Você está na página 1de 37

Inteligência Emocional

Prof. Augusto César


O que é Inteligência Emocional?
• Inteligência emocional é um conceito em 
psicologia que descreve a capacidade de
reconhecer e avaliar os seus próprios 
sentimentos e os dos outros, assim como a
capacidade de lidar com eles.
• É a competência responsável por boa parte do
sucesso e da capacidade de liderança de um
ser humano.
O que é Inteligência Emocional?
• “Inteligência emocional envolve a habilidade
de perceber com precisão, avaliar, e expressar
emoções; a habilidade de acessar e/ou gerar
sentimentos quando eles facilitam o
pensamento; a habilidade de entender
emoções e conhecimento emocional; e a
habilidade de regular emoções para promover
inteligência emocional e crescimento
intelectual” (Salovey & Mayer, 2000).
O que é Inteligência Emocional?
Salovey & Mayer dividiram-na em quatro domínios:

• Percepção das emoções - inclui habilidades envolvidas na identificação


de sentimentos por estímulos, como a voz ou a expressão facial, por
exemplo. A pessoa que possui essa habilidade identifica a variação e
mudança no estado emocional de outra.
• Uso das emoções – implica a capacidade de empregar as informações
emocionais para facilitar o pensamento e o raciocínio.
• Entender emoções - é a habilidade de captar variações emocionais nem
sempre evidentes;
• Controle (e transformação) da emoção - constitui o aspecto mais
facilmente reconhecido da inteligência emocional – é a aptidão para lidar
com os próprios sentimentos.
O que é Inteligência Emocional?
• Assim, Salovey e Mayer definem a inteligência
emocional dentro desses quatro domínios pensando
em promover não só a inteligência emocional, como
também um crescimento intelectual.
• Para os autores, os indivíduos que possui uma
inteligência emocional elevada são capazes de
gerenciar as suas emoções com precisão, conseguem
lidar melhor com questões sociais e não se envolvem
em comportamentos problemáticos e vícios.
“As pessoas são contratadas por suas
habilidades técnicas, mas são demitidas pelo
seu comportamento.”
• Na atual era digital, aspectos técnicos (HARD
SKILLS) vem sendo supridos por máquinas.
• A exigência, então, se volta para
o desenvolvimento de habilidades
comportamentais, as chamadas (SOFT SKILLS).
• Uma das soft skills mais importantes (e também
mais difíceis de se desenvolver) é justamente a
inteligência emocional.
• Quando bem trabalhada, essa é uma competência
que traz maior equilíbrio na vida pessoal e
sucesso profissional para quem almeja evoluir na
carreira.
Como desenvolver a
Inteligência Emocional?
• Para ter inteligência emocional você necessita
estar equilibrado e alinhado em vários pontos
da vida para poder responder com precisão às
situações diárias.

• O equilíbrio da vida não é possível de ser


alcançado desenvolvendo um único aspecto.

• Não adianta consertar um ponto e ter vários


outros te puxando para baixo.
Viver bem é uma ciência mas
também uma arte...
Pilares conseguir trabalhar a
Inteligência Emocional
FÍSICO
Cansaço físico e mental
• Estar bem física e mentalmente é
determinante para que você consiga avançar
na inteligência emocional.

• É fácil reagir ou ser explosivo quando se está


esgotado fisicamente ou mentalmente.
Você se sente cansado com frequência?

• Você dorme 8h de sono ou mais?

