Você está na página 1de 19

Será que meu aluno é

Autista?
VALÉRIA RODRIGUES
Graduada em psicologia pela Universidade do Vale do Itajaí, Neuropsicóloga, com
complementação em Terapia Cognitivo Comportamental e formação em Terapia
Cognitivo Comportamental da Criança e do Adolescente. Pós-graduada em
Autismo, especialista em Análise do Comportamento Aplicada – ABA, com
capacitações ABA e Estratégias de Ensino Naturalistas Baseadas no Modelo
Precoce de Denver. Coordenadora de curso de especialização em Neuropsicologia
Clínica, docente dos cursos de pós-graduação em de Autismo,
Neuropsicopedagogia e Neuropsicologia.

2
Saber se de fato a criança tem Autismo é
essencial para tomada de decisões na escola
e para traçar as melhores estratégias.

3

Há qualquer sinal de atraso nos marcos do desenvolvimento é
necessário ligar um “ALERTA”. Porém o professor precisa ter
clareza de quais comportamentos da criança se diferem das
demais crianças.

4

A escola recebe uma criança com dificuldades em se relacionar, seguir regras sociais e
se adaptar ao novo ambiente. Esse comportamento é logo confundido com falta de
educação e limite. E por falta de conhecimento, alguns profissionais da educação não
sabem reconhecer e identificar as características de um autista, principalmente os de
alto funcionamento, com grau baixo de comprometimento.

5
Diagnóstico

Avaliação ideal: neuropediatra, psiquiátrica infantil,


neuropsicólogo, psicológica, fonoaudiólogo, psicopedagógica.

Não podem ser tomadas as decisões só pela escola, mas sim por
uma equipe de apoio, da mesma forma que a escola deve ter
cautela em sugerir o Autismo para a família.

6
Papel da escola no diagnóstico: A escola pode ter um
papel fundamental na percepção de traços e sintomas de
Autismo, isso porque a criança passa boa parte de seus dias e
de vida dentro da escola, além da possibilidade de observar
comportamentos da criança junto com seus pares.

7

A escola tem papel importante na investigação diagnóstica,
uma vez que é o primeiro lugar de interação social da
criança separada de seus familiares. É onde a criança vai
ter maior dificuldade em se adaptar às regras sociais.

8
AVALIAÇÃO

É necessário dar exemplo claros e concretos para


que a família possa compreender a importância de
buscar por uma avaliação detalhada.

9
MEU ALUNO É AUTISTA!
Avaliação pós diagnóstico
Quando a criança com Autismo entra para a escola, algumas formas de
avaliação precisa ser feita pelo educador, para que as estratégias de ensino –
aprendizagem e inclusão ocorram de forma satisfatória.

11
AVALIAÇÃO NA ESCOLA

Características do Autismo: quais comportamentos e sintomas característicos


do autismo, em grau e frequência o aluno possui? Avaliar principalmente as
características relacionadas a interação social e comunicação.

12
AVALIAÇÃO NA ESCOLA

Características Associadas: 65 a 80% das crianças com autismo possuem outro


transtorno associado, como por exemplo, TDAH, TOD... é necessário saber das
possíveis comorbidades associadas, pois apresentam sintomas que não são
efetivamente ligados ao autismo.

13
AVALIAÇÃO NA ESCOLA

Contexto Instrucional: o perfil inclusivo da escola, preparação, padronização,


a escola está preparada? Possui salas que podem ser adaptadas e modificadas
por exemplo, escola tem perfil real inclusivo?

14
5 EIXOS DE AVALIAÇÃO

Estes eixos não precisam ser avaliados efetivamente pelo


professor, mas o professor precisa ter acesso a estas
avaliações, caso seja feita pela equipe terapêutica.

15
EIXOS DE AVALIAÇÃO:

Comunicação: a escola deve estar preparada para estimular a comunicação da


criança a buscar meios ou mecanismos de comunicação (e não significa falar),
ou seja, é necessário entender como a criança se comunica.

Sono e Alimentação: se criança que não dorme direito, pode ficar mais agitava
e até agressiva, o sono e alimentação impactam diretamente no processo de
aprendizagem. E escola precisa saber se essa criança está dormindo e se
alimentando bem.

16
EIXOS DE AVALIAÇÃO:

Rotina: criança cria muitos padrões e rituais? Possui interesses restritos e rotina
na escola tende a dar previsibilidade a criança? A criança precisa ter uma rotina
dentro e fora da escola.

Sensorial: a criança apresenta hiper ou hipo reação sensorial? É necessário


conhecer o perfil sensorial dessa criança, até mesmo para promover uma
psicoeducação dos colegas.

17
EIXOS DE AVALIAÇÃO:

Habilidades Sociais: como a criança interage com as seus pares, familiares e


professores?

O indivíduo com autismo encontra uma série de dificuldades ao ingressar na


escola regular. Essas dificuldades passam a fazer parte da rotina dos professores
e da escola como um todo.

18
OBRIGADA
psicologavaleriarodrigues

psico.valeriarodrigues

Psicóloga Valéria Rodrigues

19

Você também pode gostar