Você está na página 1de 9

Trocas gasosas nos seres

multicelulares- Brânquias

Trabalho realizado por:


 Beatriz Mateus nº3
 Inês Castro nº5
 João Fonseca nº13
Indice
• Variedade de superfícies respiratórias ……………………………………3
• As brânquias………………………………………………………………………4
• Difusão indireta - Hematose branquial……………………………………6
• Mecanismo contracorrente…………………………………………………..7
• Como ocorre o mecanismo contracorrente?..................................8
Variedade de superfícies respiratórias
Apesar da variedade de animais e sistemas respiratórios, há
particularidades comuns a todas elas que lhes permitem uma difusão
eficiente a todas elas:
• São superfícies húmidas;
• São superfícies muito finas, normalmente constituídas por uma
única camada celular;
• Possuem uma grande superfície de trocas.
As brânquias…
• Apesar de haver uma grande variedade de sistemas respiratórios a nível
terrestre, as brânquias/guelras constituem os órgãos respiratórios da maioria
dos animais aquáticos como os peixes, moluscos, equinodermes e crustáceos.
• Apresentam diferentes graus de complexidade, sendo em regra, formadas a
partir de evaginações da superfície do corpo. A sua localização pode ser
externa ou interna.  
• Nos peixes as brânquias são internas localizando-se, nos peixes ósseos, uma
de cada lado da cabeça, recobertas por uma lâmina óssea de protecção, o
opérculo.
• Sendo exceção a hidra que, sendo um animal aquático mais simples e de
pequenas dimensões, não tem necessidade de ter um órgão especializado.
Peixe Molusco

Equinoderme- as brânquias são


projeções tubulares da pele. Crustáceos- apresentam longas e plumosas e
estão cobertas por exoesqueleto
Difusão indireta - Hematose branquial
A hematose branquial é um exemplo de
difusão indireta onde ocorre a difusão
de gases entra a superfície do animal
(brânquias) e o sangue.
Os seres vivos que realizam as suas
trocas gasosas ao nível das brânquias,
fazem respiração  aeróbia branquial, que
predomina nos animais aquáticos.
Um dos mecanismos mais eficientes
neste tipo de respiração é o mecanismo
da contracorrente .
O mecanismo de contracorrente permite aumentar significativamente a eficiência das
trocas gasosas ao nível dos capilares.
Quando o sangue flui através dos capilares torna-se cada vez mais rico em oxigénio e, porque
circula em sentido contrário ao da água, vai contactando com água que é sucessivamente mais
rica em oxigénio, o que permite uma difusão eficiente.
Como ocorre o mecanismo contracorrente?
• 1º- A água passa pela boca do peixe;
• 2º- A água contacta com uma corrente sanguínea, ao nível das
arteríolas aferentes, que possui baixo teor de O2;
• 3º- A água vai enriquecendo em O2 enquanto que o sangue vai
empobrecendo nesse gás;
• 4º- em sentido contrário ao da água, o sangue desloca-se para a
arteríola eferente;
• 5º- A água passa pelos opérculos.
Sabiam que…
Quando tiramos um peixe da água, ele deixa de respirar pois
ocorre a aderência de uma brânquia à outra. Devido a essa
aderência o contacto com o ar fica mais reduzido dificultando a
respiração.

Você também pode gostar