Você está na página 1de 13

Universidade do Estado da Bahia – UNEB

Reconhecida pela portaria ministerial n º 909 de 31–07–95


Departamento de Educação/Campus II – Alagoinhas
Colegiado de História

COMPONENTE: CULTURA DOCUMENTAL E PATRIMONIAL I


DOCENTES: CELESTE PACHECO E MARINALVA SILVA
DATA: 20/10/2021
DISCENTES: KENNEDY MAGALHÃES DE ALMEIDA
Cultura

 De acordo José Luiz dos Santos, existe a preocupação em entender os muitos caminhos que conduziram
os grupos humanos às suas relações presentes e suas perspectivas de futuro. O desenvolvimento da
humanidade está marcado por contatos e conflitos entre modos diferentes de organizar a vida
social, de se apropriar dos recursos naturais e transformá-los, de conceber a realidade e expressá-
la. A história registra com abundância as transformações por que passam as culturas, seja movida por
suas forças internas, seja em consequência desses contatos e conflitos, mais frequentemente por
ambos os motivos. Por isso, ao discutirmos sobre cultura temos sempre em mente a humanidade
em toda a sua riqueza e multiplicidade de formas de existência. São complexas as realidades
dos agrupamentos humanos e as características que os unem e diferenciam.
Patrimônio histórico e memória

 Fazendo uma análise acerca da visão de Pierre Nora, ele destaca que a memória
fica enraizada no concreto, no espaço, no gesto, na imagem, no objeto, e desse
modo é possível afirmar que o patrimônio histórico, seja ele material ou imaterial
é sustentáculo de memórias, e como tal incorpora fragmentos e sentimentos
experienciados socialmente pelo indivíduo e a coletividade em espaços e tempos
determinados.
Patrimônio

Em 1988, com a aprovação da Constituição Brasileira vigente, podemos notar considerável desenvolvimento na concepção do que se
tem de patrimônio nacional e, principalmente, uma visão ampliada de sua composição. Encontra-se no artigo 216 a seguinte descrição:

Constituem patrimônio cultural brasileiro os bens de natureza material e imaterial, tomados individualmente ou em conjunto,
portadores de referência à identidade, à ação, à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira, nos quais se
incluem:

I - as formas de expressão;

II - os modos de criar, fazer e viver;

III - as criações científicas, artísticas e tecnológicas;

IV - as obras, objetos, documentos, edificações e demais espaços destinados às manifestações artístico-culturais;

V - os conjuntos urbanos e sítios de valor histórico, paisagístico, artístico, arqueológico, paleontológico, ecológico e científico.

(BRASIL, 1988)
 Importante pensar a história do nosso município, do nosso lugar a partir da perspectiva do
patrimônio histórico. A despeito de todos os selos de tombamentos e registros, o patrimônio
cultural é aquele vivido e repetido na vida cotidiana. O patrimônio nos permite conhecer a
cultura, a arte, as tradições, os costumes, a religião e a história de um povo a partir de toda a
simbologia que carrega, por isso a importância de preservar e valorizar, pois faz parte do
processo de identidade de um determinado povo, daquilo que é patrimônio para ele.
Feira de Santana

Localização de Feira de Santana na Bahia


Mapeamento de alguns patrimônios culturais de Feira de
Santana

 Coreto da Praça da Matriz

Livro de Inscrição: Livro do Tombamento dos Bens Imóveis


Território de Identidade: Portal do Sertão
Munícipio: Feira de Santana
Endereço: Praça da Matriz
Processo de origem: 006/91
Proteção Legal: Tombamento Estadual – Decreto nº. 8.357/2002
Data do Tombamento: 05/11/2002
Uso Original: Coreto
Uso atual: Coreto
Estado de conservação: Segundo a vistoria técnica 0019/2007, o
bem necessitava de manutenção na pintura e nos degraus.
Inventário/IPAC SIC*: Monumentos da Região Pastoril do
Estado da Bahia. Proteção proposta: Tombamento Municipal. Jul.
2002.
Igreja Senhor dos Passos

