Você está na página 1de 207

CURSO DA CIPA

GESTÃO 2016/2017
Programação
*Organização CIPA
* Metodologia de Investigação dos acidentes de trabalho e doenças do trabalho

* Estudo do Ambiente, das condições de trabalho e dos riscos originados do Processo Produtivo. /Mapa
Risco

* Noções sobre acidentes e doenças do trabalho decorrentes da exposição aos riscos existentes na empresa ou
não.

* Noções sobre Aids e medidas de prevenção.

*Princípios gerais de higiene do trabalho/medidas de controle de riscos.

* Noções sobre Legislação Trabalhista e Previdenciárias

*
O QUE É CIPA ?

1- Conceito : É uma Comissão Interna de


Prevenção de Acidentes composta de
representantes dos Empregados e do
Empregador.
HISTÓRICO DA CIPA

Maquinaria não dotada de


dispositivos de segurança,
inexistência de uma legislação
disciplinadora de carga horária,
do descanso na jornada diária
e semanal,normas regrando
o trabalho do menor e da mulher
e das condições de insalubridade.
HISTÓRICO DA CIPA

*REVOLUÇÃO INDUSTRIAL / Final séc. XVIII


*1ª LEGISLACAO “ Leis das Fabricas”/1833
* OIT / 1921 Criação de Comitês de
Segurança para Industria / 25 trabalhadores
* CIPA /Brasil/ Criada/ 1944/Getulio Vargas
*Formação da Cipa/NR-5/1999
Histórico da Cipa
Histórico da Cipa
COMO É FORMADA A CIPA ?

A CIPA é composta por representantes do


empregador (indicação) e dos empregados (eleição)
de acordo com as proporções mínimas estabelecidas
no Quadro l /NR-5/ Port. 3214/78.
O Médico do Trabalho , Engenheiro do Trabalho,
o Téc. Seg. do Trabalho atuam como consultores.
Objetivos da Cipa

a- Discutir os acidentes ocorridos.


b- Sugerir medidas de prevenção de
acidentes julgadas necessárias por iniciativa
própria ou sugestões de empregados.
c- As medidas serão encaminhadas ao
SESMT e ao Empregador.
Objetivos da Cipa
d- Promover e zelar pelas Normas de
Segurança e Medicina do Trabalho.
e- Promover a SIPAT anualmente .
f- Despertar o interesse dos empregados a
adotar comportamento preventivo.
g- Investigar os acidentes ocorridos.
h- Inspeção de segurança
Compete ao Presidente da Cipa
a- Convocar os membros p/ reunião.
b- Presidir as reuniões , encaminhando ao
empregador e ao SESMT as recomendações
aprovadas.
c- Designar aos membros da CIPA p/
investigar o acidente de trabalho.
Compete ao Vice-Presidente:
a- Executar atribuições que lhe forem
delegadas.

b- Substituir o Presidente nos seus


impedimentos eventuais.
Compete ao Secretário
a- Elaborar as atas das reuniões, eleições e
posse.

b- Preparar as correspondências

c- Providenciar p/ que as atas sejam assinadas por


todos.
Compete aos membros da Cipa

- Elaborar calendário anual das reuniões.

- Participar das reuniões da Cipa, discutindo


os assuntos em pauta.

- Investigar o acidente de trabalho.


ESTRUTURA GERAL

-Ler a ata da última reunião e assiná-la .

-Fazer leitura das fichas de Análise ( cat)


investigar e propor mudanças

-Enumerar as tarefas e realizar as mais


urgentes

-Avaliar a reunião
Inspeção
- E a detecção de riscos que
afetam a saúde do trabalhador, possibilitando
a determinação de medidas preventivas ou
de controle.
Geral – Envolve todos os setores da empresa,
em todos os problemas relativos a segurança
Parcial- Envolve alguns setores da
empresa,certos equipamentos e maquinas.
Inspeção
ETAPAS
1- Observação – Atos e Condições Inseguras
2- Informação - Irregularidades (discutidas/hora)
3- Registro - Itens registrados em formulário.
4- Encaminhamento – Pedidos / enviar a chefia.
5- Acompanhamento – Acompanhar o processo.
Ficha de Inspeção
Hospital Ana
Nery INSPEÇÃO segurança

sesmet
Local:
Lavanderia
Data: 05/02/2010 Hora: Tipo de Inspeção:
11:00 ( X) Programada ( ) Não Programada

Prezo de
Item Condição de Risco Sugestões para Correção Responsável
Execução
Colocação da Trava de Chefe do
01 Ausência de trava de segurança 30 dias
Segurança setor
Ausência do uso do protetor Tec. Seg.
02 Treinamento 10 dias
auricular trabalho
03 carrinho transporte de roupa Manutençao 10 dias Manutenção
Troca por descartável PFF2 Chefe do
04 Troca de máscara biológica 02
V.O setor
Tec. Seg.
05 Ruído Medição do Ruído 10
trabalho
06 M piso enferia e banheiro colar 05 Chefia setor
Chefia do
07 Troca de polia policorte ! Aquisição de nova polia 05
setor

___________________________________
Assinatura
Segurança do Trabalho

“ É a Ciência e a Arte do reconhecimento,


avaliação e controle dos riscos de acidentes”.
Visa a prevenção de acidentes do trabalho
propriamente dita.
Acidente do Trabalho

Conceito Legal : “ Todo aquele que resulta do


exercício do trabalho a serviço da empresa,
provocando lesão corporal, perturbação
funcional ou doença que determina morte
ou perda total ou parcial, permanente ou
temporária da capacidade para o trabalho”
Outras situações consideradas
A.C.T.

Ofensa física intencional


Desabamento inundação e incêndio
Doença Ocupacional e do trabalho
Na prestação espontânea de serviço
Outras situações consideradas
A.C.T.

Em viagem a serviço da empresa


No trajeto/casa/trabalho/trabalho/casa
Nos períodos de refeição e descanso
C. A. T.

- Comunicação de Acidentes de trabalho.


- Art. 134 do Decreto nº. 2.172/97
- É obrigatória mesmo que não haja afastamento.
- Na falta de comunicação por parte da empresa:
O próprio acidentado,médico,autoridade pública
poderá fazê-lo.
Comunicação de Acidente de
Trabalho C. A. T.

Vantagens : - Estabilidade de 1 ano ao invés de 1


mês.
- Todos os benefícios acidentários
geram isenção no pagamento de imposto de renda.
- Depósito de FGTS no caso de
afastamento.
-No caso do acidentário possuir seguro
privado o valor da indenização será sempre maior.
Por que ocorrem os acidentes?

Eles não ocorrem, eles são causados.


