Você está na página 1de 25

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO LUSÍADA DE BENGUELA

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E TECNOLÓGICAS


CURSO DE INFORMÁTICA
INSTALAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DE REDES

CAPÍTULO 4- DISPOSITIVOS DAS REDES LOCAIS

Ano Lectivo 2020


Professor: José Antunes Bastos Cameira
1
CAPÍTULO 4 – DISPOSITIVOS ACTIVOS DA REDE LOCAL
Conteúdo
CAPÍTULO 4 – DISPOSITIVOS ACTIVOS DA REDE LOCAL
4.1 NIC (Placa de Rede)
4.2 Hub e Switch
4.3 Roteador
4.4 MODEM

2
CAPÍTULO 4 –DISPOSITIVOS ACTIVOS DA REDE LOCAL
Objectivos

• Compreender os dispositivos activos das redes.


• Entender o funcionamento de cada dispositivo activo da rede.

3
CAPÍTULO 4 –DISPOSITIVOS ACTIVOS DA REDE LOCAL
Introdução

• Para que as informações trafeguem por uma rede local de computadores,


além dos cabos, conectores e sistemas operacionais, é necessário que
sejam instalados os chamados dispositivos activos da rede:
1. NIC (Placa de Rede) - (Network Interface Card)
2. Hub
3. Switch
4. Roteador
5. Modem
6. PIX - Firewall

4
CAPÍTULO 4 –DISPOSITIVOS ACTIVOS DA REDE LOCAL
4.1 NIC (Placa de Rede)

• Uma NIC (Network Interface Card) é a comumente chamada Placa de


Rede.
• A NIC é a responsável por fazer a interface entre um host (computador,
impressora, etc) e o cabo de rede.
• As NIC’s podem ser, no caso dos computadores, on-board ou off-board.
1. Uma NIC on-board é aquela cujo circuito está integrado à placa-mãe
do computador,
2. A off-board é aquela que é encaixada em um dos slots (a figura
seguinte mostra uma NIC off-board).

5
CAPÍTULO 4 –DISPOSITIVOS ACTIVOS DA REDE LOCAL
4.1 NIC (Placa de Rede)

• A NIC deve ser compatível com a tecnologia de rede a ser usada (Ethernet,
Fast-Ethernet, Gigabit-Ethernet, ATM, etc) e também com a mídia a ser usada
(par trançado e/ou fibra óptica).

Fig 1- NIC com conector para cabos de par trançado (RJ-45).

Fig 2- NIC com conector óptico.


6
CAPÍTULO 4 –DISPOSITIVOS ACTIVOS DA REDE LOCAL
4.1 NIC (Placa de Rede) . Endereço MAC, Media Access Control.

• O endereço MAC é o número de série exclusivo gravado em cada


adaptador de rede ( NIC) que diferencia a placa de rede de todas as
outras, assim como o número da sua casa é único na sua rua e identifica
sua casa de todas as outras.
• Para fazer parte de qualquer rede, você deve ter um endereço para que
outras pessoas possam entrar em contacto com você.
• Dois tipos de endereços são encontrados em uma rede:
1. O lógico (modelo OSI Camada 3, rede) , ip address, 32 bits.
2. O físico (modelo OSI Camada 2, link de dados), MAC address, 48 bits.
• Para esta discussão dos ambientes da LAN, o endereço físico (também
conhecido como endereço MAC) é relevante.

7
CAPÍTULO 4 –DISPOSITIVOS ACTIVOS DA REDE LOCAL
4.1 NIC (Placa de Rede) . Endereço MAC, Media Acess Control.

• Um endereço MAC é o endereço físico do dispositivo. Tem 48 bits (6 bytes) de


comprimento e é composto de duas partes:
1. O OUI (Identificador Único Organizacional) e
2. O endereço designado pelo fornecedor, conforme ilustrado na Figura
abaixo.

Fig 3- Endereço MAC.


8
Figure 5-1. MAC Address

CAPÍTULO 4 –DISPOSITIVOS ACTIVOS DA REDE LOCAL


4.1 NIC (Placa de Rede) . Endereço MAC, Media Acess Control.

• O endereço MAC em um computador pode ser assim em hexadecimal:


00-08-a1-08-c8-13.
• O OUI é:
00-08-a1
• O número atribuído pelo fornecedor é:
08-c8-13
• A OUI é administrada pelo IEEE e identifica o fornecedor do adaptador de
rede.
• A parte do endereço MAC atribuída pelo fornecedor é apenas isso, o
identificador alfanumérico atribuído pelo fornecedor.
• É a combinação da OUI e o número atribuído pelo fornecedor que garante que
nenhum dos dois adaptadores de rede tenha o mesmo endereço MAC.