Livro de Inscrição: Livro do Tombamento dos Bens Imóveis


Território de Identidade: Portal do Sertão
Município: Feira de Santana
Endereço: No cruzamento da Av. Senhor dos Passos e a Av. Getúlio
Vargas.
Processo de origem: 018/91
Proteção Legal: Tombamento Provisório – Bahia – Processo nº
018/91
Data do Tombamento: 09/09/1998
Propriedade: Privada
Uso Original: Religioso.
Uso atual: Religioso.
Estado de conservação: Encontra – se em razoável estado de
conservação
Paço Municipal

Livro de Inscrição: Livro do Tombamento dos Bens Imóveis


Território de Identidade: Portal do Sertão
Município: Feira de Santana
Endereço: Avenida Senhor dos Passos, s/n
Processo de origem: 003/91
Proteção Legal: Tombamento Estadual – Decreto nº. 9.210/2004
Data do Tombamento: 05/11/2004
Outras Denominações: Casa de Eduardo Fróes da Mota
Propriedade: Pública Municipal
Uso Original: Paço Municipal
Uso atual: Paço Municipal
Estado de conservação: Ótimo
Outras Informações: O prédio sede da Prefeitura de Feira de Santana situa-se na Avenida
Senhor dos Passos, esquina com a Avenida Getúlio Vargas, no centro da cidade, onde
predominam edifícios de uso comercial.
Painel do Artista Lênio Braga (Terminal Rodoviário)

Livro de Inscrição: Livro do Tombamento dos Bens Imóveis


Território de Identidade: Portal do Sertão
Município: Feira de Santana
Endereço: Avenida Presidente Dutra – Terminal Rodoviário
Processo de origem: 003/86
Proteção Legal: Tombamento Estadual – Decreto nº. 8.042/2001
Data do Tombamento: 01/10/2001
Propriedade: Privada
Uso Original: Painel
Uso atual: Painel
Estado de conservação: Em vistoria de 21/08/2002 foi verificado
que o referido painel encontrava-se em local de pouca visibilidade e
necessitava de limpeza. O estado de conservação é satisfatório
Outras Informações: Bem integrado
Prédio Mercado Municipal

Livro de Inscrição: Livro do Tombamento dos Bens Imóveis


Território de Identidade: Portal do Sertão
Município: Feira de Santana
Endereço: Praça João Pedreira, s/nº, Centro.
Processo de origem: nº 04/91
Proteção Legal: O imóvel encontra-se em tombamento provisório
pelo Governo Estadual, através de notificação assinada em 24/11/94.
Data do Tombamento: 24/11/1994
Outras Denominações: Mercado de Arte Popular
Uso Original: Mercado
Uso atual: Mercado
Estado de conservação: O mercado apresenta boa estabilidade, no
entanto sua conservação é precária apresentando infiltrações nas
paredes causadas provavelmente por más condições da cobertura.
Inventário/IPAC SIC*: Monumentos da Região Pastoril do Estado
da Bahia. Proteção proposta: Tombamento Municipal. Jul.2002.
Prédio do Arquivo Público Municipal

Livro de Inscrição: Livro do Tombamento dos Bens Imóveis


Território de Identidade: Portal do Sertão
Município: Feira de Santana
Endereço: Av. Senhor dos Passos, s/nº
Processo de origem: 008/91
Proteção Legal: Tombamento Provisório – Bahia – Processo nº 008/91
Data do Tombamento: 24/11/1994
Propriedade: Pública Municipal
Uso Original: Escola
Uso atual: Arquivo Público
Estado de conservação: Encontra – se em razoável estado de conservação,
apresentando infiltrações, proporcionando a ocorrência de umidade. Verifica- se a
existência de insetos xilófagos. Os anexos estão bem conservados.
Referências

 NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Projeto


História, São Paulo, PUC-SP, n. 10, 1993.
 SANTOS, J. L. O que é cultura. 16 ed. São Paulo: Editora Brasiliense, 2006.
 Disponível em: http://patrimonio.ipac.ba.gov.br/municipio/feira-de-santana/
Acesso em: 15/10/2021.
 Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Feira_de_Santana Acesso em:
15/10/2021.
 BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do
Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1988. 4. ed. São Paulo: Saraiva, 1990.

Você também pode gostar