“Não existe efeito sem causa”
LEVANTAMENTO DAS CAUSAS DOS
ACIDENTES
Ato Inseguro

É a maneira pela qual o homem se expõe ao risco


de acidente.
* Imprudência / falta de cuidado ou precaução
*Negligencia / omissão de executar determinado ato
*Imperícia / falta de prática ou ausência de conhecimento

imprudência : uso de cadeira ao invés de escada


negligencia : não desprezar a agulha da bandeja e depois fazer outro
procedimento.
Ato inseguro
Trabalhando sem o E.P.I. fornecido.
Lubrificando,ajustando ou limpando máquinas em
movimentos.
Operando equipamentos s/ conhecimento
Utilizando ferramentas ou equipamentos defeituosos ou
inadequadas.
Brincadeiras ou provocações.
Arremessando ferramentas p/ o colega
Subindo e descendo de veículo em movimento.
Fazendo uso das mãos ao invés de ferramentas.
Levantando peso excessivo ou de modo incorreto.
Correndo em escadas ou sem necessidade.
ATO INSEGURO

A permanência debaixo de cargas suspensas;

O uso de roupas que exponham a riscos

O hábito de fumar em lugares onde há perigo;


Condição Insegura

São as falhas físicas que


comprometem a segurança do trabalhador.
Passíveis de neutralização e correção.
Condição Insegura

- Local c/ pisos fracos e irregulares.


- Iluminação deficiente ou mal distribuída.
- Ventilação deficiente, instalações sanitárias
impróprias.
-Excesso de ruído
- Instalação elétrica imprópria foto
Condição Insegura
Equipo de soro
Fator Pessoal de Inseguranca(foto)
“ É o que podemos chamar de problemas
pessoais do indivíduo e que agindo sobre o
trabalhador podem vir a provocar
acidentes”
Fator Pessoal de Inseguranca
 Problemas de saúde não tratados;
 Conflitos familiares;
 Falta de interesse pela atividade
Alcoolismo;
 Uso de substâncias tóxicas;
 Falta de conhecimento;
 Falta de experiência;
 Desajustamento físico, mental ou emocional.
Condição Insegura

Falta de proteção em partes móveis de


máquinas.
E. P. I. c/ defeito.
Esforço repetido e prolongado.
Calçado Impróprio.
Ato Inseguro
SESMT
Conseqüências do acidente
trabalho

P/ o Trabalhador :
Sofrimento físico.
Incapacidade p/ o
trabalho
Desamparo p/ família
Conseqüências do acidente do
trabalho
Para a empresa :
Gastos c/ primeiros socorros e transporte.
Qual o custo de contratação de um
substituto(treinamento, E. P. I.)
Danificação da máquina.
Conseqüências do acidente do
trabalho
PARA A NAÇÃO :

Perda de elemento produtivo

Aumento do N º de dependentes

Aumento de Impostos

Aumento do custo de vida


METODOLOGIA DE INVESTIGAÇÃO E ANÁLISE
DOS ACIDENTES E DOENÇAS DO TRABALHO.

- É o estudo do acidente para a pesquisa de


causas , circunstâncias e conseqüências ,
através de dados coletados na investigação,
para determinar medidas corretivas ou preventivas
p/evitar a repetição.
É uma avaliação mais abrangente que avalia não só o
acidente em si mas também as providencias administrativas,
técnicas , medicas,psicológicas,educativas
dentro da empresa.
Investigação
É a procura das informações ou
causas dos acidentes ocorridos , propondo
mudanças corretivas p/ eliminação das
causas.
Quem Investiga ?

SESMT E CIPA
Investigação
REGRAS BÁSICAS
- Certificar-se do tipo de lesão e a parte do
corpo atingida .
- Selecionar o Ato Inseguro
-Selecionar a Condição Insegura.
- Apurar porque o Ato era Inseguro
- Apurar porque a Condição era Insegura.
Formulário de Investigação Acidentes
.
Tipo: tipico Material--------- Pessoal -------- X

B- Identificação: Data : ---25/3/2015-------


Hora------
Local de Ocorrência:----- Enf 3 Nome do empregado :

Danos ocorridos:----------------------------------------------------

Descrição da ocorrência:-------------------------------------------

C- Fatores Contributivos:
O que fez ou deixou de fazer o empregado para a causa ou
contribuição da ocorrência ?-----------------------------------
O que causou os atos ou omissões acima descritos?
Que condições de ferramentas ou equipamentos ou situações de trabalho que causaram ou contribuíram para a ocorrência?

O que causou ou influenciou as condições acima descritas? ------------

D- Prevenção: Medidas propostas:


------------------------------------------------------------------
Responsável:------------------------------------------------------

Prazo:--------------------------------------------------------------

------------------------------------------
------------------

Responsável/Investigação Data
Ficha de Investigação
Nome da Empresa :
Acidentes/Cipa
Endereço :

Nome do Acidentado : ---------------------------------------------- Data : Hora:

Idade : ---------- Ocupação :--------------------

Departamento :---------------------------------- Setor : --------------------

Descrição do Acidente : ---------------------------------------------------

Parte do corpo atingida : ------------------------------

Informação do encarregado -------------------------------------- ------------------------------------ (encarregado)

Investiga ção

Como ocorreu ---------------------------------------------------- Causa apurada : --------------------------------------

Membro da Comissão

Conclusões da Comissão

Causa do Acidente :------------------------------------------------------------------------

Responsabilidade : -----------------------------------------------------------------

Medidas propostas: -----------------------------------------------------------------

------------------------------ --------------------------------

Secretário Presidente
Investigação Acidente/Ato
Inadequado Checagem
Há regras escritas p/ função?
Alguém sabia algo
Em geral o trabalhador conhece as regras ? Não Erro humano que o executante
Entendeu-se certo uma ordem transmitida ? por falha de não ficou sabendo?
A informação foi passada de forma correta? informação

A pessoa tem habilidade necessária p/ função Não Erro humano Alguém


melhor
que exercia? por falta de
preparado teria
capacidade tido atitude
adequada

Houve algum fator que tenha contribuído p/ tirar


ou reduzir o grau de aptidão física ou mental p/ Sim Erro humano falta
de aptidão física Havia suspeita
o trabalho ?(stress, ruído alto,doença, alcoolismo)
ou mental prévia de que o
indivíduo não
estivesse em
condições
adequadas?
Investigação/Ato Inadequado
A pessoa tentou ganhar tempo? Quando

Baseou o seu comportamento no exemplo de seus superiores sabendo-se


Erro observado o
ou na tolerância da supervisão? Sim humano por
indivíduo
A pessoa vem adotando práticas erradas, contrariando motivação desenvolve a
incorreta tarefa
as regras de segurança?
corretamente

Se melhorar
A condição de trabalho contem situações de Sim Erro humano por alguma coisa na
condição condição de
dificuldades práticas p/maioria das pessoas? desfavorável trabalho a chance
do ato inadequado
fica reduzida
O trabalhador que cometeu a falha conhece bem as tarefas e os
riscos? Normalmente toma cuidados p/ evitar os riscos? Sim Erro humano por É dificil
deslize explicar as
razões da
falha.
Relato de
Acidentes/Causa/Intervenção

“ Ao trocar a escova da enceradeira a mesma


caiu sobre o pé esquerdo”

Condição Insegura/ Intervenção/bancada de


trabalho.
Relato de
Acidentes/Causa/Intervenção

“ Ao bater o prego na madeira, o mesmo


atingiu o dedo indicador E.”

