Você está na página 1de 27

Conversão de

Energia

TIPOS DE MÁQUINAS DE CORRENTE CONTÍNUA

Prof. Me. RAIMUNDO CEZAR


CAMPOS DO NASCIMENTO
CURVA DE MAGNETIZAÇÃO
 

1. Atravessa o pólo
2. Atravessa o entreferro
3. Atravessa os dentes do rotor
4. Atravessa o núcleo do rotor
5. Atravessa os dentes do rotor
6. Atravessa o entreferro
7.Atravessa o pólo oposto
8. Retorna através do núcleo do estator

   
 
MÁQUINAS DE CORRENTE CONTÍNUA

 
Para baixos valores de fluxo, a relutância
do núcleo é significativamente menor que
a do entreferro, restando somente a
  relutância do entreferro
 

 
  Então
 

 
 

2
MÁQUINAS DE CORRENTE CONTÍNUA - Excitação Independente
Dependendo da forma de alimentação dos enrolamentos de campo e de armadura,
as máquinas CC recebem diferentes classificações, e fornecem diferentes
características de operação, cada uma delas adequada para aplicações específicas.

Excitação Independente:
O enrolamento de campo é alimentado por uma fonte CC separada (externa).
Máquinas de ímã permanente também são consideradas como máquinas de
excitação independente, porém, nesse caso a corrente de campo é constante.
MÁQUINAS DE CORRENTE CONTÍNUA
Circuito de Campo

Circuito de Armadura

 
Exercícios Propostos
1. Um motor CC de 4 pólos tem um induzido com 260 condutores ativos. O
enrolamento do induzido é do tipo imbrincado. Quando a máquina rodar a 1500
rpm, a sua tensão em vazio vale 110V. Determinar:
a) qual é o "fluxo por pólo“?; b) qual será o binário eletromagnético quando o
induzido consumir uma corrente de 50A?
fluxo por pólo

   
 

   
 

Binário eletromagnético - TORQUE

   

 
2 Considere um motor de corrente contínua de excitação separada, em que o
induzido se encontra alimentado por uma fonte de tensão contínua igual 220 V.
Este motor gira a 2000 rpm e consome uma corrente de 50 A. A sua queda de
tensão devida à reação magnética da armadura vale 20 V. Sabe-se que reação
da armadura é 0,2 Ω. a) Qual o binário eletromagnético ? b) Qual a potência
eletromagnética ?
Binário eletromagnético
 

   

     

   
 
 

   
 
 
Qual a potência  
 
MÁQUINAS DE CORRENTE CONTÍNUA- Máquina Auto-Excitada
Paralela (shunt)

Os enrolamentos de campo e de armadura são ligados em paralelo.


Normalmente, um reostato é incluído no circuito de campo para controlar a
corrente de campo e portanto variar a tensão induzida no circuito de
armadura.

Circuito de Campo

 
 

Circuito de Armadura
 
 

 
MÁQUINAS DE CORRENTE CONTÍNUA- Máquina Auto-Excitada Paralela (shunt)

 
Desprezando as perdas no motor CC tem-
se que:
 
 
Desprezando as quedas de tensão nas escovas e no enrolamento de interpólo tem-
se:

 
   

   

 
MÁQUINAS DE CORRENTE CONTÍNUA- Máquina Auto-Excitada Paralela
(shunt)
 
 
   

 
MÁQUINAS DE CORRENTE CONTÍNUA- Máquina Auto-Excitada Paralela (shunt)

2. Variação da tensão de alimentação da armadura (Ea);

3. Conexão de uma resistência adicional (Rad) em série com o circuito da


armadura;
• Máquina CC - MOTOR

Seja um motor CC paralelo (Shunt) de potência 5 cv, com resistências da armadura e de


campo respectivamente 0,73Ω e 240 Ω, alimentado com 240 V. A corrente de armadura
em regime permanente é da ordem de 16,35 A. Determine a corrente de partida deste
motor e o que fazer para a corrente de partida ser da ordem de 35 A.

Corrente de partida

   
   
   

  A corrente dos motores CC durante


  a partida é limitada apenas pela
resistência da armadura.
 