9
Figure 5-1. MAC Address

CAPÍTULO 4 –DISPOSITIVOS ACTIVOS DA REDE LOCAL


4.1 NIC (Placa de Rede) . Endereço MAC, Media Access Control.

• Os endereços MAC são representados como números hexadecimais


(hexadecimais).
• No sistema de numeração hexadecimal, cada meio byte (4 bits) recebe um
dígito hexadecimal, com seus equivalentes decimais e binários.
• Os valores hexadecimais são identificados com um h ou cifrão, portanto $
3E0, 3E0h e 3E0H representam o número hexadecimal 3E0.

10
CAPÍTULO 4 –DISPOSITIVOS ACTIVOS DA REDE LOCAL
4.1 Dispositivos Activos da rede local, LAN. NIC (Placa de Rede)

• Caso o sistema de cabeamento seja diferente da mídia existente na placa,


é possível utilizar um adaptador de mídia, que nada mais é do que um
dispositivo que permite a conversão entre diferentes mídias. Na figura a
seguir podemos observar um adaptador fibra óptica x par trançado.
• A instalação de uma NIC, hoje, é tarefa relativamente fácil, pois os
sistemas operacionais já possuem a grande maioria dos drivers (software
de instalação) das marcas mais conhecidas.

Fig 4- Adaptador fibra óptica x par trançado.


11
CAPÍTULO 4 –DISPOSITIVOS ACTIVOS DA REDE LOCAL
4.2 Hub e Switch

• Como já discutimos hoje as redes locais são estruturadas de acordo com a


topologia física em Estrela.
• Esta topologia prevê a existência de um dispositivo que concentre todos os
cabos provenientes dos hosts.

Fig 5- Hub com PC ligados .


12
CAPÍTULO 4 –DISPOSITIVOS ACTIVOS DA REDE LOCAL
4.2 Hub e Switch

• Até algum tempo atrás este dispositivo era o hub. O hub nada mais era do
que um concentrador que repetia em todas as portas todos os pacotes de
dados recebidos.
• O meio, portanto, era compartilhado entre todas as estações que
estivessem conectadas a ele, fazendo com que as colisões e a taxa real de
transmissão dos dados fossem as mesmas que uma rede com topologia
em barramento.
• A única real vantagem da utilização dos hubs sobre uma rede em
barramento era o facto de que o barramento ficava confinado dentro de
uma caixa, evitando o seu rompimento e, portanto, a interrupção do
funcionamento de toda a rede como discutimos no tópico sobre
barramento.

13
CAPÍTULO 4 –DISPOSITIVOS ACTIVOS DA REDE LOCAL
4.2 Hub e Switch

• Quando o switch foi desenvolvido, devido ao alto custo, seu uso era
restrito. Com sua popularização, o custo caiu e ele acabou por substituir
completamente os hubs .
• O switch (comutador) é um dispositivo utilizado para fazer o
encaminhamento dos pacotes de dados recebidos ao destino correcto.
• O segredo para que um switch consiga encaminhar o pacote
correctamente ao seu destino é o fato de que ele “lê” o seu endereço
MAC de destino.

Fig 5- Switches.
14
CAPÍTULO 4 –DISPOSITIVOS ACTIVOS DA REDE LOCAL
4.2 Hub e Switch

• Todo pacote de dados, quando colocado na rede em um quadro (frame),


contém o endereço MAC da placa de origem e de destino. O switch,
portanto, abre o quadro, lê o endereço MAC de destino, consulta sua
tabela interna, e encaminha à porta correcta.
• As vantagens do switch sobre o hub são o facto de não haver mais
colisões, como no barramento e hub’s, e também por utilizar a largura de
banda da rede de modo pleno.
• Como o meio não é compartilhado, e sim “chaveado”, é possível que
existam diversas comunicações simultâneas entre estações usando a
velocidade total da tecnologia. Estes dois factores aumentam
significativamente o desempenho de uma rede local.

15
CAPÍTULO 4 –DISPOSITIVOS ACTIVOS DA REDE LOCAL
4.2 Hub e Switch

• Os switches podem ser classificados como L2 ou L3 (layer 2 ou layer 3).


Estes layer’s (camadas) referem-se às camadas 2 (enlace) ou 3 (rede) do
modelo OSI.
• O mais comuns (L2) fazem uso do endereço MAC para encaminhar os
pacotes, enquanto os switches L3 utilizam o endereço IP, funcionando
praticamente como roteadores.
• Normalmente as redes usam switches L2.
• Os switches L3 são recomendados apenas para as grandes redes, com
necessidades especiais (como uso de VOIP, VLANs, etc) que podem
precisar de switches L3, principalmente no core da rede (podemos
entender o core da rede como sendo os switches principais, de
distribuição do backbone).