Ato Inseguro/ Imprudente/Intervenção:


orientação quanto ao uso de ferramenta
adequada.
Relato de
Acidentes/Causa/Intervenção

“ Ao transitar na enfermaria a mesma pisou c/


o pé direito sobre uma agulha .‘’

Condição Insegura/Intervenção/Treinamento
quanto ao descarte da agulha.
Relato de
Acidentes/Causa/Intervenção

“ Ao reencapar a agulha , perfurou o dedo “

Ato Inseguro/ Imprudência/


Intervenção/Treinamento
Relato de
Acidentes/Causa/Intervenção

“ Ao depositar a seringa c/ agulha no


descarpack, a mesma não acondicionou-se
adequadamente, levando a funcionária a
balançar o Descarpack, perfurando o dedo.”
Ato Inseguro/Imprudência/
Intervenção/Treinamento quanto ao descarte.
Relato de
Acidentes/Causa/Intervenção
“ Ao segurar o armário, o mesmo caiu sobre
o empregado, quando o automóvel se
deslocou”

Ato
Inseguro/Imprudência/Intervenção/Treinamento/
Transporte apenas de material.
Relato de
Acidentes/Causa/Intervenção

“ Ao atender chamadas telefônicas e digitação,


sentiu dores no braço e ombro”

Condição Insegura/ Ambiente de Trabalho


desfavorável/Intervenção: Mobiliário
adequado, pausa, aumento do nº de
funcionários.
Relato de
Acidentes/Causa/Intervenção

“ Ao pegar paciente para transportá-lo da


cadeira p/ o leito , o funcionário “abriu o
punho”.
Ato Inseguro/ Imprudência/Intervenção/ pegar
o paciente pelas articulações e em Nº de 02.
Relato de
Acidentes/Causa/Intervenção

“Ao fazer a limpeza e desinfecção das


paredes subindo na bancada, desequilibrou-
se, sofrendo uma queda”
Condição Insegura/ Intervenção/ Escada.
Relato de
Acidentes/Causa/Intervenção

“ Ao aplicar a medicação a paciente agitou-se


fazendo com que a funcionária espetasse o
dedo”.
“Contenção incorreta movimento paciente”
Ato inseguro/treinamento.
Relato de
Acidentes/Causa/Intervenção

• Ao limpar o piso da enfermaria , a mesma


perfurou o dedo com agulha que se
encontrava no mesmo.
• Condição insegura/ treinamento
• A funcionaria sofreu uma queda ao sair do
refeitório.(pano no degrau)
• Condição Insegura / treinamento
Estatística Mundial (OIT)
2,3 Milhões de pessoas/morrem/ano/acidentes e doenças do
trabalho.
Brasil / 4º lugar (India, Coréia do Sul, El salvador)
Brasil / 700.000 acidentes ano
50 % dos acidentes c/ óbito ocorrem estado
S.Paulo
Brasil –p/ cada 100.000 trabalhadores/ 12,6 óbitos/ano
França- p/cada 100.000 trabalhadores / 7,6 óbitos/ano.
Alemanha- p/cada 100.000trabalhadores/5,5 óbitos
Suécia – p/ cada 100.000 trabalhadores/ 2,7 óbitos
Estatística no Brasil
Acidentes de Trabalho

Custo dos Acidentes e Doenças :72 bilhões/ano


Auxilio Doença, Auxílio Acidente,Aposentadoria
Fonte : Ministério Previdência Social
Motivo : fiscalização preventiva/campanha de
conscientização (trabalhador /empregador)
“ Um local de trabalho seguro e saudável é um
direito humano básico e que deve ser
respeitado em todos os níveis”
Nº de Acidentes 2013

10
9
8 1,3%

7
6
C/ Afastamento
5 S/Afastamento
4
3
2
1
0
Acidentes agulha QUEDA
Nº de Acidentes/2014

5
c/
4 afastame
nto
3 s/
afastame
2 nto

0
Acidente queda
agulha
Doenças Ocupacionais

2,5
Doenças
2 Ocupacionais
Doenças
1,5 Ocupacionais
Doenças
1 Ocupacionais
Doenças
0,5 Ocupacionais

0
2009 2010 2011 2012
Estudo do Ambiente , das Condições de Trabalho,
bem como os Riscos Originados do Processo
Produtivo.(Mapa de Riscos)

Os Ambientes de Trabalho , podem conter,


dependendo da atividade que neles é desenvolvida ,
um ou mais fatores ou agentes que dentro de certas
condições irão causar danos a saúde do pessoal.

Esses fatores são chamados Riscos Ambientais.


GRUPO I GRUPO II GRUPO III GRUPO IV GRUPO V
RISCO RISCO RISCO RISCO RISCO ACIDENTE
FÍSICO QUÍMICO BIOLÓGICO ERGONOMICO

• Vírus, • Arranjo físico


• Ruídos, • Esforço inadequado,
• Vibrações, • Bactérias,
• Poeiras, físico intenso, • Máquina s/
• Radiações • Fungos,
• Fumos, • Levantamento
• Parasitas, proteção
não e transporte
Gases, • Bacilos manual e peso,
ionizantes,
• Vapores, • Iluminação
• Frio, • Controle rígido
• Calor, . Produtos de produtividade, inadequada,
• Pressões químicos • Imposição de • Eletricidade,
ritmos excessivos, • Probabilidade
anormais, em geral.
•Trabalho em de incêndio
• Umidade
turno e noturno, ou explosão,
•Jornadas de • Armazenamento
trabalho, inadequado,
prolongadas • Animais
• Repetitividade, peçonhentos,
• Outras situações • Outras situações
causadoras de de risco que
stress físico poderão contribuir
e/ou psíquico. para ocorrência
de acidentes.
Mapa de Riscos

Conceito – E a forma gráfica de divulgar os


riscos existentes nas empresas e tomar
providencias quanto aos mesmos.
Os riscos são divididos em 5 grupos e cada
grupo representado por uma cor.
A forma gráfica e representada por um
circulo de tamanho e cor diferente.
Mapa de Risco

PARA QUE SERVE:


Serve para conscientização e informação dos
trabalhadores através de fácil visualização
dos riscos existentes na empresa ,
estimulando o trabalhador a participar nas
atividades de prevenção.
Como são elaborados

- Conhecer o processo de trabalho no setor.


- Identificar os riscos no setor/conforme tabela
- Identificar as medidas preventivas.(E.P.C./E.P.I)
- Medidas de controle propostas/ se necessário.
- Identificar os indicadores de saúde/ queixas.
Gradação dos Riscos

Circulo Grande/ Providencia Imediata

Circulo Médio/ Médio Prazo/30 a 120 dias

Circulo Pequeno/ Convivência Tolerável


Mapa de risco
CIPA/MAPA DE RISCOS/SETOR SERRALHERIA/NR-5/GESTÃO MAIO 2014/MAI0 2015
HOSPITAL VIEIRA MARQUES(ANA NERY).

Gradação dos Riscos

Risco Grande
Máquina
Policorte

Risco Médio

Solda Elétrica

Risco Pequeno
Esmerilhadeira
Classificação dos Riscos

Risco Físico/Ruído
Radiações /caloriferas

Risco Quimico / Derivados do


Petróleo.

Medidas de Controle Risco Ergonômico/Post.


