Você está na página 1de 32

BENZENO

MIRO
1
Caracterização do benzeno

Benzeno é uma substância química do tipo


hidrocarboneto aromático, de odor característico,
líquido, volátil, incolor, altamente inflamável,
explosivo, não polar e lipossolúvel. Seu vapor é
mais pesado do que o ar.

2
Por que é um hidrocarboneto?
 
Porque é uma substância química
formada apenas de átomos de
hidrogênio (hidro) e carbono
(carboneto). O benzeno contém seis
átomos de carbono e seis átomos de
hidrogênio.

3
 
Por que é aromático?

Porque tem um aroma (odor) agradável, e


característico. CUIDADO: não caia na tentação de
cheirá-lo, pois é muito tóxico!

4
Por que é líquido?

Porque tem um ponto de fusão de 5,5 º C, isto é, é


sólido abaixo desta temperatura e um ponto de
ebulição de 80,1 º C, portanto é gasoso acima
desta temperatura. Na temperatura ambiente
normal (entre 20 e 35ºC) ele é líquido.

5
Por que é volátil?
Substância volátil é a que evapora facilmente
A propriedade físico-química que permite avaliar
se uma substância é volátil, e comparar a
volatilidade de uma substância com outra, é a
pressão de vapor. Quanto maior é a pressão de
vapor mais volátil é a substância. A pressão de
vapor do benzeno é 95,2 mm Hg na temperatura
de 25ºC. Para fazer uma comparação, a pressão
de vapor da água é de 23,8 mm Hg à 25ºC,
portanto o benzeno é mais do que três vezes mais
volátil do que a água.

6
Por que é altamente inflamável?

Porque pega fogo facilmente. A propriedade


físico-química que caracteriza o benzeno como
inflamável é o seu ponto de fulgor. Ponto de
fulgor é a temperatura necessária para que a
substância pegue fogo ao menor contato com
faísca, chama ou outra fonte de ignição. O ponto
de fulgor do benzeno é de menos 11.1ºC (-11,1ºC),
portanto o benzeno mesmo abaixo de 0ºC, já
pode pegar fogo. A temperatura normal da
geladeira é de 2 a 8 graus celsius positivos (20C a
80C) e no congelador é de menos 4 (-40C).

7
Por que é explosivo?

Porque entre as concentrações de 1,4% e 8% por


volume de ar, em contato com qualquer faísca ou
chama, ocorre explosão.

8
O que significa não polar?

Quando um átomo se liga com outro para formar


uma molécula, a ligação ocorre porque os
elétrons de cada um foram compartilhados com o
outro.

9
Em química chamamos de substância polar
aquela que é formada de átomos que atraem os
elétrons da ligação química com forças
diferentes. Como os elétrons são partículas de
carga negativa, sobre o átomo que atrai os
elétrons com mais força, fica uma carga negativa.
E sobre o outro átomo, fica uma carga positiva.
Forma-se assim uma molécula polar. Quando a
ligação química ocorre entre átomos com igual
força de atração dos elétrons, a molécula final
fica sem carga e é chamada de não polar. É o que
ocorre com a molécula do benzeno. O carbono e
o hidrogênio atraem igualmente os elétrons da
ligação C-H, assim como os elétrons da ligação
carbono-carbono.
10
O que acarreta por ser não polar?
Por ser não polar, o benzeno se dissolve em
gorduras, que também são substâncias não
polares. Por isso dizemos que o benzeno é
lipossolúvel.. É por isto também, que ele penetra
pela pele e através da respiração, atravessa a
membrana pulmonar, passando para a corrente
sangüínea e se distribuindo pelas várias partes do
corpo, como o cérebro, e aí provoca danos no
sistema nervoso central (SNC) e medula óssea

11
Origem e Utilização do Benzeno
A maioria dos compostos orgânicos como o
benzeno, é obtida de reservatórios de materiais
orgânicos, tais como: Petróleo e Carvão mineral.
Petróleo
O petróleo é a matéria prima das refinarias, onde é
dividido em vários produtos comercializados, tais
como gasolina, óleo diesel, óleos lubrificantes além
de frações destinadas a produção de outras matérias
primas na indústria petroquímica.

