Você está na página 1de 33

| 

    


| 
     

] 

1. Apresentação do Caso
2. Contextualização Teórica
3. Urostomia
3.1 Cuidados a ter com a pele
3.2 Cuidados relativos:
3.2.1 Ao vestuário
3.2.2 Á dieta
3.3 Complicações da urostomia
4. O papel do enfermeiro estomaterapeuta no urostomizado
5. Plano de cuidados
Bibliografia
| 
     

   

A nossa entrevista foi realizada no Hospital ao senhor A., de 77 anos,


reformado e que vive com a sua esposa. Inicialmente, foi-lhe diagnosticado
um cancro na próstata, sendo esta posteriormente retirada. Após esta
cirurgia, o senhor A. revelou novos problemas de saúde, nomeadamente a
presença de sangue na urina e dor a urinar.

Exames complementares levaram a pensar que seriam pólipos na bexiga,


porém, durante a operação para a retirada destes, observou-se que era
um tumor na bexiga, o que levou a que esta fosse totalmente removida,
pela técnica cirúrgica de cistectomia radical, sendo necessária a realização
de uma derivação urinária, que neste caso levou a uma urostomia com
conduto ileal.
| 
     

   

Esta transição foi problemática para o senhor A. a nível emocional e


psicológico, embora a nível físico não tenha tido complicações no pós-
operatório. Ele revelou sentimentos como desamparo e humilhação: ´Senti-
me abalado, humilhado, um farrapo, é indescritível!µ.

Esta transição foi dificultada pela imprevisibilidade da operação uma vez


que ainda não se sabia da existência do cancro pelo que não houve a
possibilidade de preparação para a mudança. O senhor A. acorda da
operação com uma urostomia, algo que lhe é desconhecido: ´Tinha
conhecimento de ostomias mas de urostomias nunca tinha ouvido falar.µ;
´Foi um choque quando soube!µ; ´Foi um trauma!µ.
| 
     

   

A sua vida quotidiana também se alterou. O senhor A. refere não sentir-se


motivado para interagir socialmente, pelo que se isola em casa, juntamente
com a esposa. Refere que, hoje em dia, não faz grandes esforços com medo de
provocar alguma complicação no estoma. A sua grande preocupação não se
prende ao estoma mas sim à ausência da bexiga: ´(«)tenho medo de
complicações que possam surgir, não pelo estoma mas sim porque não tenho
bexiga.µ.

Embora tenha sido um choque após a cirurgia, o senhor A. teve sempre o apoio
do cirurgião, em quem confiava bastante, da médica de família, da enfermeira
estomaterapêuta e acima de tudo da sua esposa. Foi ela que o ajudou, e ajuda,
na transição para a vivência com o estoma e nos cuidados com o mesmo.

Embora o senhor A. consiga executar quase todo o seu auto-cuidado, expressa


dificuldade na colocação e remoção da placa e no corte dos pelos da pele peri-
estomal, actividade esta realizada pela esposa. O seu autocuidado é, assim,
feito em parceria.
| 
     

   

:a sala de enfermagem em que se realizou a consulta de estomaterapia,


pudemos observar a enfermeira estomaterapeuta a trocar a placa do senhor
A o que nos permitiu reconhecer, através da identificação da enfermeira, que
a placa se encontrava deteriorada e corroída, possivelmente pelo aumento
da acidez da urina, no entanto, ela ainda se encontrava no segundo dia de
utilização.

Segundo a literatura sabemos que a limpeza deste deve ser feita apenas com
água e sabonete, enquanto que o senhor A. utilizava soro fisiológico. Após a
realização da entrevista e respectiva análise, chegamos à conclusão que o
paciente possuía um conhecimento insuficiente relativo ao seu auto-cuidado.
| 
     

   

Em síntese, o nosso paciente ainda está a tentar adaptar-se à sua nova


realidade, vivenciando muitas dificuldades a nível emocional, psicológico, de
interacção social, défice no auto-cuidado, alteração do auto-conceito e sentindo-
se pouco informado sobre as repercussões que a urostomia podem causar na sua
homeostasia orgânica.

É nestas alterações que o nosso plano de cuidados se vai basear de modo a


promover a adaptação do Senhor A à nova realidade facilitando este processo
de transição e assim restabelecer o seu bem-estar físico, psicológico, emocional e
social.
| 
     

 
 

Estomaterapia

Ciência dos conhecimentos técnicos e princípios de ´relação de ajudaµ


que permitem apoiar a pessoa com ostomia no seu processo adaptativo
à situação de transição que está a vivenciar.