Inadequada/Lev. Peso
Propostas :
.
Esmerilhadeira/inspeção/trimes
tral/disco. Risco Biológico/Vírus, Bact.
Uso do protetor auditivo
Avaliar espessura do disco em Risco Acidentes/Cortes,
Perfurações/Queimaduras
desacordo com modelo da
máquina.
Serra policorte:
- Reapertar diariamente os Medidas de Controle
parafusos; Existentes ;
- Avaliar as correias do
ponto de transmissão polia do
Esmerilhadeira :
motor/ polia da policorte; Espessura do
- Lubrificar semanalmente disco/corte/espessura menor.
a máquina. Desbaste/ espessura/disco
Solda Elétrica: maior.
- Luva de raspa,avental
de raspa,perneira de raspa.
Uso do óculos de proteção
Avaliação do ruído. Solda Elétrica:
Uso do protetor facial c/ lente
Treinamento quanto a filtrante U.V.
postura/levantar peso. Espirometria.
Troca da polia da máquina
policorte 1 (avariada)
Não usar relógios ou
adornos/contato c/ partes
energizadas/ acidentes.
Não manusear a solda em piso
molhado ou luvas e calçados
molhados.
Audiometria.
Noções sobre Acidentes e Doenças
do Trabalho decorrentes da
exposição aos riscos existentes na
empresa.

“Estudo dos casos clássicos de doenças e


acidentes de trabalho
na empresa ou não.”
Doenças Ocupacionais

Conceito : As doenças profissionais decorrem


da exposição a agentes físicos, químicos e
biológicos que agridem o organismo humano.
Todo trabalhador que sofrer uma intoxicação,
afecção ou infecção causado por estes
agentes foi acometido por uma doença
profissional (Sobrinho, 1995).
Surdez

Perda da audição a níveis elevados de ruído.

Atividades que envolvem Ruído:


Serralheiro, Aux. de Lavanderia,Operador de
Caldeira.
Sintomas Decorrentes do Ruído :Irritação,
Náuseas, alterações cardiovasculares,distúrbios
gastro -intestinais
Ouvido
ossiculos

timpano
Catarata
É uma doença ocular irreversível, (opacidade
do cristalino ou da córnea)causada por
exposição prolongada (anos) á radiação
Infra- Vermelha.
Tratamento : Cirurgia
Atividades que causam catarata:
Soldador.
Catarata
Uso do Agrotóxico

Doenças Causadas pelo uso de


Agrotóxicos/Herbicidas e Fungicidas
( Glifosato, Fosforados Orgânicos)
Irritação do Trato Respiratório Superior/Inferior,
Edema Pulmonar, Pneumonia Química, Fibrose
Pulmonar,Irritação da pele e mucosas.
Pneumoconioses

SILICOSE : Cicratização do tecido pulmonar


causada pelo Pó de sílica.( rocha de quartzo e granito)
Atividade: Trabalhadores em minas, pedreiras,martelete
pneumático.
Sintomas: Insuficiência respiratória, tuberculose.

ASBESTOSE:Cicatrização do tecido pulmonar


causada pela aspiração do Pó de Asbesto.
Atividades : Fabricação de telhas amianto, caixas d’água.
Sintomas : Insuficiência respiratória
Macacão, ventilação
autônoma

Jateamento de Areia

Remoção de vernizes,
ferrugem
Pulmão c/ silicose.
Dermatites

Inflamação cutânea causada pelo


contato direto c/ a substância. (uso repetitivo)
Atividades : borracha, látex, detergentes,
solventes, cimento, cosméticos, cloro.
Dermatite uso do cimento
Dermatite/ Cimento
Dermatite limpeza de peças c/
gasolina
Dermatite causada por óleo de
madeira
Pneumonites
Doenças Pulmonares resultantes da sensibilização
por inalação de antígenos bacterianos e fúngicos.
Pulmão de Fazendeiro : Feno, Palha e Cereais
Bagaçose : Cana Mofada
Pulmão de Criadores de Aves: Penas, excrementos
aves.
Histoplasmose Pulmonar : Trabalhos em bueiro
limpeza de galinheiro.
Doenças Profissionais

Benzeísmo : Atividades em refinarias de Petróleo e


Indústria de Tintas/Benzeno.
Sintomas:Depressão e Medula Óssea/Leucemia

Saturnismo: Atividades em fundições do


Chumbo/funileiro, mineradores, Indústria
Automobilística.
Sintomas : Cólicas abdominais, fraqueza generalizada.
Solda Elétrica
Pneumoconiose /Siderose
- Deposição de partículas de óxido de ferro no pulmão.
- Não há enfraquecimento funcional do pulmão.
- Óxido de ferro não é carcinogênico.
Gases e Vapores
- A soldagem a arco com eletrodo metálico coberto tem o potencial de
fixar o nitrogênio atmosférico na forma de óxido de nitrogênio em
temperaturas acima de 600°C
Concentrações não são um problema de soldagem em oficinas abertas.
Soldagem a arco com eletrodo metálico coberto não ultrapassa 0,5
PPM de Dióxido de Nitrogênio.

-
Ler/Dort

São inflamações provocadas por atividades


de trabalho que exigem movimentos manuais
repetitivos durante longo tempo.
As funções mais atingidas são de digitadores,
telefonistas, trabalhadores de linha de
montagem.
Pen Drive
Hepatite B
40
Nanômetros

Conceito : É uma doença altamente contagiosa, causada


pelo HBV,podendo causar graves danos ao fígado
(destrói o fígado e C. A. adultos.)
Resiste até 1 semana no sangue seco.
Formas de Transmissão : Perfuração c/ agulha
contaminada,transfusão de sangue,
procedimentos cirúrgicos,odontológicos,e de
hemodiálise.
Hepatite B

Não existe tratamento específico p/ cura da


doença, a principal medida é a vacinação.
A vacina é extremamente eficaz, produz 90 a
95 % de resposta vacinal em adultos
imunocompetentes.
Efeitos colaterais raros (dor, febre, alergia)
Drogas anti-virais controlam o avanço.
Hepatite B
Regime das doses : 0,1,6 meses.
Profissionais que interromperam a 1ª dose
deverão realizar a 2 ª dose logo que possível
e a 3ª dose deverá ser indicada c/ intervalo de pelo
menos 2 meses da dose anterior.
Esquema vacinal incompleto : realização teste
sorológico (anti-HBs) após a vacinação (1 a 6
meses após a última dose) para confirmação de
presença de anti- corpos protetores)
Hepatite C

Agente Etiológico : vírus HCV


Infecção leve c/ início icterícia e mal estar.
Evolui p/ diversas complicações : -cirrose hepática.
- hepatite crônica
Formas de transmissão :

-Administração parenteral de sangue.


- Principalmente transfusão
Aids
Caracteriza-se por imunodepressão, acompanhada por doenças oportunistas graves.
- Agente etiológico : -Retrovírus (HIV)/usa uma molécula de R. N. A /reprodução.
- HIV 1- +agressivo HIV 2 – - agressivo
- Infecta e destrói os linfócitos do tipo CD4+
- Sistema Imunológico / queda
- Infecções oportunistas
- Resiste horas fora do organismo
- Morre imediatamente/forma seca

- Formas de transmissão : Via parenteral


Relação Sexual
Pela mãe ao filho (gravidez)
Durante o parto
Aleitamento materno.
Janela Imunológica
A infecção pelo HIV é seguida do aparecimento de
anti-corpos , geralmente dentro de 90 dias após o
momento da contaminação.
Os testes sorológicos não são totalmente sensíveis e
específicos , podendo ter um reduzido percentual de
falso negativo e falso positivo.
A soro conversão é alta p/ exposições envolvendo
ferimentos profundos,sangue visível sobre
objeto,agulha estado na veia ou artéria do paciente
fonte, ou morte por Aids de paciente fonte.
Estatística/Material Biológico
Os riscos de contaminação acidental após
exposição per cutânea por material contaminado com sangue são
:
0,3 % p/ Aids- 300 acidentes c/ perfuro/1se contamina.
0,09 % após exposição mucocutânea.
4 a 10 % p/ hepatite C – 30 acidentes/ 1 se contamina.
Até 40 % p/ hepatite B - 03 acidentes / 1 se contamina.
0% Para Aids em respingos em mucosas.

