Você está na página 1de 36

A DIMENSÃO DISCURSIVA E ARGUMENTATIVA

CONECTIVAS
TEMA II | LÓGICA FORMAL
CONECTIVAS
PROPOSIÇÕES SIMPLES E PROPOSIÇÕES COMPLEXAS

O que são proposições


simples ou elementares?
CONECTIVAS
PROPOSIÇÕES SIMPLES E PROPOSIÇÕES COMPLEXAS

Uma proposição diz-se simples ou elementar


quando não pode ser decomposta noutras
proposições.
CONECTIVAS
PROPOSIÇÕES SIMPLES E PROPOSIÇÕES COMPLEXAS

EXEMPLOS

 Peter Singer é filósofo.


 Peter Singer é australiano.
 Chove.
 Faz sol.
 Temos direitos.
 Temos deveres.
CONECTIVAS
PROPOSIÇÕES SIMPLES E PROPOSIÇÕES COMPLEXAS

O que são proposições


complexas ou compostas?
CONECTIVAS
PROPOSIÇÕES SIMPLES E PROPOSIÇÕES COMPLEXAS

As proposições complexas ou compostas são


aquelas que podem ser decompostas até se
atingir uma ou mais proposições simples.
CONECTIVAS
PROPOSIÇÕES SIMPLES E PROPOSIÇÕES COMPLEXAS

EXEMPLOS
 Peter Singer é filósofo e australiano.
 Chove ou faz sol.
 Se temos direitos, então temos
deveres.
CONECTIVAS
VARIÁVEIS PROPOSICIONAIS

O que são variáveis


proposicionais?
CONECTIVAS
VARIÁVEIS PROPOSICIONAIS

Em lógica, usamos variáveis proposicionais,


que são letras que representam proposições
simples. Assim, usaremos letras maiúsculas
do meio do alfabeto latino (P, Q, R, …) no
lugar das proposições.
CONECTIVAS
VARIÁVEIS PROPOSICIONAIS

EXEMPLOS
P: Temos direitos.
Q: Temos deveres.

A este código os lógicos chamam


dicionário, legenda ou interpretação.
CONECTIVAS
CONECTIVAS OU OPERADORES VEROFUNCIONAIS

O que são conectivas ou


operadores verofuncionais?
CONECTIVAS
CONECTIVAS OU OPERADORES VEROFUNCIONAIS

Palavra ou sequência de palavras que, numa dada


língua, como, por exemplo, o português, altera uma
frase ou estabelece uma ligação entre frases,
permitindo, assim, formar proposições complexas a
partir de proposições simples.
CONECTIVAS
CONECTIVAS OU OPERADORES VEROFUNCIONAIS

Exemplo Forma lógica Nome Formalização


Não temos direitos. Não P Negação P
Temos direitos e temos
deveres. PeQ Conjunção PQ

Temos direitos ou temos Disjunção


deveres. P ou Q inclusiva P Q

Ou temos direitos ou Disjunção


temos deveres.
Ou P ou Q
exclusiva P Q

Se temos direitos, então Condicional


temos deveres. Se P, então Q Implicação P Q

Temos direitos se e só se Bicondicional


temos deveres. P se, e só se Q Equivalência P Q
CONECTIVAS
CONECTIVAS OU OPERADORES VEROFUNCIONAIS

NEGAÇÃO ¬
Proposição Formalização
Não temos direitos.
É falso que tenhamos direitos.
Não é verdade que tenhamos direitos. ¬P
Não é correto afirmar que tenhamos
direitos.
CONECTIVAS
CONECTIVAS OU OPERADORES VEROFUNCIONAIS

NEGAÇÃO ¬

Regra: A negação de uma frase tem o valor


de verdade oposto ao da frase de partida.

P ¬P
V F
F V
CONECTIVAS
CONECTIVAS OU OPERADORES VEROFUNCIONAIS

DUPLA NEGAÇÃO ¬ ¬

P ¬P ¬¬P
V F V
F V F
CONECTIVAS
CONECTIVAS OU OPERADORES VEROFUNCIONAIS

CONJUNÇÃO ∧

P: Temos direitos.
Q: Temos deveres.
Proposição Formalização
Temos direitos e deveres.
Temos direitos, mas também deveres.
Tanto temos direitos, como deveres.
P∧Q
Temos quer direitos, quer deveres.
CONECTIVAS
CONECTIVAS OU OPERADORES VEROFUNCIONAIS

CONJUNÇÃO ∧

Regra: A conjunção é verdadeira se, e apenas se, as


proposições que a compõem forem ambas verdadeiras.
P Q P∧Q
V V V
V F F
F V F
F F F
CONECTIVAS
CONECTIVAS OU OPERADORES VEROFUNCIONAIS

CONJUNÇÃO ∧
Como refutarias a proposição «Temos o dever de ajudar quem se
encontra em pobreza extrema, tal como temos o dever de salvar a
criança que se afoga no lago»?
Dicionário:
P: Temos o dever de ajudar quem se encontra em pobreza extrema.
Q: Temos o dever de salvar a criança que se afoga no lago.
Formalização:
P∧Q
CONECTIVAS
CONECTIVAS OU OPERADORES VEROFUNCIONAIS

 
DISJUNÇÃO INCLUSIVA

P: Temos direitos.
Q: Temos deveres.
Proposição Formalização

Temos direitos ou deveres. P∨Q


CONECTIVAS
CONECTIVAS OU OPERADORES VEROFUNCIONAIS

 
DISJUNÇÃO INCLUSIVA
Regra: A disjunção inclusiva só é falsa se, e apenas se,
as proposições que a compõem forem ambas falsas.

