Você está na página 1de 24

Ufcd- 6281

pulverizadores e polvilhadores

Prof . Carlos Pereira


Pulverizador de jacto projectado
Funcionamento de um pulverizador de jacto
projectado

É um aparelho para tratamentos cuja pulverização se realiza por meio de uma


pressão de liquido - pulverização por pressão – e em que o
transporte do liquido se efectua sem fluido auxiliar –jacto projectado.

Por outras palavras: submete-se a calda a pressão, variável segundo os


pulverizadores, obrigando-a a passar através dos orifícios calibrados dos bicos
de pulverização. E, portanto, a expansão do liquido na atmosfera, a grande
velocidade, que assegura a sua pulverização
Pulverizador de jacto transportado
Funcionamento de pulverizador de jato
transportado

por muitos conhecido por turbina, é um aparelho para tratamentos


cuja pulverização se efectua por intermédio de uma pressão no liquido
– pulverização de pressão – cujo transporte é assegurado, pelo menos
parcialmente, por um fluxo de ar – jacto transportado – produzido
por um ventilador ou turbina.

Empregam-se, principalmente, em arboricultura e viticultura. O


alcance das gotas é grande e, como a corrente de ar agita a folhagem,
permite o tratamento de ambas as páginas das folhas.
Pulverizadores pneumáticos ou
atomizadores
Funcionamento de pulverizador pneumático
ou atomizador

É um aparelho em que o funcionamento consiste no choque de


um filete de calda com uma corrente de ar de grande velocidade,
resultando dai a sua pulverização.
Existe, portanto, um circuito de liquido que assegura
a alimentação dos bicos de pulverização com a
calda e um circuito de ar.
A pulverização não exige nenhuma pressão no circuito do
liquido, ficando assegurada a sua divisão mediante o encontro do
liquido com o fluxo de ar que circula a velocidades que podem
atingir os 400 km por hora.
Polvilhadores

* Aplicam o produto químico sob a forma de pó


Funcionamento de um polvilhador
• Polvilhador é a maquina que executa a polvilhação.(é lançar um pó , mais ou menos fino,
sobre o solo ou sobre as plantas)

• Produz um jacto de pó que é arrastado por uma corrente de ar e distribuído pelas superfícies a
tratar

ventilador
Acoplamento dos Pulverizadores

carrinho
dorso montado

rebocado Automotriz
Constituição de um pulverizador
Tipos de bicos
 Bicos de fenda são mais utilizados na aplicação de
herbicidas, estes bicos têm orifícios de dimensão
calibrada (débito conhecido a 3 bar) estando atribuída
uma cor (laranja, verde, amarelo, azul, ...),

 Bicos cónicos são utilizados na aplicação de fungicidas e


insecticidas

 Bicos de espelho na aplicação de fertilizantes líquidos,


tal como os bicos de filete.
Bicos anti- deriva
• A deriva é um dos grandes problemas nas aplicações dos produtos
fítossanitários responsável por mais de 1/3 dos erros. Normalmente não é
recomendado fazer aplicações se o risco de deriva é alta, mas na pratica
nem sempre é assim, pela necessidade de fazer uma aplicação em áreas
grandes em pouco tempo

Injecção de ar

Com a injecção do ar na calda as partículas ficam mais


pesadas não sendo arrastadas pelo vento
Bicos anti-deriva
• As vantagens dos bicos anti-deriva

Redução da deriva até 90 %, menos perda protege o meio ambiente

Mesma eficiência/cobertura comparado com os bicos comuns

Boa penetração

A aplicação é menos dependente das condições climáticas

Redução da contaminação do meio-ambiente, das plantações vizinhas ou de


pessoas por agroquímicos
Manutenção dos bicos

A limpeza dos bicos pode ser realizada pela lavagem com


água e por pressão de ar, podendo também utilizar uma
escova mole. Nunca se deve utilizar um arame ou outro
objecto metálico que pode danificar o orifício de saída

Bico danificado
Bico novo Bico usado
Regulações tranversal

Transversal – a altura da barra


deve ser igual nos dois lados.
Regular nos pendurais móveis
dos braços .
Regulações – lateral ou central

O pulverizador deve
ficar centrado com o
trator.- regular nos
estabelizadores

estabelizadores
Regulações- longitudinal

É feita no 3º ponto, quando o bico


estiver perpendicular ao solo ou seja
quando o quadro ou chassis tiver paralelo
ao solo.
Regulações - altura

50% 25%

Um bico em boas condições de funcionamento faz uma distribuição correcta em


cerca de 50 % do jacto, na sua parte central e os restantes 50 % são distribuídos
para os lados, em cerca de 25 % para
cada um Daqui resulta que em trabalho com uma rampa de pulverização, por
exemplo, temos que a levantar de modo a que os jactos dos bicos contíguos se
sobreponham 25 %. Se apenas se tocarem fica uma zona mal coberta;
Cálculos de débito

Factores Sigla Unidade de Medida

Velocidade do tractor VT Km/hora

Débito Total por Minuto DT Litros/minuto

Largura de trabalho LT Metros


Cálculos de débito

• L/ ha = Q x K
v x Lt

Ver os exemplos dados nas nossa aulas


Manutenção diária
Manutenção de fim de campanha

 Verificar o estado do manómetro e não hesitar em substituí-lo se for


necessário;
 Certificar-se do bom estado dos dispositivos de protecção;
nomeadamente, as transmissões por veio teles­cópico do cardan e
os ventiladores;
 Substituir o óleo dos cárteres de lubrificação das bombas e das
transmissões conforme as prescrições do construtor;
 Proceder à limpeza dos circuitos internos e das partes externas;
 Tratar as zonas ferrugentas com um produto adaptado ou pintá-las.
 Armazenar o pulverizador ao abrigo dos agentes climatéricos
Cuidados gerais na aplicação

Você também pode gostar