* Dados fornecidos pelo Ministério da Saúde.


Procedimentos após exposição material biológico

Ocorrência Recomendações

Respingo nos olhos Lavar c / bastante soro


fisiológico

Respingo na boca Lavar c/ água


abundante(gargarejar,
bochechar, desprezar)
Contato c/ pele íntegra Lavar c/ água e sabão
comum, secar c/ papel
toalha.
Contato c/ pele Lavar com água e sabão.
lesada(dermatite)

Acidente ocorrendo lavar imediatamente c/


perfuração ou corte. água e sabão.Pode-se
aplicar P.V.P.I. aquoso.
Não aplicar outros anti-
sépticos.
Cuidados posteriores
- Comunicar a sua chefia imediatamente.

- Solicitar autorização por escrito do paciente fonte


p/ pesquisa de HIV e Hepatites.

* Acidentes c/ agulha de grosso calibre/maior


inoculo viral/paciente-fonte + /medicação 1 a 2
horas/após acidente.(ideal)
Esquema profilaxia HIV
Biovir
01 cpd via oral / 12 em 12 horas/28 dias.
Kaletra
02 cpds via oral / 12 em 12 horas/ 28 dias.

- Drawin – 28 dias/01 cpd


- Omeprazol – 28 dias/ 01 cpd

*Esse tratamento reduz em até 82 % o risco de transmissão


após acidente com material contaminado c/ vírus.
Esquema Quimioprofilaxia Hep. B

- Vacina (0,1 e 6 meses)


- Gamaglobulina hiperimune (HBIG)
- Via intramuscular/dentro de 24 a 48 HS
Quimioprofilaxia Hep. C

Não existe intervenção especifica p/ redução do risco de


transmissão pós exposição ao HCV.

Nenhuma imunoprofilaxia tem provado ser efetiva para


pré ou pós exposição ao HCV.
Tétano
Doença Infecciosa não contagiosa
Toxina do Costridium tetani
Encontrada no solo,fezes, madeira, metal
Penetra pela lesão da pele
Espasmos nos músculos voluntários
Parada cardiorespiratória/diafragma
Lavar o ferimento c/ água e sabão
30 a 60 % infectados morrem
Vacina 3 doses / Reforço a cada 10 anos
Difteria

- Doença Infecto- contagiosa.


- Toxina do bacilo Corynebacterium diphteriae
- Provoca inflamação da mucosa da garganta
- Vacina 3 doses.
Práticas seguras
-Ter a máxima atenção durante a
realização de procedimentos que envolvam a
manipulação de :
-Materiais perfuro cortantes/Não usar o dedo como
anteparo.
- As agulhas não podem ser quebradas, entortadas,
reencapadas ou removidas das seringas
descartáveis.
- As agulhas, ampolas, lâminas de bisturi, vidros
quebrados devem ser desprezados no descarpack.
Práticas Seguras
- Não deixar perfuro cortante sobre a bandeja
após o uso.
- Não preencher as caixas coletoras acima do
limite de 2/3 de sua capacidade total.
- Coletar agulhas soltas com a
pinça(enfermagem).
-Trabalhadores c/ lesão nas mãos devem
cobri-las com compressas impermeáveis,
antes de evitar o contato com o paciente.
Práticas Seguras
- Evitar a manipulação desnecessária de
material pérfuro-cortante.
-
Práticas Seguras
Procedimento Lavar as luvas Capote/avental Máscara/ócu
mãos los
Punção ou
dissecação
x x x x
venosa
profunda ????

Aspiração de
vias aéreas ou
x x x x
entubação
traqueal.

Endoscopias
broncoscopic
x x x x
as
Práticas Seguras
Procedimentos Lavar as mãos Luvas Capote/Avental Máscara/óculos
prot.

Exame s/ X
Contato c/
sangue,fluidos
corporais,mucosas
ou pele não
íntegra
Exame de paciente X X * realização de * Possibilidade
incluindo contato curativos/feridas de respingo ou
c/sangue, fluidos, cirúrgicas,queimadu aplicação de
mucosas ou pele ras graves, escaras medicamentos
não integra. quimioterápicos

Coleta de exames X X
de sangue, urina
fezes
Realização de X X * *
curativos

Aplicações X X *
parenterais de
medicações
Princípios Gerais de Higiene no
Trabalho e Medidas de Controle de
Risco.
Higiene do Trabalho

É uma ciência que tem o objetivo de


reconhecer, avaliar e controlar todos os
fatores do ambiente de trabalho que podem
causar doenças ou danos á saúde dos
trabalhadores.
Objetivos

*Eliminação das causas de doenças


profissionais e acidentes.
*Melhoria das condições de trabalho.
*Manutenção da saúde dos trabalhadores.
*Aumento da produtividade.
Fases da Higiene do Trabalho

HIGIENE DO TRABALHO

Reconhecimento Avaliação
Controle
CHECK-LIST / LESÕES POR ESFORÇOS
REPETITIVOS - LER/DORT

DATA:
SETOR:
POSTO DE TRABALHO:
TAREFAS EXECUTADAS:
CHECK-LIST / LESÕES POR ESFORÇOS
REPETITIVOS - LER/DORT/cadeira
Sim Não

CADEIRA
ESTOFADA?
Diminui a pressão saqnguinea
das coxas.
Posssui 5 pés

maior estabilidade
DIMENSÃO
ANTERO-
POSTERIOR DO
ASSENTO Não muito curta e
ADEQUADA? nem muito longa
/caiba regiao das coxas
e glutea
BORDA
ANTERIOR DO
ASSENTO Evitar compressaõ dos tendões e
ARREDONDADA
? musculatura.
APOIO DORSAL
FORNECE UM
SUPORTE Evita que a musculatura da coluna
FIRME ?
sustente o peso do corpo
Aparelhos e Medições

Medidor de gases Termômetro de Globo Decibelímetro


Ruído

Conceito: É um som desadrável e indesejável.


Tipos : Impacto/Intervalo de onda / superior a 1 s.
Contínuo/ Regularidade da onda

Controle : Fonte
Trajetória
Pessoal Intervalo de
onda
Níveis de Ruído

Enfermaria ------- 35 a 45 dB
Escritório ------ 64dB
Avião a jato ---------- 140 dB
Rebitadeira Pneumática ------- 130 dB
Metrô ----------- 90 dB
Conversação Normal ------- 55 a 65dB
Caminhão pesado ---------- 74 dB
Limite de conforto ------- 65 dB (NR-17)
Sala de computador ------ 45 a 65 dB
NA FONTE
Existe uma maneira mais silenciosa de
executar uma determinada tarefa?
Substituição Rebitagem pneumática/ por solda
Troca de correias de couro, cujos grampos se
chocam com a polia por correias de borracha.
Substituição de engrenagem metálica por
engrenagem plástica.(atrito)
Rebitador Pneumático
Na Fonte
Recobrimento de rodas metálicas.
Redução da velocidade de rotação de
exaustores
Mancais lubrificados
Rotores bem centrados
Rotor
Pratos fixo
e giratório Mancal
Eixo girante
Motor a
esferas vapor
Controle na Trajetória
Enclausuramento

Melhor resultado
Bom resultado
Material
Material absorven
isolante do te do
som(compensa som(lã
do) de
vidro).
Controle na Trajetória

Barreira/controle do ruído em
uma só direção.
Ruído

Mancal
lubrificado
especificar ????

