Você está na página 1de 13

Simulação

Empresarial
Unidade 1
Tema 3
PODER

Professor Alexandre Fernandes Ferreira


Organização formal
• Organização formal refere-se à estrutura de relações profissionais
entre pessoas e ela é planejada no sentido de facilitar o alcance dos
objetivos globais da organização.

• Ela é deliberadamente planejada e formalmente instituída com a


intenção de organizar a corporação, em aspectos relacionados a
responsabilidade, autoridade, comunicação, e atribuição das
atividades.
Organização formal
Organização informal
• Organização informal refere-se à rede de relacionamentos e interações
que se desenvolve espontaneamente entre as pessoas que ocupam
posições na organização formal.

• Em outros termos, a organização informal é composta de sentimentos


de afeição ou rejeição entre pessoas, de atitudes favoráveis e
desfavoráveis em relação às práticas administrativas e de cooperação
ou hostilidade entre grupos.

• Envolve uma complicada trama de processos espontâneos que


pertencem ao campo comportamental e que surge, desenvolve e
predomina sobre as relações que teoricamente são formais.
Determinantes da estrutura organizacional

• A estrutura interna da empresa possui influências da cultura, as quais


determinam o clima organizacional. O comportamento dos funcionários é
essencial para alcançar os objetivos e, portanto, fazem parte da estrutura
organizacional.

• O desempenho de uma organização é reflexo da integração entre as


estratégias da empresa em relação aos objetivos e comportamento dos
funcionários.
Poder e autoridade nas
organizações
Poder

• O termo poder se originou do latim possum, que significa “ser capaz de”, e


é uma palavra que pode ser aplicada em diversas áreas.  Michel Foucault,
Max Weber e Pierre Bourdieu são alguns dos principais pesquisadores que
estudaram esse fenômeno.

• Poder é o direito de deliberar, de agir, de mandar e, dependendo do


contexto, é o direito de exercer sua autoridade, soberania, a posse de um
domínio, da influência ou da força.

• O poder é exercido por pessoas que, para isso, se valem de estruturas


organizacionais, estratégias, informações, objetivos e outros itens. Ele não é
uma relação de dependência pois só existirá poder se houver alguém sobre
o qual ele é exercido.
Tipos de poderes individuais dentro das
organizações
• Fontes de Poder:
• Poder legítimo;
• Poder de recompensa;
• Poder coercitivo;
• Poder de especialização ou competência;
• Poder de referência;
• Poder da informação.
Fontes de poderes individuais

Poder legítimo
• Diz respeito ao poder existente por direito, onde a autoridade tem por
obrigação e direito exercer influência.

• É um tipo de poder inerente à estrutura organizacional em si. Este poder é


atribuído a um indivíduo que ocupa uma função específica dentro da
organização. Envolve a compreensão de hierarquia. Exemplo: diretor
executivo, gerente setorial.

• Baseia-se nas normas, nos valores e na crença de que certos indivíduos


possuem direito legítimo de governar ou de influenciar os outros.

• Desde a infância, as pessoas aprendem a aceitar ordens de figuras com


poder: primeiro os pais, depois os professores e, por fim, os chefes.
Fontes de poderes individuais
Poder de recompensa
• Assim como no tipo de poder anterior, este também é inerente à estrutura
organizacional em si. O indivíduo exerce influência sobre os subordinados
pela possibilidade de receberem recompensas de acordo com o seu
desempenho no trabalho.

• Baseia-se na capacidade para alocar (ou dispor) resultados


recompensadores - seja pelo recebimento de coisas positivas ou a
eliminação de coisas negativas. Exemplos: elogios, promoções, aumentos,
status.

• Os gestores influenciam o comportamento de seus subordinados por meio


de recompensas (uma variedade delas).
Fontes de poderes individuais
Poder coercitivo
• Também é inerente à estrutura organizacional em si. Está relacionado com
as habilidades do gerente em punir um subordinado - se utiliza da
coerção e da submissão.
• Cabe destacar que a punição ou a simples ameaça de punição não
promovem o desempenho desejado, apenas intimida e inibe ações
indesejadas.

• O poder coercitivo explora o medo e focaliza os resultados indesejáveis.


Para influenciar o comportamento dos subordinados, os superiores
recorrem à punições como: repreensões públicas, designação para tarefas
indesejáveis, descontos no pagamento, advertência, suspensão, entre
outros.
Fontes de poderes individuais
Poder de especialização ou competência
• Está relacionado às habilidades pessoais (inerente à estrutura
organizacional ou não). Deriva dos talentos especiais, do conhecimento, das
habilidades, da educação avançada e da experiência de um indivíduo. E
esses talentos concedem poder ao indivíduo, pois a organização precisa
deles e os valoriza.

• Pessoas que são vistas como especialistas em uma determinada área


podem influenciar as outras fornecendo-lhes conhecimento ou esperando
conformidade com seus desejos.
Fontes de poderes individuais
Poder de referência ou carismático
• É o poder de influenciar o outro pela força do seu carisma pessoal ou por
características pessoais que são admiradas e que servem como referência.
Tem por base a identificação com o outro e o desejo de ser semelhante ao
outro.

Poder da informação
• É o poder que deriva da posse de informações importantes, em
momentos críticos, para o funcionamento da organização. Pode não estar
relacionada à posição hierárquica que o indivíduo assume na estrutura
organizacional.

Você também pode gostar