Você está na página 1de 37

Análise de

movimento
Rafaella Caravaca
01

Biomecânica
Biomecânica

❖ Estudo das forças agindo sobre e dentro da estrutura biológica e


os efeitos produzidos por tais forças;

❖ Ciência que investiga o movimento, sob aspectos mecânicos,


suas causas e efeitos nos organismos vivos;

❖ Esta disciplina incorpora pesquisadores de áreas como biofísica,


bioengenharia, biologia e medicina.
Biomecânica

Estudo do movimento humano;

Movimento é causado por forças internas atuando fora do eixo articular,


provocando deslocamentos angulares dos segmentos, e por forças externas
ao corpo.
Mecânica

❖ É o estudo da descrição e explicação do movimento de corpos.


❖ Objetos de estudo:
➢ O estado de movimento
➢ a descrição do movimento
➢ a causa do movimento
Cinemática

❖ Estudo dos fatores de tempo e espaço no


movimento do corpo;

❖ Variáveis que descrevem o movimento: tempo,


deslocamento, velocidade, e aceleração;

❖ A maioria dos movimentos corporais são


movimentos curvilíneos ou rotacionais que tem
uma articulação como centro.
Conceitos Cinemáticos

❖ Todos os movimentos rotacionais (articulares) no corpo humano apresentam 3


acelerações:

Aceleração Centrípeta (ac ): faz o segmento corporal mudar de direção.

Aceleração Tangencial (at ): faz o valor numérico da velocidade do segmento


corporal variar.

Aceleração Vetorial (a): é a soma vetorial da ac. centrípeta e da ac.


tangencial.Entendimento de como o sistema locomotor opera ;
Cinética do Movimento

❖ A cinética é a área de estudo que examina as


forças que agem sobre um sistema.
➢ Forças Internas

Músculos, tendões e ossos, interação osso e


articulação.

➢ Forças Externas

Gravidade, contato (corpos, apoio, ambiente,


equipamento)
Objetivos:

❖ Entendimento de como o sistema locomotor opera ;

Otimização da performance: esportiva e patológica;

Redução de lesões: prevenção e reabilitação.


Biomecânica óssea

❖ Material anisotrópico, exibindo diferentes propriedade mecânicas


quando exposto a cargas em diferentes direções.

❖ O osso remodela-se em respostas às demandas mecânicas ás quais


está sujeito. Ele é depositado onde é preciso e é absorvido onde não
é preciso
Gráfico Tensão x Deformação:
Gráfico tensão X Deformação: Tecido Ósseo
Biomecânica do osso ◦
A maioria das fraturas são produzidas por uma combinação de vários modos de cargas
cartilagem articular

FUNÇÕES:
❖ Distribuir a carga aplicada na articulação sobre uma
ampla área;

❖ Promover superfície de sustentação macia e


resistente ao desgaste;

❖ Permite o movimento articular com pouco ou nenhum


atrito.
Composição da Cartilagem Articular

Condrócitos (menos de 10%)


Colágeno (15 a 22%)
Proteoglicanos (4 a 7%)
60 a 85%:
• Água;
• Sais inorgânicos
• Lipídios;
• Glicoproteínas.
PROPRIEDADES BIOMECÂNICAS DA CARTILAGEM ARTICULAR

❖ A cartilagem articular se deforma ao aplicar uma


carga sobre a articulação, ocasionando a saída
gradual de líquido sinovial.

❖ O líquido é expulso para fora da área de contato


ósseo e depois retorna para a área de contato,
quando a força compressiva é retirada.

Stress máximo de contato


sobre uma articulação pode
ser atenuado em 50% ou mais
em função da presença da
cartilagem
Análise Qualitativa do movimento

❖ Observação sistemática e julgamento introspectivo da qualidade do


movimento humano (ex. bom, mau, regular) com o propósito de fornecer a
intervenção mais apropriada para melhorar a performance.

➢ Parâmetros Qualitativos:
■ Ritmo, precissão, harmonia, frequencia, Facilidade, amplitude,
rapidez, Sequência.
Pontos de observação da análise qualitativa da marcha
Análise Quantitativa do Movimento

❖ Fornecem importantes informações para que compreendamos uma série de


parâmetros que caracterizam/ determinam os movimentos.

➢ Parametros cinéticos:
■ Força, Momento, Trabalho, Potência, Pressão, Impulso.

➢ Parametros cinemáticos:
■ Tempo, Distância, Posição, Velocidade, Aceleração, Ângulo.
Planos Sagital e eixo látero-lateral
Planos Frontal e eixo anteroposterior
Plano transverso e eixo Longitudinal
Áreas de atuação da Biomecânica

ESPORTE INSTRUMENTAÇÃO
Analisar o movimento dos atletas e corrigir Equipamentos utilizados
falhas na execução melhorando o para analisar
desempenho técnico esportivo quantitativamente o
movimento
CLÍNICA E REABILITAÇÃO
ORTOPEDIA
A análise de movimento de um paciente patológico os biomateriais são testados
em máquinas para registro
é feita a partir da comparação do movimento de
de sua resistência mecânica
uma pessoa sem nenhuma patologia. Após
identificar as diferenças é decidido o tratamento
terapêutico
Exemplos de aplicações em Biomecânica:

❖ Análise da marcha patológica;


❖ Desenvolvimento de calçados;
❖ Análise de movimentos esportivos;
❖ Prevenção de quedas em idosos.
02

Marcha
Humana
Fase da Marcha no Ciclo Normal
Apoio (60%)
Duplo apoio iniacial (10%)
Apoio simples (40 %)
A marcha é dividida em 2 fases : apoio e balanço Duplo apoio final (10 %)
Conceitos em cinemática da marcha humana

Cadencia
Passo
Passada
Ciclo normal da Marcha (pé direito)
Marcha Humana - Ciclo completo
Variáveis Tempo-Distância (espaço-temporais): valores típicos em
caminhada livre
Fisiologia da marcha

❖ Uma marcha eficiente reduz a um mínimo deslocamento do centro


de massa por rotação e inclinação da pelve e por flexão e extensão
das diversas articulações envolvidas

além de uma maior necessidade de energia,


marchas anormais aumentam o risco de queda
e suscetibilidade a lesões biomecânicas
Marcha Patológica

❖ Marcha normal é uma forma de progressão com reciprocação


(avanço alternado) de membros inferiores, que tem como
características o deslocamento com segurança e economia de
energia.

❖ Marcha patológica há perda de pelo menos um desses princípios. A


origem do distúrbio pode estar em um dos seguintes componentes do
movimento voluntário:
➢ Fonte de movimento;
➢ Alavancas articuladas;
➢ Conscientização do movimento desejado;
➢ Energia;
Marcha Anormais

❖ Marcha ataxica;
❖ Marcha em Tesoura;
❖ Marcha Escarvante.
Obrigada!
Alguma pergunta?
36

CREDITS: This presentation template was


created by Slidesgo, including icons by
Flaticon, and infographics & images by
Freepik.
References

● http://www.profedf.ufpr.br/rodackibiomecanica_arquivos/AULA%20
5%20e%206%202015.pdf

● AUTHOR (YEAR). Title of the publication. Publisher

● AUTHOR (YEAR). Title of the publication. Publisher

● AUTHOR (YEAR). Title of the publication. Publisher

● AUTHOR (YEAR). Title of the publication. Publisher

● AUTHOR (YEAR). Title of the publication. Publisher

Você também pode gostar