 
• Máquina CC - MOTOR
Seja um motor CC paralelo (Shunt) de potência 5 cv, com resistências da armadura e de
campo respectivamente 0,73Ω e 240 Ω, alimentado com 240 V. A corrente de armadura
em regime permanente é da ordem de 16,35 A. Determine a corrente de partida deste
motor e o que fazer para a corrente de partida não exceder a 35 A.

Limitar a corrente de partida


Para limitar a corrente de partida
podemos projetar um resistor Rp
para ser inserido em série com a
armadura

   
 

   
Exercícios Propostos
3 Um motor de excitação em derivação de 10 kW - 220 V tem uma resistência
do circuito do induzido de 0,3Ω e uma resistência do circuito de campo 1500 Ω.
A reação magnética do induzido é desprezável. Qual é a f.e.m. deste motor
quando fornecer a sua potência nominal sob tensão nominal ?

 
 
 

   
 

   

   
MÁQUINAS DE CORRENTE CONTÍNUA- Máquina Auto-Excitada Série
Um motor CC série é um motor CC cujos
enrolamentos de campo consistem em
relativamente poucas espiras conectadas Circuito de Armadura
em série com o circuito de armadura. Em
um motor série, a corrente de armadura, a  
corrente de campo e a corrente de linha são  
todas as mesmas.
 

Circuito de Campo
 
   

 
MÁQUINAS DE CORRENTE CONTÍNUA- Máquina Auto-Excitada Série
O comportamento básico de um motor CC série deve-se ao fato de que
o fluxo é diretamente proporcional à corrente de armadura, no mínimo
até que a saturação seja alcançada. À medida que aumenta a carga do
motor, seu fluxo também aumenta.
Como foi visto antes, um aumento de fluxo no motor causa uma
diminuição de sua velocidade. O resultado é que um motor série tem
uma característica de conjugado versus velocidade de declive muito
acentuado
MÁQUINAS DE CORRENTE CONTÍNUA- Máquina Auto-Excitada Série

Determinando as características de um motor série


 
   

 
 

   
MÁQUINAS DE CORRENTE CONTÍNUA- Máquina Auto-Excitada Série
Determinando as características de um motor série
 

 
 

  𝑉 2𝑡 ( 𝑅 𝑎 + 𝑅 𝑠) ²  

=
𝐾 . 𝜏 𝑝𝑎𝑟𝑡 𝐾′²
MÁQUINAS DE CORRENTE CONTÍNUA- Máquina Auto-Excitada Série

A Figura mostra um motor CC série de 250 V com enrolamentos de compensação


e uma resistência em série total Ra + Rs de 0,08 Ω. O campo em série consiste em
25 espira por polo, com a curva de magnetização mostrada a seguir para uma
velocidade de 1200 rpm. Encontre a velocidade e o conjugado induzido desse
motor quando sua corrente de armadura é 50 A.
MÁQUINAS DE CORRENTE CONTÍNUA- Máquina Auto-Excitada Série

𝑉
  𝑇 =𝐸 𝐴 +( 𝑅 𝐴 + 𝑅 𝑆 ) 𝐼 𝐴

𝐸
  𝐴 = 250− ( 0 , 08 ) 𝑥 50
80
  𝑉
𝐸
  𝐴 =246 𝑉

𝐶𝑜𝑚𝑜
  𝐼 𝐴 =𝐼 𝐹 =50 𝐴 , 𝑒𝑛𝑡 ã 𝑜 𝐹𝑚𝑚=𝑁 . 𝐼 𝑠𝑒𝑟 á :
1250
  𝐴 .𝑒
 𝐹𝑚𝑚=25 𝑥 50=1250 𝐴 . 𝑒

 Da curva de magnetização, para 1250 A • e, temos . Para obter a velocidade


correta do motor:

 𝑛 = 𝐸 𝐴 . 𝑛
𝑚
𝐸 𝐴0 0
MÁQUINAS DE CORRENTE CONTÍNUA- Máquina Auto-Excitada Série

 𝑛 = 𝐸 𝐴 . 𝑛 2 46
𝑚 𝑛  𝑚 = 𝑥 1200
𝐸 𝐴0 0 80

 𝑛𝑚 =3690 𝑟𝑝𝑚


80
  𝑉
 
Para encontrar o conjugado induzido fornecido pelo
motor nessa velocidade, lembre-se de que:
. Portanto,