Pé anti –
vibratório ???????
especificar
Controle do ruído

Blimp/caixa
revestido de feltro
ou espuma

55 dB média

Impressora matricial
Isolamento
Parede cm kg/cm2 Ruído
/decibel/r
edução

Tijolo 25cm 480 53

1/4tijolo 6,5 180 45

Eucatex 2 3,1 26

duratex 0,5 38 28
No pessoal

* Audiometria / admissional/ 6 meses/anual


*Limitação no tempo de exposição
*E.P.I
E.P.I.

Redução de 10 a 30 dB
E.P.I.

Redução 20 a 50 dB
Tabela de Ruído/contínuo/intermitente/NR15

Nível Ruído(dB) Máxima exposição


permissível

85 8 horas
86 7 horas
90 4 horas
95 2 horas
100 1 hora
110 15min
114 8 min.
115 7 min.
> 115 E.P.I.
Calor
Trabalho leve moderado pesado

contínuo
Até 30 Até 26,7 Áté 25.0
ibutg
45’ trabalho
30,1 a 30.8 26.8 a 28 25.1 a 25.9
15’ descanso

30’ trabalho 30.7 a 31.4 28.1 a 29.4 26.0 a 27.9


30’ descanso

15’ trabalho
31.5 a 32.2 29.5 a 31.1 Acima 30.0
45’ descanso

Não é permitido trab. Acima 32,2 acima de 31.1 acimna de 30


Risco Químico

Óleo Diesel : Hidrocarbonetos contendo parafinas,


ciclo parafinas, naftênicos, aromáticos.
-Má higiene pessoal : irritação da pele
foliculites,verrugas(malignidade).

- Usar o produto em área ventilada


- Tonteira, náusea, cefaléia
Risco Químico
No pessoal
Contato com a pele : lavar c/ água e sabão neutro.
Contato c/ os olhos : Lavar abundantemente c/ água,
Proteção respiratória : Equipamento autônomo/espaço
confinado.
Proteção p/ mãos : Luvas de P. V. C. ou borracha
nitrílica.
Luvas químicas
Risco Químico
Óculos de Proteção/Luvas Nitrílicas
Risco Químico
Hipoclorito de Sódio

- Libera gás cloro.


- Irritante dos olhos, vias aéreas
- Conjuntivite química e queimaduras.
- Irritação da pele
-L.T. : 2,3 mg/m³ de cloro
Risco Químico
No Pessoal
- Lavar imediatamente c/ água/contato olhos
-Uso de luvas de borracha, óculos de proteção.
E.P.I.
Risco Químico
Cimento
Holcim – Silicatos de cálcio e alumínio.
Contato c/ pele e olhos : irritação
No pessoal
- Luvas de borracha ou óculos de
proteção,bota de borracha.
Sem E. P. I.
Tinta
Contato c/ pele e olhos : Irritação
No Pessoal : Dosagem
Ác.Metil Hipúrico e Ác. Hipúrico(Tolueno e
Xileno)
Lavar c/ água corrente
Uso de óculos de proteção másc.V.O. e luvas.
Agentes Químicos
Sapólio Rádium / agente abrasivo/ñ tóxico
Ácido Muriático / desengordurante/piso
ÁguaRaz / solvente alifático
Irritação dos olhos e pele.
E. P. I. óculos de proteção, luvas de borracha e
nitrilicas.
Agentes Químicos

Pintoff /solvente aromático/tolueno


Cascola/ solvente aromático/tolueno
Irritação da pele e olhos

E.P. I.
Pintoff Colocar foto
do recipiente.

Pele:
Em caso de contato com a pele remover a roupa contaminada.
Lavar imediatamente a pele com água e sabão ou usar um
detergente neutro apropriado para a pele. Não
usar solventes ou diluentes.
Olhos:
Lavar imediatamente os olhos com água fria em abundância
por pelo menos 15 minutos, mantendo-os
abertos. Em caso de utilizar lentes de contato, retira-las.
Consulte imediatamente um médico. .
Thinner
Colocar
Olhos foto do
recipien
Pele te

Vapores e o contato do produto com os olhos podem


causar conjuntivite
química.
Pode causar ressecamento, fissuras, irritações e
dermatite de contato.
Inalação pode causar irritação das vias respiratórias,
além de dores de cabeça, tontura,
falta de ar, desmaios e náuseas.
Risco Químico Colocar
foto do
herbecida.

Herbicida(Glifosato)/Roundup

Filtro
combinado/Vap.org.+filtro Não comer ou
mecânico. beber durante o
manuseio.Lavar
as mãos antes e
após manuseio.
Risco Químico
Fumos Metálicos
Fumaça de metal derretido criando partículas
muito finas < 1 Mícron.
A operação c/ solda deve ser realizada em
ambientes arejados c/ renovação de ar.
O operador e ajudante utiliza máscara de
proteção - Filtro contra fumos metálicos –
classe P2. ????
Risco Biológico
Bactérias, Vírus, Fungos, ectoparasitos.
Doenças Infecto contagiosas e parasitárias.
E. P.I.
Risco Biológico
Máscara Biológica
Luvas de procedimento:Escaras de decúbito
Alimentação e Barba : não usa luvas

Filtração: Lavar as mãos antes e PFF2 / filtra 0,4 a 0,6 Micra


após o uso das luvas. 0,5 a 5 micra/bact.
Dispositivos de Segurança
Lanceta Retrátil Descartável
-Realização do teste de Glicemia Capilar
-Substitui o uso da agulha 13x4,5
- Evita o contato acidental durante o
procedimento ou no momento do descarte.

