Você está na página 1de 12

COLETÂNEA DE

PRECES ESPÍRITAS
CAPÍTULO XVIII – O EVANGELHO SEGUNDO O
ESPIRITISMO
QUEM FOI KARDEC ?
Allan Kardec é o pseudônimo de um educador (pedagogo)
francês chamado Léon-Hipollyte Denizard Rivail. Rivail nasceu em
Lyon, França, em 3 de outubro de 1804. Ele foi batizado na religião
católica e começou a usar o pseudônimo de Allan Kardec, anos depois,
quando ele entrou em contato com os fenômenos espíritas.​

Allan Kardec foi o codificador do Espiritismo. Com os ensinamentos


que recebeu de espíritos superiores através de vários médiuns, ele
escreveu cinco livros que se tornariam a base da Doutrina Espírita: O
Livro dos Espíritos, O Livro dos Médiuns, O Evangelho Segundo o
Espiritismo, O Céu e o Inferno e A Gênese. Ele também deixou escritos
inéditos, que foram recolhidos 21 anos após sua morte no livro Obras
Póstumas.​
COLETÂNEA DE PRECES ESPÍRITAS
PREÂMBULO (INTRODUÇÃO)

Os espíritos sempre disseram: “A forma não é nada, o pensamento é tudo. Que cada um ore
segundo suas convicções, e o modo que mais o comover. Um bom pensamento vale mais que
numerosas palavras carentes de sentimento”.

Os Espíritos não prescrevem nenhuma fórmula absoluta de preces. Quando as dão, é para fixar
ideias, e, sobretudo, para chamar a atenção sobre certos princípios da Doutrina Espírita. É também
com o objetivo de ajudar pessoas que têm dificuldades de exprimir suas ideias, pois há os que
pensam não ter verdadeiramente orado se seus pensamentos não estivessem previamente
formulados.
COLETÂNEA DE PRECES ESPÍRITAS

A coletânea de preces contida neste capítulo é uma seleção feita entre as que foram
ditadas pelos Espíritos em diferentes circunstâncias. Poderiam ter ditado outras, e com
outras palavras, apropriadas a certas ideias ou a casos especiais, mas pouco importa a
forma, se o pensamento fundamental é o mesmo. O objetivo da prece é elevar nossa alma
a Deus. A diversidade de fórmulas não pode determinar nenhuma diferença entre os que
creem n’Ele, e menos ainda entre os adeptos do Espiritismo, pois Deus as aceitas todas,
quando são sinceras.
COLETÂNEA DE PRECES ESPÍRITAS

Portanto, não é preciso considerar esta coletânea como um formulário absoluto, mas
como uma variedade entre as instruções dadas pelos Espíritos. É uma aplicação das
princípios da moral evangélica desenvolvidos neste livro, um complemento a seus ditados
sobre os deveres para com Deus e o próximo, no qual são recordados todos os princípios
da doutrina.
COLETÂNEA DE PRECES ESPÍRITAS

O Espiritismo reconhece como boas as preces de todos os cultos, quando ditas de


coração e não apenas dos lábios para fora. Não impõe e não censura nada; para o
Espiritismo, Deus é grande demais para rejeitar a voz que lhe implora ou que canta seus
louvores, só por fazê-lo de tal maneira e não de outra. Todo aquele que lançar o anátema
(reprovação, repreensão, rejeição) contra as preces que não pertencem a seu formulário
provará que desconhece a grandeza de Deus. Crer que Deus se prende a uma fórmula é
emprestar-lhe a pequenez e as paixões da humanidade.
COLETÂNEA DE PRECES ESPÍRITAS

Uma condição essencial da prece, conforme São Paulo (cap. XXVII, nº 16), é que seja
inteligível, a fim de que possa falar a nosso espírito. Para isso, não basta que seja dita em
uma língua compreendida por aquele que ora; há preces em língua vulgar que dizem
menos à inteligência que se fossem feitas em língua estrangeira, e que, por isso mesmo,
não alcançam o coração. As raras ideias que muitas vezes encerram são sufocadas sob o
excesso de palavras e o misticismo da linguagem.
COLETÂNEA DE PRECES ESPÍRITAS

A principal qualidade da prece é ser clara, simples e concisa, sem fraseologia inútil,
nem luxo e epítetos (palavra ou frase que qualifica uma pessoa ou coisa; adjetivos) que são
apenas enfeites de lantejoulas. Cada palavra deve ter seu alcance, revelar uma ideia,
mover uma fibra; resumindo deve fazer refletir. Somente observando essa condição a
prece pode atingir seu objetivo, sendo, de outra forma, apenas ruídos. Além disso, olhai
com que ar distraído e volúvel são ditas na maior parte do tempo. Vê-se os lábios que se
movem, mas, na expressão da fisionomia, ou mesmo no som da voz, reconhece-se um ato
maquinal, puramente exterior, ao qual a alma se mantém indiferente.
COLETÂNEA DE PRECES ESPÍRITAS

As preces reunidas nesta coletânea são divididas em cinco categorias: 1ª - Preces


Gerais; 2ª - Preces para si mesmo; 3ª - Preces para os vivos; 4ª - Preces para os mortos; 5ª -
Preces especiais para os doentes e os obsidiados.

Com o objetivo de chamar a atenção particularmente sobre o objetivo de cada prece, e


de melhor dar a entender seu sentido, todas vêm precedidas de uma instrução preliminar,
espécie de exposição de motivos, sob o título de prefácio (texto preliminar de
apresentação).
PRECE EM ÁUDIO
PRECE FEITA POR HAROLDO DUTRA DIAS NO ENCERRAMENTO DA PALESTRA -
SENHOR QUE QUERES QUE EU FAÇA? 18/4/15
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

KARDEC, Allan; O Evangelho Segundo Espiritismo; Tradução de Matheus Rodrigues de


Camargo – 31º Reimpressão. Novem. 2013 – Capivari, SP; Editora EME.

Você também pode gostar