Você está na página 1de 31

INTRODUÇÃO A IMUNOLOGIA

O SISTEMA IMUNE É CRUCIAL À


SOBREVIVÊNCIA HUMANA. NA
SUA AUSÊNCIA, MESMO
INFECÇÕES LEVES PODEM SER
IMUNOLOGIA
É o estudo da imunidade, ou seja, os eventos
moleculares e celulares que ocorrem quando o
organismo entra em contato com micro-
organismos ou macromoléculas estranhas
presentes no ambiente.

IMUNIDADE: A palavra imunidade se refere a todos os


mecanismos utilizados pelo organismo para se proteger contra
agentes do ambiente estranhos ao corpo.

Esses agentes podem ser microorganismos ou seus produtos,


alimentos, drogas, pó len, pêlos e escamas de animais.
2
DEFENDER DO QUÊ?
Contra microorganismos como também pela limpeza do organismo, removendo
células mortas, rejeitando enxertos e memó ria imunoló gica .

3
Sistema imunoló gico
O sistema imunoló gico de um indivíduo começa a se
formar na fase intrauterina, quando também recebe
anticorpos da mã e via placenta. Apó s o
nascimento, durante os primeiros meses de vida, o leite
materno passa a ser a principal fonte de anticorpos da
criança, até que a mesma produza seus pró prios
anticorpos em resposta à administraçã o de vacinas ou
mesmo apó s entrar em contato com agentes
infecciosos.

4
ANTÍGENOS X ANTICORPOS

Anticorpo (Ac): Antígeno(Ag):


proteína do soro qualquer material
formada em resposta à estranho que se
liga
imunizaçã o, que se liga
especificamente a
especificamente ao anticorpos para
antígeno imunizante. serem destruídos

5
PRINCIPAIS TECIDOS E ÓRGÃOS DO SISTEMA IMUNE

• Linfócitos : Sã o as principais células


responsáveis pela resposta imune: linfó citos
T (vírus, fungos e tumores) e linfó citos B
(bactérias e toxinas).

• Órgãos linfóides primários - Timo e


Medula ó ssea.

• Órgãos e tecidos linfóides secundários -


linfonodos, tonsilas , baço e medula ó ssea e
tecidos linfó ides associados aos brô nquios.

6
SISTEMA IMUNE – ÓRGÃOS LINFÓIDES

Primário: Sã o os tecidos responsáveis pela produçã o e/ou


maturaçã o das células do Sistema Imune

• Timo
Maturaçã o dos linfó citos T

• Medula óssea
Origem dos linfó citos (T e B) e maturaçã o dos linfó citos B

7
SISTEMA IMUNE – ÓRGÃO PRIMÁRIOS
1. TIMO
ó rgão linfático que se localiza no tó rax, anterior ao coração.

Função:
Promover a maturaçã o dos linfó citos T que vieram da
medula ó ssea até o está gio de pro - linfó citos que vã o para
os outros
tecidos linfó ides, onde se tornam ativos para a resposta
mune
também dá origem a linfó citos T maduros que vã o fazer o
reconhecimento do organismo para saber identificar o que
é material estranho ou pró prio do organismo (pró prio ou
nã o pró prio)

8
Ó RGÃ OS LINFÓ IDES PRIMÁ RIOS
Medula óssea
•É um tecido líquido-gelatinoso que ocupa o interior dos ossos, sendo
conhecida popularmente por 'tutano'. Na medula ó ssea sã o
produzidos os componentes do sangue: as hemácias (glóbulos
vermelhos), os leucócitos (glóbulos brancos) e as plaquetas. As
hemá cias transportam o oxigênio dos pulmõ es para as células de todo
o nosso organismo e o gá s carbô nico das células para os pulmõ es, a
fim de ser expirado. Os leucó citos sã o os agentes mais importantes do
sistema de defesa do nosso organismo e nos defendem das infecçõ es.
As plaquetas compõ em o sistema de coagulaçã o do sangue

Função
participam da hematopoiese.
armazena ferro para a síntese de hemoglobina, formando hemá cias
e leucó citos para o sangue no terceiro mês de vida, com a ossificaçã o
da clavícula do
embriã o

9
Ó RGÃ OS LINFÓ IDES SECUNDÁ RIOS
Sã o os que participam da resposta imune, seja ela humoral ou celular
Neles estã o presentes os linfonodos, tonsilas baço e medula ó ssea.
As células presentes nesses tecidos secundá rios tiveram origem nos tecidos
primá rios, que migraram pela circulaçã o e atingiram o tecido.

