Você está na página 1de 16

CENTRO UNIVERSITÁRIO - UNIESP

BACHARELADO EM NUTRIÇÃO

DIETA E CÂNCER DE MAMA: RELAÇÃO ENTRE A ALIMENTAÇÃO NA


PREVENÇÃO, AUXÍLIO NO TRATAMENTO E QUALIDADE DE VIDA APÓS A
NEOPLASIA

Aluna: Eudma Thaís Saraiva de Souza


Orientadora: Profª. Drª. Priscilla Maria Pereira Maciel

CABEDELO – PB 2021
DIETA E CÂNCER DE MAMA: RELAÇÃO ENTRE A ALIMENTAÇÃO NA PREVENÇÃO, AUXÍLIO NO TRATAMENTO E QUALIDADE DE VIDA APÓS A NEOPLASIA

INTRODUÇÃO
• O câncer atinge milhares de pessoas todos os anos no Brasil, sendo
classificado como doença crônica não transmissível. O crescimento
desordenado de células dá origem a mais de cem doenças, as quais
podem se multiplicar e atingir outros tecidos do corpo, causando
metástase. Essa patologia pode ocorrer devido a fatores biológicos e
ambientai; quando associados, maiores são as chances de
desenvolvimento tumoral. O câncer é definido como problema de
saúde pública em todo o mundo. As estimativas mostram que atingirá
600 mil brasileiros no biênio de 2018/2019
(INCA, 2018).
DIETA E CÂNCER DE MAMA: RELAÇÃO ENTRE A ALIMENTAÇÃO NA PREVENÇÃO, AUXÍLIO NO TRATAMENTO E QUALIDADE DE VIDA APÓS A NEOPLASIA
DIETA E CÂNCER DE MAMA: RELAÇÃO ENTRE A ALIMENTAÇÃO NA PREVENÇÃO, AUXÍLIO NO TRATAMENTO E QUALIDADE DE VIDA APÓS A NEOPLASIA

O câncer de mama
• Os principais fatores de risco para o desenvolvimento do câncer de
mama são hormonais e genéticos. Carcinomas mamários podem,
portanto, ser divididos em carcinomas hereditários e não
hereditários. O câncer que não parece ser causado por alterações
herdadas é denominado câncer esporádico. Acredita-se que a maioria
(talvez 90%) de todos os cânceres sejam esporádicos. Isto significa
que mesmo se o câncer não é encontrado em uma família, um
membro dessa família ainda pode ter um risco para algum tipo de
câncer durante a vida.
DIETA E CÂNCER DE MAMA: RELAÇÃO ENTRE A ALIMENTAÇÃO NA PREVENÇÃO, AUXÍLIO NO TRATAMENTO E QUALIDADE DE VIDA APÓS A NEOPLASIA
DIETA E CÂNCER DE MAMA: RELAÇÃO ENTRE A ALIMENTAÇÃO NA PREVENÇÃO, AUXÍLIO NO TRATAMENTO E QUALIDADE DE VIDA APÓS A NEOPLASIA

Alimentação
• Nenhum alimento isolado possui efeito protetor, porém há relação
entre o desenvolvimento da doença e a inadequação alimentar.
Avaliando a transição nutricional que o Brasil enfrenta, passando a
consumir muitos produtos alimentícios e tendo uma baixa ingestão de
frutas, hortaliças e grãos integrais, bem como os altos índices de
obesidade na população mundial, observa-se que a alimentação
possui um papel importante, não só para saciar a fome, mas para
prevenir doenças crônicas não transmissíveis que contribuem para o
aparecimento do câncer.