12
As frações com faixa de destilação que englobam
ou estejam próximas de 80,1ºC (ponto de ebulição
do benzeno), podem conter benzeno na sua
composição. Nestas frações, o benzeno, em
geral, é encontrado em pequenas quantidades.

A quantidade de benzeno pode ainda, variar em


um mesmo produto, em dias diferentes, em função
da variabilidade do petróleo utilizado, e de algumas
variações no processo de produção.

13
No Brasil, existem três petroquímicas
( COPENE,localizada em Camaçari/Bahia –
COPESUL, em Triunfo /RS e Petroquímica União,
em Santo André/SP) e uma refinaria de petróleo
(da PETROBRÁS, - Refinaria Presidente
Bernardes, de Cubatão (RPBC)) que produzem
benzeno. A RPBC utiliza tecnologia petroquímica
para a produção.

14
O benzeno é uma matéria prima muito importante
na industria petroquímica conhecida como de
segunda geração. Estas empresas utilizam as
substâncias produzidas nas petroquímicas de
primeira geração e as transformam em outras
substâncias que são ainda intermediárias para a
fabricação de produtos que chegam até o
consumidor final, tais como medicamentos,
plásticos, detergentes, corantes, etc. O quadro 1
apresenta a cadeia de produtos que podem ser
obtidos a partir do benzeno.

15
16
Carvão Mineral
O carvão mineral é matéria prima das
siderúrgicas que produzem aço, a partir do ferro.
As siderúrgicas compram carvão mineral e para
usá-lo na produção de aço, precisam transformar
este carvão em coque, o que é feito nas
coquerias. O benzeno é produzido exatamente
nas coquerias. No processo de coqueificação
(formação do coque) é produzido o gás de
coqueria, que contem cerca de 6000 -8000ppm de
benzeno. Este teor pode variar de uma
siderúrgica para outra. Isto pode ocorrer devido a
diferenças tecnológicas e diferentes origens do
carvão mineral.

17
No Brasil são cinco as siderúrgicas que possuem
coquerias. Três delas fazem a separação de uma
mistura de benzeno, tolueno e xilenos chamada
usualmente de BTX, do gás de coqueria. Apenas
uma faz a separação individual destes três
compostos. E uma ainda, não separa estas
substâncias, e utiliza todo o gás de coqueria
como combustível em setores da própria
empresa.

18
Após o tratamento do gás de coqueria, aonde
ocorre a recuperação em torno de 80 % de
benzeno, temos ainda por volta de 1200 a 1600
ppm de benzeno no gás de coqueria depois de
tratado (variando um pouco de usina para usina).

19
Um vazamento de gás de coqueria tratado atinge
uma concentração na fonte em torno de 1200 a
1600 de benzeno. Portanto, gás de coqueria
tratado não é isento de benzeno e é utilizado em
diversos setores das siderúrgicas, como
combustível (geração de gás misto, sinter, alto-
forno, calcinação, aciaria, lingotamento contínuo,
fornos poços, fornos placas LCG, forno
tratamento térmico, fornos placas LTQ, fundição,
moagem, oficinas, caldeira de amônia, oficina c.
torpedo, MMG, casa de força e outros
consumidores).

20
As siderúrgicas são:

Açominas – Ouro Branco / MG,

COSIPA – Cubatão / SP,

CSN – Volta Redonda / RJ,

CST – Serra / Espírito Santo

Usiminas – Ipatinga / MG

21
O benzeno ainda está presente em empresas que o
armazenem ou transportam, assim como suas
misturas, além de laboratórios que o analisem ou
utilizem em análises químicas. Podemos encontrar
benzeno também nos efluentes das empresas
assim como nas estações de tratamento de
efluentes da própria empresa.