1.LINFONODOS

2.BAÇO

3.TONSILAS
10
Ó RGÃ OS LINFÓ IDES
SECUNDÁ RIOS
1. LINFONODOS
Conhecidos como gâ nglios linfá ticos, são estruturas
nodulares, distribuídas por todo o corpo, ao longo dos vasos
Linfá ticos sã o ó rgã os pequenos em forma de feijã o que
aparecem no meio do trajeto de vasos linfá ticos .
Estã o agrupados na superfície e na profundidade nas
partes proximais dos membros, como nas axilas, na
região inguinal, no pescoço.Também encontramos
linfonodo ao redor de grandes vasos do organismo.
FUNÇÃO
Eles “filtram” a linfa que chega até eles, e removem
bactérias, vírus, restos celulares, etc.

11
Ó RGÃ OS LINFÓ IDES SECUNDÁ RIOS
2. BAÇO

Ó rgã o só lido, de coloraçã o arroxeada,


consistência mole e elá stica; localiza-se
na parte superior do abdome, no lado
esquerdo, abaixo das costelas; mede
aproximadamente 12 cm de
comprimento, 8 cm de largura.
Função
Destruir os gló bulos vermelhos velhos,
bactérias, e quaisquer partículas inertes
que sejam conduzidas até ele pela
corrente sangü ínea além de atuar
liberando células do SI

12
Ó RGÃ OS LINFÓ IDES SECUNDÁ RIOS

3. TONSILAS
As tonsilas sã o aglomerados de nó dulos linfá ticos
revestidos apenas de epitélio.
O epitélio emite centenas de invaginaçõ es para o interior
e forma as cristas. Estas cristas aumentam a á rea de
contato com a mucosa, sendo um local rico em bactérias
e detritos.
Localizadas:
na cavidade bucal (tonsilas palatinas)
pró ximas ao arco palatofaríngeo, na parte posterior da língua
(tonsilas linguais) na parte posterior da nasofaringe
encontramos as tonsila faríngeas (adenó ides).

Função
A funçã o proteger contra as agressõ es de micró bios que possam vir
junto com os alimentos

13
SISTEMA IMUNE - CÉ LULAS

De onde vêm?
Sã o produzidas nos ó rgã os linfó ides primá rios

Para onde vã o?
Migram para os ó rgã os linfó ides secundá rios , onde
ocorre a resposta imune contras os agentes
estranhos

14
ELEMENTOS DO SANGUE

15
LEUCÓCITOS
Os leucócitos, ou glóbulos brancos sã o células nucleadas produzidas na medula ó ssea e
encontradas no sangue, com formato esférico, tamanho e volume superiores às hemá cias.
Sua função é proteger o organismo, de maneira imunitária, contra agentes patoló gicos
causadores de doenças, utilizando para isso a produçã o de anticorpos.

CLASSIFICAÇÃO
 neutrófilos: Sã o a primeira linha de defesa do organismo.

 eosinófilos : liberam a hidrocortizona, um hormô nio que diminui reaçõ es alérgicas.

 basófilos: libera heparina no sangue, uma espécie de coagulante, esta ligado a processos
alérgicos e inflamató rios.

monócitos : Ativamente mó veis, os monó citos saem da circulaçã o sanguinea para chegar ao
tecido conjuntivo, tornando-se macró fagos

 linfócitos. Os linfó citos sã o responsáveis pelas respostas de base celulares, relacionadas à


rejeiçã o de enxertos. Alguns linfó citos, em contato com um antígeno, passam a fazer parte das
células de memó ria imunoló gica.
LEUCÓCITOS

17
PROBLEMAS DE IMUNODEFICIÊNCIA
As imunodeficiências ocorrem quando uma parte do
sistema imunológico não está presente ou não está
funcionando corretamente. Às vezes uma pessoa
nasce com uma imunodeficiência (conhecidas como
imunodeficiências primárias), embora os sintomas da
doença pode não aparecer até mais tarde na vida.
Imunodeficiências também pode ser adquirida
através de infecção ou produzidos pelo uso de drogas
(estes são chamados imunodeficiências secundárias).

18
DOENÇAS AUTO-IMUNES
Em doenças auto-imunes, o sistema imunoló gico ataca por engano ó rgã os saudáveis do
corpo e tecidos como se fossem invasores estrangeiros. Doenças auto-imunes incluem:

Lúpus, uma doença crô nica, marcada por dores musculares e nas articulaçõ es e
inflamaçã o.

