Você está na página 1de 28

A IGREJA E A REFORMA

REFORMA
PROTESTANTE
passado ou presente?

...e as portas do inferno não


prevalecerão contra ela;

Mateus 16:18
O PLANO DE DEUS
Além do plano da salvação em Jesus Cristo,
também inicio a formação da Igreja.

Para:
a) Reunir A igreja deve ensinar a doutrina bíblica para que
possamos ter os alicerces de nossa fé. Efésios 4:14 nos
b) Congregar diz: “Para que não sejamos mais meninos inconstantes,
levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano
c) Proclamar dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente.”
A igreja deve ser um lugar de comunhão, onde os cristãos
possam se devotar uns aos outros e honrar uns aos outros
(Romanos 12:10), instruir uns aos outros (Romanos
15:14), ser benignos e misericordiosos uns com os outros
(Efésios 4:32), encorajar uns aos outros (I
Tessalaonicenses 5:11), e principalmente, amar uns aos
outros (I João 3:11).
O PLANO DE DEUS

A igreja, que começou com os santos


apóstolos, foi organizada e cresceu,
se espalhando pelo mundo...

Eu plantei, Apolo regou; mas Deus deu o


crescimento.
1 Coríntios 3:6

Por isso, nem o que planta é alguma coisa, nem


o que rega, mas Deus, que dá o crescimento.
1 Coríntios 3:7
O CRESCIMENTO DA IGREJA

 Foi considerada uma seita sinédrio judaico (At 24.14),


depois teve identidade própria.
 Passou por quase três séculos de perseguição:

 Período Apostólico – 1º. Século


 Os Apóstolos – Deram sequência ao ministério de
Jesus.
 Escreveram o Novo Testamento
 Encerra em 95-100 d.C. com a morte do apóstolo
João em Éfeso.
O CRESCIMENTO DA IGREJA

 Período pós apostólico/pais da Igreja – 2º. e 3º. séc.

 Continua a perseguição aos cristãos


 Os Concílios da Igreja – doutrinários
 O Reconhecimento das Escrituras
 Aparecimento de seitas e heresias
PERIODO DA IGREJA IMPERIAL
 323 – O ÉDITO DE CONSTANTINO E SUAS
CONSEQUÊNCIAS - Imperador Constantino - único
imperador. Uma só lei, uma só moeda, uma só
cidadania, uma só religião.

 O Cristianismo outrora perseguido agora torna-se


a religião oficial do Império.

 HERESIAS - Arianismo; Apolinarianismo;


Pelagianismo.

 PRINCIPAIS LÍDERES DO PERÍODO - Atanásio (293


–373); Ambrósio de Milão (340 – 407); João
Crisóstomo ( 345 – 407); Agostinho (354 – 430).
PERIODO DA IGREJA IMPERIAL

 A partir daí inicia-se a degeneração da igreja: o paganismo na


igreja

 375 – culto aos santos.


 431 – institui o culto a Maria.
 503 – instituição da doutrina do purgatório.
 783 – adoração de imagens e relíquias.
 1090 - rosário.

1229 - proibida leitura da Bíblia.