22
Efeitos do benzeno à saúde

As principais vias de absorção são a oral e a


respiratória, podendo também ser absorvido por
via cutânea, em especial quando estiver na forma
líquida. A maior parte do benzeno inalado é
eliminado pela expiração, aquele que é absorvido
se acumula principalmente em tecidos com alto
teor de lipídios.

23
O metabolismo do benzeno ocorre
predominantemente no fígado havendo excreção
de seus metabólitos pela urina. Os principais
metabólitos do benzeno no homem são o fenol, o
catecol e a hidroxiquinona.
A medula é o órgão alvo de toxicidade do
benzeno, havendo estudos que sugerem efeitos
interativos entre metabólitos do benzeno
formados no fígado e na medula óssea, não
ocorrendo efeito tóxico primário no fígado mas
apenas na medula óssea.

24
O benzeno provoca depressão generalizada na
medula óssea que se manifesta pela redução de
eritrócitos, granulócitos, trombócitos, linfócitos e
monócitos. Há relação causal comprovada entre
exposição ao benzeno e ocorrência de Leucemia.
A Leucemia mais comum relacionada ao benzeno
é a Leucemia Mielóide Aguda.

25
Há também comprovação da relação causal entre
exposição ao benzeno e aplasia de medula, não
sendo certo que haja ligação entre esse quadro e
a Leucemia ou se são eventos separados. De
qualquer forma não podemos esquecer que a
Aplasia de Medula é o maior fator de risco para a
ocorrência de Leucemia.

26
O registro de casos de intoxicação por benzeno
no Brasil é relativamente baixo e localizado. Entre
os fatores que influenciam esses dados podemos
citar: as dificuldades diagnósticas, a
subnotificação e subregistro generalizados, a
fragmentação e dispersão dos serviços de saúde
responsáveis pelo diagnóstico e investigação dos
casos.

27
INTOXICAÇÃO AGUDA

Os sinais clínicos de intoxicação aguda por


benzeno incluem depressão do Sistema Nervoso
Central, arritmia cardíaca e asfixia por parada
respiratória, se as exposições forem em níveis
letais.

28
Em casos graves: inconsciência, convulsões,
delírios, salivação, nistagmo, asfixia intensa
devido a parada do centro respiratório, com
ocorrência de morte súbita. Altas concentrações
de benzeno podem provocar estímulos iniciais
em SNC com quadros importantes de excitação
nervosa, náuseas e dores de cabeça, seguidos de
depressão, fadiga e vertigem. Podem aparecer
dermatites.

29
INTOXICAÇÃO CRÔNICA
Os principais efeitos da exposição crônica ao
benzeno são relacionados à sua ação hematotóxica
e carcinogênica. São também importantes as
alterações equivalentes às provocadas por
exposição a solventes em geral, em especial os
efeitos sobre SNC, onde aparecem achados
variáveis, vagos e inespecíficos. Podem surgir
queixas subjetivas como dor de cabeça, tontura,
vômitos, perda de apetite. Podem ainda aparecer
diversos outros sintomas como distúrbios
dermatológicos e gastrointestinais de difícil
caracterização como especificamente relacionados
à exposição ao benzeno.
30
As alterações hematológicas são também muito
variáveis sendo difícil apresentar um mesmo
padrão, tornando-se portanto mais importante
ainda dar atenção a mudanças em séries
sanguíneas que acometam trabalhadores
expostos ao benzeno. Os efeitos principais são: a
supressão de um ou mais elementos do sistema
hematopoiético e transformações com caráter de
malignidade de algum desses elementos levando
a leucemia ou outro tipo de câncer sanguíneo.

31
Bibliografia:

CD - ROOM : Repertório Brasileiro do Benzeno

Curso para GTB - C.E.P.Bz

Waldomiro dos Santos Pereira Filho

32

Você também pode gostar