Artrite reumatóide juvenil, uma doença na qual o sistema imunoló gico do corpo age
como se certas partes do corpo (como as articulaçõ es dos joelhos, mã os e pés) sã o
tecidos estranhos e os ataca

Esclerodermia uma doença crô nica auto-imune que pode levar à inflamaçã o e danos
da pele, articulaçõ es e ó rgã os internos,

A espondilite anquilosante, uma doença que envolve a inflamaçã o da coluna vertebral


e articulaçõ es, causando dor e rigidez

19
Artrite reumatóide
LÚ PUS

Esclerodermia
espondilite anquilosante
DOENÇAS ALÉ RGICAS
Doenças alérgicas ocorrem quando o sistema imunológico reage demais à exposição
a antígenos do meio ambiente. As substâncias que provocam tais ataques são
chamados alérgicos. A resposta imune pode causar sintomas como inchaço,
lacrimejamento, e espirros, e até mesmo uma reação fatal chamado anafilaxia.
Medicamentos chamados anti-histamínicos podem aliviar a maioria dos sintomas.
Asma, uma doença respirató ria que pode causar problemas respirató rios,
frequentemente envolve uma resposta alérgica através dos pulmõ es.
Eczema é uma erupçã o pruriginosa também conhecido como dermatite
ató pica
Alergias de vá rios tipos pode ocorrer em crianças e adolescentes. alergias
Ambiental (para os á caros da poeira, por exemplo), alergias sazonais (como
febre do feno), alergias a medicamentos (reaçõ es a medicamentos específicos
ou drogas), alergia alimentar (como a nozes) e alergias a toxinas (picadas de
abelha, por exemplo ) sã o as condiçõ es comuns que as pessoas geralmente se
referem como alergias.

21
22
QUAL O OBJETIVO DAS IMUNIZAÇÕ ES
INDIVIDUAIS?

• Prevenção

• Erradicação de doenças
— Varíola e poliomielite
— Tétano, rubéola e difteria
• lmunizações
Passiva

Ativa

23
IMUNIZAÇÃ O PASSIVA
A imunidade passiva é a proteçã o conferida pela transferência de anticorpos
(imunoglobulinas). Estas podem ser transmitidas artificialmente por
administraçã o parenteral (oriundas do processamento de soro humano ou
animal) ou naturalmente como a transmissã o transplacentá ria de anticorpos
maternos para o feto.

VANTAGEM
Possui açã o imediata, isto é: disponibilidade de anticorpos no organismo
do paciente logo apó s a administraçã o do imunobioló gico:

• Soroterapia : mordida de cobras e picada de escorpiã o, aranhas e etc.

•Anticorpos anti Rh: eritroblastose fetal

24
A IMUNIZAÇÃ O ATIVA
É a proteçã o conferida pela estimulaçã o antigê nica do sistema
imunoló gico com o desenvolvimento de uma resposta humoral
(produçã o de anticorpos) e celular. Esta estimulaçã o pode
ocorrer por infecçã o natural ou pelo uso de vacina.

Vantagem
Por ter característica duradoura, justificada
pela existência de uma memó ria imunoló gica
(permanência de linfó citos B na circulaçã o e
medula ó ssea que se replicam e produzem
rapidamente anticorpos quando há novo
contato com o antígeno).

25
VACINAS

ATENUADAS: é aquela em que o vírus encontra-se vivo porém, sem capacidade de


produzir a doença
SUBUNIDADES : contém o vírus inativado por agentes químicos ou físicos
CONJUGADA: antígeno polissacarídeo ao qual se une (conjuga) um derivado
protéico com o objetivo de aumentar sua capacidade imunó gena

26
EQUILÍBRIO DO SISTEMA IMUNE

27
MENTE SÃ E CORPO SÃ O!!!
Maneiras de ajudar o sistema imunológico a funcionar bem:

28
SUGESTÃ O DE FILME

Título Original: The Story of Louis


Pasteur – EUA 1935
Atores: Paul Muni, Josephine Hutchinson,
Anita
Louise, Donald Woods, Fritz Leiber
Diretor: William Dieterle
Fornecedor: CLASSIC

29
BIBLIOGRAFIA
ANTUNES, Lucyr J. Imunologia Bá sica. 1 ed. Sã o Paulo: Atheneu, 1999.
CALICH, Vera; VAZ, Celidéia. Imunologia. Rio de Janeiro: Revinter, 2002.
GOLDSBY, Richard A., KINDT, Thomas J., OSBORNE, Barbara A. Kuby
Imunologia. 4 ed. Rio de Janeiro: Revinter, 2002.
PEAKMAN, Mark; VERGANI, Diogo. Imunologia Bá sica e Clínica. Rio de
Janeiro:
Ed. Guanabara Koogan, 1999.
ROITT, Ivan M., DELVES, Peter J. Fundamentos de Imunologia. 10 ed. Rio de
Janeiro: Ed. Guanabara Koogan, 2004.
____________; RABSON, Arthur. Imunologia Bá sica. Rio de Janeiro: Ed.
Guanabara Koogan, 2003.
STITES, Daniel P.; TERR, Abba I.; PARSLOW, Tristram G. Imunologia Médica. 9
ed. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara Koogan, 2000

30
“ Alguns com gripe suína e todos querem usar mascaras. Milhões com Aids
e ninguém quer usar camisinha”

Drausio Varella

Uffaaa....
CANSEI

OBRIGADA

Você também pode gostar