Além destes desvios, a corrupção, a ganância e a imoralidade
do clero descaracterizaram a Igreja Cristã e revoltaram o
rebanho.
OS PRÉ-REFORMADORES
 1300 - nacionalismo no mundo ocidental.
 O Movimento das Igrejas Nacionais.
 Precursores da Reforma: legalismo, não descobriram a
graça salvadora - (Ef 2.8-9).
OS PRÉ-REFORMADORES
 JOHN WYCLIF (1328 -1384) – A inquisição 30 anos após a morte,
queima seus ossos e seus livros;
 Foi o primeiro préreformador.
 Estudante e professor de Oxford, Wycliffe conseguiu desafiar o
papa de sua época.
 1382 – Traduzir o NT para o inglês.
 1382 – Combateu a transubstanciação – a substância era
indestrutível. Cristo estava espiritualmente presente, percebido
pela fé.
 1382 – Suas ideias foram condenadas em Londres.
 1401 – A Igreja Romana introduziu a pena de morte como castigo
a suas pregações.
 Sua influência contribuiu para a Revolta dos Camponeses de
1381.
 Um grupo de estudantes boêmios na Inglaterra, ao travarem
contato com seus ensinos, os levaram para seu país, onde
influenciariam John Huss.
 JOHN HUSS (1369-1415), natural de Husinec, na Repúbllica
Checa, foi pastor da Capela de Belém de 1402 a 1414.
 Formado na Universidade de Praga, conheceu os escritos de
Wycliffe e começou a propaga-las, pregando contra as falhas
morais do clero, bispos e papa e defendendo a doutrina
Wycliffista da Santa Ceia.
 Causou comoção na Universidade de Praga ao convencer o Rei
Venceslau a que a “nação boêmia” tivesse três votos, contra um
cada de bávaros, saxões e poloneses.
 Isso causou um êxodo entre 5 e 20 mil doutores, mestres e
alunos da universidade, causando seu declínio.
 Os revoltosos o denunciaram por suas ideias reformistas,
gerando inimizade com o papa.
 Condenava a venda de indulgências.
 O fim da vida de Huss foi trágico.
 Durante o Concílio de Constança, Huss foi convocado para
defender suas ideias perante o clero.
 Recebendo um salvo-conduto do Imperador Sigismundo, Huss
viajou para o Concílio na certeza de que estaria seguro.
 Contudo, ao chegar ao local, o salvo-conduto foi desconsiderado
e Huss foi imediatamente preso.
 Huss foi condenado herege, o amarraram à estaca e o queimaram
vivo, em 6/7/1415.

Hoje vocês
Hoje vocês assarão
assarão um
um ganso
ganso [Huss]
[Huss] magro,
magro,
mas em
mas em cem
cem anos
anos ouvirão
ouvirão um
um cisne
cisne cantar.
cantar. Não
Não
serão capazes
serão capazes de
de assá-lo
assá-lo ee nenhuma
nenhuma armadilha
armadilha
ou rede
ou rede poderá
poderá segurá-lo.
segurá-lo.
Jan
Jan
Hus
Hus
 JERÔNIMO SAVONAROLA (1452-1498) Reformador florentino,
este monge dominicano pregou contra a imoralidade na
sociedade e na Igreja, inclusive no papado.
 Seus sermões eram contra a sensualidade e o pecado da cidade
e os vícios do papa.
 A cidade penitenciou-se e se reformou, mas o Papa Alexandre VI
procurou, de todos os modos, silenciá-lo (até suborná-lo com o
chapéu de cardeal), mas em vão.
 Savanarola convenceu o povo a passar leis combatendo a
sodomia, adultério, embriaguez pública e outras transgressões.
 O Papa Alexandre VI o excomungou e ameaçou a cidade de
interdito, caso Savonarola não fosse contido.
 Seu fim começou quando começou a afirmar que podia efetuar
milagres.
 Foi confrontado e exigido que ele provasse isso andando
sobre as chamas.
 O “julgamento pelo fogo”, o primeiro em 400 anos, foi
marcado, porém não ocorreu por adiamentos forçados e um
temporal.
 Culpado pelo povo, caiu em desgraça.
 A Catedral de São Marcos foi atacada, e ele e seus dois
principais assessores, foram presos, julgado e condenado.
 Sob tortura, confessou que suas visões eram falsas, e acabou
sendo enforcado e tendo seu corpo queimado, com suas
cinzas sendo jogadas no rio Arno.
CAUSAS DA REFORMA

Papa Leão X Martinho Lutero


 Novas interpretações da Bíblia - com a difusão da imprensa um
maior número de pessoas passaram a ler a Bíblia.

 Corrupção do clero a prática da simonia (venda de objetos


santos: espinhos, objetos pessoais de santos...) e a venda de
indulgências (carta emitida pela igreja que dava perdão aos
mortos e vivos: claro que mediante um pagamento)

 Crítica à moral dos padres - muitos eram envolvidos em


escândalos amorosos, bebiam, vendiam os sacramentos, etc...