16
CAPÍTULO 4 –DISPOSITIVOS ACTIVOS DA REDE LOCAL
4.3 Routers, Roteadores.

• Roteadores são dispositivos cuja função é interligar redes diferentes, como


por exemplo, a rede local da sua casa ou empresa à Internet, ou então as
diversas filiais de uma empresa umas às outras.

Fig 5- Routers.

17
CAPÍTULO 4 –DISPOSITIVOS ACTIVOS DA REDE LOCAL
4.3 Routers, Roteadores.

• Como podemos observar na figura anterior, o roteador é quem faz a


interconexão da LAN (rede local) com a WAN (Internet).Fisicamente, o
roteador fica conectado ao switch, como outro host qualquer, e também
conectado ao modem da operadora.
• Porém, logicamente ele estará configurado com dois endereços IP: um IP
interno (da LAN) e um IP real (da Internet). Veremos estas configurações
durante as nossa aulas práticas.

Fig 6- As conexões típicas de um roteador.


18
CAPÍTULO 4 –DISPOSITIVOS ACTIVOS DA REDE LOCAL
4.3 Routers, Roteadores.

• Todos os computadores da rede usarão o endereço IP interno do roteador


como seu Gateway Padrão.
• O default gateway é aquele para onde um determinado pacote de dados
será encaminhado quando seu endereço IP de destino for um endereço
desconhecido da rede interna (LAN). Entenderemos melhor estes detalhes
quando estudarmos endereços IP.

Fig 7- Default Gateway. 19


CAPÍTULO 4 –DISPOSITIVOS ACTIVOS DA REDE LOCAL
4.3 Routers, Roteadores.

• Roteadores são dispositivos que executam software próprio, normalmente


baseado em Unix.
• Além disto, precisam executar protocolos de roteamento para que possam
decidir para onde devem encaminhar os pacotes de dados.
• Normalmente quando se contrata um link de WAN para a empresa, o
fornecedor deste serviço já entregará o roteador devidamente
configurado, não havendo necessidade de se conhecer os detalhes de sua
configuração.
• A configuração de roteadores corporativos é complexa, sendo que cada
fabricante dispõe de um software proprietário para executar a
configuração de seus dispositivos.
• Um dos maiores e mais conhecidos fabricantes de roteadores é a CISCO.

20
CAPÍTULO 4 –DISPOSITIVOS ACTIVOS DA REDE LOCAL
4.3 Modem (MOdulador / DEModulador)

• O Modem (MOdulador / DEModulador) é um dispositivo conversor de


sinais. Tem como função fazer a conversão dos sinais digitais provenientes
do roteador em sinais analógicos que podem ser transmitidos através das
linhas telefónicas convencionais.
• Os modem’s podem ser analógicos (utilizado em linhas telefónicas
convencionais) ou digitais. O processo de conversão dos sinais em um
modem analógico é chamado de modulação e o do modem digital é
chamado de codificação.
• Os modem’s digitais são mais simples e baratos que os analógicos, porém
só podem ser usados em redes metropolitanas de até 40 km ou em uma
LP (linha privada). Não podem ser utilizados em linhas telefónicas
discadas/convencionais.

21
CAPÍTULO 4 –DISPOSITIVOS ACTIVOS DA REDE LOCAL
4.3 Modem (MOdulador / DEModulador)

• A figura anterior mostra como é realizada a conexão do modem e do


roteador. Observe que o modem é conectado à linha telefónica e ao
roteador (cabo V.35).
• O roteador está conectado à rede local (switch). A figura também mostra
um cabo console conectado ao roteador (utilizado para a configuração do
mesmo).

Fig 8- Modem.
22
CAPÍTULO 4 –DISPOSITIVOS ACTIVOS DA REDE LOCAL
4.3 Modem (MOdulador / DEModulador)

• A figura anterior mostra como é realizada a conexão do modem e do


roteador. Observe que o modem é conectado à linha telefónica e ao
roteador (cabo V.35).
• O roteador está conectado à rede local (switch). A figura também mostra
um cabo console conectado ao roteador (utilizado para a configuração do
mesmo).

23
CAPÍTULO 4 –DISPOSITIVOS ACTIVOS DA REDE LOCAL
Trabalhos – Entrega dia 24 de Maio de 2019

Grupo Trabalho

I Modelo OSI

II Modelo TCP/IP

24
2. Arquitecturas de Redes
2.10 Bibliografia

• TANENBAUM, Andrew S. Redes de Computadores. 4ªed.


• HALSALL, FRED. Computer Networking and the internet. 5ªed.
• STALLINGS, WILLIAM. Data and Computer Communications. 10ªed.

<<<Todos os livros disponíveis aos alunos>>

25

Você também pode gostar