Ostomia:

´Orifício criado por intervenção cirúrgica, com a finalidade de obter uma


comunicação ´artificialµ entre um órgão interno e a superfície cutânea, para
ventilar, eliminar os produtos do organismo ou ainda para introduzir no
organismo alimentos ou medicamentos. A abertura criada pela ostomia, é
designada de estomaµ (Bastos, 2006)
| 
     

 
 
Tipos de Ostomia

As ostomias classificam-se segundo:


 A função:
1. Ventilação
Ex.: traqueotomias, laringectomias.
2. Alimentação
Ex.: gastrostomias, jejunostomias.
3. Eliminação
Ex.: colostomias, ileostomias, urostomias.
 A permanência:
Temporárias
Ex.: inflamação intestinal, obstrução ou traumatismo.
Definitivas
| 
     

 
 

Tipos de Ostomia Cont.

As ostomias classificam-se segundo:


 Xrgão implicado:
1. Ostomias de ventilação
Ex.: traqueostomias, laringectomias
2. Ostomias digestivas
Ex.: gastrostomias, jejunostomias, colostomias, ileostomias
3. Ostomias urinárias
Ex: nefrostomias, ureterostomias, cistostomias.
| 
     

 
 

Urostomia
 :as ostomias urinárias, a bexiga é retirada e unem-se os uréteres a um
pedaço de intestino que por sua vez se liga à pele do abdómen.
 Também, pode acontecer que os uréteres sejam ligados directamente à
pele ou que um uréter seja ligado ao outro.
 Motivadores da implementação de uma Urostomia:

Cancro;
Terapia com radiação;
Deficiências congénitas;
Traumas na medula espinal;
Efeitos pós-tortura;
Incontinência urinária;
Alterações neurológicas.
| 
     

 
 

Sintomatologia
Sintomas típicos do cancro da bexiga:

Presença de sangue na urina;


Micções frequentes;
Ardor ao urinar ou incontinência;
Fadiga;
Perda de peso;
Pernas inchadas.
| 
     



Uma urostomia é uma abertura criada cirurgicamente, no abdómen, que


permite que a urina escoe para fora do corpo. A urostomia também pode
ser designada por desvio urinário. (Hollister, 1996)
| 
     

   

Cuidados à pele

 A pele peri-estomal deve-se manter íntegra e limpa, mantendo-se


confortável;
 :o mercado produtos destinados a proteger a pele peri-estomal, cuja
função é formar uma barreira cutânea, evitando assim o contacto
com a urina;
 Um estoma sem problemas deverá apresentar o seguinte aspecto:
 Coloração forte ou vermelho vivo;
 Aspecto brilhante e com formato regular;
 Sem edema, ulceração ou nódulos na mucosa;
 Sem sinal de hemorragia.
| 
     



Limpeza da pele peri-estomal

Removem-se algumas Limpa-se a pele


mucosidades existentes circundante com um
com papel higiénico toalhete embebido em
macio água e sabão

Seca-se a pele através


de compressão e
nunca por fricção
| 
     



Limpeza do Estoma

É lavado com água


tépida, canalizada e com Seca-se a pele através de
o auxilio de uma esponja compressão e nunca por
embebida em sabão fricção.
neutro.
| 
     



Cuidados à Pele

 Todo o urostomizado deve e pode tomar banho, pois a água e o sabão


não entram nem ferem a urostomia.

 Os pêlos à volta da urostomia deverão ser cortados com uma tesoura, e o


ostomizado poderá pedir à família ajuda utilizando uma lâmina de
barbear e rapando no sentido do crescimento do pêlo.

 :unca devem ser aplicados perfumes, cremes depilatórios,


desodorizantes, álcool, acetona, tinturas, iodo, cremes, salvo indicação da
enfermeira.
| 
     

       

Vestuário
| 
     

       

 Ë partida não haverá motivos para alterar o seu guarda-roupa;


 :ão pressionar o estoma com cintos ou calças;
 Recomenda-se o uso de roupa mais alta na praia para quem quer
esconder o saco;
 Padrões também ajudam a disfarçar a sua presença;
 As pessoas devem sempre adoptar o estilo que lhe seja mais confortável e
que se sintam melhor.
 o nosso entrevistado, também não sentiu necessidade de alterar a sua
roupa após a cirurgia, apenas referiu cuidados com o cinto, para não se
encontrar em cima do estoma.
| 
     

        

Alimentação
 Em geral não existe muitas restrições;
 ´tentativa por erroµ;
 O sumo de oxicoco (zimbro), o iogurte ou o leitelho ajudam a combater
o odor da urina;
 Deverão evitar os espargos que produzem um odor muito acentuado da
urina;
 Aumento do padrão de ingestão de líquidos, para no mínimo dois litros
por dia.
| 
     

        

 Tendo em conta o nosso utente, não necessitou de muitas alterações


alimentares pois sempre foi adepto de uma alimentação saudavel;
| 
     

      

:uma situação de urgência, o doente não tem a oportunidade de se mentalizar


do procedimento, não poderá decidir em conjunto com a estomaterapeuta o
local da ostomia nem poderá beneficiar dos conhecimentos acerca do que lhe vai
acontecer previamente à cirurgia.