Agulha
13X4,5

Soft
click
Dispositivos de Segurança
Cateter Periférico Introcansafety
-Previne as picadas c/ agulhas
-Auto ativação da mola de segurança
--Mecanismo de segurança é inviolável
O profissional não precisa se expor ao risco
durante o procedimento ou descarte. Mola
protege o
bisel da
agulha
após o
uso.
Risco de Acidentes
Andaime baancinho

Queda em altura catraca Cabo de aço Cinto


segurança
Risco Queda
Risco de Queda
Queda em altura
Andaimes simplesmente apoiados: São
aqueles cuja montagem é efetuada com
tubos e braçadeiras, utilizando pranchas de
madeira apoiadas sobre a estrutura do
andaime, no nível onde será executado o
trabalho.
A proteção lateral poderá ser metálica > 1m
ou corda < 1 m.
A amarração dos andaimes é obrigatória.
Andaimes
Os pranchões de madeira utilizados não
poderão ser pintados.
Todas as plataformas deverão ter seus lados
expostos protegidos por guarda corpo.
Os Andaimes devem estar apoiados sobre
pisos firmes e rígidos. Os desníveis do
terreno deverão ser compensados pela
utilização de parafusos ajustadores e nunca
por calços improvisados. ?????????????
Andaimes
Andaimes sobre rodas, só poderão ser
usados em áreas com o piso plano
concretado ou asfaltado, com possibilidade
de livre deslocamento e não poderão exceder
a altura de 5 metros. As rodas devem ter no
mínimo 15 cm de diâmetro e estarem
travadas todo o tempo em que o andaime
não estiver sendo deslocado.
Os andaimes com rodas não poderão ser
movimentados em hipótese alguma com
pessoas ou ferramentas sobre a plataforma.
Andaimes
A subida em andaimes deve ser feita por
escada externa ou degraus de tubo do
próprio andaime.
Os andaimes deverão ser amarrados com
cabos e/ou cordas a cada 3 metros de altura,
a partir do segundo lance.
. Não devem ser jogadas ferramentas ou
peças para a plataforma do andaime ou vice-
versa.
Andaimes
Os andaimes e as pessoas que nele subirem
não poderão ficar a uma distância inferior a 2
(dois) metros de uma linha elétrica de alta ou
baixa tensão energizada, (isolada ou não).
Andaimes
Efetuar isolamento físico da área em torno do
andaime, a fim de evitar circulação de
pessoas e/ou veículos.
Andaimes do tipo tubular devem ser usados
preferencialmente e deverão ser montados
por pessoal treinado.
Andaime Tubular

Tábua 3cm
espessura/amar
radaa/encaixad
5 as.
m
e
t
r
r
o
s Sapata..
Cinto de Segurança
mosquetão

talabarte
Escada multiuso
Cortes
Serra Elétrica
-Ser provida de coifa protetora do disco e cutelo
divisor. coifa
Esmerilhadeira

Serviços de corte de peças

Voltagem e rotação Cabo


visíveis e lateral
preservadas Protetor
do disco
A esmerilhadeira tem que ser inspecionada trimestralmente pessoa habilitada.
Esmerilhadeira
A CAPACIDADE DE ROTAÇÃO DO DISCO VEM IMPRESSA NESTE RÓTULO

Com o motor desligado, o rebolo ocontinua


a girar,evitar contato c/ o chão que poderá
quebrar o rebolo.

Tapume de
proteção/ No acidente com esmerilhadeira, quase que em sua
terceiros/fagulhas totalidade, quem provoca a lesão é o disco.
PARA CORTE: Espessura menor OU
atingem até 4 maior. A capacidade de rotação do disco tem que ser superior
PARA DESBASTES: Espessura
a capacidade de rotação da esmerilhadeira.
metros
Se não o disco rompe.
Acidente Esmerilhadeira
Cortes

Luva de Perneira
raspa de raspa
Luva anticorte
Eletricidade
Calçado de segurança
sem partes metálicas .
Camisa sem bolso.

Uso de cinto/porta ferramentas.


Detectores de tensão.(instalação está ou não energizada)
Luva de vaqueta (trabalho c/
cabo de aço)

Luva p/baixa voltagem


voltagem (o,5 KV)

Sustentação do trabalhador posição estática e vertical (poda de árvore).


Capacete de Segurança contra impactos.
Ergonomia
Mobiliário Adequado

400 mm

350 mm
19 cm
75cm

45cm 460 mm
410 a
500mm
72cm
690mm
Postura Adequada

40 a 70 cm

Evita
movimentos
do pescoço e
tronco.
Cadeira Ergonômica
05 Pés apoiados na base -------- Proporciona
estabilidade maior do que 4 , prevenindo
quedas.
Assento : Bordo anterior curvado p/ baixo e
controle de altura de forma que possa ajusta-
la mantendo suas coxas paralelas ao chão. A
parte posterior das panturrilhas (batata da
perna) deve ficar afastada do assento no
mínimo de 2 ou 3 cm.
Por Que ?
Distribui melhor o peso do corpo por todo o
assento. O ajuste alto demais tende a comprimir a
parte posterior da coxa , próximo ao joelho. Baixa
demais, a força de compressão tende a se localizar
apenas nas nádegas. Ambas as situações geram
desconforto e dificultam a circulação.
Apoio Lombar : deve apoiar a região lombar da
coluna.
Este apoio deve possuir ajuste de altura e
inclinação, independente dos ajustes do assento.
Por Que ?
O apoio lombar bem ajustado auxilia na
sustentação de toda a coluna. Sem este
apoio esta sustentação é realizada pela
musculatura da coluna, concentrando todo o
peso da parte superior do corpo na última
vértebra lombar. Sem o apoio e dependendo
do tempo que se permanece sentado , a
musculatura pode entrar em fadiga, gerando
desconforto.
A altura ideal para um bom apoio lombar é de
19 cm.
Notas

- O estofamento reduz a pressão na região posterior


das coxas , facilitando a circulação.
- O ângulo de apoio do encosto para as costas deve
estar entre 100 a 110 º , para que o encosto ajude a
apoiar o peso do torso .
Vantagens em ficar sentado:
- Usamos menos 20% de energia do que ficando em
pé, realizando o mesmo trabalho.
- Ficar sentado ajuda a reduzir o esforço nos
músculos das costas e nos discos intervertebrais.
Banqueta
Ao sentarmos numa
banqueta , sem nenhum
suporte p/costas, nossa
tendência é curvar o corpo p/
frente p/ dar apoio ,
geralmente descansando
nossos braços sobre as
nossas pernas, ao curvarmos
p/ frente a parte inferior das
costas é curvada p/ fora em
forma cifótica .
Posição não considerada
saudável se for mantida por
um período prolongado .
(Posição ideal Lordose).

Cadeira Industrial
Mop
Utiliza-se o mop úmido juntamente com um
conjunto de balde e espremedor. Mergulhar o
mop úmido no balde com a solução
detergente e retirar o excesso de água com o
espremedor e lave o piso. Quando o mop não
estiver mais lavando adequadamente o piso,
mergulhe o mop no balde retire o excesso de
água e continue lavando o piso. Repita a
operação até a conclusão da limpeza ou até
que a água do balde esteja excessivamente
suja.
Cabo p/ Mop

cabo

MOP
Ginástica Laboral
* Exercícios específicos realizados no próprio
local de trabalho.
*Reduz e previne problemas ocupacionais.
* Não sobrecarrega , não cansa o funcionário.
* Leveza dos movimentos
*Promover adaptações físicas,e psíquicas por
meio de exercícios dirigidos.
Ginástica Laboral
Levantamento Peso e Carga
A musculatura das costas é a que mais sofre
com o levantamento de pesos.
Quando do levantamento de cargas, os
músculos dorsais muito curtos se contraem
lentamente ao serem solicitados. A coluna
vertebral funciona então, como um braço de
alavanca tendo como ponto de apoio o disco
intervertebral (L5-S1) que é relativamente
frágil .
Levantamento de Peso ou Carga
Na medida do possível, a carga sobre a coluna vertebral
deve ser feita no sentido vertical, evitando-se as cargas
com as costas curvadas, (Iida, 1993).
Mantenha a coluna reta e use a musculatura das pernas
durante o levantamento.
A freqüência dos levantamentos não deve ser superior a
um por minuto;
Levantamento de peso ou carga

Posicionar o paciente sobre o passante sob o


lençol móvel , enquanto uma puxa o
paciente pelo lençol a outra empurra junto c/
o lençol p/ outra superfície.(desliza + fácil
Passante
/superfície a outra)
Levantamento Peso e Carga
OIT
A duração do Faixa Etária Homem Mulher
levantamento não deve
ser maior que uma hora, e
deve ser seguida de um < 16 anos proibido
proibido

período de descanso (ou


tarefas mais leves) de
120% da duração da 16 a 18 anos
16 Kg 8 Kg
tarefa do levantamento.