P Q P∧Q
V V V
V F F
F V F
F F F
CONECTIVAS
CONECTIVAS OU OPERADORES VEROFUNCIONAIS

 
DISJUNÇÃO INCLUSIVA
Em que circunstâncias a proposição «Está em meu poder
impedir que algo mau aconteça ou contribuo para
organizações humanitárias» seria falsa?
Dicionário:
P: Está em meu poder impedir que algo mau aconteça.
Q: Contribuo para organizações humanitárias.
Formalização:
P∨Q
CONECTIVAS
CONECTIVAS OU OPERADORES VEROFUNCIONAIS

DISJUNÇÃO EXCLUSIVA ∨

P: Temos direitos.
Q: Temos deveres.
Proposição Formalização
Ou temos direitos ou temos
deveres. P∨Q
CONECTIVAS
CONECTIVAS OU OPERADORES VEROFUNCIONAIS

DISJUNÇÃO EXCLUSIVA ∨
Regra: A disjunção exclusiva só é falsa se, e apenas se,
as duas proposições que a compõem tiverem o mesmo
valor de verdade.
P Q P∨Q
V V F
V F V
F V V
F F F
CONECTIVAS
CONECTIVAS OU OPERADORES VEROFUNCIONAIS

DISJUNÇÃO EXCLUSIVA ∨
Descreve um mundo possível em que a proposição
«Ou contribuo para organizações humanitárias ou
não ajo moralmente» seria falsa.
Dicionário:
P: Contribuo para organizações humanitárias.
Q: Ajo moralmente.
Formalização:
P ∨ ¬Q
CONECTIVAS
CONECTIVAS OU OPERADORES VEROFUNCIONAIS

 
CONDICIONAL OU IMPLICAÇÃO
P: Temos direitos.
Q: Temos deveres.
Proposição Formalização
Se temos direitos, então temos deveres.
Se temos direitos, há deveres.
P→Q
Há deveres, se houver direitos.
Temos deveres, caso tenhamos direitos.
CONECTIVAS
CONECTIVAS OU OPERADORES VEROFUNCIONAIS

 
CONDICIONAL OU IMPLICAÇÃO
Regra: Uma proposição condicional é falsa se, e
apenas se, a antecedente (condição) for verdadeira
e a consequente falsa.
P Q P→Q
V V V
V F F
F V V
F F V
CONECTIVAS
CONECTIVAS OU OPERADORES VEROFUNCIONAIS

 
CONDICIONAL OU IMPLICAÇÃO

Como refutarias esta proposição «Se está em meu poder impedir


que algo de mal aconteça, tenho a obrigação moral de o fazer.»?
Dicionário:
P: Está em meu poder impedir que algo de mal aconteça.
Q: Tenho a obrigação moral de impedir que algo de mal aconteça.
Formalização:
P→Q
CONECTIVAS
CONECTIVAS OU OPERADORES VEROFUNCIONAIS

O que são condições


suficientes? E condições
necessárias?
CONECTIVAS
CONECTIVAS OU OPERADORES VEROFUNCIONAIS

P→Q

Condição suficiente Condição necessária


Tudo o que é P é Q,
Tudo o que é P é Q. mas nem tudo o que
é Q é P.
CONECTIVAS
CONECTIVAS OU OPERADORES VEROFUNCIONAIS

P→Q
Condição suficiente Condição necessária
Tudo o que é P é Q,
Tudo o que é P é Q. mas nem tudo o que
é Q é P.
Estou em Santarém. Estou em Portugal.
CONECTIVAS
CONECTIVAS OU OPERADORES VEROFUNCIONAIS

 
BICONDICIONAL OU EQUIVALÊNCIA
P: Temos direitos.
Q: Temos deveres.
Proposição Formalização

Temos direitos se, e só se, temos


deveres.
P Q
Se temos direitos, temos deveres, e se
temos deveres, temos direitos.
CONECTIVAS
CONECTIVAS OU OPERADORES VEROFUNCIONAIS

 
BICONDICIONAL OU EQUIVALÊNCIA
Regra: A bicondicional é verdadeira quando as
proposições que a compõem assumem em simultâneo
o mesmo valor de verdade.
P Q P Q
V V V
V F F
F V F
F F V
CONECTIVAS
CONECTIVAS OU OPERADORES VEROFUNCIONAIS

 
P Q
Condição suficiente Condição suficiente
e necessária e necessária
É H2O. É água.
P e Q coincidem Tudo o que é P é Q;
exatamente. Tudo o que é Q é P.
CONECTIVAS
CONECTIVAS OU OPERADORES VEROFUNCIONAIS

 
BICONDICIONAL OU EQUIVALÊNCIA
 
Descreve um mundo possível em que a proposição «É meu dever
impedir que algo de mal aconteça, se e só se, não sacrificar algo
de importância semelhante» fosse verdadeira.
Dicionário:
P: É meu dever impedir que algo de mal aconteça.
Q: Sacrifico algo de importância semelhante.
Formalização:
P ¬Q
A DIMENSÃO DISCURSIVA E ARGUMENTATIVA
CONECTIVAS
TEMA II | LÓGICA FORMAL