(MUNHOZ et al., 2016)


DIETA E CÂNCER DE MAMA: RELAÇÃO ENTRE A ALIMENTAÇÃO NA PREVENÇÃO, AUXÍLIO NO TRATAMENTO E QUALIDADE DE VIDA APÓS A NEOPLASIA

METODOLOGIA
• Esta pesquisa que abrange a dieta e câncer de mama se refere a
metodologia de revisão bibliográfica do tipo exploratória, de
abordagem qualitativa. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica no qual
foram analisados artigos científicos publicados nos últimos 5 anos que
10exprimem sobre o tema Dieta e câncer de mama: relação entre a
alimentação na prevenção, auxílio no tratamento e qualidade de vida
pós neoplasia. A fim de construir o referencial teórico atualizado e de
significativa relevância foram utilizados sites científicos e bases de
dados, como o Google acadêmico, Scielo e PubMed, com as palavras
chaves, Câncer de mama, Alimentação, Recidiva oncológica
DIETA E CÂNCER DE MAMA: RELAÇÃO ENTRE A ALIMENTAÇÃO NA PREVENÇÃO, AUXÍLIO NO TRATAMENTO E QUALIDADE DE VIDA APÓS A NEOPLASIA

RESULTADOS E DISCUSSÃO
• Oito artigos foram selecionados como publicações originais e revisões
sistemáticas. Os artigos foram organizados e apresentados de acordo
com o tema explorado e descritos resumidamente nos quadros a
seguir, facilitando a análise e discussão, bem como para melhor
apresentação do levantamento bibliográfico desse estudo
DIETA E CÂNCER DE MAMA: RELAÇÃO ENTRE A ALIMENTAÇÃO NA PREVENÇÃO, AUXÍLIO NO TRATAMENTO E QUALIDADE DE VIDA APÓS A NEOPLASIA

RESULTADOS E DISCUSSÃO
• Por fim, é sugerido a baixa ou a nula ingestão de gorduras prejudiciais, comer uma
proporção correta de gorduras saudáveis. Essas gorduras são um dos principais
promotores de câncer. Evitar açúcar e carboidratos refinados. Seguir uma dieta de
principalmente proteína magra orgânica produzida naturalmente, gorduras saudáveis,
e legumes. De toxicar o corpo constantemente através da dieta adequada, do suor e
suplementos. Diminuir o estresse oxidativo e inflamação através de hábitos saudáveis,
boa alimentação e suplementos. Manter o corpo em um estado alcalino por meio da
dieta, sucos de vegetais, água alcalina, ou suplementos. Manter um pH balanceado
(mais alcalino) ajuda o corpo a manter a voltagem adequada. Faz-se necessário,
portanto a adoção de uma dieta saudável e variada, rica em vegetais, frutas, grãos
integrais, sem excesso de gordura saturada e álcool , que ofereçam componentes
alimentares com possível efeito benéfico na prevenção e na redução do risco de
recorrência da neoplasia mamária
DIETA E CÂNCER DE MAMA: RELAÇÃO ENTRE A ALIMENTAÇÃO NA PREVENÇÃO, AUXÍLIO NO TRATAMENTO E QUALIDADE DE VIDA APÓS A NEOPLASIA

RESULTADOS E DISCUSSÃO
MUNHOZ, M. P. et al. (2016) Investigar alguns fatores de risco e de proteção para o Diante do artigo exposto, os pacientes com a doença, se
câncer. Tal doença apresenta no mundo atual elevada faz necessário o acompanhamento constante de
incidência e mortalidade, representando um problema profissionais devidamente capacitados, sendo a
de saúde pública de alta magnitude. condição mais ideal, a presença de uma equipe
multidisciplinar, como nutricionista e os benefícios
decorrentes das modificações no estilo de vida são
notáveis e incluem modificações dietéticas e exercícios
físicos, visando à redução da incidência e mortalidade
de câncer.
MELO, M. E. et al. (2017)    
Apresentar os efeitos que a má alimentação tem trazido O INCA propõe o aumento da tributação de bebidas
para os brasileiros, com isso o INCA chega a propor açucaradas e adoçadas com adoçantes não calóricos ou
meios para que a dieta conhecida como de risco, perca de baixa caloria; a restrição da publicidade e da
espaço nos meios de comunicação, evitando assim promoção (dirigidas ao público infantil) de alimentos e
problemas futuros.  bebidas não saudáveis; a restrição da oferta de
alimentos e bebidas ultraprocessados nas escolas; e a
obrigatoriedade de advertências textuais frontais nas
embalagens, a fim de indicar, por meio de mensagens
diretas, os alimentos e as bebidas que contêm altos
teores de açúcar, sódio, gordura, gordura saturada e
calorias, assim como a presença de aditivos químicos,
edulcorantes e gordura trans.
DIETA E CÂNCER DE MAMA: RELAÇÃO ENTRE A ALIMENTAÇÃO NA PREVENÇÃO, AUXÍLIO NO TRATAMENTO E QUALIDADE DE VIDA APÓS A NEOPLASIA

