Você está na página 1de 12

CURSO DE PEDAGOGIA

Orientação, Supervisão Escolar


e Prática Pedagógica

Profa. Jaqueline Blanco


Orientação, Supervisão Escolar
e Prática Pedagógica – 100 H

EMENTA
Princípios e métodos da orientação educacional e supervisão
escolar. Contextualizar a construção da identidade da escola.
Trabalho coletivo. Coordenação, mediação, construção, execução e
avaliação da proposta pedagógica, em sintonia com o contexto
sociopolítico. A diversidade no ambiente escolar com alunos e
professores garantindo, assim, melhores condições para o ensino de
boa qualidade para todos e uma gestão mais democrática e
participativa. O processo de construção da identidade da escola
considerando a política educacional, a realidade dos alunos e do
entorno da escola. A elaboração da proposta pedagógica e o plano de
desenvolvimento da escola. O processo de construção de
indicadores de avaliação de aprendizagem. Supervisão da execução
da proposta pedagógica. Planejamento e execução da proposta
pedagógica e do plano curricular. Autonomia e assessoramento
pedagógico. Incentivar, apoiar e monitorar a reflexão sobre a sala de
aula, a prática didática e a avaliação do ensino e da aprendizagem.
Orientação, Supervisão Escolar
e Prática Pedagógica – 100 H

OBJETIVO GERAL

Compreender os princípios e métodos da orientação educacional e supervisão escolar,


estabelecendo um diálogo entre diferenciados contextos e campos de atuação destes
profissionais, numa perspectiva de trabalho coletivo e coordenação, atuando na mediação,
construção, execução e avaliação da proposta pedagógica, visando a garantia de um ensino de
qualidade mediante uma gestão democrática e participativa.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Contextualizar a trajetória do profissional da pedagogia até os dias atuais;


Reconhecer a gestão escolar sob uma nova perspectiva;
Identificar o papel do pedagogo no contexto da gestão democrática;
Discutir a gestão pedagógica como mediação para a transformação e desenvolvimento da
escola e dos sujeitos nela inseridos;
Reconhecer a importância do projeto pedagógico para o desenvolvimento da educação.
Orientação, Supervisão Escolar
e Prática Pedagógica – 100 H

PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS
O processo de apropriação e construção de conhecimentos requer espaços
para a reflexão, o estudo, o debate, a elaboração e re-elaboração no sentido
de fortalecer a autonomia dos sujeitos envolvidos no mesmo, sem
comprometer a consolidação de posturas e práticas solidárias e coletivas.
A partir deste pressuposto, poderá ser adotado as seguintes dinâmicas:

• Aulas expositivas dialogadas


• Estudos e elaborações individuais e em grupos
• Seminários
• Produção de murais ilustrativos
• Pesquisas
Orientação, Supervisão Escolar
e Prática Pedagógica – 100 H

PROCEDIMENTO AVALIATIVO

A Avaliação será realizada durante todo o processo de desenvolvimento das atividades


pedagógicas referentes à disciplina, onde será considerado o desempenho geral dos alunos
nas atividades propostas, individuais e/ou em grupo, envolvendo a participação efetiva ou
parcial; Produção oral e escrita; interesse e empenho no planejamento e execução das ações;
Criatividade na elaboração e apresentação de trabalhos; Domínio do conteúdo e sua
correlação e aplicabilidade nas atividades teórico-práticas a serem desenvolvidas pela
turma. Dar-se-á de forma contínua e processual numa perspectiva formativa e somativa.

PERÍODO DE AVALIAÇÃO

15/03: N1

10/05: N2

07/06: N3

20 A 24/06: Prova Final


Orientação, Supervisão Escolar
e Prática Pedagógica – 100 H

PLANO DE CURSO

CRONOGRAMA TURMA PLPT 21


 
DATA - 26/01/2016
AULA - 1
TÓPICOS / ATIVIDADES

Apresentação do Plano de Ensino e definição metodológica e dos critérios


de avaliação.
O papel do pedagogo e as contradições sociais, históricas e culturais. Aula
expositiva e dialogada com apresentação de slides.
Entrega do texto: Resolução - Exploração da resolução CNE/CP Nº 01/2006.
Orientação sobre Atividade Avaliativa N1.
O Papel do Pedagogo e as
Contradições Sociais Históricas
e Estruturais
Analisar a atuação do Pedagogo requer considerar:

Concepção de Gestão

Organização da Gestão
da Escola
Liderança Organizacional

Comprometimento

Responsabilidade
Coletiva
CONTINUAÇÃO

IDENTIDADE PROFISSIONAL: PEDAGOGO

SIGNIFICADO:

Educador Profissional da Pedagogia, tal como o Pedagogista,


capaz de atuar em espaços escolares e em não-escolares, na
implantação do Ensino de sujeitos em diferentes fases de
desenvolvimento humano, em diversos níveis e modalidades do
processo educativo apresentado pelo Pedagogista.
O termo pedagogo, como é patente, surgiu na Grécia Clássica,
da palavra παιδαγωγός cujo significado etimológico é preceptor,
mestre, guia, aquele que conduz. Segundo Ghiraldelli Júnior, o
Paidagogo era o condutor da criança. Era ele, um paternal* do
jovem, quem a guiava até o local de ensino e, metaforicamente,
em direção ao saber.[2]
CONTINUAÇÃO

Na Grécia antiga, o velho pedagogo (παιδαγωγός) com sua lanterna,


conduzia a criança (παιδόσ) até a palestra (παλαίστρα) e exigia que ela
realizasse as lições recomendadas. Por vezes esse senhor surge por parte dos
historiadores como um Servo que conduzia os meninos até o paedagogium,
no entanto, o termo pedagogia, designante de um fazer Escravo na hélade,
somente generalizou-se na acepção de elaboração consciente do processo
educativo a partir do séc. VXIII, na Europa Ocidental.

PONTOS POSITIVOS E NEGATIVOS DA JUÇÃO DAS FUNÇÕES

Modelo Teylorista (controle) X Cultura Escolar

Fragmentação do Papel

Papel do Supervisor Papel Orientação Educacional


CONTINUAÇÃO

o papel burocrático do pedagogo subestimou os destinos e valores educativos,


apequenou e alterou a identidade da Pedagogia; “fazendo-a distanciar-se de
seus ideais político-transformadores. Seu papel passa a ser apenas o de
racionalizar ações para qualificar a eficiência do ensino, na perspectiva
instrumental”.
(FRANCO, 2001)
CONTINUAÇÃO

Sabe-se que a descaracterização da Pedagogia como conhecimento científico


tem contribuído para mantê-la no papel que hoje, ainda infelizmente cumpre:
qual seja, o de solidificar práticas educativas profundamente conservadoras,
desvinculadas do contexto sócio-histórico, tanto de seus protagonistas como
do próprio conhecimento que transmite. O não diálogo científico entre teorias
e práticas reifica congela o fazer educacional (que se perpetua como saber
educacional e não como saber fazer) e isto ocorre quer pela falta de diálogo
construtivo entre sujeito e objeto da ação, quer pela não fermentação da
dialética na construção da realidade educativa.
(FRANCO, 2001)
Orientação, Supervisão Escolar
e Prática Pedagógica – 100 H

PLANO DE CURSO

DATA – 02/02/2016
AULA - 2
TÓPICOS / ATIVIDADES

 O perfil do profissional da educação de acordo com as


diretrizes curriculares para o curso de Pedagogia .
Exploração da Resolução - Exploração da resolução CNE/CP
Nº 01/2006.
Orientação para Atividade Avaliativa N1. Reunião das equipes.

Você também pode gostar