• Toma estimulantes como café e mesmo assim


ainda se sente muito cansado durante o dia,
como se tivesse virado a noite acordado?
Hábitos que comandam o nosso
bem estar físico e mental e os
nossos níveis de energia
Sono
• Não é apenas dormir mais horas, o sono
precisa ser de qualidade e em quantidade
adequada à sua necessidade.
• Cada pessoa tem uma necessidade diária de
sono.
• Ajuste a parte técnica do sono. >>>>>>
Detalhes que ajudam a regular o sono
• Vá dormir de acordo com os ciclos
• Ajuste o despertador de acordo com esses ciclos
• Evite a luz branca / luz azul uma hora antes de
dormir. Prefira a luz amarela.
• Evite atividades muito estimulantes da mente
antes de dormir. Como filmes, séries e jogos.
• Use alguns tipos de alimentos ou chás para
ajudar no sono: kiwi, maracujá, camomila,
passiflora.
• Evitar comer muito antes de dormir.
A falta de exercício físico
te deixa cansado
(contraditório né?!)
Exercício Físico
• O nosso corpo foi feito para se mexer.
• Não é natural ficar 12h por dia sentado sem fazer um
mínimo de exercício para compensar esse tempo
parado.
• Ao menos 30 minutos por dia. Caminhada, corrida,
academia, etc.
• Eleve seus batimentos cardíacos durante esse tempo.
• Isso também serve como uma descarga mental.
• É difícil mas não impossível, priorize o tempo e terá
disponibilidade para se exercitar. >>>>
Exercício Físico libera
Alimentação
• É o combustível do seu corpo
• Encher o tanque de gasolina adulterada pode
estragar o motor do carro e o desempenho diminui.
• Não é ser contra comer bobagens mas sim utilizar
os alimentos corretos nos horários corretos.
• Isso trará mais energia e bem estar.
• Alimentação natural vai fazer você aprender com
mais eficiência, a desenvolver sensibilidade.
• Abuso de cafeína
• A vida é corrida, não dá tempo. Marmita.
Água
• Todas as funções básicas do corpo se baseiam em
água.
• Ficar desidratado causa fadiga, letargia mental,
fome, falta de energia nos músculos, dor de cabeça.
• Tomar água suficiente te faz ficar alerta
mentalmente.
• Auxilia na concentração.
• Elimina toxinas e só promove bem estar.
• Quantidade de água ideal: 35ml x Peso
MENTE
Responder e não reagir
às situações
Entre o estímulo e a reação há um espaço.
Neste espaço está nosso poder de escolher
nossa resposta.
Na nossa resposta está nosso crescimento
e nossa liberdade.

Viktor Frankl
A maneira como respondemos e reagimos aos
estímulos externos, as objeções, agressões ou até
elogios, é a nossa “marca”.

Existem reações que afastam e reações que


aproximam, ou seja, delas dependem a qualidade do
nosso relacionamento com o mundo e com os outros.

Felizmente existe um espaço que nos permite sair do


automático e fazer a diferença. Neste espaço que reside
a inteligência emocional e espiritual.
• Perceber como sua mente reage, após ter
recebido um estímulo.
• Em seguida perceber como o seu corpo reage a
forma como a sua mente reagiu.
• E depois de você ter essa percepção geral da sua
mente e corpo você tem a capacidade de
considerar sobre aquele estímulo e responder
de forma adequada aquela situação.
• Bem diferente da reação que é algo por impulso,
sem pensar, feita no piloto automático.
• Mas desde sempre aprendemos e fomos
moldados a reagir.
1. Crie consciência sobre seu
comportamento e suas reações
• A melhor forma de criar consciência sobre si é se autoobservar. Esse é um exercício que deve
ser diário.
• Comece elencando os momentos de seu dia a dia que mais mexem com suas emoções.
• A rotina diária para quem tem filhos pode ser desestabilizadora: frustração, raiva, sentimento
de impotência, pouca valorização, esgotamento, enfim.
• Reuniões semanais de equipe também podem causar impactos em você: sentimento de
improdutividade, ciúmes entre membros, competição, entre outros.
• Com essa lista pronta, entenda o que cada situação desperta e como você se sente antes e
depois de cada evento.
• É provável que perceba uma tendência a postergar cada vez mais aquilo que mexe
negativamente com suas emoções, mesmo que sejam tarefas importantes para atingir suas
metas.
• E, paralelamente, irá perceber que costuma realizar mais rapidamente tudo o que é mais
agradável emocionalmente.
• Aos poucos, leve essa consciência para situações que fogem de sua rotina.
• Isso é ainda mais desafiador, contudo, fundamental. Pare, observe e entenda como você
reage e se comporta com as adversidades não rotineiras.
• Esse exercício contínuo permitirá que você saia do automático e compreenda melhor como
trabalhar sua inteligência emocional.
2. Domine suas emoções
• Existem inúmeras técnicas.
• Caberá a você colecioná-las em sua caixa de ferramentas
pessoal e recorrer a elas nos momentos em que
necessitar.
• Uma forma de sair do automático e entender sua emoção
naquele momento é dar um tempo para respirar
profundamente.
• Não é à toa que a respiração faz parte de processos de
meditação e yoga.
• Use o inspirar e expirar para se acalmar, voltar ao seu
estado normal, tirar as emoções excessivas, permitindo
que você retome sua capacidade de analisar a situação.
3. Melhore a comunicação ao seu redor
• Muitas vezes, as emoções vêm à tona simplesmente por
interpretações erradas de uma situação.
• Aprender a se expressar significa não só falar e gesticular
bem, mas também perceber se seu interlocutor
compreendeu o que foi falado.
• Diversas equipes vivem em estresse emocional
simplesmente porque a comunicação é truncada.
• Uma dica valiosa para melhorar essa habilidade é colocar
sentimento em sua fala: “Eu me senti desvalorizado quando
você optou em apresentar o meu trabalho na reunião ao
invés de permitir que eu mesmo apresentasse.”
4. Treine seu cérebro para pensar em
respostas ao invés de reagir no automático