RESULTADOS E DISCUSSÃO
U Apresentar estudos que vêm apontando a Resultados apontam
UURSULA ESCHER et al.(2010) diminuição do consumo de carboidratos e/ou que o equilíbrio e controle na ingestão dos
açúcares simples, considerados beneficiados na grupos alimentares
prevenção de neoplasias malignas. sem haver consumo excessivo de alimentos que são
considerados maléficos, diminue a probabilidade do
surgimento do câncer ou outras doenças crônicas,
prevenindo e melhorando o
organismo, bem como
o metabolismo energético das células.

I Apresentar dicas que tenham como principal Os resultados


NCA/MS (2018) objetivo enfatizar a prevenção primária, que é impedir que o câncer se desenvolva. Isso mostraram que na mortalidade proporcional por câncer em
inclui evitar a exposição aos fatores de risco de câncer e a adoção de um modo de vida mulheres, em 2019, os óbitos por câncer de mama ocupam
saudável. o primeiro lugar no país. Esse padrão é semelhante para as
regiões brasileiras, com exceção da região Norte, onde os
óbitos por câncer de mama ocupam o segundo lugar. 

J Conhecer melhor os alimentos que podem estar Registrou-se, que,


ji Hyun Kim et al. (2017) associados ao câncer de mama. E também avaliar a dieta como fator que interfere na levando em consideração o que foi analisado nos estudos
incidência do câncer de mama. selecionados observamos que há ligação entre a
alimentação das mulheres e a incidência de neoplasia de
mama. Os resultados mostraram que a dieta de risco, que é
a dieta rica em carnes vermelhas e carboidratos e a dieta
protetiva, que é a mais voltada para restrições de
determinados carboidratos, enlatados, embutidos e carnes
vermelhas, ligadas ao câncer de mama influenciam com
riscos de desenvolvimento de câncer de mama.
DIETA E CÂNCER DE MAMA: RELAÇÃO ENTRE A ALIMENTAÇÃO NA PREVENÇÃO, AUXÍLIO NO TRATAMENTO E QUALIDADE DE VIDA APÓS A NEOPLASIA

RESULTADOS E DISCUSSÃO
M Investigar alguns fatores de risco e de proteção Diante do artigo
MUNHOZ, M. P. et al. (2016) para o câncer. Tal doença apresenta no mundo atual elevada incidência e exposto, os pacientes com a doença, se faz necessário o
mortalidade, representando um problema de saúde pública de alta magnitude. acompanhamento constante de profissionais
devidamente capacitados, sendo a condição mais ideal,
a presença de uma equipe multidisciplinar, como
nutricionista e os benefícios decorrentes das
modificações no estilo de vida são notáveis e incluem
modificações dietéticas e exercícios físicos, visando à
redução da incidência e mortalidade de câncer.

M    
MELO, M. E. et al. (2017) Apresentar os efeitos que a má alimentação tem O INCA propõe o
trazido para os brasileiros, com isso o INCA chega a propor meios para que a dieta aumento da tributação de bebidas açucaradas e adoçadas
conhecida como de risco, perca espaço nos meios de comunicação, evitando assim com adoçantes não calóricos ou de baixa caloria; a
problemas futuros.  restrição da publicidade e da promoção (dirigidas ao
público infantil) de alimentos e bebidas não saudáveis; a
restrição da oferta de alimentos e bebidas
ultraprocessados nas escolas; e a obrigatoriedade de
advertências textuais frontais nas embalagens, a fim de
indicar, por meio de mensagens diretas, os alimentos e as
bebidas que contêm altos teores de açúcar, sódio,
gordura, gordura saturada e calorias, assim como a
presença de aditivos químicos, edulcorantes e gordura
trans.
DIETA E CÂNCER DE MAMA: RELAÇÃO ENTRE A ALIMENTAÇÃO NA PREVENÇÃO, AUXÍLIO NO TRATAMENTO E QUALIDADE DE VIDA APÓS A NEOPLASIA