2 46 𝑥 50
1250
  𝐴 .𝑒   𝐸𝐴 𝐼 𝐴 𝜏  𝑖𝑛𝑑 =
𝜏 𝑖𝑛𝑑 = 2𝜋
𝜔𝑚 3690 𝑥
60

𝜏 𝑖𝑛𝑑 =31,8 𝑁 . 𝑚
 
Um motor CC em derivação de 50 HP, 250 V e 1200 rpm, tem uma corrente
nominal de armadura de 170 A e uma corrente nominal de campo de 5 A.
Quando seu rotor é travado, uma tensão de armadura de 10,2 V (sem as
escovas) produz uma corrente de 170 A e uma tensão de campo de 250 V
produz uma corrente de campo de 5 A. Assume-se que a queda de tensão nas
escovas é 2 V. A vazio, com a tensão de terminal igual a 240 V, a corrente de
armadura é igual a 13,2 V, a corrente de campo é 4,8 A e a velocidade do motor
é 1150 rpm. (a) Qual é a potência de saída desse motor em condições
nominais? (b) Qual é a eficiência do motor?
Para o circuito equivalente do motor em derivação mostrado abaixo, com as
seguintes características:

a) Se o resistor Raj for ajustado para 175 Ω , qual será a velocidade de rotação do motor a
vazio?
b) Assumindo que não há reação de armadura, qual é a velocidade do motor a plena carga?
Qual é a regulação de velocidade do motor?
c) Se o motor estiver operando a plena carga e se sua resistência variável Raj for
aumentada para 250 Ω, qual será a nova velocidade do motor? Compare a velocidade de
plena carga do motor, para Raj 175 , com a velocidade de plena carga para Raj 250.
d) Assuma que o motor está funcionando a plena carga e que o resistor variável Raj é
novamente 175 Ω . Se a reação de armadura for 1000 A • e a plena carga, qual será a
velocidade do motor? Como esse resultado compara-se com os anterioores
e) Qual será a corrente de partida dessa máquina se sua partida for feita ligando-a
diretamente à fonte de potência VT? Como essa corrente de partida compara-se com a
corrente de plena carga do motor
Curva de magnetização do motor a 1800 rpm
O motor de excitação independente mostrado na Figura . Ele tem uma tensão de
campo fixa VF de 240 V e uma tensão de armadura VA que pode ser variada de 120
a 240 V.

a) Qual é a velocidade a vazio desse motor de excitação independente quando


Raj = 175 Ω e Va = 120 V ; Va = 180 V e Va = 240 V?

b) Qual é a velocidade a vazio máxima que se pode atingir variando a tensão VA


e a resistência Raj?

c) Qual é a eficiência do motor em condições nominais? [Assuma que (1) a


queda de tensão nas escovas é 2 V; (2) as perdas no núcleo devem ser
determinadas para uma tensão de armadura igual à tensão de armadura a plena
carga e (3) as perdas suplementares são 1% da plena ca
Um motor série de 20 HP, 240 V, 80 A e 1000 rpm tem um enrolamento de campo
de 33 espiras por polo. Sua resistência de armadura é 0,09 e sua resistência de
campo é 0,06 . A curva de magnetização, expressa em termos da força
magnetomotriz versus EA, para 900 rpm é dada pela tabela seguinte:

A reação de armadura é desprezível nessa máquina.


Calcule o conjugado do motor, a velocidade e a potência de saída para 33, 67, 100
e 133% da corrente de armadura de plena carga. (Despreze as perdas rotacionais.)
Um motor CC série de 7,5 HP e 120V
tem uma reação de armadura de 0,1
Ω e uma resistência de campo em
série de 0,08 Ω . A plena carga, a
corrente de entrada é 56 A e a
velocidade nominal é 1050 rpm. Sua
curva de magnetização está
mostrada na Figura ao lado. As
perdas no núcleo são 220 W e as
perdas mecânicas são 230 W a plena
carga. Assuma que as perdas
mecânicas variam com o cubo da
velocidade do motor e que as perdas
no núcleo são constantes. (a) Qual é
a eficiência do motor a plena carga?
(b) Quais serão a velocidade e a
eficiência do motor se ele estiver
operando com uma corrente de
armadura de 40 A?

Você também pode gostar