Acima de 18
40 Kg 20 KG
anos
Levantamento peso e carga

Manter as costas estendidas


Flexionar os joelhos p/pegar objetos
Colocar o objeto junto ao corpo e levantá-lo estendendo os
joelhos e os quadris.
Legislação
Auxilio Doença : é devido ao segurado que
ficar incapacitado p/o trabalho por + 30 dias.

1ºs 30 dias --- empresa

Ñ recuperação --- reabilitação profissional.

Ñ recuperável ---- aposentadoria/invalidez


LEGISLAÇÃO
• Auxilio doença : mínimo 12 meses de
contribuição
• Objetivo : dar ao incapacitado
temporariamente , condições de reabilitação
e reinserção no mercado.
• 91% da media dos últimos 12 salários
• Adicional de periculosidade : 30% sobre o
salário
Legislação

• Adicional Noturno: 20% sobre as horas


diurnas
• Trabalho Noturno: 22:00 ás 5: 00 Hs
• Insalubridades :
• Grau Máximo : 40% sobre salário mínimo /lixeiro
• Grau Médio : 20% varrição pública / servente limpeza hospitalar
• Grau mínimo: 10%
NR s
NR – 1 Disposições Gerais
Cabe ao empregado : cumprir as disposições
legais e regulamentares sobre segurança e
medicina do trabalho.
- Usar o E. P. I. fornecido pelo empregador.
- Submeter-se aos exames do PCMSO
- Colaborar com a empresa na aplicação das
Normas Regulamentadoras.
NR s

NR- 2 Inspeção Prévia:


Todo estabelecimento novo deverá solicitar
aprovação de suas instalações ao órgão
Regional do MTE. Emitir o CAI.
NR- 3 Embargo :
A DRT poderá embargar o estabelecimento
ou máquina /iminente risco ao trabalhador.
NR s

NR – 4 SESMET : Depende da gradação do


risco da atividade, Nº total de empregados.

NR- 5 CIPA : Todas as empresas(privadas ou


públicas) / empregados celetistas/ grau de
risco/ CNAE /nº. mínimo de 20 empregados.
Nr s
NR- 6 Equipamento de Proteção Individual
A empresa é obrigada a fornecer aos seus
empregados E.P. I.
Todo equipamento deve ter o C. A.
NR – 7 PCMSO
Exames admissional, periódico,retorno ao
trabalho, mudança de função, demissional,
exames complementares.
NR s

NR -8 –Edificações
Estabelece requisitos técnicos mínimos p/ garantia de
conforto e segurança.
-Pisos s/ saliência e depressões/circulação de pessoas.
-Pisos , rampas c/ perigo de escorregamento / emprego de
material antiderrapante
-Os locais de trabalho deverão ter pé direito de acordo c/
posturas municipais.
-Rampas devem ser construídas de acordo c/ as normas
técnicas.
NR s
NR- 9 PPRA Programa de Prevenção de
Riscos Ambientais.
- Objetiva a preservação da saúde e
integridade física do trabalhador.
- Antecipação, avaliação,e controle dos riscos
NR s
NR -10 – Instalações e serviços em
eletricidade.
- As partes das instalações elétricas sujeitas a
acumulação de eletricidade estática devem ser
aterradas.
- É proibida a ligação simultânea em mais de um
aparelho á mesma tomada elétrica(salvo projeto)
- Ferramentas eletricamente isoladas em serviços
de eletricidade.
NR s

NR-12 Máquinas e Equipamentos


- Os pisos devem ser vistoriados e limpos
- Riscos provenientes de graxas e óleo
- Distância entre as partes móveis das
máquinas ( 0,70 cm a 1,30 cm)
-Dispositivo de acionamento e parada na
posição de trabalho.
Nr s

NR- 13 Caldeiras e Vasos de pressão


É de competência do Engenheiro.
Inspeção e manutenção.
Treinamento específico p/operadores.
Elevado grau de risco
NR s

NR-15 Atividades e operações insalubres


Aquelas que ocorrem além dos limites de
tolerância (intensidade,natureza e tempo de
exposição ao agente).
Agentes : ruído, calor,radiações ionizantes,
agentes químicos.
Nr s

NR-17 Ergonomia
Adaptação das condições de trabalho
-Assentos c/ altura ajustável á estatura do trabalhador.
- Trabalhos de pé / assentos p/ descanso durante as
pausas.
- Suporte/documentos/digitação/movimentação pescoço
-Níveis de ruído e iluminação de acordo com a atividade.
- Entrada de dados pausa de 10’ / 50’ digitados.
Nr s
Nr -32 Norma Regulamentadora de Segurança e
saúde no trabalho em estabelecimentos de
assistência á saúde.
- O empregador deve informar aos trabalhadores, os
riscos existentes , as suas causas e medidas
preventivas.
- O empregado deverá receber E. P. C. ou E.P.I
fornecido gratuitamente pelo empregador.
- O empregado deverá adotar as medidas de
proteção a partir do resultado da avaliação do
P.P.R.A
-
Nr
NR – 32
O empregador deverá fazer o controle da
eficácia da vacinação e providenciar se
necessário seu reforço.
O trabalhador c/ feridas e lesões nas mãos ,
antes de iniciar as atividades laborais, devem
cobrí-las com compressas impermeáveis, na
impossibilidade de cobrí-las, deve evitar o
contato c/ paciente.
NRs
NR -32
Piso antiderrapante, paredes, teto e forro liso, resistente e
impermeável.
Portas c/ superfície lisa e laváveis.
Lixeira c/ tampa e acionamento por pedal.
Armários e bancadas de material liso, lavável e
impermeável.
Os E. P. I. s deverão ser armazenados em nº suficiente
nos locais de trabalho.
Nr s
NR-32
Local onde se utiliza material pérfuro cortante
deve ser mantido recipiente apropriado p/ o
seu descarte.
Limite máximo de enchimento 5cm abaixo do
bocal.
Recipiente deve ser mantido o mais próximo
da realização do procedimento.
Nr s
Nr-32
É proibido a varredura a seco
É proibido o uso de adornos pelos trabalhadores
É proibido o uso e calçados abertos.
Papel toalha, sabonete líquido e lixeira c/
tampa/acionamento de pedal.
Nr s
Nr -32
Lavatórios instalados nas proximidades ou no
próprio local da refeição.
Fornecimento de água potável
Estufa ou fogão p/ aquecer alimentos
Nr s
Nr-32
Na lavanderia deverá ser instalada porta dupla
ou de barreira(uma porta serve a área suja a
outra serve a área limpa)
A comunicação é feita por meio de visores e
interfones.
A calandra deverá ter um termômetro
indicando a temperatura do cilindro e um
termostato.

Você também pode gostar