• Quando você é agredido verbalmente por uma pessoa,


seu impulso é rebater na mesma moeda?
• Se sim, você está deixando seu inconsciente
emocional e impulsivo tomar conta de suas ações.
• Daniel Goleman classifica isso como o cérebro
emocional, em contraposição ao cérebro pensante.
• Com treino constante, você deve tentar controlar o
impulso do cérebro emocional para permitir que o
pensante entre em cena.
• Ao reagir no automático, nos colocamos em uma
posição contrária à inteligência emocional.
5. Conheça suas forças, fraquezas e limites

• Ao elencar suas forças, fraquezas e limites pessoais, você


avançará em sua jornada de autoconhecimento.
• Suas forças irão ajudar a não só equilibrar suas fraquezas, mas
também a explorar oportunidades.
• Reconhecer suas fraquezas permite que você aprenda a pedir
ajuda, valorize o trabalho dos outros e enxergue como cada um
complementa o outro em uma equipe.
• Por fim, os limites vão sinalizar quais são seus pilares e valores
inegociáveis.
• Devem ser conhecidos e respeitados para evitar
uma dissonância cognitiva.
• Lembre-se: respeitar a si próprio é uma das principais formas de
demonstrar inteligência emocional.
6. Exerça a empatia
• Como a inteligência emocional se refere ao reconhecimento
não só das nossas emoções, mas também dos outros,
desenvolver empatia é fundamental.
• Tentar compreender como o outro se sente e suas emoções
desperta em cada pessoa a vontade de agir melhor.
• Ser empático significa olhar menos para seus problemas e
olhar para fora, enxergar quem está ao seu redor, com
intuito de poder ajudar de verdade.
• A empatia, quando bem trabalhada, gera conexão entre as
pessoas.
• Isso torna os ambientes de trabalho mais produtivos e as
relações pessoais verdadeiras.
7. Torne-se resiliente
• Problemas sempre existirão. Somos humanos e não vivemos
em um mundo perfeito.
• A boa notícia é que podemos lidar com eles, superar
obstáculos e seguir em frente.
• A resiliência irá lhe ajudar a lidar melhor com o estresse e as
tensões do ambiente de trabalho.
• A frase famosa de Bill Gates “é bom comemorar o sucesso,
mas é mais importante prestar atenção às lições do fracasso”,
ilustra bem a questão da importância da resiliência em
nosso desenvolvimento pessoal.
• Ao se tornar resiliente, as lições aprendidas em momentos
difíceis irão propiciar que você ganhe musculatura emocional.

Você também pode gostar