CONSIDERAÇÕES FINAIS
• Com base nos resultados encontrados, após análise dos artigos
conclui-se que, as mudanças dietéticas saudáveis podem causar
resultados benéficos e que uma boa alimentação deve conter
variedades de vitaminas e nutrientes que satisfaçam a necessidade do
nosso organismo, por isso, manter uma alimentação equilibrada é um
dos fatores importantes para a promoção da saúde, garantindo assim
longevidade e uma melhor qualidade de vida.
DIETA E CÂNCER DE MAMA: RELAÇÃO ENTRE A ALIMENTAÇÃO NA PREVENÇÃO, AUXÍLIO NO TRATAMENTO E QUALIDADE DE VIDA APÓS A NEOPLASIA

CONSIDERAÇÕES FINAIS
• Diante do exposto, é possível observar o quanto é importante ao
individuo adotar em sua rotina diária alimentos de todos os grupos,
cada qual com suas funcionalidades especificas de acordo com suas
necessidades nutricionais e prescritas por um profissional capacitado,
para que o organismo possa estar prevenido contra patologias, onde a
ingestão de alimentos funcionais seja só mais uma estratégia para
prevenção e controle a alguns tipos de doenças, lembrando que eles
não promovem a cura, apenas atuam fortalecendo o sistema
imunológico, e caso essas ocorram, este possa reagir de maneira mais
eficaz.
DIETA E CÂNCER DE MAMA: RELAÇÃO ENTRE A ALIMENTAÇÃO NA PREVENÇÃO, AUXÍLIO NO TRATAMENTO E QUALIDADE DE VIDA APÓS A NEOPLASIA

REFERÊNCIAS
• BRANCO, C. P.; OLIVEIRA, A. R.; SILVA, M. P. Alimentos funcionais e nutracêuticos. Journal Article, 2012.
• BRASIL. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Estimativa 2018: incidência de câncer no Brasil. Rio
de Janeiro: INCA, 2018.
• BRASIL. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer. Consenso Nacional de Nutrição Oncológica [Internet]. v. 2.
Rio de Janeiro: INCA, 2011.
• ESCHER, U.; YI, E. EBOOK: Guia Científico da Prevenção e Cura do Câncer Aprenda a Ciência e Segredos da Cura Natural
do Câncer. Design e traduções para o e-Livro©2010. Disponível em: Curas do Cancer.com. Acesso em:10 de maio de
2021
• INSITUTO NACIONAL DO CÂNCER (INCA/MS). Conceito e magnitude do câncer de mama. Disponível em:
https://www.inca.gov.br/controle-do-cancer-de-mama/conceito-e magnitude#footer . Acesso em:09 de maio de 2021
• INSITUTO NACIONAL DO CÂNCER (INCA/MS). Fatores de risco para o câncer de mama. Disponível em:
https://www.inca.gov.br/controle-do-cancer-de-ma ma/fatores-de risco#:~:text=O%20c%C3%A2ncer%20de%20mama
%20n%C3%A3o,e%20fatores%20ge n%C3%A9ticos%2Fheredit%C3%A1rios%201. Acesso em:10 de maio de 2021
• Ji Hyun Kim, Jeonghee Lee, So-Youn Jung e Jeongseon Kim. Dietary Factors and Female Breast Cancer Risk: A Prospective
Cohort Study. Nutrients – MDPI. Dezembro 2017; vol. 9(12): 1331.
CENTRO UNIVERSITÁRIO - UNIESP
BACHARELADO EM NUTRIÇÃO

DIETA E CÂNCER DE MAMA: RELAÇÃO ENTRE A ALIMENTAÇÃO NA


PREVENÇÃO, AUXÍLIO NO TRATAMENTO E QUALIDADE DE VIDA APÓS A
NEOPLASIA

Aluna: Eudma Thaís Saraiva de Souza


Orientadora: Profª. Drª. Priscilla Maria Pereira Maciel

CABEDELO – PB 2021

Você também pode gostar