 Sentimento nacionalista - com o fortalecimento das monarquias


nacionais, os reis passaram a encarar a Igreja, que tinha sede em
Roma e utilizava o latim, como entidade estrangeira que interferia
em seus países.
REFORMA PROTESTANTE

MARTINHO LUTERO (1483 – 1546)


 Monge agostiniano (Erfurt, 1505).
 “O justo viverá pela fé” - Rm 1.17.
 31 de outubro de 1517 - 95 teses na porta da
Capela de Wittenberg – contra as
indulgências papais (Alemanha).
 1521 – excomungado pela igreja de Roma
Wittenberg e Igreja do Castelo
Ulrico Zuínglio - Suíça (1484-1531)

 1484 - Nasce em Wildhaus.


 1516 - Lê o Novo Testamento traduzido por
Erasmo.
 1518 - É nomeado sacerdote da catedral de
Zurique. Torna-se afamado pregador bíblico.
 1522 - Questiona o jejum da quaresma e o
celibato clerical; abandona o sacerdócio
e torna-se pastor evangélico.
 “pai do protestantismo reformado”
João Calvino (1509-1564)

 Com a morte precoce de Zuínglio, o


movimento reformado passou à liderança
de João Calvino.
 1509 - Calvino nasce em Noyon, no
nordeste da França. Seus pais são Gérard
Cauvin e Jeanne Le Franc.
 1523 - Estuda humanidades e teologia em
Paris.
 Bíblia é a fonte da fé.
 Salvação pela fé e predestinação
OS PROTESTANTES PELA EUROPA
 Expansão:

 França – Huguenotes

 Inglaterra – Puritanos

 Escócia – Presbiterianos (John Knox)

 Suíça e Países Baixos – Reformados (Confissão


de Fé)

 Estados Unidos – Puritanos


OS PROTESTANTES NAS AMÉRICAS

 1726- início do despertamento nos EUA.


Missões presbiterianas pelo mundo;

 1859 - (12 de agosto) Ashbel


Green Simonton chega ao Brasil
 Em 1928 os missionários chegam a
Dourados
OS REFORMADORES

- Tudo que os Reformadores queriam é que a Igreja se


mantivesse fiel à Palavra de Deus

- Que mantivesse a pureza do Evangelho em sua


pregação e Vida;

- Calvino elaborou os ensinos básicos e fundamentais


da fé da Igreja na Pureza do Evangelho

- A Igreja hoje deve manter-se fiel no meio desta


Cultura decadente
PRINCIPAIS CONQUISTAS DA
REFORMA

 Liberdade de consciência

O livre exame das Escrituras

O Sacerdócio Universal dos crentes


Princípios dos reformadores

A Escritura: única regra de fé e prática (sola


Scriptura).
 Cristo como único mediador (solo Christo).
 Salvação pela graça, mediante a fé (sola
gratia e sola fides).

 Somente a Deus toda glória (soli Deo


Glória)
REFORMA HOJE

 A Necessidade de voltarmos aos princípios e


valores das Escrituras que motivaram a
Reforma constantemente:

Eclesia reformata reformanta semper


Igreja Reformada sempre se reformando!
REFORMA HOJE

- O Processo é dinâmico:

Dois Princípios:
a) O direito de juízo privado (liberdade de
consciência);
b) A religião é uma matéria também do coração
do homem. (não meramente ritos)
APRENDENDO COM OS
REFORMADORES

 Primeiramente, diante da
situação em que se vivia na
Pré Reforma e na Reforma
Protestante nós podemos
aprender que mesmo em
situações difíceis Deus tem
seu propósito em preservar o
Evangelho puro, e para isto
ele usa os seus servos;
APRENDENDO COM OS
REFORMADORES

 Outra questão que nos motiva hoje é


podermos perceber quão grande era a
convicção dos homens que Deus usou
antes, durante e depois da Reforma
Protestante; Huss, Wycliffe, Lutero, Calvino,
Zuínglio, Melanchthon, John Knox, Ernest e
outros menos conhecidos... uma convicção
de fé genuína.

Você também pode gostar