Você está na página 1de 18

Hipertensão

Hipertensão
.
Hipertensão
 A Hipertensão Arterial, mais
conhecida como “Pressão
Alta”, pode ser encarada
como uma doença ou como
um fator de risco para o
desenvolvimento de doenças
do coração, pois, na grande
maioria das vezes, não
provoca sintomas ou os
sintomas são gerais (podem
ocorrer em qualquer
doença), como dores de
cabeça, tonturas, mal estar...
 
Hipertensão
 Crise hipertensiva é a elevação, repentina, rápida,
severa, inapropriada e sintomática da pressão arterial,
em pessoa normotensa ou hipertensa. Os órgãos alvo
da crise hipertensiva são: os olhos, rins, coração e
cérebro.
 A crise hipertensiva apresenta sinais e sintomas
agudos de intensidade severa e grave com
possibilidades de deterioração rápida dos órgãos alvo.
Pode haver risco de vida potencial e imediato, pois os
níveis tensionais estarão muito elevados, superiores a
110 mmHg de pressão arterial diastólica ou mínima.
Como se Desenvolve
 A pressão arterial (PA) é igual ao volume de sangue (VS)
que sai do coração vezes a resistência periférica que ele
encontra ao circular pelo nosso organismo (PA= VS x RP).
 O volume de sangue que sai do coração não sofre
grandes influências, a não ser em casos especiais de
falência do órgão ou excesso de volume sangüíneo
circulante. Assim, a maioria dos casos de hipertensão
ocorre por alteração da resistência periférica.
 O aumento repentino da resistência periférica ocorre pela
falta de regulação neurodinâmica dos mecanismos que
regulam a pressão arterial.
Diagnóstico da Hipertensão Arterial
 O diagnóstico da hipertensão arterial é estabelecido pelo
encontro de níveis tensionais acima dos limites
superiores da normalidade (140/90mmHg) quando a
pressão arterial é determinada através de metodologia
adequada e em condições apropriadas.
Sinais e Sintomas
 A crise é acompanhada de sinais e sintomas em outros
órgãos.
 No rim, surge hematúria, proteinúria e edema.
 No sistema cardiovascular, falta de ar, dor no peito,
angina, infarto, arritmias e edema agudo de pulmão.
 No sistema nervoso, acidente vascular do tipo isquêmico
ou hemorrágico, com convulsões, dificuldade da fala e
da movimentação.
 Na visão, borramento, hemorragias e edema de fundo
de olho.
Procedimentos
 Quando for medir sua pressão, esteja certo de:
 Não estar com a bexiga cheia;
 Não ter praticado exercícios físicos;
 Não ter ingerido bebidas alcoólicas, café, alimentos, ou ter
fumado até 30 minutos antes da medida;
 Ter descansado por 5 a 10 minutos, sentado em ambiente
calmo e com temperatura agradável;
 Relaxar bem o braço;
 Não falar durante o procedimento

 OBS: Toda pessoa que controla sua pressão arterial deve


fazê-lo ao menos mensalmente e, de 6 em 6 meses,
consultar-se com seu médico para checar a medicação.
 
O que se sente?

 A crise hipertensiva inicia repentinamente e a pessoa


pode apresentar:
sensação de mal-estar ansiedade e agitação cefaléia
severa tontura borramento da visão dor no peito tosse e
falta de ar
Exame Físico:
No exame físico, devem constar:

 No exame físico, devem constar:


 A medida do Índice de Massa Corporal (IMC =
peso/[altura]²), pois o sobrepeso e a obesidade podem
ser causas secundárias de hipertensão arterial;
 A medida da pressão arterial duas ou mais vezes. Em
maiores de 65 anos deve ser medida sentado e em pé;
 O exame de fundo de olho. O encontro de lesões
oculares requer maiores cuidados no tratamento;
 Procura de sopros carotídeos (ausculta do pescoço) e de
sopros abdominais e inguinais;
 Ausculta cardíaca;
 Exame neurológico sumário.
Exames Complementares
Devem ser realizados ao menos uma vez ao ano e sua freqüência
será estabelecida de acordo com os resultados. São eles:

 Urina simples;
 Glicemia de jejum;
 Sódio e potássio;
 Creatinina;
 Colesterol total, HDL e Triglicérides;
 Hemograma;
 Eletrocardiograma de repouso.
Tratamento e Fatores de Risco
 Tratamento  Fatores de Risco Maiores
 O tratamento vai depender  tabagismo
não somente dos níveis de  dislipidemia
pressão arterial, mas também  diabetes mellitus
da co-existência de fatores de
risco e de lesões em outros  idade acima de 60 anos
órgãos do corpo.  sexo: homens ou mulheres
  pós-menopausa
 história familiar de doença
cardiovascular em mulheres
com menos de 65 anos e em
homens com menos de 55
anos.
Hipertensão
Lesão em Órgãos-alvo ou Doenças
Cardiovasculares
 Doenças Cardíacas:
 Hipertrofia ventricular esquerda
 Angina ou infarto do miocárdio prévio
 Revascularização miocárdica prévia
 Insuficiência cardíaca
 Episódio isquêmico ou acidente vascular cerebral
 Neufropatia
 Doença vascular arterial periférica
 Retinopatia hipertensiva
Dicas de alimentação adequada
  01)Controlar ou manter o peso corporal em níveis adequados; 
 02)Frutas com menor índice glicêmico como a maçã e a pêra, de
preferência com casca, são importantes para o diabético; 
 03)O uso de adoçantes naturais como estévia é indicado ao diabético.
No caso do hipertenso, deve-se evitar os adoçantes com ciclamato e
sacarina sódica; 
 04)A aveia é um alimento indicado ao diabético, desde que consumida
com moderação; 
 05)Fracionar as refeições é um cuidado para ser tomado por todos, mas,
principalmente pelo diabético. O nutricionista poderá orientá-lo sobre
isto; 
 06)Reduzir a quantidade de sal. Retirar o saleiro da mesa e aproveitar o
sabor natural dos alimentos; 
 07)Evitar embutidos, conservas, enlatados, defumados;  
Dicas de alimentação adequada
 07)Evitar embutidos, conservas, enlatados, defumados;  
 08)Evitar o consumo de bebida alcoólica
 09)Não usar açúcar (em caso de diabéticos); 
 10)Optar por carboidratos integrais (arroz, macarrão,
pão); 
 11)Dar preferência a alimentos assados, grelhados ou
assados, evitando a fritura; 
 12)Ler sempre o rótulo dos alimentos industrializados
evitando sódio e cloreto de sódio; 
 13)Utilizar ricos em potássio, por serem natriuréticos
como: inhame, feijão preto, abóbora, cenoura,mamão,
espinafre, maracujá, laranja; 
 14)Incluir também alimentos rico em magnésio por serem
vasodilatadores como amêndoas, pão integral, nozes,
couve, gérmen de trigo;
Dicas de alimentação adequada
 15)Evitar bebidas estimulantes como chá-preto, refrigerantes a base de
cola, capuccino, café, chá mate; 
 16)Comer em horários regulares e beber muita água, mas nunca
durante as refeições, esperando pelo menos 30 minutos depois ou
tomando 30 minutos antes;  
 17)Fazer uso de temperos naturais para tornar os alimentos mais
saborosos: salsa, cebolinha, coentro, alecrim, sálvia, manjerição, louro; 
 18)Consumir o leite desnatado, queijos brancos, margarina light,
requeijão light, cream cheese ligth e seus derivados; 
 19)Pessoas com hipertensão arterial, também podem ter uma boa
alimentação, e uma vida normal.
OBS: Não esquecendo que os medicamentos em vários casos são essenciais para manutenção da
pressão em patamares normais. Por isto, o controle médico regular é fundamental.As consultas
regulares ao nutricionista são muito importantes, porque este profissional é capaz de determinar
as quantidades exatas dos alimentos de cada grupo que cada individuo deve comer. O diabético
e o hipertenso que seguem a dieta prescrita tem menor chance de apresentarem as
complicações tardias.
OBRIGADO

Você também pode gostar