Existem algumas complicações físicas no pós-operatório que estão muitas vezes


relacionadas com o local escolhido para a urostomia, o material utilizado ou
mesmo com os cuidados de higiene à urostomia que, como vimos, são essenciais
para a garantia de uma boa adaptação à ostomia sem complicações.

Além da técnica cirúrgica bem executada, os cuidados da urostomia e da pele à


volta da ostomia são aspectos fundamentais para o bom funcionamento da
mesma e diminuição das complicações. Estas complicações podem ser, por um
lado, na ostomia, e por outro lado na pele circundante à urostomia.
| 
     

      

Os problemas com a pele periostomal incluem eritema e irritação devido à


urostomia ser uma ostomia húmida, isto é, expõe a pele circundante ao produto
drenado, neste caso a urina. Esta torna-se agressiva para a pele porque a expõe
a uma humidade constante e, dependendo da composição química, a urina pode
alterar o ambiente ácido da pele, rompendo o equilíbrio existente. A alcalinidade
aumenta a capacidade irritativa da urina, alimentando um ciclo vicioso que
termina numa maior frequência de complicações locais, como as lesões irritativas
dérmicas, ulcerações e estenoses das ostomias, com agravamento da qualidade
de vida dos urostomizados.

Podem ainda ocorrer infecções por cândida, dermatite alérgica e lesões


pseudoverrucosas.

De entre as várias complicações que podem surgir no estoma encontram-se mais
frequentemente as hemorragias, estenoses ou hérnias, a infecção do local do
estoma.
| 
     

      

É importante capacitar o cliente de informações que possam ser úteis para


identificar estas complicações, mas é também igualmente importante tranquilizar
o doente relativamente a certas situações que possam surgir como é o exemplo
da hemorragia que pode ser normal quando o doente faz os seus cuidados de
higiene ao estoma.

Os profissionais devem estar atentos aos menores sinais de complicações, pois
esses indicam a assistência a ser prestada. Observou-se que uma complicação
pode acarretar outras, como podemos constatar no exemplo da retracção do
estoma que pode proporcionar a dermatite, tornando-se um ciclo vicioso.

:este sentido, torna-se importante capacitar os doentes da informação


necessária para conseguirem evitar e identificar os primeiros sinais de complicação
de modo a recorrerem o mais rapidamente possível à consulta de estomaterapia
com o objectivo de evitar complicações ou, se presente, evitar o avanço da
mesma.
| 
     

O Papel do Enfermeiro Estomaterapeuta no


Urostomizado

A realização de uma ostomia, independentemente da sua função, é


sempre sentida como uma agressão violenta à identidade do indivíduo,
à sua auto-estima e à sua imagem corporal, sendo um caminho difícil
de percorrer até se atingir uma plena adaptação.
(SIMÕES, 2002)

A urostomia tem um grande impacto na vida da pessoa quer a nível:

Fisiológico:´Emagreci muito (...) estava sempre cansadoµ, Sr.A.


Psicológico: ´Foi um trauma!µ, Sr.A.
Emocional:´Senti-me abalado, humilhado, um farrapo, é indescritívelµ, Sr.A.
Social:´Gosto de ficar em casa (...)µ, Sr.A.
| 
     

Impacto Pessoa Ostomizada


com a
notícia

Qualidade de Vida
Papel

Crise de Identidade Adaptação


Re-estruturação

Auto-Estima Imagem Corporal


Suporte Familiar Atendimento
Profissional
Personalizado
A minha esposa
é o meu grande
apoio!, Sr.A Estou muito grato às
enfermeiras, ajudaram-
me bastante!,Sr.A
| 
     

O Papel do Enfermeiro Estomaterapeuta no


Urostomizado

A situação de perda de um órgão (bexiga) e consequente privação do


controlo urinário (incontinência) pode gerar sentimentos de perda de auto-
estima, auto-imagem, auto-conceito, imagem corporal, conceitos estes que
se incluem no significado de identidade pessoal (´Ás vezes sinto-me um
bicho!µ, Sr.A). (CASCAIS e MARTI:I, 2007)

