento que
exprimem e a ação registrada pelo verbo da oração principal.
Estabelecem, portanto, um acordo ou uma conformidade entre os
eventos enunciados nas orações.

Principais conjunções: conforme, como (= conforme), segundo,


consoante.

Exemplos:
“Como deveis saber / há em todas as coisas um sentido filosófico”.
(Machado de Assis)
Segundo me contaram, / não há sobreviventes.
Finais
Expressam o objetivo da ação registrada pelo verbo da oração
principal.

Principais conjunções: para que, a fim de que, que (=para que),


porque etc.

Exemplos:
“ Entrou no museu / a fim de observar os quadros expressionistas
de que tanto gostava.
Levei-a ao cinema/ para que A máscara do Zorro.
Consecutivas
Expressam um efeito, um resultado, uma consequência resultante
da ação registrada pelo verbo da oração principal.

Principais conjunções: que (normalmente precedido de termos


intensificadores: tão, tanto, tal, tamanho), de modo que, de sorte
que, de maneira que, de forma que etc.

Exemplos:
Ela falava tão alto/ que ficou quase rouca.

Essa gente fazia um barulho tal/ que assustava os transeuntes.

Atenção!!!
É comum que a oração principal apresente um termo enfático (no
caso, tão, advérbio de intensidade), se a ela liga uma oração
consecutiva; que até lhe vinha vontade de chorar.
Proporcionais
Expressam proporcionalidade em relação ao verbo da oração
principal.

Principais conjunções: à proporção que, à medida que, ao passo


que, quanto mais... mais, quanto menos...menos etc.

Exemplos:
À medida que se estuda,/ mais se sabe.
Quanto mais o povo sabe, / mais quer saber.
Temporais
Expressam uma circunstância de tempo em relação ao fato
registrado pelo verbo da oração principal.

Principais conjunções: quando, enquanto, sempre que, logo que,


antes que, assim que, cada vez que, depois que, até que etc.

Exemplos:

Assim que chegou em casa, / foi correndo tomar um banho.


Enquanto escrevia a carta,/ lembrava-se dos maravilhosos
momentos do passado.

Você também pode gostar