O Enfermeiro tem um papel fundamental na adaptação à nova situação


de urostomizado ´(...) transformando o estranho em algo familiar,
ancorando conceitos e contribuindo para a construção e re-construção de
novos significados, numa acção modificadora do outro e de si mesmo.µ
(SA:TOS e SAWAIA, 2000)
| 
     

O Papel do Enfermeiro Estomaterapeuta no


Urostomizado

Revela-se fundamental que o enfermeiro estomaterapeuta compreenda as


alterações que decorrem na vida da pessoa ostomizada e como ela vivencia
todo este processo de modo a que o enfermeiro seja capaz de intervir e
assim dar um apoio mais efectivo na prestação de cuidados de saúde, com o
intuito de facilitar a adaptação da pessoa ao estoma e melhorar a
qualidade de vida da mesma.
| 
     

Plano de Cuidados
±     
 
    
    

 Solicitar a parceria de
cuidados com um psicólogo
de modo a ajudar o Sr.A no
processo de reconstrução de
significados relativos ao  Reconstrução da
 ´Senti-me ´estar ostomizadoµ. Identidade Pessoal.
abalado,  Promover o contacto com  Verbalização de
humilhado, um Comprometimento pessoas ostomizadas. sentimentos de auto-
Identidade
farrapo, é da Identidade  Incentivar o contacto com a estima, imagem
Pessoal
indescritível.µ Pessoal Associação Portuguesa dos corporal, auto-
 ´Ás vezes sinto- Ostomizados. imagem, bem estar
me um bicho!µ  Incentivar a procura de físico, psicológico,
apoio emocional nos espiritual e social.
amigos, esposa e familiares.
 Promoção de estratégias de
coping facilitadoras da
adaptação.
| 
     

Plano de Cuidados

±     
 
    
    


 A enfermeira
estomaterapeut
 Instruir sobre o
a referiu que a
Autocuidado ao Estoma  Integridade dos
placa Risco de
e à pele peri-estomal. Tecidos: Pele e
Integridade encontrava-se comprometimento
 Instruir sobre as Mucosas.
dos Tecidos corruída (er a o da Integridade dos
complicações, sinais e  Conhecimento sobre a
2º dia da placa Tecidos
sintomas que advém da saúde.
e a mudança é
pele não íntegra.
feita de 3 em 3
dias).
| 
     

Plano de Cuidados

±     
 
    
    

 Encorajar o senhor A a ter
actividades fora de casa;
 Encorajar o senhor A. a
 Espera-se que o senhor
 Gosto de ficar em actividades sociais e
A. com as actividades
casa com a minha comunitárias;
sociais consiga
esposa.µ; ´Sinto-me Socialização  Advogar os benefícios da
Socialização desenvolver
desmotivado para Comprometida socialização;
estratégias para uma
sair e ter actividades  Aconselhar actividades fora
melhor transição
fora de casa.µ de casa:
saúde/doença.
 Oferecer feedback sobre a
melhoria dos cuidados com a
aparência pessoal;
| 
     

Plano de Cuidados

±     
 
    
    


 O Sr.Agostinho
demonstrou
 Informar sobre o processo da
insegurança
doença.  O Senhor A não
perante o futuro.
 Explicar a fisiopatologia da apresenta mais esta
Tem medo das
Crença Crença errónea doença e como ela se crença.
complicações que
errónea actual relaciona à anatomia e à  O Senhor A apresenta
possam surgir, não
fisiologia. segurança face ao
pela ostomia, mas
 Explicar efeitos relacionados futuro.
pelo facto de não
com a ausência da bexiga.
possuir mais a
bexiga.
| 
     

Plano de Cuidados
±     
 
    
    


 Conhecimento e
Autocuidad  O senhor A. referiu  Explicar técnica de higiene
execução de técnica de
o cuidar da que realiza higiene Autocuidado do estoma.
higiene ao estoma
higiene do estoma com comprometido  Demonstrar técnica de
correcta por parte do
pessoal soro fisiológico. higiene ao estoma.
senhor A.

 O senhor A.
 Educar sobre quando mudar  Que o utente conheça
apresentava placa
a placa. os sinais de
deteriorada,
Autocuidad Autocuidado  Educar sobre os sinais de deterioração da placa,
revelando pouco
o comprometido deterioração da placa. para que o
conhecimento
 Avaliar conhecimento sobre autocuidado seja
acerca da
quando mudar a placa. eficiente.
mudança desta.